Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 25 agosto 2011

A verdadeira cor do som

25 de agosto de 2011 0

Para fazer a arte de seu novo disco, TRU, o duo de eletro pop Instrumenti pensou na peraltice a seguir: encher um alto-falante com tintas, tocar cada uma das faixas e captar a meleca que elas produzirem. Ou seja, os painéis que deverão acompanhar o disco foram pintados pelas próprias músicas.

Bica:

Making of TRU. Vol. 1. from Instrumenti on Vimeo.

Nem sei o tipo de música que esses caras fazem, deve ser provavelmente tão ruim quanto as pinturas que ela produziu, mas fico pensando se bandas de outros estilos decidissem fazer o mesmo. E pensei na hora nesse clássico:

Todo mundo te ama quanto você está morto

25 de agosto de 2011 0


Quer saber o que realmente rolou de interessante naquela entrevista com o seu ídolo? Então esqueça o que foi publicado e vá atrás das notas de canto de página do bloquinho do repórter que fez ela, porque é lá que está a verdade. Ou pelo menos a verdade sem os tantos filtros pelos quais ela foi submetida até chegar a você, mostra o escritor e jornalista Neil Strauss em seu livro Everyone Loves You When You’re Dead (Todo Mundo Te Ama Quando Você Está Morto, numa tradução livre).

Sem edição nacional ainda, a brochura traz 300 páginas de sobras e bastidores de conversas que vai desde a não-entrevista com Julian Casablancas, o ataque de choro de Lady Gaga, um trago homérico com Bruce Springsteen e até uma rápida lição de como ler mentes para uma imberbe Britney Spears. Tudo inédito e sem amarras, garimpado direto de blocos de anotações e fitas cassetes que Strauss acumulou nos últimos 20 anos trabalhando como repórter de publicações como a revista Rolling Stone e o jornal The New York Times.

Mas algo me chamou mais a atenção além das entrelinhas selecionadas por Strauss. Durante a leitura _ leve, rápida e divertida _, foi inevitável relacionar o comportamento em off dos artistas gringos e dos artistas brasileiros. Até o mais frígido e blasé deles, como a P.J. Harvey, sabe como usar uma entrevista (que ela afirma odiar) para se promover e dar o seu recado.

E mesmo gente graúda como Jimmy Page e Robert Plant responde qualquer coisa e não se sente ofendido por alguma pergunta indiscreta ou pessoal _ com exceção de Phil Collins, mas aí é outra história…

Everyone Loves You When You’re Dead é um pequeno manual para entrevistadores, um deleite para o leitor interessado nos bastidores do showbizz e, quem sabe, guia de etiqueta para a classe artística brasileira. Nas melhores livrarias.

DROPS

Neste domingo os cucarachos do Sin Orden voltam a Porto Alegre trazendo seu autodenominado raza-core-latino-punx. A função, recomendada para os valentes de carne e espírito, rola no Entre Bar (José do Patrocínio, 340), a partir das 17h, junto com a turma boa do Wallride, Change Your Life e Diatribe. Os ingressos custam R$ 12 antecipados e R$ 20 na hora.

A festa O Rock Morreu? Não Aqui! traz amanhã o ex-baixista dos Smiths, Andy Rourke, para mostrar seu trabalho nas picapes do Beco (Independência, 936). Quem já viu o sujeito no comando das carrapetas sabe que ele entende do riscado, fazendo um mix de modernidades com rock indie das antigas _ incluindo hits de sua antiga banda. Também animam a pista os donos do pedaço Schutz, Jojô e dgdgd. Os ingressos custam R$ 25 na hora.

Amanhã será noite de apocalipse zumbi no Laika (Venâncio Aires, 59) para marcar mais uma singela e delicada edição da Horrorshow. O esquema continua o mesmo: chegando até a 1h e com nome na lista você desembolsa ridículos R$ 5. É isso ou ter o que restou do cérebro devorado…

Banda do coração, a Transmission toca na edição 33 da Crazy Kids Never Die, que rola amanhã em Novo Hamburgo no Pop Cult (Pedro Adams Filho esquina João Pessoa). Ingressos com nome na lista saem por R$ 12 (até a 1h).