clicRBS
Nova busca - outros

polo naval

07 out17:35

Prefeitura anuncia construção de três navios-sonda em Rio Grande pela Engevix/Ecovix

Rafael Diverio | rafael.diverio@zerohora.com.br

Atualizada às 18h52min

A prefeitura de Rio Grande anunciou no final da tarde desta sexta-feira que a Engevix/Ecovix Construções Oceânicas irá construir três navios-sonda em Rio Grande. O valor do investimento chegaria a Us$ 2 bi.

A notícia ainda não é confirmada oficialmente pela Engevix/Ecovix. Segundo a empresa, a licitação ainda não foi finalizada. A Petrobras também não se manifestou de maneira oficial sobre o assunto.

O vice-presidente do Estaleiro Rio Grande, Ivo Dworschak, no entanto, afirmou que as negociações estão em estágio avançado.

Caso os empreendimentos sejam confirmados, a construção será no Estaleiro Rio Grande 2. A Engevix/Ecovix já detém a concessão da construção de oito cascos para a exploração de petróleo.



Comente aqui
01 out16:44

Maior contrato: Informe Econômico de Zero Hora destaca construção do Estaleiro Rio Grande

Zero Hora

No maior contrato em seus 25 anos de operações, a Lamb Construções e Engenharia, junto com a Ecovix – Engevix Construções Oceânicas, acertou acordo para participar da construção do Estaleiro Rio Grande (RG2), no polo naval de Rio Grande.

Foto: Vinícius Costa, Especial, BD

Com previsão de entregar a obra de 51 mil metros quadrados em abril de 2012, a empresa de Canoas contratará 600 empregados. A área construída e o volume de concreto armado serão equivalentes aos do Beira-Rio. 

E o melhor é que as perspectivas não se restringem a este contrato. A companhia acredita ter trabalho previsto para os próximos cinco anos, especialmente na construção de outros estaleiros.

A Ecovix venceu a licitação da Petrobras para a construção de oito cascos para a exploração na camada pré-sal.

Comente aqui
26 set08:20

Interessados em realizar curso para indústria naval formam filas em Rio Grande

Joice Bacelo | joice.bacelo@zerohora.com.br

A oportunidade por uma vaga de trabalho na indústria naval de Rio Grande, atraiu centenas de pessoas para os cursos do Plano Setorial de Qualificação (Planseq), que formarão mão de obra especializada para atender as demandas do setor. Interessados aguardam desde a tarde de sexta-feira em uma fila que já passa de dois quarteirões de distância do local do cadastro. As inscrições se iniciam às 13h30min de hoje e serão feitas por ordem de chegada.

Foto: Lucia Maciel, Especial

As 467 vagas oferecidas são apenas um reflexo da expansão do Polo Naval, que a cada ano anuncia novos investimentos e uma necessidade maior de profissionais qualificados. Desde o início dos trabalhos, em 2007, foi construída uma plataforma de petróleo e iniciados os processos de montagem de outras três. O casco da mais recente, a P-58, chegou na semana passada de Cingapura para que a plataforma também seja construída em solo rio-grandino. A expectativa é que, com apenas esse investimento, sejam gerados pelo menos 1,3 mil novos empregos.

>> Confira a reportagem completa na edição impressa de Zero Hora desta segunda-feira (26)

Comente aqui
13 ago08:00

Empresários da Hyundai visitam Rio Grande na semana que vem

O executivo da Hyundai, Victor Park, está no Rio Grande do Sul para tratar da instalação de um escritório da multinacional em Porto Alegre, e fará uma visita à região Sul na quarta-feira (17), para conhecer as instalações do Polo Naval e analisar possibilidades de participação da empresa coreana. A missão tem a coordenação do Badesul, banco que busca soluções financeiras e estratégicas para o desenvolvimento econômico e social.

Foto: Caco Argemi, divulgação.

O deputado Alexandre Lindenmeyer (PT) estará acompanhando a representação da Coreia do Sul na cidade.

