Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Depois do empate, Ana Amélia amplia vantagem

15 de agosto de 2014 24

ABERTURA DE POLÍTICA+, HOJE NA 16

Sem que nada de relevante tenha acontecido na campanha eleitoral na última semana, a pesquisa do Datafolha detectou uma mudança significativa em comparação com o último levantamento do Ibope, divulgado há uma semana: Ana Amélia Lemos (PP) está com 39% e Tarso Genro, com 30%. No Ibope, a situação era de empate técnico. Ana Amélia tinha 36% e Tarso, 35%. Embora não se deva comparar sondagens feitas por institutos diferentes em períodos distintos, a proximidade das datas exige uma reflexão sobre os resultados.
Os números de Ana Amélia nas duas pesquisas são coerentes dentro da margem de erro de três pontos para mais ou para menos. No Ibope, ela teria entre 33% e 39% e no Datafolha, entre 36% e 42%. Os resultados de Tarso não se explicam pela margem de erro. No Ibope, ele teria entre 32% e 38%. No Datafolha, entre 27% e 30%. Confuso? Assim são as pesquisas. Nunca se pode desconsiderar a margem de erro nem desprezar a ressalva de que o intervalo de confiança é de 95%.
Outra diferença significativa entre os dois levantamentos é o índice de rejeição: o governador tem 16% no Ibope e 27% no Datafolha. Ana Amélia tem 9% no Ibope e 13% no Datafolha.
Por ser a segunda depois do registro dos candidatos, a pesquisa do Ibope fez simulação de segundo turno e constatou que Ana Amélia tinha nove pontos de vantagem numa disputa direta com Tarso. O Datafolha não fez simulação de segundo turno porque esta é a primeira depois do início da campanha.
Embora os dirigentes partidários e os militantes tratem as pesquisas como questão de vida ou morte, elas devem ser relativizadas, porque representam apenas uma fotografia do momento. Como a propaganda no rádio e na TV só começa em 19 de agosto, o voto ainda não está cristalizado, mas a tendência de segundo turno entre Tarso e Ana Amélia foi reforçada. A polarização entre os dois vem desde antes da definição das candidaturas.

Comentários (24)

  • Luis diz: 15 de agosto de 2014

    Não entendo essas pesquisas. Ou melhor, entendo muito bem.

  • Adão Barbosa diz: 15 de agosto de 2014

    Essa pesquisa é sacanagem. Comprada. Só não vê quem não quer.

  • x-Tudo diz: 15 de agosto de 2014

    Fica escancarado o movimento da RBS nas eleições.

  • João Batista diz: 15 de agosto de 2014

    Apenas uma consideração: Tarso ficaria entre 27 e 33 no Datafolha assumindo a margem de erro e não 30. Ou seja, dentro do limite máximo de uma e mínimo da outra ainda há explicação.

  • rosane_oliveira diz: 15 de agosto de 2014

    Devagar com o andor, senhor anônimo que usa pseudônimo de x-Tudo: a RBS contratou os dois principais institutos do país, justamente para ter duas visões diferentes. Não fazemos pesquisas. Contratamos os mais conceituados. Se os resultados são diferenets entre eles, não podemos fazer. Os dados que publicamos são os que vêm nos relatórios. Também não achamos que pesquisa seja a coisa mais importante da cobertura. É apenas um acessório.

  • rosane_oliveira diz: 15 de agosto de 2014

    O que você quer dizer com comprada, Adão? Contratamos o Datafolha em parceria com a Folha de S.Paulo. Custa bem caro uma pesquisa, mas os resultados são o que as pessoas responderam aos pesquisadores. Os institutos, que vivem da sua credibilidade, são os primeiros interessados em acertar. Nós, que pagamos pelo produto, também. Chega de ver pêlo em ovo, meu caro.

  • rosane_oliveira diz: 15 de agosto de 2014

    Não tome pesquisa como uma coisa definitiva, Luis. Pesquisa é só um acessório na campanha,. Que tal prestar mais atenção no perfil dos candidatos e nas suas propostas? Eu dou um valor muito relativo às pesquisas.

  • Anderson Bloise diz: 15 de agosto de 2014

    O resultado de uma pesquisa depende muito da região onde foram coletadas as informações, portanto não dou muito valor as mesmas, apesar de respeitar.

