Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de novembro 2009

FESTA FRIENDS - É NESTE SÁBADO!!

27 de novembro de 2009 14

Desde que começaram as edições da nossa Reunião Dançante a galera mais nova pergunta quando vamos fazer uma festa para menores de 18 anos também.

Pois vai rolar! E é amanhã! A Festa Friends vai ser no Cord Café em Porto Alegre, para o público com idade a partir dos 14 anos.

Muitos hits na pista, videos bacanas no telão, presentes legais, surpresinhas e eu e o Alexandre nas pick ups! Não vejo a hora da função…

                 

                 

E como essa galera é ativada e adoooora os sites de relacionamento, a Festa Friends já está no Twitter e no Orkut (clique para acessar), inclusive com álbuns de fotos de amigos que estão concorrendo a presentes.

Pra participar é só mandar a foto por e-mail: festafriendsoficial@gmail.com

Os ingressos vão ser vendidos só na hora, então, todo mundo lá!!

 

E um último recadinho: sim, teremos ainda mais uma Reunião Dançante este ano. Dia 11 de dezembro no Dhomba em Porto Alegre. Até lá, falamos mais!

 

Postado por Rodaika

QUEM SABE ENCERRANDO?

26 de novembro de 2009 50

Eu sou uma pessoa emotiva. Não tenho vergonha do que sinto e nem das escolhas que faço pra minha vida. Não tenho nada a esconder. Sou um ser humano comum, que erra e acerta. Não tenho o menor propósito de me meter na vida de ninguém e exponho aqui apenas o que quero sobre minha vida e meus sentimentos, na maior paz e tranquilidade do mundo. 

É certo que muitas vezes escrevo por impulso, mas nunca me arrependi de alguma coisa, prova disso é que todos os posts continuam publicados. A cada dia eu aprendo uma coisa nova e os meus textos são um exemplo claro disso. Sou sim uma metamorfose ambulante, não tenho problemas em mudar de opinião e nem de defender minhas idéias com os argumentos que tenho, sempre deixando claro que aquela é a minha opinião, nem certa nem errada, apenas a minha opinião.

Portanto, muito me surpreende ver, através dos comentários, a dificuldade que alguns leitores tem de entender isso. Neste espaço eu e o Alexandre escrevemos o que pensamos, só isso. Lê, concorda, discorda, comenta quem quer. 

Em nenhum momento exiji que o leitor entenda minha verdade como absoluta. Apenas exponho minhas opiniões, o que não é julgamento, é só uma opinião. A quantidade de comentários que chega aqui deixa claro que todos tem suas opiniões. Devo tratar cada uma como verdade absoluta também?

Sempre fui uma pessoa direta, quase curta e grossa. Quem me conhece sabe que é meu jeito. Falando sou ainda mais dura que escrevendo, pois a escrita nos dá a chance incrível de levar até o fim um pensamento – o que permite um esclarecimento melhor das coisas.  

Compreender o que alguém escreve não é aceitar, nem concordar. É apenas compreender, sem perder o direito de odiar, amar ou ser indiferente ao que leu. E no caso de amar ou odiar, sem perder o direito de concordar e discordar nos comentários. Talvez esta seja a melhor forma de levar adiante uma terapia em grupo, que é mais ou menos o que temos aqui, né?

Mais um esclarecimento: jamais publiquei um comentário aqui pra que seu autor fosse crucificado. Entre três comentários que levantavam a mesma questão, escolhi um para publicar e responder e, com isso, esclarecer a diferença entre a opinião que eu estava dando sobre o caso publicado pelo Alexandre e a nossa própria relação. Quanta polêmica esse simples texto gerou, hein? Mais mesmo que o próprio caso do homem que é casado, diz que ama sua mulher, quer continuar com ela, mas tem vontade de se relacionar com outras.

Minha opinião foi sobre traição. E a opinião de uma pessoa já começa com o significado da palavra. Mais uma vez fica claro que cada pessoa trata traição de um jeito diferente, o que não dá direito a ninguém chamar de hipocrisia o fato de eu achar que a traição é uma merda sim. Não vai mudar minha opinião o que um ou outro for comentar sobre o início da minha relação com o Alexandre. Se mais uma vez um ou outro optar por não entender a diferença entre os dois casos, sinto muito. 

