Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Cadeia de responsabilidades

30 de janeiro de 2013 8

Depois de ver e ouvir dois de seus subordinados dizerem que não havia nada de errado com os documentos e com os equipamentos de segurança da boate Kiss, o governador Tarso Genro desautorizou o comandante-geral da Brigada Militar, coronel Sérgio Abreu, e o comandante do Corpo de Bombeiros, Guido Pedroso de Melo:
– Ele não falou demais, ele falou completamente errado. Não é da sua competência dizer que estava tudo legalizado – disse Tarso ontem à tarde, em conversa com um grupo de jornalistas.
Referindo-se à afirmação do comandante da Brigada, de que a documentação estava em ordem, reforçou:
– Mesmo que todos os pressupostos de lei estivessem cumpridos para o funcionamento, a boate não deveria funcionar nestas condições que funcionou, com o dobro de pessoas permitidas, com obstáculos na frente das saídas, com uso de aparatos pirotécnicos e com um teto inflamável.
Mais de uma vez, o governador disse que só o inquérito policial pode identificar a “cadeia de responsabilidades” na tragédia de Santa Maria. E garantiu que o inquérito será implacável com instituições e pessoas que, eventualmente, tenham contribuído para o trágico desfecho. Nessa lista de “pessoas e instituições” estão, entre outros, o Corpo de Bombeiros, responsável por conceder o alvará de prevenção e proteção de incêndio, a prefeitura de Santa Maria, que concedeu a licença de funcionamento da casa noturna, os proprietários da boate, por terem excedido a lotação, os integrantes da banda, por usarem fogo de artifício em local fechado.
Mesmo ressalvando que, enquanto o inquérito não for concluído, é prematuro apontar culpados, Tarso ressaltou ao longo da entrevista que o responsável final pelo licenciamento de uma casa noturna ou de qualquer outro empreendimento não é o Corpo de Bombeiros, mas o poder público municipal. E repetiu pelo menos quatro vezes que a boate  Kiss não poderia estar funcionando:
– Qualquer leigo que tenha visto as imagens de como era lá dentro vê que aquilo se transformaria numa armadilha.
Definindo como confusa e frágil a legislação sobre segurança em bares, restaurantes e casas noturnas, Tarso defendeu uma mudança imediata na lei para unificar as regras no Estado e dar aos bombeiros poder para fechar um estabelecimento que ofereça risco a seus frequentadores. Contou ter pedido ao procurador-geral de Justiça, Eduardo de Lima Veiga, que o Ministério Público ajude a construir um texto para ser transformado em projeto de lei ou encaminhado às prefeituras como minuta para aprovação de leis municipais.

Comentários (8)

  • Chicão diz: 30 de janeiro de 2013

    Tarso, o bizarro, mostra-se ser também inescrupuloso!
    Tenta de todas as maneiras eximir-se da responsabilidade que lhe cabe, mesmo às custas de acusações a oficiais da Brigada, o dos Bombeiros e da Tropa.
    Atitude típica de um governo fraco, de um homem que somente visa o aspecto ideológico, que não vê o Estado que governa como um todo, mas através de cidades onde o seu PT administra.
    Pois está sendo na SUA GESTÃO DE GOVERNADOR, a pior catástrofe do Rio Grande na sua História!
    Perdemos mais gente do nosso Estado somente na Revolução Constitucionalista(1893/1895)!
    Tarso, o bizarro, deveria, no mínimo, pedir perdão às centenas de famílias enlutadas porque foi negligente, ainda mais que a sua “carreira” política se originou em Santa Maria.
    Os coronéis que foram por ele desautorizados que renunciassem a seus comandos e, César Schirmer, que responde a processo por improbidade administrativa, haja vista não ter feito licitação para o transporte coletivo de Santa Maria, deveria renunciar ou, então, sujeito a impeachment!
    E, do setor que libera o Alvará de funcionamento de casas noturnas, secretários responsáveis, o próprio coronel comandante dos Bombeiros, além da demissão, deverão responder processos cíveis e criminais pelo descaso absurdo e imperdoável em suas funções.
    Evidentemente que os proprietários da boate deverão ser julgados e condenados pelo ambiente irregular que abrigava mais de mil jovens, assim como o imprudente e imprevidente membro da banda que acionou o artefeto pirotécnico, causador do incêndio.
    No entanto, as punições devem atingir o alto escalão de Santa Maria e, repito, se Tarso, o bizarro, tiver – duvido – um mínimo de decência e hombridade, caráter e coragem (características inexistentes em petistas), já deveria ter pedido desculpas à população gaúcha, pois se mostrou “valente” quando condecorou um assassino em Palácio, envergonhando o Rio Grande do Sul, então que aja de acordo à sua decisão intempestiva e condenável à época e dirija-se ao povo, humildemente, e peça perdão!
    Ou, continuará a se mostrar como um mero político sem qualquer qualificação moral, mas um insignificante boquirroto e parlapatão.

