Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Troca de nome da Castelo Branco não apaga a História

27 de agosto de 2014 60
Foto: Leonardo Contursi, Divulgação

Foto: Leonardo Contursi, Divulgação

A aprovação da troca de nome da Castelo Branco para Avenida da Legalidade e da Democracia, aprovada agora à tarde pela Câmara de Vereadores com 21 votos favoráveis, cinco contrários, cinco abstenções e quatro ausências, reabre uma polêmica antiga na cidade: qual é o sentido da mudança? Autor do projeto assinado também por Fernanda Melchionna (PSOL), o vereador Pedro Ruas (PSOL) diz que nome de rua é homenagem e que um ícone da ditadura não poderia ser contemplado com esse galardão.

Leia mais:

>>> Vereadores aprovam projeto que altera nome da Avenida Presidente Castelo Branco

Por essa ótica, as escolas que se chamam Costa e Silva, Emílio Garastazu Médici e Castelo Branco mesmo deveriam rebatizadas. Um revisionismo mais radical poderia propor a troca de nome da Avenida Getúlio Vargas, argumentando que, apesar do legado que deixou, o presidente apelidado de “pai dos pobres” também foi um ditador e entregou Olga Benário para morrer nas mãos dos carrascos nazistas. O risco é a cidade se transformar numa espécie de Sucupira. Para corrigir equívocos históricos, um vereador obsessivo mergulharia na nomenclatura das ruas de Porto Alegre ou de qualquer outra cidade em busca de personagens que não deveriam merecer a homenagem. Para isso seria preciso criar uma classificação para as máculas e definir a partir de que grau o homenageado perderia o título.

Não há dúvida de que Avenida da Legalidade é mais bonito do que Castelo Branco, mas será que o nome pega? Essa via de acesso a Porto Alegre tem o nome do marechal  desde 1973. Será difícil para os repórteres de trânsito se acostumarem a chamá-la pelo novo nome quando o prefeito José Fortunati sancionar a lei. Assim como ninguém chama da Praça da Alfândega de Senado Florêncio nem a a Rua da Praia de Andradas, é grande a possibilidade de a troca ficar apenas nos papéis.

A assessoria de Fortunati diz que ele não tem pressa e que antes de sancionar vai fazer os estudos técnicos necessários, mas é improvável que vete. Primeiro, porque não há ilegalidade nem inconstitucionalidade no projeto de Ruas. Segundo, porque sendo um dos principais líderes do PDT, não será ele a dizer não a um projeto que homenageia o movimento liderado por Leonel Brizola e que, hoje, é nome de um espaço mínimo — o Largo da Legalidade — em frente ao Piratini.

Do ponto de vista prático, a troca de nome da Castelo Branco não tem os mesmos transtornos que produziria uma mudança em rua ou avenida repleta de casas e escritórios. Ninguém mora nem trabalha na Castelo Branco: ela é uma das portas de entrada de Porto Alegre. Basta avisar o Google e outros fornecedores de mapas e de serviços de localização por satélite e tudo se resolve.

A intenção de Ruas é respeitável, mas não apaga a História: a ditadura deixou marcas pelo Brasil inteiro. O cearense Castelo Branco é nome de rua em outras cidades e até do principal estádio de Fortaleza, carinhosamente apelidado de Castelão.

Comentários (60)

  • FLAVIO diz: 27 de agosto de 2014

    Falta de serviços desses vereadores, será que não existe algo mais interessante? estão trocando seis por meia duzia.

  • Paulo diz: 27 de agosto de 2014

    Revanchismo hipócrita e estúpido mas, vindo de onde veio…..
    Falta a relação dos senhores vereadores votantes, todos !

  • Dolmy diz: 27 de agosto de 2014

    Porque esta CAMBADA de politiqueiros não vão trabalhar?
    Vão se preocupar com o que interessa pra cidade.
    Porque eles não têm esse desempenho e atitude para que sejam construídos mais hospitais, mais escolas, para que a Prefeitura coloque mais ônibus na cidade, que ampliem a segurança, não dá mais para andar nas ruas da cidade à noite.

  • Rosane diz: 27 de agosto de 2014

    Será que estes vereadores não têm trabalho sério a fazer OU estou me certificando de que o nível cognitivo e intelectual exigido por este tipo de trabalho é realmente insignificante?