Como sou essa pessoa impulsiva que eu já descrevi lá no início deste texto, venho mais uma vez aqui pra tentar dar fim a este capítulo do blog. O assunto traição já está mais do que chato, virou motivo pra grosserias e falta de entendimento. Não precisa.

Como diz o Alexandre, cada um que leve sua vida do jeito que achar certo. Opiniões sobre as coisas todos os seres pensantes sempre vão ter, quem quiser expor, que exponha, quem quiser guardar, que guarde.

Eu vou continuar escrevendo o que penso sobre cada interrogação que aparecer na minha frente, independente de ter acertado ou errado na minha vida, e sem a menor intenção de impor verdades ou servir de exemplo pra alguém.

Nesta vida nosso melhor exemplo deve ser o espelho.

Postado por Rodaika

CONTINUANDO..

24 de novembro de 2009 39

O assunto que desencadeou esse debate é, como escreveu a Rodaika anteriormente, uma merda. Chato de falar sobre porque sempre, em se falando de traição, vai existir uma vítima e um vilão. Mesmo que a intenção do “vilão” não tenha sido em momento algum trair, trapacear, apunhalar seu parceiro.

Existe, antes da verdade dita, a verdade. O que transforma a verdade dita em mentira. A verdade no caso do leitor, pra ele, é a vontade que ele tem de possuir outras mulheres. Aí já reside a traição. O contato físico é ato contínuo. Consequência. E os desdobramentos deverão ser administrados sob a responsabilidade de quem cometeu o ato.

Quem tem culpa numa traição ? Porque alguém trai ? O que falta num relacionamento que faz com que maridos e mulheres, com famílias estruturadas, filhos e relação parental estabelecida procurem outros corpos, outros sentimentos ? Cada um é dono de sua verdadeira resposta. Cada caso é um caso.

Quem se atreveria a tirar a razão de um marido que há 2 anos já não mentém relação sexual com sua mulher em função da depressão dela e acaba por procurar sexo fora de casa? Os medicamentos que ela ingere abafam sua libido. Ela olha pra ele e vê um amigo fiel, marido dedicado, pai exemplar. Lhe basta. Ele olha pra ela e vê uma mulher fraca, doente, debilitada, sem força e sem apetite sexual. Não lhe basta. Este é um exemplo de um amigo próximo. Assim como conheço outros vários de outras grandezas.

Não podemos desconsiderar os casos de traição por instinto. Os casos de traição por necessidade financeira. E os inúmeros outros casos que levam o ser humano a buscar outro, um terceiro ser humano pras suas relações íntimas.

Isto pode estar acontecendo agora na sua vida. Na minha, na da Rodaika, na de qualquer um. Lembram das verdades e das verdades ditas ? A verdade está dentro de nós. O que externamos nem sempre é a verdade.

Cada um sabe de suas necessidades, e nem sempre estas necessidades vão se encaixar nas expectativas da outra pessoa para conosco.

Não estou defendendo a traição. Traição é uma mentira. Mentiras são ditas todos os dias, a toda hora. Hoje em dia alguns valores estão se diluindo na pressa da vida. As pessoas tem cada vez mais pressa pra serem felizes. As vezes, às pressas, cometemos erros.

Talvez às pressas tenha cometido o erro de dividir aqui com gente que nem conheço, mas que acredito que se identifique comigo, conosco e com nossos pensamentos retos e recheados de valores herdados de nossas famílias, (senão não acessariam o blog), um pouco do nosso cotidiano, da nossa história, e de nossos compromissos profissionais, quase todos sempre públicos.

Volto ainda hoje com o encerramento.

Postado por AF

COMEÇANDO..

24 de novembro de 2009 13

Quando aceitei o convite da Rodaika pra publicar capítulos da nossa vida aqui neste espaço, como um diário eletrônico público, não imaginava o quanto isso impactaria diretamente em nossa vida. Participar, tornar público o que acontece em nossas vidas e carreiras acaba por permitir que opiniões externas e consequentemente julgamentos aflorem a partir dos comentários que recebemos. Isso se transforma em combustível pra nós. E, por outro lado, algumas coisas que lemos nos perturbam e roubam energia. Por que antes mesmo de sermos pessoas públicas somos seres humanos, pessoas comuns, passíveis de erros e expostas à todas as situações que a vida apresenta. Pra todo mundo é assim. 

