Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Uruguai"

Para quem for a Punta no Carnaval, uma vista

12 de fevereiro de 2010 7

MARINA LOPES, que é correspondente de Zero Hora em Uruguaiana, esteve em PUNTA DEL ESTE há pouco e voltou de lá com uma dica, que pode servir para quem está indo passar o Carnaval na cidade uruguaia. A sugestão da Marina é um restaurante. Mais do que um restaurante, uma vista:

Se beber um clericot vendo iates e lanchas ancoradas no porto de Punta del Este já não é mais um programa suficiente para você, preste atenção: ver a cidade no topo de um dos prédios mais altos do balneário, num restaurante de vidro, que gira 360 graus em torno de seu eixo, pode ser uma pedida muito legal.

Esta é a proposta do restaurante La Vista, localizado no topo de 24 andares do edifício Torreón, no centro do balneário mais badalado da América do Sul. O local, até o ano passado, funcionava como uma boate, o Espaço Torreón Giratório.

Para quem chega, o privilégio já começa na entrada. No hall, que leva até o elevador panorâmico, há uma pequena galeria de arte. Depois de 12 segundos subindo dentro do elevador todo de vidro, já podendo contemplar a vista da cidade, as portas se abrem e apenas uma dúzia de degraus separa você do salão principal.

O ambiente é redondo, com piso de madeira e imensas janelas de vidro. A luz é suave e há aglomerados de minúsculas lâmpadas que lembram, sem exagero, partes de Pandora, o mundo dos avatares de James Cameron. A música ambiente mistura jazz e bossa nova com faixas exóticas proveniente de Egito, Índia e Tailândia. A cozinha e o bar ficam no meio do salão e na “borda” estão dispostas as mesas e confortáveis sofás. Esta é a parte que gira. Mas não se preocupe: o movimento é lento e não dá tempo de sentir enjoo. Uma volta completa é feita em uma hora. Então, a estrutura começa a girar para o lado oposto.

O cardápio é composto de uma variedade de tábuas espanholas. Quem pedir de entrada uma tábua de frios artesanais não vai se arrepender. Ah! Não esqueça de dar uma olhada na carta de vinhos da casa, há ótimos exemplares para todos os gostos e bolsos.

O La Vista fica na Calle Remanso, em diagonal com o cinema, na parada 1 da praia Mansa. Não é difícil identificá-lo quando se está rodando pelo centro da península. O restaurante está em um dos prédios mais altos da cidade e é muito parecido com um disco voador, devido ao formado e jogo de luzes que compõe seu exterior. Vale muito a pena!”

Ciúme das praias uruguaias

19 de janeiro de 2010 1

Dois posts da semana passada causaram reações diversas em leitores do blog - ambos falavam sobre as praias uruguaias, muito além de Punta del Este: houve quem ficasse muito interessado em conhecer e outros, que já conhecem, temem que uma invasão possa quebrar o encanto de lugares como LA PALOMA e PUNTA DEL DIABLO, entre outros.

O Thiago Faccioni enviou comentário e depois um texto por e-mail, explicando seus receios. Com a devida autorização do autor, publico o que ele escreveu:

“Eu fui um dos que criticou a divulgação das praias do Uruguai. Um pouco de receio? Talvez. Egoísmo? Um tanto. Mas o medo de invasão de pessoas sem o menor senso de simplicidade, união e sentimento me preocupa e muito.

O Uruguai tem a receptividade, a confiança, a simplicidade e amizade que não se encontra mais em nosso pais, fora nas cidades do interior. E falo das pessoas mais velhas, pois jovens não respeitam mais nada, poucos têm a educação das gerações passadas.

Passei meu Réveillon em La Paloma, para ser mais preciso na praia de La Aguada, ao lado do porto. Foi meu segundo Réveillon ali e foi magnífico. A virada foi em La Pedrera, distante 9 quilômetros de La Paloma. A praia é a mais festeira da região.

La Pedrera também tem o melhor dia de Carnaval (esse ano será no dia 15 de fevereiro), lembra muito os carnavais de rua que tínhamos antigamente por aqui. O incrível é que não há organizadores, premiações nem nada, são blocos criados por amigos que desfilam por toda a praia. O movimento é tão grande que não existe lugar para os carros estacionarem, tendo que estacionar às margens da Ruta 10,  chegando a uns cinco quilômetros de estacionamento na beira da estrada dos dois lados, em ambas as direções.

Em La Paloma, assim como em La Pedrera, a praia enche à tarde, porque as festas vão até as 9h/10h da manhã. É comum ir para praia às 8hs e ver o pessoal saindo das festas e indo se banhar no mar, alguns ainda tiram uma soneca em baixo dos guarda-sóis na beira da praia. O bom humor dos uruguaios e o sorriso sempre no rosto nos passam tranqüilidade, não se vê brigas e pessoas estressadas, lá se vive felicidade 24hs por dia.