  • Carlos Antônio diz: 15 de agosto de 2014

    É verdade que pesquisas oscilam muito. Ainda assim, é curioso a RBS ir a campo duas vezes em uma semana com institutos diferentes. Parece que procura um resultado. Deveriam priorizar um instituto e uma série histórica passível de comparar como as do Ibope.
    Abraço
    Carlos

  • Daniel Santos diz: 15 de agosto de 2014

    Toda pesquisa no Brasil é manipulada pró-pt. Inclusive essas. Quem conhece o RS sabe que Tarso não faz nem 25% dos votos. De jeito maneira. E pro senado, aquele petista cujo nome não é digno de ser escrito JAMAIS teria mais do 1/5 dos votos. Isso são fatos.

  • kafka diz: 15 de agosto de 2014

    Como já disse anteriormente a disputa ao Piratini, em DOIS turnos, está definida. Com relação ao Senado, em ÚNICO turno, pode complicar. Além do Lasier o do Olívio, os demais são simplesmente FIGURANTES. Os eleitores da Ana Amélia, por exemplo, devem abandonar sua companheira de chapa e cravar o VOTO ÚTIL. Já os do Beto Albuquerque, que deverá entrar TERCEIRO LONGE dos demais, devem escolher entre os dois viáveis, o que acharem menos indigesto…

  • Simone de Boaventura diz: 15 de agosto de 2014

    Essa pesquisa, considerando que nada de novo aconteceu na ultima semana, e que destoa totalmente da pesquisa do Ibope realizada apenas uma semana atrás, me faz lembrar as manchetes do ZH dias antes da eleição da 1998, que mostrava o Brito com 10 pontos de vantagem sobre o Olívio. O resultados todos já sabemos.

  • carlos alberto diz: 15 de agosto de 2014

    Se as pesquisas fossem “desimportantes” como ilustram as defesas da Rosane acima, não seriam divulgadas na sua coluna.

  • rosane_oliveira diz: 15 de agosto de 2014

    Engano seu, Carlos Alberto. Faz anos que a gente não dá manchete de pesquisa por considerar que ela é acessória. Eu comento porque é um elemento da cobertura, não o principal.

  • rosane_oliveira diz: 15 de agosto de 2014

    Simone, quem fez a pesquisa foi o Datafolha, para nós e para a Folha de S.Paulo, seguindo um cronograma que se estenderá até a eleição. Você tem todo o direito de não gostar dos resultados, mas os institutos fazem as pesquisas usando metodologia científica.

  • carlos alberto diz: 15 de agosto de 2014

    Ora, Daniel Santos, não sejas rasteiro, pois o PT nunca fez menos de 46.%. Em 1994, OLÍVIO DUTRA fez 47% dos votos. Em 1998, OLÍVIO elegeu-se governador com 51%.
    Em 2002, TARSO GENRO fez 47%. Em 2006, OLÍVIO alcançou 46%. Em 2010, TARSO GENRO venceu no 1º turno com 54%. Ou seja, o PT é, sempre, para os adversários, a força a ser batida no Estado. A tal ponto que eles se revezam nesta tentativa. Sim, porque desde que a eleição gaúcha começa, a única certeza que se tem é: o PT estará no 2º turno. Isto, é claro, se não ganhar no 1º. Ah, vale o mesmo para o Brasil de Lula e Dilma.

  • rebento diz: 15 de agosto de 2014

    Como disse o meu amigo Kfaka, o páreo para o Piratini já está corrido. Como é em DOIS turnos, os eleitores do Vieira e do Sartori migrarão, quase totalmente, para a Ana Amélia. Para o Senado, em turno ÚNICO, o mais votado vence.Aí, complica. Espero que o eleitor consciente faça valer o VOTO ÚTIL. Como dizia minha avó, “não gaste pólvora em ximango”…

  • rosane_oliveira diz: 15 de agosto de 2014

    É difícil dar alegria para o povo, Carlos. Se a gente faz com um instituto só, os partidários dos candidatos que estão mal reclamam. Se a gente contrata dois, reclamam. Pois vou lhe dizer: agora teremos várias pesquisas, porque fechamos contrato com os dois institutos. Quem não gosta de pesquisa terá outros conteúdos para ler. Quem gosta, vai ter bastante assunto para discutir nas redes sociais.

  • fatima diz: 15 de agosto de 2014

    Pesquisas produzidas a rodo, e a esmo, e ainda, contraditórias às escâncaras, vira combustível para o fogo do tapetão nas eleições, ou terceiro turno/2014 no STF, algo que vem sendo muito cogitado pela direita. Por isso o movimento da RBS para demarcar as votações na Ana Amélia. Está claro.