Ingênuo eu fui ao escrever, tomado pela emoção de invadir uma nova mídia, aquele texto de abertura do blog. NUNCA em momento algum quis expor a pessoa com quem, antes da Rodaika aparecer, vivi momentos mágicos, e que deixou em mim marcas de uma relação decana que vão me acompanhar para o sempre. O que com certeza aconteceu com ela, com a Rodaika em seus relacionamentos anteriores, e com você que me lê agora. A vida é assim.

Só hoje, nem sei quantos dias depois de ter postado o texto do leitor que desencadeou todo esse fórum sobre nossa vida, vim ler os comentários e opiniões postados pela audiência do blog. Sabia que ia render este assunto.

É fácil ficar sentado atrás de uma tela com um teclado na frente, protegido pelo escudo que é ser dono, senhor absoluto do que se passa pela mente, e julgar. Melhor do que fácil: é bom. Alivia a pressão das culpas que todos carregam seja por qual seja o motivo.

Fico por aqui, por enquanto. Volto ainda hoje.

Postado por AF

OPINIÃO NÃO É JULGAMENTO

20 de novembro de 2009 84

Chegaram muitos comentários aqui no blog sobre meu último post. Eu já imaginava que seria assim. Traição é um assunto que mexe com a gente e acaba virando uma espécie de guerra entre homens e mulheres quando cada sexo tem uma opinião diferente sobre o assunto.

Mais uma vez quero esclarecer que coloquei ali a minha opinião sobre o que representa a traição, depois de ler a história do cara que mandou o e-mail publicado pelo Alexandre.

Na maioria dos comentários os leitores concordam comigo, não aceitam a traição como uma atitude normal dentro de uma relação. Alguns discordaram, dizendo que a traição é sim justificável e que trair não é a mesma coisa que ser infiel. É uma opinião, uma forma de ver a vida, e eu respeito sem problemas.

Mas o que mais me incomodou foram três comentários que chegaram: um deles a própria pessoa que escreveu pediu que eu não publicasse, o outro eu optei por não publicar e o terceiro, muito parecido com os outros dois, eu vou publicar aqui:

Não gosto do que vou dizer… Mas o e teu relacionamento não partiu de uma traição? Às vezes a gente julga tanto os outros, mas esquece de olhar pra dentro de nós… Quando a gente se expo, caso de vocês aqui neste blog, a gente tem que ter muito cuidado pra não se tornar hipócrita!” (M.S.)

Faço questão de responder este comentário aqui, publicamente, porque não tenho nenhum problema em falar deste assunto. De fato, no nosso primeiro post , o Alexandre contou que era casado quando nos conhecemos, mas não explicou em detalhes (por entender que não precisava expor outra pessoa) sobre como estava a sua vida na época. Também não vou ser eu a expor aqui. Só quero esclarecer que a relação anterior dele já estava desgastada e terminando há algum tempo, não existia mais uma vida em comum. Isso acontece com muitos casamentos e, às vezes, as coisas só se definem quando surge uma nova paixão. Não posso e não vou, de jeito nenhum, comparar esta situação com uma traição, ninguém foi enganado, conduzimos tudo de uma forma bem aberta, honesta e tranquila.

Todas as pessoas casadas ou não, estão sujeitas a se apaixonarem e mudarem completamente suas vidas. Aconteceu com nós dois e esta relação foi assumida porque entendemos que era verdadeira e nos faria feliz. Cada pessoa sabe da sua vida e da sua história, e mesmo que os outros tenham opiniões contrárias, o que vale é a escolha de quem está vivendo uma situação delicada.

De forma alguma eu quis julgar alguém. Julgo sim o ato da traição porque não acho justo magoar quem nos ama. Mas as pessoas são livres e podem se apaixonar a qualquer momento, podem querer mudar de vida, podem decidir ir embora, podem tudo que quiserem. Só não podem esconder seus sentimentos e suas escolhas. Estas decisões são difíceis, mas precisam ser tomadas. Trocar de vida não é trair.

Trair é manter uma relação, acreditar num amor, não querer perder a pessoa e, ainda assim, optar por ter outras relações.