Por lá também existem praias mais isoladas, mais ao sul, uma maravilha. Um dos melhores espetáculos é o pôr do sol na praia de Los Botes, um momento mágico onde centenas de pessoas, em pé, apreciam o sol descansar e quando isso acontece os únicos sons a se ouvir são os aplausos, assovios e o famoso “woohoo”. Emocionante.

Sobre Cabo Polônio, não tem o que escrever. Tudo o que citar não chegará ao mínimo do que esse lugar mágico representa. Só indo até lá para entender o que realmente significa. A liberdade aflora, a vontade de ficar é enorme. Lá se encontra gente de todo tipo de nacionalidade. Na última vez que fui encontrei poloneses, holandeses, canadenses e australianos….Brasileiros?? Acho que somente eu e minha esposa…

Próxima ida ao Uruguay? Carnaval, La Paloma novamente.”


No litoral uruguaio

13 de janeiro de 2010 5
Sim, como outros leitores, também tenho o mesmo temor: de que haja uma invasão e tudo mude. Mas não dá para não dizer às outras pessoas que é legal. Dias atrás postei um texto de Martha Medeiros falando sobre PUNTA DEL DIABLO e houve várias manifestações a respeito, inclusive pedido de mais informações… Agora é a vez de outras prainhas do litoral uruguaio.

Uma amiga há anos frequenta aqueles balneários e sempre me fala de lá. Para mim, que só conheço PUNTA DEL ESTE e PIRIÁPOLIS, fica a imagem de lugares agradáveis, especiais para descansar, ler, pensar na vida. Dias atrás, antes de escrever sobre dicas para o Carnaval para a editoria de Economia, resolvi consultar minha amiga para perguntar se recomendava. Eu pedi só uma dica, e Helena quase me mandou um tratado.

Veja o texto e as fotos sobre o local onde ela passou o período entre Natal e Ano Novo com o Lucas.

“La Paloma dista aproximadamente 160 km do Chuí, e a estrada que leva até lá está em ótimas condições. É bem melhor do que as nossas, e não tem nenhum pedágio. A praia de La Paloma fica de um lado, e a cidade de Rocha, que também tem atrações turísticas (cachoeiras etc), fica de outro.

La Paloma é grande, se comparada com Punta del Diablo (praia mais ao norte em relação a Montevidéo), e é pequena, se comparada com Punta del Leste.

Tem várias praias, como La Balconada e La Aguada. O mar estava bastante frio, mas extremamente limpo. O engraçado é que são enseadas, mas há diferença no mar: em La Balconada, o mar é daqueles que só tem uma arrebentação, e logo afunda, além da areia ser grossa. Em La Aguada, o mar é parecido com o de nossas praias, dá para surfar – aliás, dizem que é um dos locais favoritos de surfe, no Uruguai. E a areia dessa praia também é como a nossa.
Há outras praias próximas bastante interessantes, como La Pedrera, que não visitei; e Cabo Polônio – extremamente pitoresco: uma península cheia de rochedos, com uma vila meio hippie, e cheia de leões marinhos, cujo barulho a gente escuta de longe. Somente se chega por lá de caminhão/jipe.

Explico. Deixa-se o carro em uma guarita, paga-se 120 pesos uruguaios (mais ou menos 12 reais), para ida e volta, e pega-se um caminhão que tem rodas de jipe e caçamba aberta (onde vão os passageiros). Esse caminhão segue por um caminho de areia por aproximadamente 15 minutos – muito bonito -, até chegar ao vilarejo de Cabo. Vale a pena conhecer, mas é bem rústico, e às vezes não tem um cheiro muito bom, pois morrem muitos leões marinhos por lá.

Em La Paloma, a cidade só começa a encher depois do Revéillon. Antes, nem cabaninha na praia abre prá tomar umas cervejas. A praia em si só começa a encher de tarde, o que é outra diferença para as nossas – nada funciona muito cedo.

Na cidade de La Paloma, todas as cabanas, por menores que sejam, têm a sua parrillera, e normalmente já dispõem do primeiro estoque de lenha para o fogo.

É uma praia muito tranquila, e te dá uma boa sensação de segurança. Achei as pessoas amáveis; a cerveja e a carne boa e barata. Fomos jantar num lugarzinho muito simples, mas honesto nos preços e com boa comida. Chama-se 7 Candelas. Tem excelentes empanadas também para o lanche, e a torta Pirineus é de comer de joelhos: massa de chocolate, doce de lei, creme de leite condensado com limão e merengue. Dos deuses.

Me chamou a atenção como são bem cuidadas as casas e os jardins. Aliás, há muitas casas extremamente agradáveis, e muitas delas prá alugar por temporada. Tem casas muito aconchegantes que dão direto para o mar. Dá vontade de ficar por lá mais tempo, vendo as gaivotas pousarem nas pedras que emolduram quase todas as praias, ou as pequenas aves que pousam sobre as inúmeras conchinhas na beira do mar.

Vale a pena!”