  • vilmar diz: 15 de agosto de 2014

    A estratégia da direita é clara: ou compra de pesquisas que contrariem o crescimento evidente do Tarso, ou manchetômetro a fusel para detonar a sua candidatura. A pesquisa já veio….

  • rosane_oliveira diz: 15 de agosto de 2014

    Fátima, minha cara, você está vendo chifre em cabeça de cavalo. Não são pesquisas produzidas a rodo nem a esmo. Seguem um calendário combinado coma Folha de S.Paulo, com quem dividimos essa conta.Lamento se o resultado e desagradou, mas nós não incidimos sobre os resultados. Também não damos manchete. E isso não é de agora. Vem desde os anos 1990 que a pesquisa é só uma chamada discreta.

  • MARCOS ROBERTO diz: 16 de agosto de 2014

    Bem a “sutileza” do grupo RBS é evidente, e admirável do ponto de vista da estratégia política,quando monta os seus candidatos o LASIER ficou por várias décadas e Governos como o defensor dos honestos e um exemplo de homem probo e culto na transmissão televisiva do grupo RBS, não tinha assunto e tema que não dominasse, como afirmava o ex-Governador Alceu Collares ” o Desembargador Lasier Martins “( por sinal terá de engolir o correligionário) e como um passe de mágica nasce o SENADOR PERFEITO para o Rio Grande.Parabéns RBS essa capacidade de montar nomes salvadores da Pátria é capacidade de poucos.. Vejamos agora a GOVERNADORA ANA AMÉLIA, de uma tática midiática perfeita são montagens de dar inveja a Adolf Hitler, se vivo estivesse. A futura GOVERNADORA, sim futura porque a RBS elege qualquer candidato, como ex: Paulo Borges o homem do tempo ” quero tempo bom para o Rio Grande”, mas que slogan de campanha… para finalizar, devemos louvar os marqueteiros da RBS esses sim são geniais. Vejamos não é comitê de campanha é CASA DA ANA AMÉLIA ” A esperança mora aqui”, claro nenhuma coincidência com a CASA RBS DE GRAMADO ou CASA DE VIDRO DA RBS TRAMANDAÍ.. “RBS TV A GENTE FAZ COM VOCÊ” que tal ” ANA AMÉLIA A GENTE VOTA EM VOCÊ” ( baita ideia vai que me contratam) mas a cereja do bolo é o KIT ESPERANÇA, claro KIT primeiros socorros, já que a comentarista econômica do RBS-TV,Senadora e agora Governadora Ana Amélia sempre disse que o Estado estava agonizando na UTI.. e agora para não dizer que é paranoia minha uma pergunta: a cor do PP não é azul ? É me parece que sim sempre foi azul… não,não será ! As cores do material publicitário do KIT ESPERANÇA são as cores do logo da RBS, aquele fleche de cores que sai do “A” de Ana Amélia se fechar vira o estereótipo do globo da RBS, meu Deus esses marqueteiros fecharão a vitória da ANA RBS AMÉLIA com chave de ouro! Parabéns!!

  • Éder diz: 17 de agosto de 2014

    Bom dia.

    Senhora, Rosane de Oliveira, eu ao contrário digo o que penso, me dá nojo, os tais pseudônimos. Vou ser direto, se a RBS, comprou encomendou, ou sei lá o que, pouco me importa. Agora, o que vocês, não podem negar que essa empresa que participou da ditadura, recebeu o criminoso La Nación e os Saguier, falei mentira?, é um partido politico, poderoso como poucos, acham que me esqueci, que o Britto, foi uma campanha ferrenha, em prol dele. Que o Lasier, só faltava chamar ele de meu amor, que a Yeda foi um presente da RBS? Ana Amélia?. O principal problema da imprensa é que os jornalistas em sua maioria, apenas fizeram uma faculdade mixuruca, não tem boas leituras e ainda por cima, acham que enganam alguém, com editoriais “despretensiosos e imparciais”. Porque ninguém ousa abordar o maior problema brasileiro que é a divida publica e os bilhões carreados, todos os anos com “os serviços da dívida”? sabem o que isso significa? 25% do orçamento brasileiro. Só esse ano, 654 Bilhões em juros. Claro assim, não vai sobrar dinheiro para a educação nunca, e para a saúde nem se fala. Porque ninguém aborda isso?

  • vilmar diz: 18 de agosto de 2014

    Não acredito nessa pesquisa. O Datafolha é da família Frias – dona do jornal Folha de S.Paulo e do portal UOL…. (tá explicado)

Envie seu Comentário