Ser honesto é buscar dentro de si o que é mais importante e se entregar para aquilo ali, custe o que custar. Não podemos ter tudo ao mesmo tempo, durante a vida inteira precisamos abrir mão de algumas coisas. Com o amor também é assim.

Agora, só me resta assinar o post e colocá-lo no ar, lembrando que esta assinatura logo aí abaixo quer dizer que tudo que escrevi aqui é a minha opinião. Que não é certa nem errada para o mundo. Apenas é certa para mim.

E que venham agora as outras opiniões, através dos comentários.

Postado por Rodaika

TRAIÇÃO É UMA M

18 de novembro de 2009 52

Sou tomada por um sentimento muito, muito ruim quando leio um relato como este que o Alexandre recebeu e publicou aqui no post anterior.

Quem me conhece, ou pelo menos me ouve no Pretinho, sabe o quanto sou contra a traição.

Acho uma sacanagem, uma falta de respeito com quem está ao seu lado. E, por mais que os homens tenham explicação pra isso, não entendo como alguém que ama, seja homem ou mulher, tem coragem de enganar a pessoa amada.

Mesmo que a traição aconteça sem envolvimento, que o homem a entenda como “necessidade carnal” (ai que nojo que eu tenho desta expressão), por mais que seja feito em segredo e nunca a mulher fique sabendo, ainda assim é uma traição. E certamente vai causar uma mágoa enorme quando for descoberta.

Às vezes acho que sou muito antiga no meu pensamento, porque apesar de discordar deste tipo de atitude, sei que a maioria dos homens trai e entende a sua traição como uma coisa normal. Será que chegou a hora das mulheres agirem assim também? Aliás, será que já estão agindo e eu ainda não sei…?

Tenho um pouco de medo deste mundo onde homens e mulheres vivem juntos, dormem na mesma cama, fazem filhos e amor e, ao mesmo tempo, dividem seu corpo e sua intimidade com uma terceira pessoa.

Pro cara que contou sua história pro Alexandre eu adoraria poder perguntar:

Como um homem que ama uma mulher tem necessidade pelo sexo oposto?

E a sua mulher não é do sexo oposto?

Não pode fazer sexo com ela?

E se o desejo por outra mulher é incontrolável, por que não conta pra sua esposa?

Tem medo de contar, mas não tem medo de fazer, ser descoberto e magoar?

A vida seria mais justa se todos nós tivéssemos a opção de escolher entre não ser traído e não trair ou ser traído e trair também.

Mas pra isso, “há de haver mais compaixão”, como diria o Gilberto Gil naquela canção…

Postado por Rodaika

AI AI AI - PERIGO

18 de novembro de 2009 22

Recebi de um ouvinte que pede para não ser identificado por ser uma pessoa conhecida do grande público. Publico abaixo o texto original, na íntegra.

“Prezado Alexandre Fetter.

Conto com tua parceria e discrição quanto ao que te confesso agora.

Sou casado há 8 anos com a mulher da minha vida, que me salvou da depressão e do fundo do poço pelo abuso de substâncias entorpecentes durante uma determinada época.

Sou um cara bem apessoado, 39 anos, agilizado, esportista e bastante assediado pelo sexo oposto. Sou apaixonado pela minha mulher, amo-a de verdade. Ela é a mãe dos meus 2 filhos, e eu pai do filho dela, do casamento anterior. Tenho remado contra meu instinto de macho reprodutor em respeito aos sentimentos dela. Faz mais de 8 anos que não sinto o cheiro de outra mulher e isso está me deixando louco, amigo Alexandre.

Temo que não consiga mais retrair este meu desejo pelo sexo oposto. Tenho andado triste e nervoso com esta situação. Meus amigos, todos, tem um comportamento completamente diferente do meu. Se entregam a cultura de que homem é assim mesmo desde sempre. Sinto que estou cedendo ao assédio, Fetter.

Sei que ela jamais me perdoará. Mas sei também que pra mim não passará de um mero encontro carnal momentâneo. E que deste encontro nada restará.

Decidi te mandar este depois que li teu primeiro post aqui neste blog (que leio diariamente, mesmo quando não há novos posts, releio os anteriores.) onde tiveste a coragem de expor o fim do teu relacionamento anterior e o começo do atual.

