Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Roteiros especiais"

Rota para a baleia franca em SC

09 de maio de 2016 0

O foco é no ecoturismo regional e une três cidades – Imbituba, Garopaba e Laguna – em torno de uma atração típica de inverno: a sempre bem-vinda visita das baleias francas ao litoral catarinense.

Com o apoio do Sebrae, de empresas privadas e das prefeituras, a Rota da Baleia Franca quer chamar a atenção demais visitantes para atividades como – além de avistar baleias e golfinhos – ciclismo, caminhadas, surfe, kitesurfe, voo duplo de para queda se passeios pelo centro histórico de Laguna.

E haverá mais uma novidade neste ano: na segunda quinzena de julho, será lançado o Trem da Rota da Baleia, que fará um percurso turístico todos os sábados, com visitação ao museu ferroviário.

A temporada para avistar baleias vai de agosto a outubro.

Revolução na culinária farroupilha em hotel da Serra

06 de maio de 2016 0
Fotos Sérgio Azevedo, divulgação

Fotos Sérgio Azevedo, divulgação

Nos dias 20 a 22 de maio, no Parador Casa da Montanha, em Cambará do Sul, na serra gaúcha, chefs fazem uma releitura da culinária gaúcha no evento “Revolução da Culinária Farroupilha”.

É a primeira edição ano, que tem o tema “Origens e Raízes”.

Os chefs convidados são a gaúcha Arika Messa, o chef mineiro Márcio Portella e o líder do movimento slow food da serra gaúcha Daniel Castelli.

O que eles fazem? Criam pratos com ingredientes típicos locais, mas com uma roupagem contemporânea.

Há outros dois eventos marcados para este ano ainda: em agosto, entre os dias 19 a 21, com o tema “Cinco Elementos, Cinco Chefs e Cinco Pratos”. Depois, na terceira edição, entre os dias 21 e 23 de outubro, a experiência gastronômica estará a cargo dos chefs Vico Crocco e Morena Leite.

FOTO 16 - Parador crédito Sérgio Azevedo

Serviço

  • De 20 a 22 de maio
  • Parador Casa da Montanha, Estrada do Faxinal, s/n° – Morro Agudo – Cambará do Sul/RS
  • (54) 3504-5302, (54) 3295-7575 ou reservas@casadamontanha.com.br

Imersão no Piemonte, na Itália

29 de abril de 2016 3
IMG_0668

Fotos divulgação

E lá vão os queridos Marcelus e Suzie e seus sócios para mais uma de suas incursões turístico-gastronômicas.

Depois da Sicília, da Toscana, da Costa Brava, de Mendoza, de Bordeaux, da Provence, o pessoal do Al Mondo neste ano vai explorar o Piemonte, uma região linda do norte da Itália.

Variam as regiões, mas a fórmula segue a mesma: eles escolhem uma cidade pequena e querida, selecionam uma casa linda e, durante uma semana, proporcionam aos hóspedes jantares especiais dos quais eles podem participar desde a escolha dos ingredientes passando pelo preparo das iguarias selecionadas pelo Marcelus.

A cidade da vez é San Marzano Oliveto, na região de Monferrato, declarada pela Unesco como Patrimônio da Humanidade.

A sede do Al Mondo por ali será um casarão do início do século 20, uma construção de 1 mil metros quadrados, cercada de jardins e árvores frutíferas, incluindo parreirais com uvas moscato. A Villa San Marzano também conta com biblioteca, academia, piscina e quadra de tênis.

As viagens dos dois grupos serão entre 12 e 25 de outubro, no outono do Hemisfério Norte, mesma época em que acontece por lá a Feira Internacional das trufas brancas de Alba, que atrai visitantes do mundo inteiro.

IMG_0664

Para os passeios, livres, na região, o que o Al Mondo recomenda:

Barolo – A cidade com o mesmo nome do “vinho dos reis” é um tour perfeito para os amantes da bebida, com a possibilidade de fazer degustações dos vinhos locais, visitar o Museo del Vino no Castello Comunale Falletti di Barolo, o Museo dei Cavatappi, os abridores de garrafas, e terminar o passeio experimentando comidas típicas feitas com o próprio barolo.

Alba - Para os chocólatras, Alba é a terra natal da Ferrero. Também é terra de restaurantes recomendados pelo guia Michelin – um deles com 3 estrelas, a nota máxima – e a terra das trufas brancas do Piemonte.

