Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Resultados da pesquisa por "raul Pont"

Manobra da oposição irrita Raul Pont

12 de novembro de 2013 7
Foto: Marcelo Bertani, Divulgação

Foto: Marcelo Bertani, Divulgação

A retirada de quórum durante a sessão desta terça-feira na Assembleia irritou o deputado Raul Pont (PT). A manobra da oposição foi feita para impedir a votação do projeto de lei que permite ao governo transferir R$ 30 milhões para a EGR usar em obras.

– Não consigo entender. Vocês cobram melhorias nas estradas e são contra o aporte de R$ 30 milhões. É lamentável que essa Casa tenha chegado a esse grau de indigência no debate – discursou.

"É uma vitória do povo brasileiro", diz Raul Pont

31 de outubro de 2010 0

Do comitê da petista Dilma Rousseff em Porto Alegre, o presidente do PT no Estado, deputado Raul Pont, concedeu entrevista para a Rádio Gaúcha em tom de vitória.

— Estamos na espera do resultado oficial, formal, mas todos os indicadores apontam para Dilma.

Pont classificou o momento como “singular” na história do Brasil e disse que a vitória de Dilma, é a reafirmação do sucesso do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

— Ao lado de Lula, Dilma foi protagonista neste projeto. Ajudou a construir cada conquista desde administração. É o reconhecimento que o jeito de governar é melhor, na construção de uma sociedade mais justa. É a vitória do governo brasileiro.

Cerca de 400 pessoas já estão reunidas na sede do comitê, entre elas o ex-governador Olívio Dutra, Miguel Rosseto e o prefeito de São Leopoldo Ary Vanazzi. Com a mobilização, a Avenida João Pessoa está bloqueada no sentido centro-bairro.

Acompanhe a apuração dos votos em tempo real

Tire suas dúvidas e acompanhe as principais informações sobre a disputa

Hoje é o dia das cartas. Esta é de Raul Pont

09 de outubro de 2009 105

Pelo jeito, nestes últimos dias consegui desagradar a gregos e troianos. Recebo carta do depuatdo Raul Pont (PT), indignado com a nota que publiquei na coluna de hoje, com foto dele, e reproduzi aqui no blog.

O deputado diz que fiquei só com a versão da deputada Zilá Breitenbach e do deputado Pedro Westphalen, o que não é verdade: escrevi a nota baseada nas fotos e no relato de quem estava lá. Como fiz com a carta da governadora, vai aqui a do deputado Raul Pont, na íntegra:

“Rosane, saúde!

Quero registrar meu protesto pela versão dada na tua coluna da minha “grosseria” em relação à deputada Zilá, na votação do relatório do impedimento.
Não falei, não toquei, nem fiz qualquer ameaça à deputada, nem “dei tapa” em microfone.

As vítimas da violência e do desrespeito ao Regimento fomos nós, deputados de cinco partidos, que nos retiramos em protesto ao autoritarismo que conduziu os trabalhos e não em boicote, como na versão de ZH.

Violência é a Comissão não ter reunido NENHUMA vez para discutir, ouvir e elaborar o relatório.

Violência é a relatora não ter ouvido nem procurado nenhum deputado com opinião ou propostas para o relatório.

Violência é a Comissão ter se recusado a ouvir o MPF e os signatários do pedido.
Violência é o presidente da Comissão ter desrespeitado o Regimento não convocando a reunião subscrita por dez deputados (um terço) para que tivéssemos oportunidade de participar e realizar diligências.

Violência é a maioria da Comissão ter se recusado a ouvir e ver os áudios e vídeos sob sigilo, mas disponíveis aos deputados para formarem opinião. Comprometem, assim, mais do que já é público, a governadora.

Violência é o presidente da Comissão ter lido o parecer do Procurador-Geral da Assembléia Legislativa e ter encaminhado no sentido oposto, garantindo o voto de um deputado sem representação na Comissão – pois já mudara de partido – mas DECISIVO para aprovar a farsa. Sem ele não haveria quorum – maioria absoluta – para aprovar a matéria.

Sobre nenhum destes fatos o jornal se posiciona. É neutro. No entanto, em algo absolutamente irrelevante sobram adjetivos e valorizações. Nenhum repórter me pediu para falar sobre isso, por sua irrelevância.

Às 22 horas, um repórter da RBS foi ao meu apartamento para gravar a posição do Partido sobre a votação e a retirada da bancada do Plenário. Não me pediu nenhuma opinião ou versão sobre o ocorrido.

