Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 15 abril 2008

Mais semelhanças

15 de abril de 2008 3

Agora, para descontrair, uma curiosidade: Bush afastou-se da bebida alguns anos atrás, exatamente porque tinha problemas com o álcool. Bento XVI também preferiria, segundo fontes no Vaticano, Fanta laranja a um copo de vinho.

Postado por Rodrigo Lopes

Bush e Bento XVI

15 de abril de 2008 3

Reprodução
O que Bento XVI e Bush têm de semelhante?

1) Ambos são contra as pesquisas com células-tronco embrionárias

2) Ambos são contra o casamento entre homossexuais

3) Ambos condenam o aborto

4) Ambos têm se mostrado contra o radicalismo islâmico. Para alguns teólogos, Bento XVI teria decidido fazer de seu pontificado um período de luta pela reforma do Islã. Todos devem lembrar de seu polêmico discurso em uma universidade alemã, no qual Bento XVI criticou Maomé por ter expandido sua religião %22pela espada%22. Para especialistas, isso lhe trouxe muita oposição dentro do Islã. Mas seria positivo para ele diante de uma Europa cada vez mais preocupada com o crescimento da religião no continente.

Postado por Rodrigo Lopes

Complexo Sarkozy

15 de abril de 2008 5

Putin e sua moça, Alina/EFE
Tudo indica que Vladimir Putin deve ter seguido os conselhos de seu colega francês, Nicolas Sarkozy. O presidente russo parece estar vivendo uma história de amor com uma jovem deputada do partido Rússia Unida.

O jornal russo Moskovskij Korrespondent informa que Putin está apaixonado por Alina Kabaeva, 24 anos (31 anos mais nova do que Putin). Antes de entrar na política, Alina foi campeã olímpica de ginástica rítmica nos jogos de 2004.

O jornal russo afirma ainda que, quando Putin deixou a mulher, Ljudmila, em fevereiro, já estava apaixonado pela ex-atleta. Tanto Putin quanto Alina são divorciados.

Postado por Rodrigo Lopes

Lixo espacial

15 de abril de 2008 3


Vejam que interessante a foto divulgada pela Agência Espacial Européia (ESA, na sigla em inglês). É uma imagem do lixo espacial em órbita em volta da Terra. Segundo a agência, entre o primeiro lançamento, em 1957, e janeiro de 2008, cerca de 6 mil satélites já foram enviados para a órbita terrestre.

Destes, apenas 800 estariam ativos e 45% estariam localizados a uma distância de até 32 mil quilômetros da superfície terrestre. Além dos satélites desativados, as fotos de satélite mostram resíduos espaciais como fragmentos de aeronaves espaciais que se quebraram, explodiram ou foram abandonados.

De acordo com a ESA, aproximadamente 50% dos objetos que podem ser rastreados são derivados de explosões ou colisões na órbita terrestre. Uma estimativa da ESA indica que o número de objetos na órbita terrestre cresceu de maneira estável desde o primeiro lançamento, em 1957.

Segundo os dados, cerca de 200 novos objetos são lançados todos os anos. Em 2001, os pesquisadores americanos Donald Kessler e Philip Anz-Meador, que estudam o lixo espacial, afirmaram há uma possibilidade de que, em 20 anos, já não seja mais possível realizar operações em órbitas mais próximas da Terra.

Postado por Rodrigo Lopes

Um atestado de longevidade

15 de abril de 2008 2

Berlusconi/Reprodução
Populista, corrupto, bonachão. Vários adjetivos – nem sempre os mais elogiosos – servem para caracterizar Silvio Berlusconi, um herói da sobrevivência política na Itália.

Sua vitória nas eleições na Itália é um atestado de longevidade eleitoral. Ele que desceu às catacumbas da política, sendo derrotado pela centro-esquerda nas eleições de 2006, volta agora carregado pela descrença dos Italianos na política.

Esta é a quinta campanha consecutiva de Berluconi desde 1994, quando lançou-se na política depois de construir um império midiático atualmente estimado em US$ 9 bilhões. Berlusconi neutralizou rivais conservadores que contestavam sua liderança e sobreviveu a acusações de conflito de interesse e processos na justiça.

O último mandato do bilionário barão da mídia durou cinco anos, um recorde na histórica política da Itália pós-guerra, marcada pela persistente instabilidade. Nesse último mandato encerrado em 2006, Berlusconi ganhou notoriedade pelas gafes internacionais e pelas decisões impopulares, como ter enviado 3.000 soldados italianos ao Iraque enquanto milhares de pessoas protestavam nas ruas das principais cidades do país contra a guerra. O contingente italiano já saiu do Iraque.

Desta vez, Berlusconi não tem planos de voltar a enviar soldados italianos à guerra, mas não deixa dúvidas sobre sua amizade com os EUA. Ele já chegou a dizer que concordaria com os EUA independentemente de qual fosse a posição de Washington.

O novo governo será o 62º na Itália desde a Segunda Guerra Mundial e espera-se difíceis negociações para a formação de novas alianças nos próximos dias. O principal desafio de Berlusconi será o de reavivar a economia italiana. Há uma previsão de crescimento zero no ano que vem.

Postado por Rodrigo Lopes