Um grande abraço deste ouvinte e leitor perturbado com esta situação.

F.L.D – 39 anos”

 

Voltarei com meus comentários.

Postado por AF

DSCRM + 1 TOQUE DE IRMÃO

18 de novembro de 2009 10

Bloco 1 –

The Clash – Train in vain

Paralamas – Ska

Australian Crawl – The Boys light up

Legião – Sereníssima

Foreigner – I want to know what love is

Hojeriza – Pros que estão em casa

New Radicals – Someday we`ll know

The Verve – Bittersweet simphony

 

Bloco 2 –

Gregory Abbott – Shake you down

Rick Astley – Hold me in your arms

When in Rome – The promise

Mike and the Mechanics – Over my shoulder

Oasis – Don`t look back in anger

 

Ontem fugi de um assalto, ou tentativa de assalto. Era um pouco mais de Meia noite. Parei um pouco antes da sinaleira da Garibaldi com Independência porque vi um cara daqueles que entregam panfleto. Achei que era muito tarde para entregar panfletos em sinaleiras, por isso desconfiei e parei antes pra ter uma visão ampla de seus movimentos. Percebi que ele fazia sinais para alguém que estava mais abaixo na lomba da Garibaldi. Olhei pelo retrovisor e percebi um vulto vindo na minha direção. De pronto acelerei com o sinal fechado mesmo, ao mesmo tempo que o primeiro cara vinha me atacando com os olhos esbugalhados e cara de louco. Pensei: cara, isso não pode estar acontecendo comigo. E é assim mesmo que acontece. A gente jamais vai achar que pode acontecer.

Meu toquezinho é esse: se liga nas sinaleiras, especialmente à noite. Sempre tem alguém esperando um vacilo nosso.

 

Tâmo junto !!

 

Postado por AF

DSCRM 17/11 - 1

17 de novembro de 2009 4

Bloco 1 –

Gonzaguinha – O que é, o que é ?

RHCP - Around the world

Mamonas – Pelados em Santos

John Travolta e Olivia NJ – The one that i want

Tears for Fears – Everybody wants to rule the world

Police – So lonely

Los Lobos – Donna

 

Bloco 2 –

Pearl Jam – Last Kiss

Silverchair – Miss you love

Bryan Adams – Have you ever really loved a woman?

Bon Jovi – Someday i`ll be saturday night

Men at Work – Everything i need

 

Tamo juntOÔ !

Postado por AF

SE VIRA NOS 30!

17 de novembro de 2009 18

Vim dar uma olhadinha nos comentários aqui do blog, enquanto coloco meus e-mails em dia, e não resisti.. Dá uma vontade de dar um “oi?”!

Este é um espaço querido, mas que toma tempo e, como eu sempre tô me queixando da falta de tempo, não preciso dar muitas explicações sobre meus sumiços temporários, né?

Os dias estão corridos mesmo e cheios de compromissos! Uma das imagens que mais tenho visto ultimamente?

Estrada… 

        

E comprimidos pra dor de cabeça…

              

Eu contei aqui sobre a chegada de 2010 antecipada em Pelotas, né? A festa foi bacana, apesar da chuvarada naquela sexta. Mas adorei rever tanta gente que conheci na época em que morei em Pelotas e descobrir várias outras, inclusive muitos leitores aqui do blog. Todos estes registros vão ao ar nos programas de Reveillon da RBSTV e TVCOM.

         

Neste sábado tenho outra festa de Reveillon, desta vez em Santa Cruz e, desta vez, com meu ilustre marido participando. Vai ser legal!

Ontem estive em Gramado! Gente, como a cidade tá linda! Fiquei extasiada olhando tudo aqulilo.. Quero muito poder levar nossos filhos (tomara que a gente consiga, né Alê?). Gravei com a Xuxa, linda e querida como sempre, e contei outra história que em breve vocês vão poder ver no Patrola! Não deu tempo de fotografar nada, só um registro, já no carro, indo embora:

        

Agora tô eu aqui escrevendo pra vocês e vendo duas fotinhos aqui no meu mural de momentos gostosos da vida que eu nunca quero esquecer…

      

Um super beijo pra quem sempre nos acompanha por aqui.. *<>*

 

Postado por Rodaika