  • Chico diz: 27 de agosto de 2014

    A mudança da via de acesso à cidade é apenas um caso. Não entendi claramente o porquê de sua preocupação. Ruas e avenidas devem ter nomes de pessoas, eventos ou referências relevantes para a sociedade. A ditadura não é uma referência, um exemplo de resolução de conflitos em um país democrático. No máximo, mereceria a criação de um “Memorial da Ditadura” — não para exaltar suas glórias, mas sim seu fracasso como modelo de Estado, de ideal de civilização. Neste memorial, poderiam incluir todos os momentos em que o nosso Estado ou o país foi governado por regimes totalitários.

    O exemplo de Getúlio Vargas é válido, pois também cometeu atrocidades e foi um ditador. Se você quiser patrocinar o revisionismo em torno de ruas com o nome do ex-presidente, certamente encontrará bastante apoio. A Avenida da Legalidade é apenas um caso, simbólico. Aquele que ingressa na cidade não encontrará mais uma referência ao totalitarismo, mas sim uma referência à esperança e à resistência em prol de uma sociedade democrática.

    É salutar exaltar as nossas utopias. De tanto repeti-las com atos e símbolos, podem acabar se tornando realidade.

  • Constantin diz: 27 de agosto de 2014

    Lamentável decisão dos vereadores.
    Estes senhores não devem saber que a troca de nomes, de acordo com a vontade do regime de plantão, geralmente é sinal de atraso.
    Exemplos não faltam em diversos paises africanos,que apesar da constante troca de nome do pais, cidades, ruas, praças,etc…não escapam nunca do atraso em que se encontram.

  • Daniel diz: 27 de agosto de 2014

    Rosane, seria mais interessante que escancarasse de uma vez tua opinião contrária à renomeação. Esse tipo de argumento é simplista. Ora, a principal rodovia que dá acesso à Capital tem um peso muito grande. É um nome surrado e repetido na boca de todos os gaúchos da Região Metropolitana, todos os dias. E, ainda, não vamos corrigir esse erro porque há outros menores equívocos “históricos” que deveriam ser todos corrigidos? Não, por favor. Menos realismo de ocasião, mais efetividade. Desculpa há para tudo. Façamos o que está ao nosso alcance. O bom é pior que o ótimo, mas é melhor que o ruim. Ou inadmissível, como é o caso dessa rodovia.

  • manoel diz: 27 de agosto de 2014

    Será que os legisladores poderiam aprovar leis favoráveis em benefício das pessoas,e não se conter em alterar nome de praças,ruas, avenidas,estradas etc…

  • jose manoel vega garcia diz: 27 de agosto de 2014

    So votaram contra os partidos simpatizantes da ditadura.

  • Mari diz: 27 de agosto de 2014

    Mais uma asneiras desses parasitas chamados de vereadores. Será que na nossa cidade não existe mais nada de importante para realizar? Que tal este sr Pedro Ruas providenciar a colocação de placas nas ruas nas quais as mesmas são inexistentes? Uma capital como POA ainda tem várias ruas que não têm placas para identificar o nome. Imagino eu, como um turista consegue achar um endereço de uma rua sem placa. Gente que não tem mais nada de útil para fazer em benefício para o povo, ctia tolices. O Sr Castelo Branco foi presidente do nosso país, e isso ninguém vai arrancar das páginas dos livros de história. Mais uma palhaçada de um bando de parasitas que nós, o povo, sustentamos. Sr Pedro Ruas, vá fazer algo de últil para a sociedade gaúcha.

  • Paulo Neves diz: 27 de agosto de 2014

    o SENHOR presidente Castelo Branco está nas páginas da história assim como Benito Mussolini nas da Itália. Imposto indiretamente pelo Golpe, com “p” minusculo pois que não foi atendido os anseios nem a vontade da população. Ou será que democracia tem outro sentido ? Vereadores, trabalhem pelo atendimento das necessidades de todos e mudem, sim, as homenagens aberrativas!

  • joel hein dos santos diz: 27 de agosto de 2014

    É muito não ter o que fazer. Legislar para alguns revanchistas é modificar nomes de ruas. Quanta incompetência!

