Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Tradição gaúcha em Buenos Aires

25 de fevereiro de 2008 1

Chamamé: presente na loja de discos/Giovani Grizotti
Quando o assunto é cultura gaúcha, Buenos Aires nos causa inveja. Está certo que esse movimento surgiu na Argentina, mas aqui ele é muito mais organizado e profissional. Porém, deixamos a desejar na hora de mostrar tudo isso aos nossos visitantes. Nesse ponto, a capital portenha nos dá de relho.

Uma passeio pelas ruas da cidade, e pronto: a gente se sente em casa, culturalmente falando, é claro. Porém, a música tradicional de lá parou no tempo. É a mesma de décadas atrás. Por isso, os CDs de folclore argentino, como o chamamé, ficam meio escondidos nas lojas de discos, sem figurar na lista dos mais vendidos, como aqui. Talvez isso seja o segredo da coisa. Nesse ponto, vale a regra do MTG: tradicional tem que ser tradicional, e ponto.

Em Buenos Aires, a gente também vê mais gente pilchada do que em nossa capital. Mas é uma bombacha, uma alpargata e deu. E justiça seja feita: nosso churrasco é muito melhor que a parrillada deles. Nada se compara à variedade de bóia buena servida em nossas churrascarias. Viva o Rio Grande!

À venda em loja chique: tava dourada para jogo do osso

Piás fazem “show” de gaita na Rua Florida

Postado por Giovani Grizotti

Comentários (1)

  • ricardo fabricio martins bastos diz: 25 de fevereiro de 2008

    A evolução da música tradicional no RS seria a Tchê-Music? E a varidade da “boia” servida nas nossas churrascarias, por acaso, seria o sushi? Acho que a diferença entre assado e “boia” ilustra também a diferença entre a música tradicional argentina e a música tradicional do Rio Grande do Sul.

Envie seu Comentário