Barbaresco - O vinho de mesmo nome é o maior chamariz de visitantes e a maior atração desta vila de mais ou menos mil moradores. De enoteca em enoteca, os forasteiros abastecem suas adegas com rótulos locais e conhecem o estilo de vida sossegado dos moradores. Muitos também aproveitam para visitar a Enoteca Regionale del Barbaresco, onde produtores expõem na Igreja de São Donato, do século 19.

Bra – A cidade de 30 mil habitantes é o berço do movimento slow food.

IMG_0666

Encontro de peregrinos do Caminho de Santiago em Caxias

20 de abril de 2016 0

Está em cima da hora, mas talvez ainda dê para se agendar para o feriadão: a Associação dos Amigos do Caminho de Santiago de Compostela do Estado do Rio Grande do Sul (Acasargs) está promovendo o VIII ENAP – Encontro Nacional de Peregrinos do Caminho de Santiago de Compostela.

Vai ser durante o feriadão de Tiradentes, entre os dias 21 e 24 de abril, no Hotel Samuara, em Caxias do Sul (RS).

O tema do encontro é “Dos Caminhos Brasileiros ao Caminho de Santiago de Compostela”.

Um dos convidados do evento é o jornalista espanhol Manuel Rodríguez, reconhecido como um dos principais conhecedores do Caminho.

Ele também vai falar sobre o tema no Instituto Cervantes, em Porto Alegre, às 19h de segunda-feira, dia 25.

O roteiro agora é por Madagascar

20 de abril de 2016 0
Fotos Haroldo Costa, divulgação

Fotos Haroldo Costa, divulgação. Mais de 50 árvores gigantescas da espécie Adansonia gradidieri concentram-se na Alameda dos Baobás, na costa oeste de Madagascar.

E lá vai o pessoal da Viajologia Expedições, comandado pelo fotógrafo e jornalista Haroldo Costa, prepara mais uma jornada, agora em MADAGASCAR, a quarta maior ilha do mundo, localizada no Oceano Índico e considerada um laboratório natural da evolução das espécies.

Entre os destaques da paisagem, estão os gigantescos baobás, árvores que podem chegar a mais de 30 metros de altura e mais de mil anos de idade.

1-MDG_1999-proc

As árvores na Alameda dos Baobás medem até 30 metros de altura e algumas podem chegar a mil anos de idade.

Isolada do continente há 135 milhões de anos, a Grande Ilha no oceano Índico é um laboratório natural da evolução das espécies e encanta os viajantes com uma flora e fauna única.

A ilha abriga 107 espécies de lêmures, dezenas de camaleões coloridos e espécies de plantas que só existem lá.

8-MDG_6014-proc

Um camaleão-de-parson macho (Calumma parsonii), réptil endêmico que vive na floresta tropical úmida de Madagascar.

Nas duas semanas, os viajantes conhecem e fotografam os principais pontos e atrações como a famosa Alameda dos Baobás – das nove espécies de baobás que existem, seis podem ser encontradas apenas em Madagascar. A majestosa árvore é chamada localmente como “rainha da floresta” e, para muita gente, é a árvore do Pequeno Príncipe.

A expedição fotográfica passa também pelo Parque Nacional Tsingy de Bemaraha, considerado Patrimônio Mundial pela Unesco, com . O roteiro inclui trilhas e passeios de canoa para descobrir as formações rochosas calcárias. Um dos momentos mais esperados, segundo os organizadores, é a observação dos lêmures.

5-MDG_3001-proc

O Parque Nacional Tsingy de Bemaraha, considerado Patrimônio Mundial pela Unesco, é um conjunto de rochas calcárias esculpidas pela erosão da água.

7-MDG_5007-crop

O indri (Indri indri) é o maior de todos os lêmures e pode chegar a pesar até 9,5 quilos, no Parque Nacional Andasibe-Mantadia.

6-MDG_4134-crop

O varecia-preto-e-branco (Varecia variegata) é uma das 107 espécies de lêmures que vivem em Madagascar.

- Especialistas apontam que o turismo de observação de animal é uma excelente alternativa para o desenvolvimento da economia local e pode ajudar a conter o desmatamento – diz Haroldo Costa.

A viagem, em setembro, é acompanhada por Haroldo.

Informações em viajologia.com.br

4-MAD_0488-prox

Canoa na entrada de uma gruta de calcário, às margens do Rio Manambolo, na região do Parque Nacional Tsingy de Bemaraha.