  • Dolmy diz: 27 de agosto de 2014

    Vou dar uma idéia aos vereadores de todas as cidades, para votarem uma mudança na política atual:
    Fazer da Câmara Municipal, uma representação somente com presidentes de Associações de Bairros, sem remuneração, que se reuniriam três vezes por semana à noite, sem prejuízo de suas atividades normais. Assim cada vereador brigaria pelas necessidades de seu bairro.

  • Luis Paulo diz: 27 de agosto de 2014

    No entanto, o Prestes, um “ícone” do comunismo recebeu um memorial!

  • Antonio Bernardes diz: 27 de agosto de 2014

    Parabéns às vereadoras e vereadores que votaram a favor da alteração. Batizar ou alterar nome de ruas também é competência dos vereadores e todos que lá estiveram estavam, sim, trabalhando.

    Ao vereador Pedro Ruas, em especial, meu abraço e meu agradecimento pelo empenho nesta pequena, mas importante batalha. Na qualidade de familiar do saudoso Antonio Losada, sabemos o que significa esta vitória.

    Av. da Legalidade e da Democracia. Antonio Losada – Presente!

  • Luís diz: 27 de agosto de 2014

    O Paulo disse tudo : “Revanchismo hipócrita e estúpido mas, vindo de onde veio…..”.

    Esperar o quê do PSOL ???

    E assim caminhamos para a irrelevância e a mediocridade, que tão bem caracteriza o RS atualmente …

  • Derli Brites Sandim diz: 27 de agosto de 2014

    Legalidade foi um movimento que tentou continuar com o modelo de uma suposta democracia que estava se encaminhando para um regime comunista que os militares brilhantemente impediram, se não fosse isso hoje seríamos uma grande cuba.

  • Zizeck diz: 27 de agosto de 2014

    Parabéns aos vereadores. Chega de lambe-botas-de-milico que matavam e torturavam com dinheiro público e apoio da imprensa.

  • ubiratan Freitas diz: 27 de agosto de 2014

    Sinceramente acho que é atribuição sim de vereadores! e Fazer homenagem a quem tomou o poder por um golpe,não deve ter seu nome eternizado,e reverenciado com nome de nada!Se os vereadores não trabalham,não vai ser este ato que vão fazer eles trabalhar ou mudar a rotina!

  • Silvano diz: 27 de agosto de 2014

    Absurda a troca de nome. Revanchismo barato! Vamos mudar também o nome da Avenida Bento Gonçalves , que homenageia um latifundiário escravagista, mão de ferro. Quando Bento morreu em seu inventário constavam 50 escravos! E aí? Vamos mudar esta também?

  • elio chaves diz: 27 de agosto de 2014

    Concordo com a colunista e com muitos comentadores de que “não se apaga a história”.
    Entretanto, todos os dias estamos numa batalha pela “memória histórica” e todo o dia se reescreve a história.
    No Brasil, é muito mais visível a “história escrita pelo vencedor”: os escravocratas, os ditadores, as elites safadas e corruptas.
    Ou me digam: na década de 1970 por que nomearam um acesso á capital dos gaúchos com o nome de um militar corrupto, ditador e incapacitado para o cargo, já que assumiu através de um golpe de Estado, ferindo e rasgando todos os documentos democráticos então em vigência?
    Agora, os vereadores reescrevem aos poucos a história, aliás um período da história do Brasil e do RS cujas Comissões da Verdade por todo o país estão contando e desenterrando os podres da ditadura e toda a corrupção do período militar.
    Ainda bem que a todo o momento reescrevemos a história, prezada Rosane, não para apagá-la, mas justamente para torná-la um pouco mais verídica dada as mentiras das ditaduras.
    Ainda devemos ressoar a frase do velho Ulisses: devemos ter ódio (e nojo) às ditaduras.
    A de 1964-1984 atrasou o país em 100 anos.
    Os vereadores estão de parabéns.
    A democracia (e todo democrata) deve enojar-se daqueles (de farda ou gravata)
    que prenderam, torturaram e mataram cidadãos nesse período que, ainda bem, jamais se apagará, justamente porque é história.

