Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Pergunta

29 de outubro de 2009 22

Os grupos tchê que pretendem voltar às origens merecem uma segunda chance? Podem voltar a tocar em CTGs? Opina tchê!

Postado por Giovani Grizotti

Comentários (22)

  • Joba de Oliveira Castro diz: 11 de novembro de 2009

    Não vejo problema com a volta dos bons músicos, deste que respeitem as tradições de nosso estado. Ninguém é obrigado a ser gaúcho (tradicionalista), mas uma vez que vocês entra para este meio deve obrigatoriamente respeitar as regras pre estabelecidas e cantar, tocar, e fazer uso das pilchas adequadamene.

  • fernando peixoto diz: 31 de outubro de 2009

    se voltarem ao estilo tradicional da musica gaucha sim , mas sem esse rebola pra ,pra ca , pra mim tem de ser tradicionalista musica gauderia .

  • wagner brilhante diz: 30 de outubro de 2009

    Ao retornarem totalmente as Origens,sim poderão tocar nos CTGs.
    “o filho pródigo retorna a casa”

  • Nilson diz: 4 de novembro de 2009

    Na minha opnião, é um exagero a polêmica criada com a volta do Luiz Cláudio às origens. Não podemos querer ser os donos do tradicionalismo e ter exclusividade nesse meio, se for assim, quando morrermos a tradição morrerá junto conosco, ficando apenas para os livros de história. Quando começou esta “revolução” na música gaúcha, acredito que a maioria de nós já acreditava que um dia as coisas voltariam ao normal, e isto já está acontecendo…(continua)

  • ivan lindenberg diz: 30 de outubro de 2009

    Acho que a maioria já esqueceu o repertório que usavam.Veja as musica que erão compostas pelo Marcelo Nons nos bons tempos, a musica tinha algum sentido, era boa de escutar, mas agora é mais fácil regravar musica dos outros do que compor as próprias, provavelmente desaprenderão.

  • Marco Antonio Silva Fernandes de Lima diz: 31 de outubro de 2009

    Não vejo problemas. EXIGÊNCIAS: 1) pilcha completa (bombacha larga, lenço tradicional, bombacha por dentro da bota, camisa social sem cores berrantes, se for o caso, chapéu tradicional); 2) música regional gaúcha autêntica; 3) sem rebolar no palco e jamais usar a pilcha gaúcha com brinco nas orelhas. RESPONSÁVEL PELA FISCALIZAÇÃO: Patrão do CTG. Se for necessário, troca-se o Patrão.

  • ivan lindenberg diz: 30 de outubro de 2009

    Talvez alguns ainda consigam, outros acho que não conseguirão mais, não consigo imaginar a vocalista do tchê barbaridade interpretando “Berenice Azambuja” no CTG Porteira do Rio Grande…, vestida de prenda é claro.

  • 1000%gaúcho diz: 30 de outubro de 2009

    Se realmente voltarem às tradições e tocar a verdadeira música gaúcha,serão bem-vindos.
    Li hoje no DG uma matéria sobre isso e concordo plenamente com o César Oliveira,na questão de que temos que se unir pelas nossas tradições.É ridículo durante o acampamento farroupilha,tu veres grupos de gurizadas de calça frouxa e boné atravessado na cabeça passeando pelo harmonia,os chamados “bondes”.
    E tem alguns”metidos”a gaúcho que só se lembram da bombacha nessa época do ano…(CONTINUA)…

  • 1000%gaúcho diz: 30 de outubro de 2009

    …(CONTINUAÇÃO)…Precisamos sim,de bons músicos e temos muitos,mas a maioria rendeu-se ao modismo de ficar regravando tudo quanto é tipo de forró(ARGH!)em tom de vanera maxixada.Não sou contra o modo de dançar das pessoas,mas cada coisa em seu lugar,CTG é tradição,BAIXARIA é no bailão.
    A todos os artistas que desejam voltar,em especial a Luiz Cláudio,ao qual sempre fui fã,que venham e ajudem a divulgar quão bonita e única é nossa CULTURA GAÚCHA.
    Abraços a todos!!!

  • Alessandro Alves diz: 29 de outubro de 2009

    Eu acho que sim, desde que consigam não ultrapassar o limite dos ritmos, que não misturem, dessa forma tem espaço. O detalhe é que nem todo CTG consegue ter dinheiro para contratar grupos grandes, então eu não sei se é mais rentável para os grupos ficarem com o estilo tchê music e tocar em bailões e etc, ou voltar as origens e ter que até baixar o preço para conseguir baile todo o fim de semana. A quantidde de CTG`s eu acho que é bem maior que bailões.Fica a perguta.