Contatos começaram na visita à Coreia – Os primeiros contatos que alinhavaram a visita de Victor Park ao Rio Grande do Sul, e especialmente a Rio Grande, foram feitos durante a visita da comitiva gaúcha liderada pelo Governador Tarso Genro, no início de junho deste ano. O deputado Lindenmeyer, que acompanhou a delegação à Coreia, teve a oportunidade de estabelecer diálogo no sentido de incentivar o intercâmbio entre os países. A Hyundai possui um dos maiores centros industriais de seu país. A visita dos coreanos ao Rio Grande do Sul foi um dos compromissos firmados na ocasião.

Ainda na Coreia, Lindenmeyer participou da assinatura de um protocolo de intenções entre a empresa coreana Insung e um consórcio brasileiro para a implantação de um estaleiro no Canal São Gonçalo, na margem do lado de Rio Grande. A iniciativa visa recuperar e manter embarcações de médio e pequeno porte, incluindo os barcos pesqueiros coreanos que atuam na região das Ilhas Malvinas.

Comente aqui
16 jun14:02

Audiência pública irá debater o Polo Naval em Rio Grande

Foto: Felipe Nyland, Especial, BD, 14/04/2011.

O relator da Subcomissão da Indústria Oceânica, Petróleo, Gás Natural e Energia da Assembleia Legislativa do RS, Alexandre Lindenmeyer (PT), promove na sexta-feira uma audiência pública para debater a indústria naval na cidade de Rio Grande e região.

Intitulada Crescimento Econômico e Sustentabilidade: Os desafios do Polo Naval Gaúcho, o evento será realizado às 14h, na Câmara de Vereadores, e contará com a presença de representantes de todos os segmentos envolvidos na consolidação do Polo Naval Gaúcho.
Veja abaixo a lista das autoridades presentes e os painéis que serão apresentados:

Painel:

“Os desafios da indústria naval no estado”
Palestrantes:

• Prof. Ernesto Luiz Casares Pinto – Vice-Reitor FURG
• Prof. Marcelo Domingues – FURG
• Eng°. Luiz Antônio Antoniazzi – Presidente da CIENTEC – Fundação de Ciência e Tecnologia

Painel:

“Políticas para o desenvolvimento da indústria naval no RS”
Palestrantes:

• Oscar Azevedo – Diretor  e Coordenador  do Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Off Shore da FIERGS.
• Marco Franceschi – Diretor da AGDI – representando a Sec. de Desenvolvimento e Promoção do Investimento

Painel:

“Linhas de Fomento para investimentos e consolidação da cadeia produtiva do Polo Naval Gaúcho”
Palestrantes:

• Antônio Carlos Cardoso dos Santos – Assessor da Diretoria de Operações do BADESUL
• Carlos José Ponzoni – Gerência de Planejamento BRDE ou
• Luciano Feltrin – Superintendente da Agência do RS  BRDE

Comente aqui
07 jun18:29

Quip apresenta novas instalações para auditores da Receita Federal

Apresentação para Auditores da Receita Federal de Rio Grande na sede da QUIP, na Honório Bicalho. Foto: Gilson Moreira, divulgação.

Uma equipe da Receita Federal de Rio Grande visitou as dependências da Quip nesta terça-feira. Eles conheceram as instalações e local de trabalho onde está sendo construída a plataforma P-63. Os Auditores também visitaram o local das futuras instalações da Queiroz Galvão, que construirá em Rio Grande a plataforma P-58 e ainda receberam as primeiras informações sobre o projeto dessa nova plataforma.

A comitiva foi recepcionada pelo Diretor de Suporte Corporativo, Marcos Reis, que apresentou informações sobre os empreendimentos que a empresa executa em Rio Grande.

A empresa foi precursora do polo naval de Rio Grande, com a construção da primeira plataforma em solo gaúcho: a P-53. Além da P-53 e da P-63, a Quip também executa a construção da Plataforma P-55, no dique seco do Estaleiro Rio Grande.

