Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

E digo mais

05 de fevereiro de 2010 21

Quem assistiu ao festival Cante uma Canção Para Vacaria, que consagrou Nilton Ferreira como o grande vencedor, fica ainda mais revoltado com a declaração dada pelo músico gaúcho chamado Nei Lisboa. Pessoalmente, e peço que respeitem minha opnião, jamais pagaria ingresso para ir a um show ou gastaria um real sequer para comprar um disco desse sujeito. Gosto é gosto.

Postado por Giovani Grizotti

Comentários (21)

  • Everson G. da Silva diz: 5 de fevereiro de 2010

    Não condeno o Nei Lisboa, (e até sou fã do trabalho dele), porque esse pré conceito em relação a musica gaúcha (e não só a musica, mas todo o contexto de tradicionalismo) é culpa, das cabeças que se intitulam donas do tradicionalismo, alem de promover uma ditadura do que é ser gaúcho, e vivem apenas no mundo que eles criaram e acabam deixando as pessoas que estão dentro saírem e impedindo o crescimento da nossa cultura, então não vamos culpar quem não conhece e sim quem não quer explicar.

  • evandro brambilla diz: 5 de fevereiro de 2010

    Gosto é gosto!!! Mas o certo é que tem muito mais gente que tragueia a musica gaucha que a musica do autor dessa infeliz colocação!!

  • Rogerio Bezerra diz: 8 de fevereiro de 2010

    não queria crer que um dia iria ler uma idiotice tão grande. O Nei Lisboa não foi infeliz, ele mostrou a cara dele e a forma rídiculo com que ele trata os seus colegas de profissão. Deveria dar graças a Deus por muitos desses músicos que ele ridicularizou não trocarem de estilo e irem para o dele pois seria o fim da decadente carreira do Lisboa. Ainda prefiro a música gaúcha a qualquer outra ainda mais estas que são só gritaria e homem véio metido a gurizão fresco.

  • Marcelo Ziani diz: 7 de fevereiro de 2010

    Se não “traga” a nossa musica, cheia de cultura, ensinamentos e sentimentos que se mude para os ditos grandes centros culturais e escute um FUNK com suas belas melodias e letras ricas.

  • Silvia Aranha diz: 17 de fevereiro de 2010

    Penso que devemos ter opiniões próprias, o Nei foi infeliz ao fazer um comentário.Sou gaúcha mas não curto músicas tradicionalista.Como tudo na vida evolui,como hoje os cantores gaúchos tradicionais não aceitam o tchê music,pq???é uma maneira moderna.Gostei da colocação do Nei, nós gaúchos temos um defeito nós somos os bons.Valeu Nei, é bom criar polêmicas,para refetirmos melhor.

  • Jacy Borreau diz: 16 de fevereiro de 2010

    Toda essa raiva contra uma simples opinião só dá razão ao Nei…

  • Portalete diz: 7 de fevereiro de 2010

    O Nei foi infeliz e antiético com os colegas músicos, que enfrentam os mesmos problemas que ele na divulgação dos seus trabalhos (ser músico no Brasil não é fácil). Portanto, espero que ele repense, afinal.E outra coisa, há música regionalista (principalmente de conjuntos de baile-CTG), normatizada pelo MTG (pilchas, ritmos, etc..), e outra produção gaúcha (nos festivais) com uma abertura maior e não cerceada pelo MTG. Basta ouvir o Piriska, Buenas e M`espalho, Antonio Ricardo, etc…

  • Pio Medeiros diz: 8 de fevereiro de 2010

    Missioneiro Encanto

    Quando falo de meu pago
    Em canto minhas verdades
    Encosto mango no pingo
    Marchando vai a saudade

    Não preciso argumentos
    Pra evocar tais sabores
    Cantar de dia labutas
    A noite os meus amores

    Missões é minha cepa
    Vertente de água boa
    Na travessia de rios
    Remos cantam na canoa

    Voa canto Missioneiro
    O espaço é tua morada
    Sempre espera seu amor
    No rancho junto a ramada.

    para o comentário do Nei Lisboa

  • Roberto diz: 16 de fevereiro de 2010

    Esse “excesso de bombachismo” e essa FALTA DE AUTOCRÍTICA, onde somos os melhores e “uma (suposta)elite” em NADA ajuda a nos inserir no contexto cultural do resto do País.O NAZISMO também era assim: achava que somente os arianos eram “raça pura” e o resto era o resto.Deu no que deu.Aqui também não se pode TOCAR no bombachismo intocável.

  • Emanuela diz: 16 de fevereiro de 2010

    Pq será que alguem enfrentaria a cultura de um povo tão unido por ela? Provavelmente procurando se promover as suas custas. Essa pessoa não é digna nem de entoar o nosso Hino já que nele está impresso “Sirvam nossas façanhas de modelo a toda a terra”
    Nossa cultura é nosso orgulho!!!

