Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 7 maio 2008

Inocentado pelo DNA

07 de maio de 2008 1

Na semana passada, correu o mundo uma história emocionante de James Lee Woodard. Ele passou 27 anos na cadeia por um crime que não cometeu. Foi inocentado graças ao Innocence Project (Projeto Inocência), criado por alunos e professores de uma universidade americana para tentar tirar da prisão cidadãos condenados à morte ou à prisão perpétua injustamente. Para isso, usam o DNA.

O programa 60 Minutes, da CBS, fez uma grande reportagem com Woodard (confira abaixo). Em ZH dominical, você vai ver outras histórias emocionantes de injustiçados que ganharam a liberdade graças ao projeto.

Postado por Rodrigo Lopes

Eleições americanas - análise

07 de maio de 2008 1

Rivais Hillary e Obama/Reprodução
Era tudo ou nada nas prévias de ontem do partido democrata para as eleições americanas. Deu nada. Ou seja, continua tudo embolado entre Hillary Clinton e Barack Obama.

Obama venceu com facilidade na Carolina do Norte, com mais de 56% dos votos, mais de dez pontos de vantagem sobre Hillary. Ela venceu, por sua vez vez, no estado de Indiana, numa disputa apertada, com menos de dois pontos percentuais. Indiana é um estado com população mais branca, mais pobre e menos educada que a média do país, características demográficas que favoreceram Gillary.

Com a vitória na Carolina do Norte, Obama reforça seu avanço sobre a rival em número de delegados, que, lembrando, são aqueles que de fato escolhem lá no final de agosto o candidato que irá disputar a Casa Branca. Segundo a rede CNN, Obama soma 1.823 delegados, e Hillary, 1.676. Com a derrota na Carolina do Norte, Hillary fica com poucas chances de diminuir a vantagem do rival. O número mínimo necessário de 2.025 delegados para ganhar a candidatura é ainda distante.

 Obama impressionou em fevereiro ao ter 11 vitórias consecutivas. Quando parecia que iria derrotar Hillary, ela venceu nos maiores Estados dos EUA em março e abril, mantendo o páreo embolado. Mas o fato de não conseguir se impor como o favorito à nomeação levantou dúvidas se ele pode atrair o voto dos brancos da classe operária, necessários para vencer o inimigo comum dos democratas, o republicano John McCain.

A estratégia de Hillary tem sido se manter na disputa e persuadir os superdelegados – veteranos do partido que possuem voto livre na Convenção Nacional - a apoiá-la como a maior esperança democrata de conseguir a Casa Branca. Ou seja, tudo deve ficar mesmo para a convenção do partido, em agosto.

Postado por Rodrigo Lopes