Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de setembro 2009

LONDON, LONDON

22 de setembro de 2009 77

Eu sabia que seria uma correria danada. Quatorze dias pra conhecer e, mais que isso, entender tantos lugares e tantas coisas diferentes. Mas viagem é isso mesmo, nunca vamos ter tempo suficiente pra ver e fazer tudo, então o melhor é aproveitar bem o que der pra fazer.

Foi assim nestes dias de férias junto com meu amigo Paulinho (de quem já falei aqui no blog).  Aproveitando o fato de ele morar em Brighton, pertinho de Londres, e conhecer bem os lados de lá,  não pensei duas vezes quando pintou a chance de passar estes dias com ele.

                                 

                                               Eu e o Paulinho beeeem felizes na London Eye

Estivemos na Inglaterra, na França e na Grécia. Corremos como loucos pra lá e pra cá e troxemos na mala (sim, ele voltou comigo para o Brasil depois de mais de seis anos morando na Inglaterra), as incríveis histórias que só uma viagem assim pode render. E mais que isso, histórias e lugares registrados pra sempre. Aqui um pouco de cada canto por onde estivemos: 

             

E já que imagens valem muito mais que palavras, vou tratar de publicar em três etapas aqui no blog (com muito atraso, porque não parei de correr desde que cheguei!!), fotos dos lugares por onde andamos e das impressões que eu tive. Não vão ser relatos completos e cheios de serviços como fazem os blogs especializados em viagem. São apenas minhas percepções e aquilo que tive vontade de fotografar quando vi.

Um pouco de Londres e o incrível visual da cidade:

Além de ver os lugares clássicos dos cartões postais, afinal foi minha primeira viagem para a Europa, eu prestei muita atenção nas pessoas. Como se comportam, o que vestem, o que dizem, o que fazem. É uma delícia descobrir novas formas de vida, ver que aqui estamos só num pedacinho desta Terra gigante e tão cheia de gente e culturas diferentes. Observei o máximo que pude e adorei o que vi.

O cidadão de Londres é educado, atencioso, porém discreto. Faz aquela linha “cada um na sua”, sabe?

Lá quase tudo é normal, não tem aquele olhar diferente pra quem parece ser estranho.

A cidade é silenciosa, nem ouvi buzina de carro. No trânsito os motoristas respeitam o pedestre e, mais que isso, o pedestre respeita o motorista.

                                       

Os carros pequeninhos me chamaram a atenção, muito fofos. Ocupam pouco espaço e cumprem bem o papel de levar pra lá e pra cá.

O metro faz parte vida vida das pessoas, elas crescem aprendendo a atravessar a cidade assim. As linhas e estações parecem fazer um nó nos mapas, mas funcionam muito bem na prática.

A cidade é limpa, quase não tem pichações. Aliás, existem uns avisos sobre os valores das multas pra quem se arriscar a estragar o patrimônio público.

As vitrines das lojas são incríveis, fiquei louca. Mas claro que os preços das roupas de grife são impraticáveis. Ainda bem que olhar não custa nada.

Londres é grande e tem um pouco de tudo. Gente bem conservadora no modo de ser, se vestir e se comportar e gente bem moderna. Cada canto da cidade tem perfis e públicos diferentes.

As construções, os monumentos, os museus, tudo isso é lindo e muito bem conservado. Definitivamente é um povo que se orgulha e cuida da sua história.

Os parques são deliciosos, dá vontade de se jogar na grama e ficar curtindo os esquilos (são muito fofos, chegam bem pertinho!).

Por tudo que lugar, tem muitas mães carregando seus filhos pela rua em carrinhos. Achei estranho ver crianças do tamanho do meu filho e até maiores serem levadas assim. Por outro lado, é bacana ver os pais fazendo seus filhos valorizarem sua cultura desde cedo.

A London Eye é alucinante por fora e mais incrível ainda por dentro. Me senti num helicóptero sobrevoando a cidade. Linda demais! Lá de cima fiz fotos maravilhosas de Londres:

Dá pra caminhar à noite na rua sem grandes preocupações. É claro que deve existir, mas eu não vi nenhum tipo de violência. Londres parece ser uma cidade bem segura e bem preocupada com o bem estar do seu turista.