  • Valdemar Engroff diz: 5 de fevereiro de 2010

    Concordo Chirú Véio. O Nei foi infeliz. Que ele batalhe o sucesso sem dar mangaços nos outros gêneros musicais, em especial à música regional e popular do nosso Rio Grande!

  • jorge luiz giacomo giordani diz: 16 de fevereiro de 2010

    O Nei está certo mas,tambem, está errado.Os ditos “Patrões” idem.No fundo todos estamos.Mas que a polemica é boa isto é.Pessoalmente gosto de Bob Dylan,Elvis e Pink Floyd mas,tambem,me arrepio com Mario Barbará,Tchê Garotos e Leonardo(o daqui e o de Goiania)No fundo todos tem o direito de gostar do Bar João ou do finado Tio Flor,o que não temos direito é de acharmos que estamos acima de todos.Antigamente achava que os nossos politicos eram diferentes dos nordestinos.Balela,somos todos iguais!!

  • Vagner Carvalho diz: 10 de fevereiro de 2010

    Esse tal de Nei Lisboa, será que o nome dele não Meio A toa, por que um cara que declara estas coisas só pode ser um cara que não tem nada o que fazer, ou melhor muito a toa.

  • Maria Mayer diz: 16 de fevereiro de 2010

    Respeito q/ Nei Lisboa nao goste da musica tradicional gaúcha. Como ele muitos gauchos nao gostam tb. Por outro lado tem pessoas que nao gostam de: rock, samba, pagode, rip rop, sertanejos, sertanojos ou ainda da eguinha pocotó, e tem quem goste.Agora alguem que se diz culto e nao respeita a pluraidade cultural e mais ofenda as pessoas que gostam, isto sim é INTRAGÁVEL.
    Sr Nei, o minimio que poides fazer e se desculpar com cultura.

  • Alicia diz: 16 de fevereiro de 2010

    Sim, Sr. Grizotti: gosto é gosto! Eu também jamais pagaria ingresso para ir a um show ou gastaria um real sequer para comprar um disco seu, se o senhor fosse músico!

  • Paulo Pennaforte diz: 16 de fevereiro de 2010

    A Maria Mayer logo aí abaixo disse tudo. Gosto de música nativista, rock, tango, bolero, salsa, música árabe. Não gosto de breganojos e falsos sertanejos [tem sertanejo mto bom, mas esses ñ conseguem tocar na Globo]. Ah, tb. gosto do Nei, e, sim, nunca consegui classificá-lo, o q. p/ mim é totalmente desnecessário. Por isso ñ aprovo a opinião do Nei, deu uma de sectário. Por ñ conseguir classificar-se, ñ precisava atacar outro estilo musical. Na real, acho que o CATARINENSE Nei quis aparecer…

  • everton maciel diz: 5 de fevereiro de 2010

    Uma coisa é certa: são sempre os mesmos temas para as letras e o mesmo tipo de melodia. É chato. Mas muita gente está tragando. Seria mesmo intragável? Acho que não. Muito mais do que a música, deveríamos nos preocupar com um comportamento provinciano generalizado: fazer de conta que as coisas feitas aqui no RS são melhores que as dos outros lugares.

  • Maria José Silva Penny diz: 16 de fevereiro de 2010

    Como sou negra, este negócio de tradicionalismo, não me faz sentido; logo nunca participei, nem pretendo. Conhecendo um pouco da história gaúcha, bem se sabe que a nossa parte foi trabalhar, ser bucha de canhão e morrer sem glória, nem razão (vide Massacre de Porongos). De qualquer forma, é interessante ver o embate que se formou entre os tradicionalistas e o resto – pois é assim que eles veem as coisas.
    POR MIM, ELES QUE SÃO BRANCOS, QUE SE ENTENDAM…

  • zanotto diz: 6 de fevereiro de 2010

    Olhando a página de abertura do site do nei, ja se percebe a intenção do sujeito.
    Ahh Fórum Social Mundial e seus efeitos.

  • maria mayer diz: 16 de fevereiro de 2010

    Acabo de ouvir de um maestro,
    “Não existe musica boa ou ruim, existe a trilha sonora da tua vida”.
    Qto ao tradicionalismo gaucho, a proposta é definir um estilo de musica, de arte, é simples. Ou vc se equadra ou não e isto não indica grau de cultura ou bom senso. JaPor ex. forro e samba são diferentes e mesmo assim convivem bem no carnaval. O que esta faltando ao seu Nei Lisboa e respeitar esta diferenças.

Envie seu Comentário