  • Saalomão diz: 27 de agosto de 2014

    kkkkk Essa é boa: “Avenida Lambe-botas-de-milico” kkkkkkk

  • Roberot diz: 27 de agosto de 2014

    É lamentável o desperdício do dinheiro público para um trabalho tão pífio. Se o motivo é por que o Castelo Branco era ditador… Então vamos tirar os nomes de todas as ruas que levam o nome de Getúlio Vargas. E de outros aspirantes a tiranos, como Prestes, e que levam nomes de ruas… Vereadores, vão procurar o que fazer! Sr. Pedro Ruas, você é ridículo. Um vereador abaixo do medíocre que só busca a sua “vendetta”. O senhor tem que devolver os seus subsídios ao erário municipal!

  • Ricardo diz: 27 de agosto de 2014

    Estes “revisionistas” de meia tigela esqueceram que este Senhor, o Marechal Castelo Branco, foi o chefe das operações armadas na Itália, durante a 2ª Guerra Mundial. Esteve por, mais ou menos, trezentos dias nos campos de batalha. Lutando contra os facistas. Teve sua valentia e bravura reconhecida pelos aliados.
    Estes “escrotos” jamais conseguirão mudar a história nacional.

  • vygo indi diz: 27 de agosto de 2014

    Tudo o que for possível para apagar o “atraso” que foi a Ditadura, vale a pena. Parabéns aos vereadores

  • Mariana diz: 27 de agosto de 2014

    Impressionante o oportunismo de alguns comentários. Clichês do tipo: “não tem mais o que fazer” ou “porque não cuidam da saúde e da educação?”. Estas pessoas com mente miúda e desinformada não sabem que foi o vereador Pedro Ruas o autor da CPI da Saúde em Porto Alegre, barrada pelos partidos da base do governo municipal; foi o vereador Pedro Ruas foi o autor da lei que cobra ISS dos bancos, diga-se de passagem apenas quatro cidades no Brasil cobram tal imposto dos bancos, e, para estes desinformados, explico o que é o ISS, é o imposto sobre qualquer serviço, ou seja nas outras cidades todo o comércio ou fornecedor de serviços paga tal imposto, mas os bancos não. Graças ao vereador, em POA é diferente, aqui os bancos, aqueles que mais lucram, pagam impostos. Entre outras tantas informações que faltam para estes que criticam sem conhecer a realidade, foi Pedro Ruas um dos autores da Ação Popular que reduziu os preços das passagens de ônibus em POA, bem como foi também autor da lei do troco. Para não me alongar demais, concluo, Pedro Ruas fez e faz sim outros projetos de lei, mas também é contra homenagens à ditadores. Parabéns vereador, você me representa.
    Obs. E os vereadores em quem vocês votaram, estão fazendo o quê?

  • Julio Neve diz: 27 de agosto de 2014

    Cara Rosane, concordo integralmente com teus argumentos e adiciono: deixar o nome do Marechal na entrada da cidade, mais que homenagear ao ditador, nos faz lembrar todos os dias que boa parte de nossa sociedade aceitou calada fatos muito piores do que nomes de rua impostos goela abaixo.
    Trocar o nome é tapar o sol com a peneira e jogar para a torcida em ano eleitoral.
    Sobre o novo nome, supondo que seja aceito, deveria ser só legalidade, pois Avenida da Legalidade e da Democracia é indizível, o que dá terrível vantagem ao Castelo Branco.
    Além disso creio que a legalidade mereceria algo maior, único, porque o movimento foi lindo, verdadeiro, desses que nos dá verdadeiro orgulho.
    Acho triste esse tipo de troca, da mesma forma que achei lamentável anos atrás a troca do nome do Parque da Harmonia para Parque Maurício Sirotsky Sobrinho.
    Aliás, senti falta do Harmonia na tua lista de exemplos.

  • Luís Carlos diz: 27 de agosto de 2014

    - Realmente é não ter o que fazer!
    - Por mais que se tente mudar alguma coisa que, alguns idiotas de esquerda pensam ser correto fazer, a verdade é que aquilo que já está consolidado acaba prevalecendo.
    - Podem mudar o nome, mas sempre será conhecida por Castelo Branco ou então com EX AVENIDA CASTELO BRANCO. Isto é a realidade e será sempre assim.
    - Uma proposta interessante para os vereadores seria mudar o nome do PEDRO RUAS. Poderíamos chamá-lo de PEDRO BECOS.

  • Francisco diz: 27 de agosto de 2014

    O nome do estádio em Fortaleza não é em homenagem ao golpista, e sim ao ex-governador do Ceará , Plácido Castelo.

