Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Falta sol, sobra sujeira

01 de janeiro de 2012 13

Quem encarou o mau tempo na manhã do primeiro dia do ano e foi caminhar nas praias do Norte de Florianópolis se deparou com um cenário nada encantador. Garrafas, tendas, pedaços de isopor, latinhas, plástico e outros objetos estavam espalhados pela areia.

Lixo ficou espalhado pela areia - Foto: Flávio Neves

Nem mesmo as novas lixeiras instaladas foram suficientes para evitar o lixo na praia.

— É falta de educação e de bom senso. As pessoas não usam as lixeiras e nem se dão conta que estão também se prejudicando ao jogar lixo na praia. Além de deixar o lugar feio, elas podem se machucar ao pisar em objetos cortantes — ressaltou Ricardo Leal, gerente da Companhia de Melhoramentos da Capital (Comcap) responsável pelo Norte da Ilha.

Desde o início da manhã, cerca de 80 profissionais da empresa estão trabalhando somente na região que abrange as praias mais frequentadas pelos turistas, como Jurerê Internacional e Ingleses, para deixar tudo em ordem. Ricardo explica que um dos maiores problemas é o recolhimento das tendas estragadas que foram abandonadas na areia.

— É um transtorno porque são estruturas muito grandes para recolhermos. Além disso, a chuva acabou prejudicando um pouco o nosso cronograma, mas acredito que conseguiremos deixar tudo limpo até o meio-dia — prevê o gerente.

Tendas estragadas foram abandonadas - Foto: Flávio Neves

Comentários (13)

  • Saulo Santos diz: 1 de janeiro de 2012

    Turista mal educado é isso. Deixam sujeiras e material cortante (garrafas), na areia da praia em prejuizo de frequentadores.

  • Paulo Roberto Gomes diz: 1 de janeiro de 2012

    Logico que precisamos dos turistas para movimentar nossa economia local, mas isso não quer dizer que eles venham curtam, festejam, divirtam-se, e depois vão embora deixando tudo para traz, principalmente a falta de bom senso, para mim isso não passa de uma falta de educação, um descaso com os que ficam e dependem dos recursos da natureza, como exemplo a pesca, tendo em vista os mais prejudicados, a vida marinha, com todo esse lixo indo parar no mar.
    Um ano novo não muito promissor.

  • Neusa Elena Negruni diz: 1 de janeiro de 2012

    E o povo continua poluindo, mesmo acontecendo tantos desatres assim mesmo não há bom senso.
    Fico muito preocupada com isso. Onde vamos parar? O que terá que acontecer para que ocorra uma sensibilização coletiva?

  • Marcia Bósio Aymay diz: 1 de janeiro de 2012

    É lamentável esta atitude. O bom seria se os mesmos relaxados voltassem depois do porre e encontrassem a praia suja. O pior é que ainda se achariam no direito de reclamar.
    Uma pena que as crianças sejam obrigadas a ver esta cena e deplorável exemplo.
    Queremos evoluir de que jeito com pessoas “tão educadas?”

  • St. Anger diz: 1 de janeiro de 2012

    Bem…comparando essa foto com as qdos anos anteriores que rolam por ai na rede até que esse ano tem pouca sujeira em jurere, sinal que a chuva foi forte e os maloqueiros não se animaram a ir até lá…final feliz ou começo feliz?

  • Eliseu Siqueira diz: 1 de janeiro de 2012

    Os turistas beberam e esqueceram seus cerebos nos lixos , só não esqueceram suas cabeças porque nelas existem olhos que felismente eles precisam enxergar para voltar para suas residencias !

  • eduardo diz: 1 de janeiro de 2012

    Realmente e falta de educação,eu sei que ta todo mundo festejando celebrando so que nao da pra esquecer da educação,sera que uma pessoa aque joga lixo na praia faz o mesmo na casa de amigo numa festa bebe e joga a latinha na sala?Nao precisa sair varendo a praia,basta cada um juntar seu proprio lixo… simples…eu vim com uma garrafa volto com uma garrafa

  • Kátia diz: 1 de janeiro de 2012

    Parabéns pra galera que se dispõe a acordar cedinho e limpar a nojeira deixada pela galera educada que frequenta esse riquíssimo local.