Comente aqui
27 mai19:31

POLO NAVAL: Começa construção de cascos em Rio Grande

Rafael Diverio | rafael.diverio@zerohora.com.br 

Um ato simbólico, nesta semana, deu início à construção em série dos oito cascos para plataformas oceânicas no polo naval de Rio Grande. A Ecovix, braço da Engevix responsável pelas construções oceânicas, realizou a primeira solda no casco da plataforma P-66.

O gesto marca o início das obras dos cascos a serem montados pela empresa no dique seco. Os investimentos passam dos R$ 4,8 bilhões. Cerca de 5,8 mil empregos diretos serão gerados, além de mais de 17 mil indiretos. Até o segundo semestre de 2013, o primeiro casco deve ser entregue. Mais de 31,4 mil chapas e 5,9 mil toneladas de perfis já chegaram ao porto de Rio Grande. Cada um dos oito cascos, com calado de 23,2 metros, terá 288 metros de comprimento.

Depois de pronta, a plataforma terá capacidade para acomodar 110 trabalhadores. A montagem final _ integração dos cascos com os módulos _ será alvo de nova licitação da Petrobras. Por enquanto, a Ecovix é responsável apenas pelos cascos. O primeiro deverá servir de base para a P-66. A Engevix também construirá em Rio Grande os cascos das plataformas P-67, P-68, P-69, P-70, P-71, P-72 e P-73, todas do tipo FPSO (em inglês, Floating, Production, Storage and Offloading, ou unidade flutuante de armazenamento e transferência) e destinadas à produção de petróleo e gás na camada pré-sal da Bacia de Santos. O investimento total é de US$ 3 bilhões.

Saiba mais:

As dimensões da futura P-66

Comprimento: 288 m
Calado: 23,2 metros
Acomodações: 110 pessoas
Peso de aço do casco: 40 mil toneladas
Capacidade: 150 mil barris por dia de óleo e 6 milhões de metros cúbicos de gás por dia
Previsão de entrega: segundo semestre de 2013

Comente aqui
25 mai18:11

Reunião técnica debate Plano Diretor do polo naval

Uma reunião realizada no plenarinho da Câmara de Vereadores de Rio Grande debateu na tarde desta quarta-feira assuntos para a elaboração do Plano Diretor do Polo Naval. A idéia é identificar os desafios da indústria, como qualificação da mão de obra e melhorias na infraestrutura das cidades.

Representantes de instituições, poderes públicos e lideranças estiveram no encontro. No início da noite uma reunião semelhante será realizada em Pelotas. A organização é da Assembleia Legislativa.

Comente aqui
14 mai15:49

Beto Grill promete providências às demandas pesqueiras

O vice-governador Beto Grill (PSB) esteve em Rio Grande nesta sexta-feira (13) para participar de diversas atividades que tratam dos assuntos ligados à Metade Sul. Durante encontro na Associação Comercial e Varejista de Rio Grande, o prefeito Fábio Branco (PMDB) conversou com o vice-governador sobre as questões tributárias com relação ao Polo Naval. Branco pediu que Grill discuta com o governador Tarso Genro (PT) os indíces de arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS). Para o prefeito, Rio Grande tem ficado atrás de outros municípios, no que diz respeito ao fornecimento de material para empresas do Polo Naval.

Em encontro na sede do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias, Cooperativas e Agroindústrias da Alimentação do Rio Grande, foram debatidas as diversas demandas do setor pesqueiro rio-grandino. Participaram associações, pescadores e representações da pesca artesanal e industrial de Rio Grande, São José do Norte e região. O evento contou com a participação do deputado estadual Alexandre Lindenmeyer, que assumiu dois compromissos com os representantes da pesca: tratar com a Delegacia Regional do Trabalho sobre a possibilidade de retirada do seguro-defeso para mulheres de pescadores, e fazer contato para a vinda da ministra da Pesca a Rio Grande. Ainda no encontro, ficou formada uma comissão dos representantes pesqueiros para acompanhar o andamento das propostas encaminhadas ao governo. Beto Grill conversou com as diversas representações dos pescadores, prometendo para os próximos 40 dias uma resposta às principais reivindicações.