3-MAG_0620-proc

Um pescador Vezo em um canal que dá acesso ao oceano Índico, no vilarejo Betania, na costa oeste de Madagascar.

 

Trilhando o interior do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina! E fotografando!

19 de abril de 2016 2
AndrÇ e Paula - foto de Everson Lopes (1 de 1)
A história da fisioterapeuta Paula Segalla, 41 anos, e do publicitário André Studzinski, 43, já é bacana por si só. Eles foram os primeiros namorados um do outro, ficaram separados por mais de 20 anos, se reencontraram e se uniram por duas paixões: as viagens de natureza e a fotografia.

Daí para chegar à PhotoTrilha não demorou. Mais do que atividade profissional, eles definem como um estilo de vida.

Em roteiros pelo Rio Grande do Sul e por Santa Catarina, o casal oferece o serviço de guia e o registro fotográfico. E esclarece que não se tratam de pacotes: eles indicam locais de acampamento ou pousadas e cada um faz sua reserva e cuida da alimentação.

flamingos em Mostardas (1 de 1)

comboio em Minas do Camaqua (1 de 1)
- Foi a forma que encontramos de incentivar os negócios locais bem como estabelecer uma relação de transparência com quem viaja conosco. Porém incentivamos muito a modalidade de acampamento. É uma forma de turismo pouco praticada no Brasil. Adotamos como estilo de vida e quem experimenta entende que, com um pouco de prática, há benefícios como dormir em lugares paradisíacos, não ter de fazer reservas ou permanecer mais tempo que o desejado num mesmo local. Também permite um contato maior do grupo, que divide a “cozinha”, a conversa que se estica noite adentro - contam.

DCIM101MEDIA
O limite de participantes de cada roteiro não são as pessoas, mas os carros que percorrem os em geral locais de difícil acesso, por estradas de chão. Em média são 10, além do deles próprios e de um de apoio, que vão à frente e ao final do comboio, com equipamentos de resgate, como guincho e cintas, GPS e radiocomunicador. E com um drone para fazer imagens maravilhosas como as desse vídeo, ao qual deram o título de “Um dia sem frescura”:
Quem costuma acompanhá-los? O perfil, segundo eles, é bem familiar, com gente dos oito aos 80 anos, muitas vezes três gerações de uma mesma família.
O espírito é que o grupo assuma o comando da aventura, com abertura para imprevistos e mudanças de planos.
No futuro, pretendem montar grupos para ir a Ushuaia, na Argentina, além do Jalapão, no Tocantins, as Chapadas dos Veadeiros e Diamantina, o Pantanal…

O próximo roteiro, neste feriado de Tiradentes, será no chamado “Caminho dos Conventos”, nome usado por antigos tropeiros que percorriam a região dos cânions catarinenses.

comboio em s∆o josÇ dos ausentes (1 de 1)

Quando custa um roteiro como este de Tiradentes?

Aqui vai a resposta que me deram: serviço de guia e captação de imagens (foto/vídeo) custa R$ 380 por carro, independentemente do número de passageiros. Passeios de um final de semana custam em trono de R$ 150. De camping cada pessoa terá um custo médio de R$ 20 por dia. Antes da viagem eles costumam fornecer uma estimava de custos.
Eles têm blog e página no Facebook:

banho de Rio - Canion no Pampa - Rio Camaqua Chico - Rinc∆o do Inferno (1 de 1)

Encontro cultural para preparar a viagem

12 de março de 2016 0

Na segunda-feira, dia 14, a agência de turismo Planeta Viagem lança o projeto Planeta Cultura, destinado aos viajantes que querem conhecer melhor o roteiro escolhido.

Os primeiros destinos serão Colômbia e Croácia.

Além do acompanhamento da historiadora Claudia Damiani durante a viagem, o grupo terá aulas na sede da agência.

Informações pelo telefone (51) 3342-6563.

 

 

10 rotas para fazer de trem

23 de novembro de 2015 0

Essas 10 sugestões são do AlugueTemporada, site que faz uma conexão entre viajantes e proprietários de imóveis no Brasil – são cerca de 25 mil imóveis em todo o país. Os textos estão tais como enviaram.