Os taxis pretos e os ônibus vermelhos de dois andares são um luxo! Enfeitam a paisagem londrina o tempo inteiro.

Muitos detalhes na cidade são pensados para o conforto do cidadão. Parecem pequenas coisas, como a forma de dispor assentos nas paradas de ônibus, mas que fazem muita diferença no dia a dia das pessoas.

Pra cada lugar que se olha é uma surpresa. Amei a liberdade do Soho. Amei o povo e as lojas descoladas de Camden Town. Fiquei louca circulando por ali, queria ver tudo, trazer tudo:

              

Amei o ritmo acelerado, as calçadas lotadas e as lojas enormes da Oxford. Amei as árvores decoradas com pano colorido enfeitando a beira do rio Tâmisa:

               

Amei as lojinhas de souvenir. Amei o romantismo da Little Venice no Regent´s Park. Este dia estava lindo, amei caminhar pela beira do canal, ver de perto as lindas mansões e descobrir os barcos que servem de moradia. Foi um dos meus passeios preferidos:

Amei, amei, amei. Tudo que consegui mostrar aqui e muitas outras coisas que deixariam este post longo demais… E olha que só falei de Londres por enquanto!

Prometo para breve mais dois posts sobre Paris e Mykonos, com uma pitadinha de Brighton também. Voltaremos!

                                

Postado por Rodaika

"O QUE TU FAZ DA VIDA?"

18 de setembro de 2009 68

Postado por Rodaika e AF

O QUE EU APRENDI

16 de setembro de 2009 77

A vida nos ensina muitas coisas, acho que por isso é tão bom viver. Tem gente que aprende com mais facilidade, tem gente que aprende o que é errado, tem gente que aprende mas não aplica, enfim.. Aprendizado acontece de um jeito diferente pra cada um.

Eu já aprendi muitas coisas, mas preciso aprender muito mais. Preciso ser menos impulsiva, tenho que ter mais calma, ser mais tolerante, medir melhor ganhos e perdas, usar meu tempo a meu favor. Espero mesmo é ter tempo para corrigir estas falhas e aplicar na minha vida o que aprendo por aí.

Aqui no blog mesmo aprendo muitas coisas. Escrevendo, por exemplo, coloco pra fora muitos sentimentos e, na tentativa de ser o mais clara possível com quem nos lê, me vejo resumindo e simplificando pensamentos – o que sempre me ajuda a enxergar as coisas de uma forma melhor. Lendo os comentários que chegam tenho a chance de descobrir outros pontos de vista ou complementar os meus, o que é muito motivador pra quem se submete a expor um pouco da sua vida e das suas idéias.

Quando tudo isso aqui começou ainda não sabia exatamente como lidar com o que escrevia e o que os leitores comentavam. Já falei aqui que a grande maioria de quem nos escreve tem um carinho grande por mim e pelo Alexandre. As críticas também são bem vindas, mas apenas quando escritas com respeito, o que também acontece quase sempre. Vez que outra chega um comentário perturbador.

Confesso que antes eu me incomodava bastante com este tipo de retorno agressivo. A primeira pergunta que eu me fazia era: “mas se está aqui pra ler o que escrevemos, discordar de tudo e fazer comentários ofensivos, por que vem?”. A internet é completamente democrática, cada um acessa o que quer e está aí a grande magia do negócio. Vou respeitar sempre quem não tem empatia com nosso blog e opta por nem vir aqui. Mas não posso respeitar quem não gosta e usa o espaço dos comentários pra deixar bobagens e mentiras. Não estou me referindo aos avisos sobre algum erro de português que podemos fazer. Falo de gente do mal mesmo, que faz de tudo pra agredir.

Péssima notícia pra eles: este tipo de gente não me afeta mais. E o melhor: aprendi isso aqui no blog. Sabe com quem? Com os leitores incríveis que temos e que nos acompanham concordando ou não com o que escrevemos, mas se comportando com respeito e educação. Isso não tem preço e é o maior aprendizado que podemos ter na vida.