  • Denilson MR diz: 27 de agosto de 2014

    Se foi errado colocar o nome de uma avenida de um golpista e ditador, acredito ser outro erro tirá-lo agora. Entendo que deveria ser mantido, pois ao substituir o atual nome, estaremos tentando matar um episódio histórico e levar ao esquecimento um dos personagens da nossa História. Manter o atual nome seria mais prudente. Elucidar os fatos seria mais prudente ainda. Esclarecer que o Sr Castelo Branco foi um dos mentores intelectuais do Golpe de Estado de 1964, que ceifou nossa democracia e que contribuiu para levar o país a uma ditadura que durou 24 anos. E que seu nome está ali para nunca mais ser esquecido.

  • andre santos chaves diz: 28 de agosto de 2014

    Na boa, temos que rever a função dos vereadores. É uma bobagem a mudança de nomes. Particularmente, sempre defendi que JAMAIS se deveria alterar o nome das ruas, por pior ou melhor que fossem. Essa mudança de nome da Castelo Branco é mais uma das bobagens de quem se diz dono da verdade e pretende alterar a história, imaginando que existem “bons e maus” personagens. A história acontece e ponto final. Aliás, é sempre bom saber que houve ditadura, apagar nomes e tentar apagar a história é semelhante as tentativas feitas pela Igreja e por Hitler de proibir ou queimar livros.

  • Nelmo diz: 28 de agosto de 2014

    A jornalista tem razão quando diz que não se apaga a História,mas é absolutamente inaceitável este nome que fere a sensibilidade do povo gaúcho ; este nome que foi imposto pelas botas , armas e carros de assalto como o que vitimou um popular na atual Esquina Democrática no dia que este ditadorzinho desfilou vencedoramente em maio de 1964 em nossa capital para vergonha e dor ante nossa impotência .
    Parabéns aos vereadores corrigindo esta homenagem descabida . Esta avenida para mim durante cinquenta anos ,sempre foi a Avenida Dique

  • Julio diz: 28 de agosto de 2014

    Cara Rosane, concordo integralmente com teus argumentos e adiciono: deixar o nome do Marechal na entrada da cidade, mais que homenagear ao ditador, nos faz lembrar todos os dias que boa parte de nossa sociedade aceitou calada fatos muito piores do que nomes de rua impostos goela abaixo.
    Trocar o nome é tapar o sol com a peneira e jogar para a torcida em ano eleitoral.
    Sobre o novo nome, supondo que seja aceito, deveria ser só legalidade, pois Avenida da Legalidade e da Democracia é indizível, o que dá terrível vantagem ao Castelo Branco.
    Além disso creio que a legalidade mereceria algo maior, único, porque o movimento foi lindo, verdadeiro, desses que nos dá verdadeiro orgulho.
    Acho triste esse tipo de troca, da mesma forma que achei lamentável anos atrás a troca do nome do Parque da Harmonia para Parque Maurício Sirotsky Sobrinho.
    Aliás, senti falta do Harmonia na tua lista de exemplos.

  • Hermes Vargas dos Santos diz: 28 de agosto de 2014

    Acho normal que a Rosane de Oliveira manifeste sua contrariedade com a mudança aprovada por esmagadora maioria da Câmara Municipal, e que critique a retirada do nome do milico golpista, dizendo que estão querendo “apagar a história”. Afinal, a RBS, afiliada do Rede Globo, sempre apoiou a ditadura militar de 64, lambendo as botas dos gorilas. Por que não assume, claramente, a defesa do regime que institucionalizou a tortura no Brasil? É uma posição dissimulada …

  • pedro diz: 28 de agosto de 2014

    Com certeza os que estão aqui defendendo a troca do nome sao descendentes dos terroristas e assaltantes de bancos que quiseram dar uma de macho e se ferraram. bem feito.Meu pai, meus tios,ninguem na minha familia se meteu a sequestrar alguem naquela época e ninguem foi pra cadeia. Os que foram foi por merecimento. Nao gostaram da época dos generais no comando do Brasil mas agora estão mamando nas tetas ganhando absurdos como indenização e pensão por recompensa dos marginais que eram naquela época. Só no Brasil mesmo, só nesta republiqueta de bananas que ex terroristas são indenizados, e com meu dinheiro, com nosso dinheiro. Ah e viram presidentes. Ora, vão botar um serviço no corpo, capinar um terreno seus babacas.