Reginaldo Silveira Rodrigues, presidente do Sindicato das Indústrias da Alimentação de Rio Grande e Região, considerou positivo o encontro: “Debater essa pauta da pesca com o governo já é um avanço que nos coloca novamente entre as demandas do Estado”.

ERS 734 - Em relação a ERS 734, a proposta é trazer o secretário de Infraestrutura e Logística, Beto Albuquerque, juntamente com representação da superintendência do DAER, para ver de perto as dificuldades, solicitando a colocação de recursos no orçamento do Estado.

Comente aqui
03 abr08:19

Quip comemora os 70,9 % de mão de obra rio-grandina no polo naval

Guilherme Mazui, Zero Hora

Rio-grandino, graduado na Universidade Federal do Rio Grande (Furg), Carlos Fontes de Lima, 28 anos, trabalha dentro do Estaleiro Rio Grande. Conseguiu uma trajetória considerada pouco provável em 2005, quando a indústria naval começou a engatinhar no sul do Estado.

Formado pela Furg, Carlos trabalha na montagem de tubulações da P-55. Foto: Guga VW, especial.

Formado em Engenharia Mecânica, Carlos é funcionário da Quip, um dos principais empregadores do polo naval gaúcho, que assinou a plataforma P-53 e levanta outras duas, a P-55 e a P-63. O rio-grandino integra uma estatística que demonstra a crescente no aproveitamento da mão de obra local – entre os quase 2 mil funcionários da empresa, 70,9% são da cidade portuária.

- Temos 81,9% de mão de obra gaúcha – completa Miguelângelo Thomé, diretor-geral da Quip.

Ao atracar no Estado com o desafio de construir a plataforma P-53, concluída em 2008, a empresa se deparou com um rincão sem tradição no setor. Faltavam operários qualificados para uma obra que chegou a mobilizar 4 mil homens. Foi preciso importar gente de outros estados. Durante a construção, houve períodos com mais da metade de trabalhadores forasteiros.

A empresa comemora os índices atuais. Três fatores explicam a curva: o lastro deixado pela P-53; a queda na oferta de vagas, em virtude do intervalo entre as plataformas; e a preparação local. Com cursos de qualificação, Rio Grande preparou 5 mil trabalhadores em dois anos e meio. Para o final do mês, mais 500 soldadores serão entregues, encomenda de uma das empresas do polo naval.

- É um trabalho permanente, enquanto houver demanda será preciso qualificar gente – destaca Leonardo Salum, coordenador do projeto de Qualificação Profissional do município, que trabalha para manter os índices frente à demanda a curto prazo de mais de 5 mil homens para o polo naval.

- Será difícil manter os números, pois a oferta será muito grande. A expectativa é ocupar o maior número de vagas com o pessoal que qualificamos – complementa Salum.

A Quip auxilia a equação ao moldar seus funcionários, em atividades como a escola de solda. Já o engenheiro Carlos participou do programa de trainee, a partir de abril de 2010. Tornou-se engenheiro junior, atua nas tubulações da P-55.

- Eu não tinha a menor expectativa de trabalhar em Rio Grande. O programa abriu essa oportunidade – vibra Carlos.

Funcionários

- De Rio Grande: 1321 – 70.9%

- De outras cidades gaúchas: 204 – 11%

- De outros estados: 338 – 18,1%

Total: 1863 – 100%

* Números de fevereiro de 2011

Fonte: Quip

A receita de Rio Grande

Sem tradição na indústria naval, Rio Grande vive um desafio para atender à demanda da construção de plataformas para exploração de petróleo e gás.

- A construção da P-53 deu experiência para trabalhadores da cidade e região

- Em parceria com o governo federal, o município investiu em qualificação de mão de obra. Em dois anos e meio estima que tenha preparado 5 mil pessoas

- As empresas do polo naval firmam parcerias com instituições de ensino para qualificar operários

- Internamente, empresas oferecem cursos de qualificação para seus operários

Comente aqui