1. Tiradentes a São João Del Rei – Minas Gerais

Em Minas Gerais, o que não falta são roteiros para viajar de trem. Especialmente nas cidades históricas, as famosas “Marias Fumaça” transportam milhares de viajantes. Porém, a locomotiva que liga Tiradentes a São João Del Rei merece destaque. A viagem que leva à cidade de Tiradentes é feita a bordo de uma locomotiva a vapor americana do início do século 20. O passeio parte da antiga Estação Rodoviária, inaugurada em 1881, e percorre 13 quilômetros que separam as duas cidades em cerca de meia hora, margeando o rio das Mortes e descortinando a serra de São José. A Maria-Fumaça funciona somente nos finais de semana e é atividade obrigatória. Mais que uma viagem de trem, é uma viagem ao passado, a bordo de locomotivas centenárias.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

2. Trem do Vinho – Rio Grande do Sul

No inverno, principalmente, a serra gaúcha é um dos melhores destinos para curtir o frio e apreciar um bom vinho. Em Bento Gonçalves, uma das cidades do famoso Vale dos Vinhedos, a agenda dos visitantes é dividida entre uma vinícola e outra e ganha um complemento especial que é o passeio de Maria Fumaça. Conhecida como o Trem do Vinho ou o Trem da Uva, a locomotiva sai da cidade de Bento Gonçalves, faz uma parada na estação de Garibaldi e chega a Carlos Barbosa em um percurso de 23 km que dura em média 2 horas. No fim do roteiro, um ônibus leva os passageiros de volta até a primeira estação. Quem preferir pode fazer o trajeto contrário. Nas paradas, os viajantes são recepcionados com vinho e muita música. Figurantes, com roupas típicas das colheitas no melhor estilo italiano, embarcam entre uma parada e outra, dando um toque especial ao passeio. O que não falta é animação para os visitantes.

Fotos divulgação

Fotos divulgação

 

3. Trem da Serra do Mar Paranaense – Paraná

Para quem vai passear em Curitiba e pretende estender o roteiro para o litoral, a dica é pegar um trem sentido Morretes. Ao embarcar no Trem da Serra do Mar Paranaense, o viajante percorre 110 km dentro da maior área preservada de Mata Atlântica do Brasil por uma ferrovia construída há cerca de 130 anos. Durante o percurso é possível observar o contraste entre o verde da mata e o charme de construções históricas, além da possibilidade de fazer paradas estratégicas para diversos outros passeios. O trem passa por Curitiba, Morretes e Piraquara.

 

4. Rocky Mountaineer Train – Canadá

O interior do Canadá é conhecido por paisagens marcadas por rios, lagos, vales e montanhas, que mudam de cor conforme as estações. No inverno, são pintadas pelo branco da neve, enquanto o verão deixa o verde muito vivo, criando um contraste com o azul do céu. Para conhecer o melhor destes cenários, a dica é fazer o passeio de trem Rocky Mountaineer, que sai de Vancouver e vai a outras cidades, em diferentes rotas e trajetos.

 

5. West Highland Railway – Escócia

Construções medievais, paisagens bucólicas e muita riqueza cultural e histórica fazem da Escócia um país encantador. Para quem quer andar de trem, a dica é percorrer a West Highland, uma ferrovia que atravessa o país e liga Glasgow a Mallaig. Ao longo do caminho, os passageiros podem admirar lugares famosos passando pela janela, tais como o Viaduto Glenfinnan, velho conhecido dos fãs da saga Harry Potter, a ponte de Erskine, o Castelo Dumbarton, os Alpes Arrochar, entre outras atrações.

 

6. Blue Train – África do Sul

Um dos trens mais luxuosos do mundo, o Blue Train atravessa a África do Sul, em um trajeto com mais 1600 km e uma viagem que pode durar um dia inteiro. A locomotiva sai da Cidade do Cabo e vai até Pretória. Com serviços 5 estrelas, a linha ferroviária oferece ainda diferentes passeios, com atrações variadas em cada parada e estação.

 

7. Alpes Suíços

São tantos trajetos diferentes que podem ser feitos pelos Alpes Suíços que os viajantes ficam até na dúvida. Os trilhos que atravessam os vales e passam por cidades e vilarejos são percorridos por locomotivas que fazem os mais variados trajetos, dependendo da companhia responsável pelo passeio. Qualquer que seja a escolha, andar de trem por lá é um verdadeiro colírio.