Passado um ano de blog, hoje não tenho o menor problema em excluir um ou outro comentário idiota e ler com prazer os comentários legais que chegam aqui. Adoraria poder responder a cada um, citar os nomes, ter tempo de dar mais atenção. Mas como não posso, faço o que está ao meu alcance: procuro retribuir a nossa audiência com o máximo possível de atualizações.

A vida é assim mesmo, tem seus altos e baixos, prós e contras, coisas positivas e negativas. A gente é que tem que aprender a valorizar o que é bom e dar bem menos importância para o que é ruim. O Alexandre foi um dos responsáveis a me fazer enxergar isso na nossa vida. Ainda não sei aplicar totalmente, mas estou melhorando. Hoje eu aproveito o aprendizado pra dedicar este post a ele e dizer que temos que seguir a vida assim também aqui no blog.

Postado por Rodaika

SAUDADE DAQUI!

15 de setembro de 2009 28

Estou de volta e cheia de histórias pra contar!

Mas também naquela pressão de quem chega em casa e no trabalho depois de 15 dias fora. Quanta coisa por fazer..

Ainda tô organizando a vida, não consegui baixar todas as fotos e videos, me acostumar com a rotina e o horário e nem desfazer a mala. Mas hoje acordei mais cedo e vim dar uma olhada aqui no blog.

Li os comentários, os posts do Alexandre e mais comentários que estavam por liberar. Só tenho a agradecer às inúmeras manifestações de carinho que recebemois aqui. Realmente é um espaço especial e precioso que eu pretendo manter  - mesmo com a missão de ainda convencer o Alexandre a continuar.

Vou organizar as fotos e histórias pra poder contar aqui um pouco sobre minha viagem. Estive em Londres, Brighton, Paris e Mykonos. Foram dias inesquecíveis, apesar da saudade grande que senti dos meus filhos e do meu marido.

Agora vou voar pra TV porque tenho gravações do Papo Clip e do Patrola me esperando e amanhã estarei de volta no Pretinho!

Beijos e até breve!! *<>*

Postado por Rodaika

A CEDILHA

03 de setembro de 2009 69

Antes de qualquer coisa que eu vá escrever aqui, quero agradecer a presteza do leitor Duda e outros tantos em me corrigir ao empregar a cedilha onde o “C” era sem cedilha. Não lembro a palavra.

Não há perdão, não há justificativa.

Não há o que um filho de professora de português que escreva  – lembrei da palavra –  “alcancei” com cedilha no “C”, possa dizer para usar a seu favor, ou em sua defesa.

Comunico-me diariamente com quase meio milhão de pessoas em tempo real. Leio milhares de palavras diariamente. É inadmissível que eu escreva “alcancei” com cedilha.

Aproveito para explicar ao leitor Duda que quando fiz referência a “comentários ostensivos”, dizia que os comentários eram veementes, marcantes. Mas não a ponto de serem ofensivos. Não houve agressão por parte de quem comentou. Houve crítica. Que, a bem da verdade, é o que me interessa e seduz. O desafio de escrever seja o que for para gente interessante ler sem passar por qualquer tipo de editoria. Pra Gente que demonstre afinidade com o que penso, a maneira que sinto, como vejo, de que jeito encaro e como me expresso, ou não demonstre. Mas que seja Gente com G maiúsculo como eu. E como a Rodaika, que me pilhou muito pra fazer este blog com ela. Gente que exista de verdade. Não alguém que se esconda atrás de um escudo virtual quer seja um e-mail gratuito, e dali passe a desferir contra.  Isso me entristece. Esta exposição aqui no blog nos é muito cara para ter este retorno.

Por respeito e consideração a idéia dela Rodaika, me esforcei pra colocar aqui um pouco do que rola no universo dos cruzamentos possíveis entre trabalho, amizades, amores, família e suas conseqüências. Se não postei mais foi por preguiça psicológica de ler os comentários. Na maioria excelentes. Mas aqueles dois ou três perniciosos comentários me são letais.