  • Cesar diz: 28 de agosto de 2014

    Queria que os senhores vereadores visse a rua na frente do povo explicar pq não estão desperdiçando nosso suado dinheiro. As prioridades da população são muito maiores do que nome de ruas. Haja paciência!!!

  • Bossoroca & Bororé diz: 28 de agosto de 2014

    Há um elemento gravíssimo nas declarações da nova candidata Marina Silva, do PSB, onte ao Jornal Nacional. Marina confessou o conhecimento de um crime eleitoral e a participação nos benefícios desta transgressão. Ela confessou saber que o avião era produto de um “empréstimo de boca” que seria “ressarcido” – se é ressarcido, tem preço – ao final da campanha. Aberração jurídica e contábil, que não pode prevalecer – e não prevalece – em qualquer controle de contas eleitorais. Até no Acre de Marina Silva, o TRE distribui um formulário onde o dono de um veículo, mesmo que seja um Fusca 82, tem de assinar a cessão e atribuir o valor em dinheiro do bem. O que dirá para um jato de R$ 20 milhões!

  • Rodrigo R. diz: 28 de agosto de 2014

    “Avenida Castelo Branco”…Culto à personalidade típica de totalitaristas, devidamente aprovada pelos “defensores” da democracia, que comentam acima, reacionários raivosos, sem candidato e recalcados com a democracia. Mas sabemos que os conservadores sem nada a conservar odeiam democracia. Adoram coronelismo, Brasil na monocultura e escravista, caudilhismo e milicos de Ray-Ban… Odeiam Cuba, mas ofereça a eles a Europa ocidental ou a América do Norte e eles: “bem, também não é assim, não é o ideal, não é pra tanto…” Quem pensam que enganam esses defensores de ditadores nojentos, corruptos, burros e covardes? Excelente decisão! Estão de parabéns os 21 vereadores que votaram a favor!!

  • Terêncio diz: 28 de agosto de 2014

    Paladino da ética e da moral, Eduardo Campos antes de morrer voava em jatinho comprado com dinheiro de caixa 2. É….

  • Raul Varella Seixas diz: 28 de agosto de 2014

    Li no jornal: Aécio é oposição; Dilma, situação; e Marina enrolação.

  • taborna diz: 28 de agosto de 2014

    Esse tal de pedro, com p minúsculo, porque minúsculo é o seu comentário, extravasou nas bobagens que escreveu. Chega embrulhar o estômago do cara ao ler isso que esse sujeito vomitou para não dizer escreveu. O Rodrigo R. deu a resposta correta para esse sujeitos e especialmente este pedro com p minúsculo, no seu comentário em uma frase(final do antepenúltimo e penúltimo parágrafo). Parabéns Rodrigo R., gosto dos teus comentários. Tu mete o dedo na ferida. Esse tal de pedro, com p minúsculo deve ser um dos papagaio do Mendelski.

  • Dalton Fonseca diz: 28 de agosto de 2014

    Aqui nesse blog os esquerdistas detonam da Ditadura do Brasil mas defendem a ditadura de Cuba. Os direitistas, detonam a ditadura de Cuba e exaltam a Ditadura do Brasil.

  • pedro diz: 29 de agosto de 2014

    seu taborda(tambem com t minusculo) deve ser mais um dos mamadores ou parente de um que esta rico graças as “indenizações ” que ganharam deste desgoverno do ptzinho por assaltarem banco e sequestraram pessoas. Aliás igual este vereadorzinho que é um deles com este emprego de vereador. A mamata vai acabar. A Marina vem aí. O correto mesmo é mandar milhoes pra cuba fazer porto com nosso dinheiro. Se gostam tanto assim de cuba por que nao se mudam pra lá, seu tabordinha? Atingi meu objetivo q era deixar esta petezada com cerebro de rucula braba. KKKKKKKKKKKKKK.