  • Daniel Santos diz: 30 de janeiro de 2013

    Lamentavelmente deve ser dita a verdade: o blog assumiu uma defesa ampla, total e irrestrita do desgovernador Tarso Genro – e o pior é que não só neste momento de infinita tristeza.

  • Flavio diz: 30 de janeiro de 2013

    Rosane.
    Voces das imprensa DEVEM (eu espero isto) bater até a exaustão neste caso. Questionar, levantar dados, chamar especialista (juristas, médicos e profissionais relacionados a esta cadeia de incompetência) para falar a respeito, até que esta turma não aguente mais.
    Os responsáveis por esta tragédia devem levar nos ombros o peso da incompetência, da ganancia, do descaso, do desleixo, para o resto da voda. Da mesma forma com os familiares e amigos daqueles que perderam a vida vão levar a dor da perda para o resto dos dias.
    Esta turma deveria vir a público pedir DESCULPAS pela incompetência e não tomar os meios de comunicação para dar desculpas esfarrapadas como se todos nos fossemos acéfalos sem capacidade de análise critica.
    Continue nesta alinha.

  • marco diz: 31 de janeiro de 2013

    Creio que não somos racionalmente capazes de aprender com o passado. Apenas falamos demais. Um exemplo clássico é a liberação do Arena.
    Não tem alvará definitivo, a Brigada Militar ou o Ministério Publico não liberaram. Houve pressão em dezembro, inclusive o governador foi chamado para ver a “grandeza do empreendimento” e ser sensibilizado. Achou-se um absurdo o Ministério Público não liberar, disseram que o procurador era colorado. Então se liberou alvará provisório para dois jogos. Veio a Tragédia de Santa Maria. Continuou marcado o jogo da Libertadores com outro alvará provisório, porque acreditamos que não vai dar nada. É um exagero. Há muita coisa em jogo.
    Ontem se confirmou técnicamente, o que os técnicos já diziam antes da inauguração, o estádio não comporta a avalanche porque suas arquibancadas tem maior inclinação. Foi uma adaptação realizada durante a obra. Fizeram uma meia sola. Por muito pouco alguém não morreu a ontem. Com toda a comoção nacional, alvará definitivo para cá, alvará definitivo para lá, falta de fiscalização e o descabal. Não aprendemos nada! As vidas humanas ainda não tem valor.

  • Chicão diz: 31 de janeiro de 2013

    Marco,
    O teu comentário é irrepreensível!
    A liberação do novo estádio do Grêmio é uma afronta à segurança, viu-se ontem sem qualquer exagero.
    Eu assistia ao jogo quando houve o gol, e a multidão que se espreme através desta modalidade condenável que chama de “avalanche”, vindo a cair no fosso.
    Disseste muito bem, pois poderia ter havido uma tragédia.
    Dirigentes do Grêmio e autoridades devem ser responsabilizadas pelo ocorrido, ao liberarem a Arena para jogos sem condições.
    Que o MInistério Público saia da sua zona de conforto e atue com rigor contra os que desobedeceram determinações técnicas que impediam que a torcida continuasse em fazer a correria até a borda da Geral quando existem gols do Grêmio.

  • carlitos diz: 2 de fevereiro de 2013

    O Chicão e o Marco disseram quase tudo. Tarso, o bizarro, é o legítimo representante do PT. Tudo de bom que acontece ‘nestepaiz’ é obra do Lula, do Tarso e de seus asseclas. Não é estranhar que o governador e sua filha, em público, se digam adversários políticos, para enganar os otários. Na intimidade, os dois oportunistas, ‘tocam na mesma banda’. O Tarso consegue ser pior governador do que o Olívio. E, olha, para ser pior do que o ‘galo missioneiro’ é preciso ser o máximo…

  • nelico diz: 3 de fevereiro de 2013

    Carlitos: ai ja não concordo com voce…OTarso é um oportunista descarado e hipocrita,mas dai a ser PIOR que o Olivio(exterminador do futuro) Dutra vai uma grande distancia.Dutra é um petralha assumido e do nucleo do molusco,junto com o Okamoto,Genoino,Ze Dirceu e Gilberto Carvalho.È um outro tipo de “gente”(que o digam os coitados dos falecidos ex-prefeitos de Santo Andre e Campinas)

  • Daniel Santos diz: 5 de fevereiro de 2013

    Nelico está certo: a sorte de Tarso é que nada, em tempo algum poderá ser pior do que aquela lamentável figura do PT que, para tristeza de todos, um dia ocupou o Piratini e governou para a Bahia. Mas o segundo pior ele é; sem dúvida.

Envie seu Comentário