  • Regina Bernadete Junkes diz: 1 de janeiro de 2012

    Quando será que o homem terá um mínimo de educação, ou se tocar que NÓS PRECISAMOS DA NATUREZA PARA VIVER, ela é nosso mundo. Por favor, que falta de respeito para com os outros. Acho que na cabeça deles o 1º dia do ano é o “único do ano inteiro”, porque bebem, comem, arruaçam, fazem tudo o que podem e tudo o que não podem nas viradas do ano. Lamentável ……. e o pior, .. não vejo nenhuma perspectiva de mudança de hábito “destes”.
    Regina Junkes (Blumenau-SC)

  • Leonardo diz: 1 de janeiro de 2012

    Gente diferenciada!

    Ouve-se muito esta frase aqui em Florianópolis, sobre os freqüentadores da praia mais badalada do sul do país JURERÊ INTERNACIONAL como se lá, ouve-se gente de melhor qualidade, linhagem.
    Pois então realmente se vê pessoas bonitas dançando, bebendo champanhe, comendo comidas caras, curtindo o mar e a piscina é só glamour para quem olha de fora.
    Mas no outro lado deste lindo paraíso de poucos, se esconde drogas muitas vezes comercializado por filhos de papai que ali estão até craque rola depois de certa altura da festa, uma maioria é gente pobre e classe média que não tem condições de estar ali, você pode ter ao seu lado um rico empresário e ao mesmo tempo um ladrão de caixas de banco, muitas prostitutas, alias o cara que batalha muito não gasta 20.000 em uma tarde isso é coisa de vagabundo que não sabe o valor do Money, mulheres que batlham , trabalham estudam não tem tempo para malhar e ficar deusas de causar inveja e despertar o desejo de todos, são o que?vivem do que?
    Mas o melhor vem agora a praia que é pública, fica um imundície com resto de tudo que se pode acreditar que nem um Tsunami deixaria assim, são destacados polícias que são funcionários públicos para fazerem a ordem do lugar, mas faltam na nossa segurança diária , as ambulâncias públicas ficam a disposição de bêbados , mulheres sem noção e brigões , depois fazem falta a nós contribuintes que pagamos este serviço, estes mesmos bêbados pegam um volante de um carro, e saem na rodovia pública e batem, causam acidentes ,matam inocentes, muitas vezes deixando paralíticos e quem paga a conta é o INSS que é público e quem paga esta conta também somos nós, ia esquecendo as “gatas” que fazem sexo sem camisinha depois, correm para os centros de saúde públicos para fazer curetagem de abortos induzidos , com o nosso dinheiro.
    Realmente esta gente é diferenciada.

    Leonardo Heller.’.

  • walkiria diz: 1 de janeiro de 2012

    Nesse caso nao caberiam multas pesadas ?? Uma vigilancia para flagrar esses mal educados e aplicar a multa no instante que ocorrer a infracao.Doendo no bolso eles agirao de modo diferente…

  • Paulo Roberto Flores diz: 2 de janeiro de 2012

    Quem garante que foram só os turistas ? Não foram só eles não …

  • Simone Zanella diz: 2 de janeiro de 2012

    Gostaria de saber como as pessoas que escrevem sobre este tipo de coisa tem certeza que eram TODOS TURISTAS! Seria por que todos esqueceram seus comprovantes de residência na areia??? Quer dizer que não tinha ninguém que fosse morador daqui de Florianópolis???? Impressionante como podem difamar os TURISTAS desta forma???? Hoje Jurerê é uma cidade a parte, com moradores anuais ali, mas na hora de falarem da sujeira esuqecem disso… então, se assim for, poderiam por “porteiras” e fecharem os turistas ali até que limpassem suas sujeiras… correto???

Envie seu Comentário