Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

TÓIN !!

29 de julho de 2010 7

Ao entrar à esquerda na João Pessoa vindo da Sebastião Leão, aqui em porto Alegre, dei de cara com um aturdido casal de idade avançada, bem no meio da rua, atravessando fora da faixa. Percebi que a senhora guiava ou indicava o caminho de braço dado ao senhor que a acompanhava e por ela era amparado, protegido. Por certo era seu marido, e aparentemente não vivia um bom momento, parecia estar debilitado física e mentalmente. 

Notei também que ela, mais do que ele, ficou apavorada quando se deparou com o carro em sua direção. Ele coitado nem percebeu. Obviamente eu tinha o controle absoluto da situação. Assim que os vi pisei no freio, ainda que já estivesse em velocidade bem baixa, pois vinha fazendo uma conversão, mas o baque da pisada no freio é impactante pra quem vê a cena. O movimento de inclinação do carro à frente realmente chama atenção.

Tudo isso aconteceu em muito pouco tempo, dez, talvez quinze, segundos. Durante este tempinho minha imaginação voou me fazendo mastigar a situação, sofrer por ela. Me culpei pelo susto que o pobre e idoso casal levou. Afinal poderia ser ali minha mãe amparando meu pai atravessando a rua, ou eu mesmo daqui a alguns anos, amparado pela Rodaika.

Ao mesmo tempo, parado na faixa de segurança, um agente de trânsito a tudo assistia. Imediatamente após ver a cena ele me fez sinal para parar. Dei o pisca para a direita e encostei. Antes de chegar à minha janela eu já estava com o texto da minha defesa na ponta da língua, afinal entendia estar com a razão. O casal estava fora da faixa, além do que fiz o que manda o bom senso diminuindo a velocidade e agindo com cautela. Só o fato de ter sido parado pelo fiscal já era motivo suficiente para eu espumar de indignação.

Ao me pedir os documentos já lasquei:“fiz algo errado, comandante?”. Louco para poder expor minha visão dos fatos sem, claro, perder a chance de descarregar nele uma parcela da carga de indignação do dia. Me respondeu ele: só te parei por que tivemos aqui uma situação crítica, um quase acidente”, exagerou. “Precisava conferir se teus documentos estavam em dia”, argumentou. “Parabéns pela educação e atitude preventiva diante da situação, e a gente não perde um Pretinho”, concluiu.

Comentários (7)

  • Meiriane diz: 29 de julho de 2010

    Boa tarde, Fetter.

    Ouço vocês todos os dias as 18h indo para a faculdade. Parabéns pelo programa, pelo sucesso!
    Então, ontem eu ouvindo vocês fiquei muito curiosa para saber sobre essa história. Mas infelizmente você ‘deixou’ para contar aqui. Realmente acho que já é a segunda história que ouço ou leio de você, referente ao trânsito. Meus parabéns, pela sua atitude e compreensão com os pedestres, pois infelizmente nem todos agem como você.
    Adorei o final, que o agente de trânsito te deu os parabéns e aproveitou para dizer que ele também não perde de ouvir vocês. hehe

    Adoro muito o programa e o bom humor de todos.
    Deixo meu abraço!

    Meiriane – Joinville/SC.

  • Idevar diz: 29 de julho de 2010

    É amigo… todo mundo tá ouvindo o PB…

    Mas ainda assim eu pergunto: Será que o fiscal apenas “conferiu a documentação” porque o identificou como sendo do PB??? Se fosse um “Zé Ninguém”, será que ele agiria com a mesma educação e da mesma forma???

    Creio que nunca saberemos…

    Abraços…

  • Josi diz: 29 de julho de 2010

    Hááá! Perfeito!

  • Victória Martins. diz: 30 de julho de 2010

    demaaaaais. Vc é foda AF *o*

  • Carol Soares diz: 30 de julho de 2010

    Tô ctg Fetter! tu eh um cara prudente e, pelo que parece, bom motorista, portanto fez o certo!!! Tâmo Junto! Bjooooo =)

  • Cristiane Gomes diz: 31 de julho de 2010

    Fetter eu imagino como você se sentiu, tem algo de muito errado no trânsito, eu concordo que a maioria dos motoristas não tá nem ai pras leis, mas também os motoristas sofrem com a insensatez dos pedestres. eu atropelei uma pessoa há cerca de um mês e foi o episódio mais traumatizante da minha vida. Mas fica a pergunta porque os motoristas concientes, que fazem o que é certo são duramente castigados no dia a dia e os pedestres imprudentes são tratados como vitimas e ficam impunes?

  • alemao diz: 7 de outubro de 2011

    e ae dupla…que caprixo vcs 2 … sou fa de vcs ta valeu abraçosssss

Envie seu Comentário