  • Roberot diz: 29 de agosto de 2014

    Avenida da Legalidade e da Democracia? Uma bravata do Sr. Leonel Brizola, um arremedo de caudilho , ensaiando para implantar no Brasil uma Cuba? Faz-me rir! Faz-me rir!
    O que eu acho engraçado são os comentários que cheiram a bolor, mofo. Devem escrever seus textos para publicar aqui em máquinas de datilografar mecânica de fita de pano.
    O discurso de liberdade que eles defendem é o do pensamento único, de censura aos meios de comunicação, de assistencialismos e clientelismos. São os socialistóides de boutique. Nunca leram nada de nada e saem despejando aleivosias e sandices que aprenderam nas cartilhas surradas de 1917. E tudo isso aos berros! São como pombos jogando xadrez.

  • Roberot diz: 29 de agosto de 2014

    Georges Clemenceaux disse certa vez que “… Um homem que não seja um socialista aos 20 anos não tem coração. Um homem que ainda seja um socialista aos 40 não tem cabeça…”, no que eu concordo inteiramente.

  • Ido diz: 29 de agosto de 2014

    Os babacas de ocasião deveriam primeiro consultar a história para depois darem sua opinião. Pessoas medíocres que fazem comentários totalmente sem embasamento. Por isso o nosso país é essa porcaria que vivemos. Não é denegrindo pessoas que deram o melhor de si para o país que vamos melhorar.
    Voltem seus canhões contra essa cambada que tomou de assalto o país. Que fazem de nossa pátria a sua sua cocheira. E o que é pior, com pessoas inacreditávelmente defendendo seus atos. Com tudo isso que assisto diariamente eu me nego a ainda acreditar neste país. Lamentavelmente.

  • Rodrigo R. diz: 29 de agosto de 2014

    O Ido já poderia ter ido. Berrou muito e não disse nada – e fala dos outros!

  • Rodrigo R. diz: 29 de agosto de 2014

    Pior é ficar velho e não pensar por si mesmo e viver de citações como o coitado do Roberot.

  • Rodrigo R. diz: 29 de agosto de 2014

    Pedro odeia Cuba, como se o modelo dele fosse América do Norte ou Europa Ocidental… O negócio dele é Brasil fazendão, escravista, coronelista, caudilhista e militarista. A direita tenta se fazer de democrática contrapondo Cuba…Não cola, a história da direita mostra que não cola. E agora figurinhas como ele, Ido Roberot, etc, todos os reacionários burros que comentaram, órfãos de candidato, dispostos até a abraçar Luciana Genro, precisam votar na Marina, que cospe neles com mais cuspe que o PT sempre cuspiu. Que humilhação!

  • Roberot diz: 3 de setembro de 2014

    Rodrigo R. antes de mais nada… Vá estudar! Vá ler! Aprenda a escrever direito. Tudo o que você escreveu ou escreve aqui é baseado num cartilha surrada e mulambenta editada em 1902, por Marx, Lenin, Gramsci, Rosa Luxemburg et caterva. Acreditam piamente que existe almoço gratuito, sem esforço algum. Acreditam piamente que todos somos iguais. Não! Não somos!
    Você deve ser sustentado pelo erário municipal, às expensas da Câmara de Vereadores, para ficar tecendo comentários sem qualquer suporte teórico para as suas afirmações. E depois sai acusando os demais comentaristas de fascistas, de direitista… Saiba que o socialismo que você e seu dono, o Pedro Ruas, defendem tem muito mais a ver com o Fascismo do que qualquer um a quem você rotula de direitistas.
    Eu sou direitista, sim! Sou direitista por defender o ESTADO DIREITO, o DIREITO DE IR-E-VIR livremente; o DIREITO DE PRODUZIR o que eu quiser e o DIREITO DE ENRIQUECER até o limite que eu achar conveniente.
    Rodrigo R., antes de mais nada… VÁ ESTUDAR!

  • Roberot diz: 3 de setembro de 2014

    Tem mais outra coisa, Rodrigo R.. Se eu cito filósofos é por que eu leio e estudo bastante. Acredito que você seja um velho socialista que vive ainda à sombra do revanchismo, da vendeta pessoal, distilando ódio para todos os lados. Aposto que numa conversa política, aqueles que não pensam como você devem sofrer ameaças físicas, além das limitadas ameaças verbais, valendo-se da sua ensebada cartilha socialista.

  • Rodrigo R. diz: 6 de setembro de 2014

    Coitado do Roberot, desesperado em se parecer com o único “filósofo” que lê, o esotérico do Olavo de Carvalho! Se esforça para ser igual: cita e cita, pessoas dos quais nunca leu nada! Escreve “et caterva” para tentar impressionar o coitado! Espreme-se seu texto e só sai suco biliar.

