Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 15 maio 2008

Como o Le Monde vê o caso Isabella

15 de maio de 2008 2


%22O sorriso de Isabella assombra o Brasil%22.

Assim o jornal Le Monde, titulou uma crônica publicada ontem pelo importante jornal francês. O texto, assinado pelo jornalista Jean-Pierre Langellier, diz que há várias semanas o Brasil parece %22assombrado pelo sorriso de Isabella, assim como ficou a Inglaterra há um ano pelo sorriso da pequena Madeleine McCann, que desapareceu em Portugal e até hoje não foi localizada%22.

%22O anúncio do infanticídio provocou uma verdadeira comoção social em um país que bate os recordes de violência com 50 mil homicídios por ano%22, diz o diário francês. A crônica busca explicar as razões pelas quais a história suscita tanta emoção do público e afirma que a principal delas está no fato de seus protagonistas %22pertencerem a uma família de classe média, com a qual inúmeros brasileiros podem facilmente se identificar%22. Leia reportagem em francês aqui

Postado por Rodrigo Lopes

Mudança de postura

15 de maio de 2008 3

A famosa imagem do chinês contra a coluna de tanques, em 1989/Reprodução
A tragédia que se abate sobre a China tem mostrado uma face pouco conhecida do país normalmente acusado de censurar a imprensa. Aqui mesmo no blog, critiquei muitas vezes a falta de liberdade de expressão e o controle rígido da informação por parte do governo chinês.

Mas pelo menos uma mudança de postura deve ser saudada: até pouco tempo atrás, no auge do comunismo, informações sobre catástrofes raramente ultrapassavam as fronteiras chinesas. Basta lembrar que até hoje não se sabe ao certo quantas pessoas morreram no famoso Massacre da Paz Celestial, em 1989.

Pode-se dizer que o governo da China reagiu de uma forma mais aberta à ajuda internacional se compararmos com Mianmar, que, apesar de não se falar mais no noticiário desde que o terremoto chinês passou a dominar os meios de comunicação, continua sofrendo com a passagem do ciclone Nargis que matou milhares.

Na avaliação das ONGs que trabalham em áreas de desastre, a atitude das autoridades chinesas contrasta com a postura do governo de Mianmar, que tem dificultado o acesso de funcionários de organizações internacionais. A resposta do exército chinês, por exemplo, foi excelente em comparação à observada no país vizinho. Os oficiais chineses emprestaram celulares via satélite para equipes internacionais como Cruz Vermelha e estão transportando os socorristas. Há uma clara cooperação.

A China tem cada vez mais desempenhado um papel aberto nessas situações de emergência. Em janeiro, fortes nevascas obstruíram as linhas ferroviárias do país, deixando milhares de chineses ilhados nas estações durante o feriadão de ano novo lunar. Na ocasião, o governo sofreu forte criticas por não ter respondido com agilidade e por dificultar o acesso da imprensa a informações sobre o problema. Dessa vez no terremoto, eles foram rápidos.

E rapidez e transparência numa hora dessas pode significar mais vidas tiradas dos escombros.

Postado por Rodrigo Lopes