Queridos leitores, após este breve desabafo – deixa deixa deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar – informo que terei que me ausentar do blog mais uma vez por força de um novo desafio dentro do meu “core business”, meu negócio principal, que é fazer rádio. Desenvolver produtos que se transformem em receita para o veículo que dirijo. Claro, sem abrir mão da minha origem, que é o microfone, onde comecei há 23 anos. Continuarei a frente dos programas que apresento, e conto com todo mundo na escuta.

Peço aos queridos que nos acompanham com prazer e não com desconforto, que aguardem a volta da Rodaika para o desenrolar do imbróglio.

Desejo paz e saúde a todos.

 

Postado por AF

CHOVE CHUVA, DISNEY & BABY

02 de setembro de 2009 27

Pois eu vou fazer uma prece pra Deus Nosso Senhor, pra chuva parar de molhar o meu divino amor, que é muito lindo, é mais que o infinito, é puro e é belo. Inocente como a flor.

Por favor, chuva ruim, não molhe mais o meu amor assim.

 

Segundo a física tôntica, o planeta gira por que nóis bebe. E enquanto ele gira, nas 24 horas, muita coisa acontece em cima dele.

Uma destas coisas, hoje, foi a seguinte: O JORGE E A LAVÍNIA VÃO PRA DISNEY !! Sério. Resolveram conversar sobre o assunto longe daqui. O assunto rendeu tanto, que tem um blog de São Paulo que soube da história deles e quer fazer uma blog-novela com a história.

A Lavínia me ligou hoje a tarde, bem na boa, sem ressentimentos, pô afinal a gente se conhece há quase 30 anos. Nos conhecemos todos no Rosário. Sabe que eu não fiz na maldade. Me deixei envolver pelo clima de franqueza do Pretinho. Já passou.

O que importa é que ela  disse que tá muito feliz com a possibilidade de engravidar na SEGUNDA LUA DE MEL, dessa vez na Disney. Óiaaaaaaaá !

Queria agradecer todas as manifestações sobre esta verdadeira novela mexicana. Alguns comentários mais ostensivos preferi ocultar, pra não expor as pessoas, pois não sou de fazer isso. Quaaaaaaaaaaaáááá!!

 

Abraço, galera.

Tâmo junto !!!

Postado por AF

QUE NOITE !!

01 de setembro de 2009 21

“Porque tu não faz como a Ivete que ligou pra um seguidor no twitter?” Me disse a Rodaika num tom que eu até agora não alcancei se foi sério ou de brincadeira. Hoje me propus a fazer essa promoção, entre aspas, e achei bem interessante a experiência. Pedi que a galera que me acompanha me mandasse o número que eu ligaria até a meia noite dando um presente pra um follower.  Liguei pra dois ouvintes. Uma mina e um cara. Pra não rolar aquele comentário maldoso de que se ligasse só pro cara é porque sou gay. Se ligasse só pra mina, sou falcatrua.. Então liguei pra um casal.

Meia noite e dois me liga adivinha quem ? O Jorge. Quase bêbado e quase chorando balbuciou com aquela boca de buzina dele: “ela bode brocurá ôdro, eu dão me importo..”

Fiquei quase uma hora tentando convencer o Jorge a não ir até a casa da mãe da Lávis, onde está a Lávis e o Panheiro, o cão. Tive que ser duro com o Jorge. Dei a real pra ele. Se tu for lá bêbado ela vai te tirar pra guri. Vai ser pior a emenda que o soneto. Te liga! Daí ele me sai com essa: “o cara tá casado é como ter um carrão, e só poder ter um carrão, não vários carrão. Eu queria poder dirigir todos os carrão que eu gostasse. E desligou.

 

A Lávis talvez entre com um processo por danos morais e constrangimengto público.. Mas até a audiência de conciliação os dois já estarão de volta. Vamos todos ao tribunal, dar boas risadas na frente do juíz. Ou não..

 

Falei com a Rodaika hoje. Perguntou se eu estava presente no blog, porque no Twitter só dava eu..  Quando falei do Jorge ela me disse: “eu tinha certeza! Aquela cara de mongo nunca me enganou.”

 

Acho que fiz alguma coisa errada. Errei a fonte, a cor..  Nossa. Que burro !

Postado por AF