  • Marcelo Kerschner diz: 29 de outubro de 2009

    Por enquanto não!!! seria dificil ver eles tocando músicas tradicionalistas depois de ver visto os mesmos tocando e cantando forró… essas “volta” as origens fazem dos tchês uns mercenários, será que eles conhecem as tradições de verdade? conhecem a vida do campo? acho que não!!! escutem as músicas do Mano Lima, Luiz Marenco, Valter Morais… esses sabem o que cantam, cantam a música xucra que traz “cheiro de terra e de mangueira”…

    Grande abraço!!!

  • Narcy Antonio Maldaner diz: 3 de novembro de 2009

    Mas é evidente que podem, porém tendo como ideia central – e isso vale pra qualquer entidade, CTG, OAB etc. – que a motivação deve ser um ideal e não apenas o dinheiro. Não sou ingênuo, sei que precisa-se ganhar dinheiro, todavia jamais às custas de atos que desconsiderem a honra ou a tradição. E a tradição não se manterá sem um regramento, e este, ainda que com eventuais desacertos, emana do MTG.
    Por isso, todos emponchados, vamo pra cancha!

  • zelita marina da silva diz: 6 de novembro de 2009

    Acho que os bons músicos podem voltar….O Luiz cláudio vem de uma linha tradicional… Vários outro músicos também… Alguns que conhecemos cantando nas invernadas de danças, o Marcelo do Tchê, sei irmão Guinho…O Rodrigo Munari… Daniel Hack… então sempre digo que a tradição está na formação da pessoa e no amor por sua história…as vezes tomam outro rumo, mas o amor pelas raízes continuam…

  • Luis Carlos fonseca diz: 1 de novembro de 2009

    Pra quem quizer coversar sobre esse assunto entra na comunidade “Eu Não Suporto Maxixe”
    http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=49918726

  • DAVI O. K. diz: 3 de novembro de 2009

    O pior mesmo, é que eles nem tocam a nossa música nem tampouco o belo ritmo do forró.
    É uma coisa meio termo do tipo Calcinha Preta, Saia Rodada que como “os Tchê Music” não tem graça nenhuma, mal e mal fez algum sucesso nacional com o Tchê Garotos.

  • Luis Carlos Fonseca diz: 1 de novembro de 2009

    Claro!Conserteza merecem.Sí!voltarei as ao trancão antigo já começando pelas pilchas,sem aquelas bombacha igual uma calça.Bom!sem comentário né!Tenho certeza que se fosse o sistema antigo sem batuque,aquele tranco monarca não haveria gente maxixando nos bailes.Nada contra a musica maxixe.Mas se tratando de um fandango bem campeiro daqueles de sarta os butia dos bolsos e perde taco da bota.Heheheheh…! So totalmente contra.
    Aos grupos tchês!Estamos te aguardando chiruzada…!

  • Nilson diz: 4 de novembro de 2009

    (continuação)… Todos sabemos que o modismo é passageiro, mas a tradição está no sangue, como diria Luiz Marenco: “esta é a nossa verdadeira identidade”.
    Sou sim a favor da volta de bons músicos que tivemos no passado, porque eles já tem uma identificação com a música gaúcha, mas devem voltar pilchados e tocando músicas realmente tradicionalistas. O que não pode acontecer é uma avalanche de “tchezinhos” que não sabem nem o que é uma pilcha querendo cantar os costumes e tradições deste povo.

  • Junior diz: 29 de outubro de 2009

    não, porque eles já venderam a alma gaúcha, e agora querem voltar ?
    Não dá.

  • romeu Bitencourt diz: 29 de outubro de 2009

    acho que alguns sim: luiz claudio, quero quero, chiquito e bordoeio, garotos de ouro, ivonir machado…

    agora quando se trata de tche guri, tche barbaridade, tche garotos que morram todos queimados enforacados por suas calças jeans..

  • Marcelo diz: 31 de outubro de 2009

    Todo e qualquer que ame e respeite nossa cultura será sempre bem acolhido por nosso povo…assim somos desde os tempos de `35 com Garibaldi, Anita.

  • Artur Diego diz: 20 de novembro de 2009

    Eu realmente concordo com a volta do Luiz Cláudio e o Grupo Quero-Quero,porque eles reconheceram o que fizeram de errado a esses 3 anos que pasaram por ai.Se eu for patrão eu até aceitava eles aqui no CTG OS PRAIANOS,mas com uma condição:os queras tem que provar que voltaram ao tradicionalismo,não adianta dizer que voltou e depois fazer viadagem no palco,rebolar,essas besteiras.
    Um baita abraço.

Envie seu Comentário