Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

MAIS UMA !

29 de julho de 2010 10

Aproveitando que no post anterior falei de uma situação envolvendo carro e pedestre, tenho outra pra dividir com a querida audiência.

Imagine a cena, é clássica: via de mão única, você querendo estacionar o carro de ré numa vaga normal de rua à sua esquerda. Resta como única opção o espelho retrovisor externo esquerdo, é ele quem vai te orientar a não subir o cordão da calçada e não bater no carro da vaga de trás. Mas aí, do nada, surge de trás do carro um casal com sua filhinha de 5, 6 anos. A menina, certamente instruída pelos pais, me aborda reclamando que eu quase os atropelei. Que eu teria que ter mais cuidado, que eu estive perto de causar um acidente. Com todo cuidado, carinho e atenção que uma criança merece me dirigi a ela e a mãe, que estava ao seu lado, justificando que naquele momento eu estava olhando para o espelho e que não tinha como ver ou perceber sua aproximação, e sugeri como pai, que talvez fosse prudente que ela não passasse atrás de um carro estacionando de ré, que esperasse, ou então passasse pela frente do carro onde o motorista poderia vê-la. “Tu quase nos atropelou.” insistiu  a menina, me imputando uma responsabilidade que eu sabia que não tinha.

A responsabilidade do atropelamento, entendo eu, seria atribuída aos pais dela que inconseqüentemente cruzaram atrás de um carro em movimento estando o motorista sem condições de visualizar o que vinha por trás do lado contrário.

A mãe parece ter entendido meu argumento. Já o pai não se deu por satisfeito e quis prolongar o debate. Ceifei as expectativas dele encerrando o assunto fechando o vidro. Não teria paciência para o bate boca, ainda mais com vizinho.

Comentários (10)

  • Bárbara Steingreber diz: 29 de julho de 2010

    Esses pais estão dando um péssimo exemplo pra filha deles, ela pode crescer e se tornar uma pessoa mal educada e desagradavél, e isso pode acarretar problemas na velhice deles inclusive..

    tu é o cara fetter :)

  • Renata diz: 29 de julho de 2010

    Xiii Fetter!!! Esse vizinho pelo visto não vai muito com a tua cara!!! Da próxima vez, peça desculpa e já feche o vidro! Deixe-os falando sozinhos, porque pelo visto, além da não instrução quanto a maneira correta de atravessar a rua, houve a instrução para que a guriazinha tentasse te tirar do sério! rsrsrs
    Mas por falar nisso, é importante que os passageiros também cuidem quando descem dos ônibus e já saem andando sem olhar para os lados – meu pai atropelou uma gúria assim! O trânsito estava normal,o ônibus parou para o sobe e desce, a guria desceu e já foi atravessando a rua – papai a atropelou, sem querer, claro! Mas deu uma dor de cabeça…. Hospital, delegacia… Melhor cuidar para atravessar, do que ser atropelado!!!
    Há braços!

  • BRuno diz: 29 de julho de 2010

    Se fosse eu mandava minha filha enche ela de porrada, ta ruim pra todo mundo né fetter

  • Bharbara diz: 30 de julho de 2010

    Nesse caso ninguem tem culpa… Fetterzinho, acho que o que falta é a tolerancia, essa necessidade que as pessoas tem de culparem umas as outras, de arranjarem um responsavel…

    O ‘se’ não existe, olha o que a guriazinha falou tu podia ter me atropalado, se fosse para acontecer teria acontecido, não aconteceu esquece. Não era pra ser. Tudo tem sua hora, seu momento.

    Né?

    o Blog ta muito bom!

    Beijo

  • Juliana diz: 30 de julho de 2010

    Fetter: manejo perfeito! Muito bom o teu relato. Parabéns pela presença de espírito e pela clareza.

  • Carol Soares diz: 30 de julho de 2010

    Acho q te entendo, por todas essas situações que acontecem diariamente no trânsito, q acabam nos deixando um pouco sem paciência pra debater coisas bobas, q podem e muitas vezes não sõ prevenidas, como essa da criança passando por tras do carro! E, qdo é com vizinho então… pior ainda!!! Chato pacas!!! Tâmo Junto…. Bjoooooo =)

  • Wellington teske diz: 1 de agosto de 2010

    Pois é sempre quado um pedreste é atropelado a culpa cai totalmente sobre o motorista,mais nunca pararam pra pensar q o pedreste passou fora da faixa,ou que estava dirstraido ao passar
    para o outro lado da rua.Mesmo q o pedestre esteja errado a culpa é do motorista.Acho isso
    ridiculo.
    sou mt fã de vcs
    abração aqui de Blumenau SC

  • Matheus diz: 4 de agosto de 2010

    Realmente o transito as vezes estressa as pessoas. Eu tambem passei por algo parecido, quando quase atropelei um ciclista que atravessou um cruzamento vindo pela contra-mão. Eu, tentando orientar, disse que seria mais prudente da parte dele, trafegar pela mão correta, que é pra onde o motorista olha com mais atenção. E ele não quis saber de conversa e disse que eu tava tentando botar a culpa nele pelo acontecimento. É complicado. As pessoas não acreditam mais em boa fé hoje em dia. Não da pra culpar. A sociedade tá bem sem paciencia, e a educação e bons costumes não são mais respeitados. Abraço Fetter!

  • Fábio diz: 5 de agosto de 2010

    Cara, aqui em Chapecó a situação é desastrosa!
    Todos se jogam nas ruas.
    Já fui atropelado por um carro em que o motorista distraído pela conversa ao celular estava totalmente errado. Sabe da maior: MESMO CERTO, QUEBREI OS 2 TORNOZELOS… E DOEU… E TIVE QUE FAZER CIRURGIA… etc etc etc… mesmo certo.
    Pedestre devia ter muito mais cuidado, pois certo ou errado, o carro sempre se machucará menos!!!
    Grande Abraço!!

  • Juliano diz: 14 de abril de 2011

    Muuuito Massa o blog de vcs olha tao de parabéns sucésso o/

Envie seu Comentário