Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Resultados da pesquisa por "leandra medine"

Leandra Medine, do Man Repeller: "Gosto mais de parecer descolada do que bonita"

02 de August de 2014 0

Leandra Medine

– Sempre me preocupei mais em parecer “descolada” do que “bonita”.

A frase, de Leandra Medine, eleita uma das Top 30 com menos de 30 anos pela Forbes em 2012, resume bem o tipo de moda que a blogueira prefere: aquela que agrada às mulheres, não aos homens.

Leandra Medine

Americana de família judia, ela é uma das mais bem-sucedidas blogueiras de moda do mundo. Com seu The Man Repeller, atrai 5 milhões de leitores por mês.

– Acredito que as mulheres gostam do meu blog pelo tempo e dedicação que dispenso a ele – diz ela.

Leandra Medine

Leandra mostra combinações divertidas e irreverentes. E comenta que as amigas sempre diziam que suas escolhas repeliam os homens, daí a origem do nome do blog.

Dona de um humor ácido, a blogueira conversou com a coluna por e-mail e respondeu: O que mais repele o sexo oposto?

– Os macacões, com certeza.

Leandra Medine

O interessante é que a peça foi vista nas passarelas internacionais como tendência para o verão 2015.

O novo desafio? Um livro. Há pouco mais de um mês, ela lançou uma autobiografia, pelo Grupo Editorial Novo Conceito, que conta seus acertos e erros no mundo fashion.

Capa Man Repeller

“Roupas atraentes do tipo convencional, como pretinho básico, jeans skinny, blusas acinturadas e saias curtas, nunca despertaram meu interesse tanto quanto formas interessantes… e cores escandalosas”, diz um trecho da obra.

Fotos: Reprodução The Man Repeller

Leandra Medine, a blogueira que "espanta os homens", lança livro autobiográfico

10 de June de 2014 1

Leandra Medine

“Moda boa é aquela que agrada às mulheres, não aos homens”… Assim já dá pra entender um pouco da divertida blogueira Leandra Medine. A autora do blog The Man Repeller lança um livro autobiográfico em julho, com suas histórias de acertos e erros pelo mundo da moda.

Man Repeller

A americana, de família judia, começou o blog após uma amiga comentar que todas as roupas que ela escolhia eram “repelentes de homens”, como macacões, coletes, blazers com ombreiras e calças largas.

Leandra Medine

Com a criação da página, que hoje é um sucesso, Leandra agora assume suas preferências na moda e não tem vergonha de mostrar. Ela foi eleita pela Forbes, em 2012, como uma das Top 30 Under 30 (Top 30 com menos de 30 anos) e seu blog tem cerca de 5 milhões de acessos por mês.

Leandra Medine

Dá uma lida em um trecho do livro:

Sempre me preocupei mais em parecer”descolada” que “bonita”. Roupas atraentes do tipo convencional, como pretinhos básicos, jeans skinny, blusas acinturadas e saias curtas, nunca despertaram meu interesse tanto quanto formas interessantes… e cores escandalosas. Percebi rapidamente que essa minha preferência era libertadora. Eu era uma repelente de homem. Era tão óbvio!

O prefácio foi escrito pela brasileira Vic Ceridono, do blog Dia de Beauté e editora de beleza da Vogue.

Fotos: Reprodução The Man Repeller e Instagram

Débora Mangabeira: "Às vezes o brasileiro só reconhece uma marca daqui quando ela vai para fora"

28 de February de 2015 0

Débora Mangabeira

“Não vou ser feliz deste jeito.” Assim, na lata, a brasiliense Débora Mangabeira comunicou sua mãe que estava deixando a faculdade de Direito para passar um trimestre em Milão, na Itália.

Os três meses viraram nove e, depois de uma breve pausa no Brasil, transformaram-se em cinco anos para a formação em Moda no Istituto Marangoni. Aos 28 anos, a estilista é referência no Brasil quando o assunto é tricô. E a boa nova é que a grife homônima está chegando a Porto Alegre via boutique Oui, Chérie!, na Rua Coronel Bordini, 1.665 loja 4. Antes de bater um papo sobre moda com clientes da loja, Débora contou à coluna que o trabalho com entrelaçamento de fios não foi sempre sua primeira opção:

– Quando a grife surgiu há quatro anos, apenas 30% da minha produção era em tricô. Mas a força da mídia, que sempre salientava este meu estilo, acabou virando a dosagem da minha produção para 70%.

Bucketbag

Foi a Vogue que primeiro se encantou com a designer em uma feira de Brasília. Desde lá, a jovem foi apadrinhada pela publicação e viu suas roupas serem divulgadas espontaneamente – vale ressaltar – por it girls como Helena Bordon e a internacional Leandra Medine, do site Man Repeller. Sem planos de loja ou e- commerce próprio, por enquanto, Débora vende suas peças em 15 multimarcas país afora e vê seus pulôveres, ponchos e looks vestirem as mulheres das altas-rodas de São Paulo – cidade onde vive atualmente.

– Acho que é da minha geração estar sempre inquieta. Quero sempre mais e mais, minha mãe tem que estar me acalmando – diverte-se ao comentar a rápida ascensão da grife.

Débora Mangabeira

Uma das novidades para 2015 é a entrada de Débora Mangabeira no mercado norte-americano. Na recente edição da New York Fashion Week, a estilista brasileira levou uma coleção-cápsula – de apenas quatro peças – para divulgar seu trabalho em parceria com blogueiras renomadas e, após algumas reuniões, já fechou contratos para começar a vender a marca no Exterior.

– Por incrível que pareça, às vezes o brasileiro só reconhece uma marca daqui quando ela vai para fora. E o nosso produto está sendo muito bem visto nos Estados Unidos.

Débora também ressalta o lançamento das minibuckets, bolsas-saco de tricô que devem ser o hit do inverno. Ela convidou nove mulheres da sociedade, entre elas Kelly Piquet e Carol Cassou para assinarem os modelos em coprodução. Por incrível que pareça, às vezes o brasileiro só reconhece uma marca daqui quando ela começa a fazer sucesso lá fora. O nosso produto está sendo muito bem visto no Exterior.

Fotos: Andréa Graiz/Agência RBS