 

8. Trans-Siberian Express

A estrada de ferro mais longa do mundo é também uma das mais conhecidas. Foi construída entre os anos de 1891 e 1916, para ligar Moscou à cidade de Vladivostok, no Extremo Oriente. São mais de 20 mil km de extensão, por onde diferentes rotas são percorridas – a viagem completa tem mais de 160 horas de duração. Ao longo do trajeto, as locomotivas ganham cenários formados por montanhas, rios e lagos, além de passarem por túneis e viadutos que deixam a viagem muito mais emocionante.

 

9. The Ghan – Austrália

Todo o território australiano é cortado por ferrovias, onde passam linhas de trem operadas por diversas empresas. Além das rotas do cotidiano dos moradores, que servem como meio de transporte para os locais, o país conta com um roteiro muito famoso entre os viajantes. A famosa “The Ghan” cruza todo país e tem a primeira e última parada nas cidades de Darwin (ao norte) e Adelaide (ao sul). Durante o percurso, acontecem duas outras paradas em Katherine e Alice Springs, onde os viajantes podem visitar diferentes atrações. Ao longo dos 3 mil quilômetros, as janelas exibem o que há de mais exótico no deserto australiano, fascinando os passageiros.

 

10. Thalys – França

A melhor maneira de visitar Paris, Bruxelas, Amsterdã e Colônia, na Alemanha, o Thalys ou o Trem Vermelho, como também é conhecido, é perfeito para quem quer uma Eurotrip completa. De alta velocidade, a locomotiva viaja a 300 km/h, diminuindo a distância entre algumas das mais belas cidades da Europa. Ao contrário das outras rotas de trem, não é um passeio panorâmico, apesar de passar por paisagens lindas, devido à rapidez que faz com o que trem praticamente ‘voe’ sobre os trilhos. Ótimo para otimizar a viagem e facilitar as viagens internas por um preço justo.

 

Outra longa caminhada dos Passeios na Colônia

07 de outubro de 2015 0
Moinho em Relvado. Foto divulgação

Moinho e antiga casa colonial em Relvado. Foto divulgação

Eles já fizeram 57 edições, entre longas e curtas, e já reuniram mais de 10 mil pessoas nas caminhadas dos Passeios da Colônia no Vale do Taquari, região que, para mim, dispensa apresentações (e às vezes embota minha avaliação!).

Os grupos coordenados pelo Alício de Assunção já percorreram 700 quilômetros por 16 municípios da região.

O bacana é que, ao longo desses caminhos percorridos, vão também plantando mudas de árvores. O balanço, até agora, é de 723 mudas.

E plantando a semente de que produtores rurais, nesses roteiros, podem ter renda com o turismo.

A sexta edição da série de caminhadas longas será entre Relvado, Coqueiro Baixo e Travesseiro, nos dias 31 de outubro e 1 de novembro.

Passará por Relvado (Cordilheira, Pilão Alto, Pilão Baixo, Pilãozinho, Arroio da Laje e Pedras Brancas), Coqueiro Baixo e Travesseiro.

Ao longo do caminho são oferecidas refeições e água, carro de apoio com socorristas e hotel para o pernoite.

Informações e inscrições: (51) 9583-2672 ou valenews@certelnet.com.br

 

Bastidores da moda em Paris

05 de outubro de 2015 0
Fotos Raphael Arzoumanian, Divulgação

Fotos Raphael Arzoumanian, Divulgação

Vão até amanhã, dia 6, as inscrições para participar de um curso da Ecole Supérieure de Relooking, localizada na capital francesa e com filial no Brasil: o Bastidores da Moda em Paris.

Durante uma semana, a proposta é descobrir lugares de Paris ligados à moda, à perfumaria e à história.

No roteiro, estão passeios pelo Palais Royal, por Versailles, Louvre, Atelier Fanny Liautar e as fundações Yves Saint Laurent e Louis Vuitton.

3

2

6

 

Passeios na Colônia no Vale do Taquari

20 de agosto de 2015 1
Passeios na Colônia, divulgação

Passeios na Colônia, divulgação

Programa próximo de Porto Alegre para o feriadão de 7 de Setembro.

Para os dias 5 e 6 de setembro, sábado e domingo, o projeto Passeios na Colônia, no Vale do Taquari, programou a Caminhada Histórica do Combate do Fão.

Serão 42 quilômetros de caminhada entre Fontoura Xavier e Pouso Novo, passando pela histórica Barra do Dudulha, onde serãolembrados os 83 anos do combate que integrou a Revolução Constitucionalista de 1932.