  • Roberot diz: 6 de setembro de 2014

    Meu caro, suco biliar sai de suas palavras, revanchista e arrivista que é, diversionista como todo os da “esquerda fascista”. Sim, a esquerda é fascista desde o nascimento. Tem laços genéticos com o nazismo e toda sorte de ideologias cerceadoras de liberdades individuais e de livre pensar. Só creem no pensamento único. Suco biliar sai das palavras até aqui proferidas pelo Sr. Em cada silaba aqui escrita destila ódio e revanche, “vendetta”… Como todo arrivista, fará qualquer coisa para enriquecer às custas dos demais. Duvido que tenha tido em toda a sua vida um só trabalho produtivo, a não as sinecuras de trabalhos comissionados nos governos de esquerda!
    Pelo que posso depreender, o Sr. deve ter lido muitos livros… Cite um só livro que o Sr. tenha lido nos últimos 6 meses. Melhor dizendo, cite um livro que tenha lido no último ano. Mas creio que estou perguntando para ouvidos surdos… Esquerdistas não leem nada!

  • Joel diz: 19 de setembro de 2014

    Depois não querem que a população diga que vereador só serve para dar e trocar nomes de ruas e praças. Ah… e prá tombar estádio de futebol também.
    Esse vereador, então… creeeeedooo!!! Não se pode admitir que um poder legislativo realize mudanças que não reflitam um bem palpável à sociedade. Mas numa cidade onde até mesmo postos de saúde fazem feriadão não se deve levar nada a sério.
    É dose !!!

  • Fernanda diz: 30 de setembro de 2014

    Castelo Branco foi um dos mais moderados (talvez o mais) de todos os presidentes generais. Sua intenção era de devolver o poder aos civis, porém sua voz não foi majoritária no clube dos generais. A forma com que morreu, num até hoje não explicado acidente aéreo, coloca em cheque sua real posição de “vilão” na história. Mas, como esse pessoal do PSOL vive de difundir ódio, culpabilizar a todos, inclusive os mortos, e idolatrar verdadeiros bandidos (como Césare Battisti), então viva a mudança no nome da avenida. Não vai mudar a vida de ninguém essa mudança. E a vida continua.

  • Tomás diz: 30 de setembro de 2014

    Esta notícia lembra fatos históricos envolvendo os etruscos contra os almeríndios durante a segunda guerra mundial. Temo por nossa segurança enquanto nação. Não dá mais para viver sem segurança pública, e os nossos nobres vereadores preocupados em mudar o nome de uma rua onde não mora ninguém, onde não vive ninguém (mas passa muita gente de carro).

  • Telmo diz: 1 de outubro de 2014

    Amiga Mariana! foi este Sr. Pedro Ruas com projetos que julga tão importantes, mas ocorre que iniciou no PDT, depois foi Secretário no governo Olívio Dutra e hoje PSOL, como dizia Cazuza: ideologia eu quero uma para viver…

  • Carlos Leorato diz: 1 de outubro de 2014

    Agora ficou bom…antes eu entrava e saia de Porto Alegre pela Avenida engarrafada e esburacada Castelo Branco…agora vou entrar e sair de Porto Alegre pela Avenida engarrafada e esburacada da Legalidade.

    Veja o que é o progresso. A nossa condição de humanos nunca foi tão aviltada.

    Abraço

  • Chico Bento diz: 1 de outubro de 2014

    Em vez de os órfãos da ditadura ficarem se queixando “dessa lei tão desimportante” (que de desimportante não tem nada, dada a proporção do debate gerado por ela), deveriam se queixar do auxílio-moradia dado aos magistrados do STF e que em breve estará se expandindo para o Judiciário Estadual, ao Ministério Público, à Defensoria Pública, ao Tribunal de Contas… quem mais?

  • Cleine Sichonany diz: 14 de novembro de 2014

    Será que alguém já pensou no custo e transtornos que estas alterações de nomes de ruas vão gerar e que serão pagas pelo contribuinte junto aos Cartórios de Registro de Imóveis e atualizações de endereços das empresas junto às repartições públicas e ainda os transtornos das atualizações de endereços de correspondências e publicidades das empresas? Com tantas ruas sem nome e CEP…

Envie seu Comentário