Informações:

valenews@certelnet.com.br ou (51) 9583-2672

Caminhar (horas!) por Nova York

23 de julho de 2015 0

Há algumas semanas, uma colega voltou encantada depois de fazer um tour a pé (e diurno) pela cidade que nunca dorme.

Foram seis horas e meia passeando pelos principais pontos de Nova York, com um grupo de umas 10 pessoas (o tour escolhido por ela, o Dozen Apples, aceita no máximo 12 pessoas, ao preço de US$ 80 por pessoa).

Fui pesquisar e vi que o Real New York Tours tem uma dúzia de passeios diferentes, misturando trechos a pé e de metrô e com durações variadas.

A dica, no caso desses trajetos feitos em grupo, é colocar um calçado confortável, encontrar-se no ponto marcado e seguir o guia, que, nesse caso, só fala inglês.

Para quem quiser fazer tours em outro idioma, a alternativa é um passeio privado, também disponível. Ah, e ninguém morre de fome no caminho: há paradas previstas em Greenwich Village, Chinatown ou Little Italy.

Veja mais em realnewyorktours.com

Fotografia em Madagascar e Namíbia

17 de julho de 2015 0
Fotos Viajologia, divulgação

Fotos Viajologia, divulgação

O pessoal da Viajologia programou para este ano duas expedições para fotografar na África: Maravilhas de Madagascar, em outubro, e Safári Fotográfico na Namíbia, em novembro.

O idealizador das expedições é o fotógrafo Haroldo Costa, de quem o blog já falou outras vezes. Documentarista, ele conhece 165 países e já levou grupos pequenos para conhecer locais como Ilha de Páscoa e Atacama, Papua Nova-Guiné, Mianmar, Mongólia, Namíbia e Etiópia.

A proposta é sempre fugir do convencional.

 

namibia

namibia2

namibia1

Roteiro de cicloturismo na Itália para comemorar os 70 anos do final da II Guerra Mundial

02 de julho de 2015 0
Fotos Clube de Cicloturismo do Brasil, divulgação

Fotos Clube de Cicloturismo do Brasil, divulgação

Criado em 2001 para incentivar viagens de bicicleta, o Clube de Cicloturismo do Brasil vai promover uma expedição pela Itália em comemoração aos 70 anos do final da II Guerra Mundial, entre agosto e setembro.

O roteiro, aberto a um grupo de 20 pessoas, partirá da cidade de Bolonha, cruzará os Apeninos e terá Florença, na Toscana, como ponto final, num percurso total de 250 quilômetros.

Uma equipe do Clube de Cicloturismo fez uma viagem de reconhecimento em 2014 e pretende ajudar para que a rota seja repetida por brasileiros.

249694_489433_velotour_italia_1_web_
No roteiro estão locais por onde passaram e combateram os pracinhas da FEB (Força Expedicionária Brasileira), como Montese e Monte Castelo, com museus e monumentos em homenagem aos nossos soldados.

Eu já publiquei sobre alguns desses pontos aqui no blog, se você quiser conferir.

Segundo o pessoal do Clube de Cicloturismo, o evento Velotour Itália é organizado em parceria com a agência Italy Bike Tour e a empresa de promoção turística PromoApenninno.

De 29 de agosto a 8 de setembro de 2015
De Bolonha a Florença, Itália
Informações: www.clubedecicloturismo.com.br

Eles têm um vídeo também para divulgar o roteiro:

Passeios na Colônia, no Vale do Taquari

09 de abril de 2015 0
Caminhos da Colônia, divulgação

Caminhos da Colônia, divulgação

O projeto já não é novo e ele estar atuante desde 2011 é prova de que vem fazendo sucesso no Vale do Taquari.

Desde seu início, o Passeios na Colônia já atraiu  7,3 mil participantes em 42 edições. Em cada uma delas é percorrida uma média de 8 quilômetros, sempre em localidades diferentes.

A ideia é apreciar as belezas naturais da região, a cultura e a gastronomia.

Durante o trajeto são oferecidos o café da manhã e o almoço, e os valores pagos pelos participantes são passados integralmente aos agricultores e
comunidades envolvidos, assim como os produtos coloniais adquiridos pelos caminhantes.

Em alguns pontos também é oferecida hospedagem.

O projeto rendeu, recentemente, a exposição fotográfica “Retratos da Colônia”.

Para acompanhar o calendário dos roteiros, a dica é seguir a página do facebook/alicio de assunção.