Você tem meus telefones, mas preferiu ficar com a versão do Westphalen, da Zilá ou de algum assessor de imprensa.

Fica o registro.

Raul Pont”

Postado por Rosane

O que você anda lendo? - Raul Pont

05 de novembro de 2008 14

O deputado estadual Raul Pont (PT) lê trecho do livro Abaixo a Repressão, de Ivanir Jose Bortot e Rafael Guimaraens.

Postado por Rosane

Raul Pont desafia Fogaça

14 de outubro de 2008 23

DA PÁGINA 10 DE ZH

“Ontem o ex-prefeito e deputado Raul Pont estava revoltado com o que chamou de “impunidade” na forma como o prefeito José Fogaça lista números e realizações de sua gestão na prefeitura.

– Renuncio ao meu mandato se ele mostrar as cinco mil casas que construiu. Duvido que consiga provar essas cinco mil casas de que está fazendo propaganda como sendo do município e não do PAR (Programa de Arrendamento Residencial), que é um financiamento da Caixa Econômica, pago pelo cidadão.”

Postado por Rosane

Pont ataca auxílio-moradia a juízes: "agressão à consciência do país"

23 de setembro de 2014 21

Às vésperas da aposentadoria, o deputado estadual Raul Pont (PT), que não tenta a reeleição, fez um forte discurso nesta terça-feira contra o pagamento de auxílio-moradia a juízes e membros do Ministério Público. Pont ocupou a tribuna para questionar a legitimidade das administrações dos órgãos para determinar o pagamento sem a regulamentação de uma lei para isso.

— Estender o benefício para todos os membros do Judiciário nos estados, incluindo os inativos, o que fatalmente ocorrerá, é uma imoralidade, uma agressão à consciência do país — reclamou.

O deputado sugeriu que o Legislativo trabalhe para impedir o pagamento, levando em consideração a precariedade das finanças do Estado.

Leia o discurso de Pont na íntegra clicando aqui.

 

As explicações de Pont

25 de julho de 2012 76

Um dia depois de dizer que a coluna estava “praticando um jornalismo marrom e vagabundo” ao divulgar um vídeo em que ele dá declarações infelizes sobre a Justiça Eleitoral, o presidente estadual do PT, Raul Pont, lançou uma nota oficial para dar a sua versão sobre o caso.


Leia a nota enviada pelo partido:

Diante de fatos veiculados pelo jornal Zero Hora nos últimos dois dias, o Partido dos Trabalhadores do RS vem de público reafirmar sua posição histórica de luta e defesa do Estado Democrático de Direito.

Foi justamente na defesa da democracia, da liberdade de opinião e de imprensa, do pleno funcionamento das instituições democráticas, entre elas o Judiciário, que muitas de nossas lideranças tombaram no período da ditadura militar. Em memória a todas estas lutas e pelo direito à verdade, reafirmamos nosso respeito pelas instituições democráticas, nas quais se inclui o Tribunal Regional Eleitoral.

O fato ocorrido na sede do PT de Sapiranga, portanto em um ambiente privado, se deu num momento de profunda consternação e revolta da militância partidária, tomada pelo sentimento de injustiça ao ter que trocar o candidato a prefeito do PT, eleito em prévias partidárias. Apontado como inelegível por não ter prestado contas da sua campanha eleitoral em 2010, o vereador Egon tinha em mãos uma certidão do próprio TRE declarando que ele não foi candidato em 2010! Neste contexto, as palavras usadas para conter militantes exaltados revelam-se impróprias apartadas daquele ambiente.

Superado esse impasse, em Sapiranga somos todo Deoclécio rumo ao terceiro mandato do PT.

Lamentamos profundamente as posturas anti-éticas – traduzidas numa gravação clandestina e ilegal – que levaram a público um debate interno e ocorrido no plano privado.

Raul Pont
Presidente do PT/RS

Pont reavalia candidatura hoje à tarde

29 de novembro de 2011 3

Em entrevista ao programa gaúcha Atualidade, hoje, o deputado Raul Pont confirmou que sua pré-candidatura a prefeito de Porto Alegre será reavaliada hoje à noite, em reunião com líderes das correntes que o apoiam (Democracia Socialista, PT Amplo, Articulação de Esquerda e O Trabalho). O deputado disse que é ruim para o PT sair do processo de escolha com um candidato que represente pouco mais da metade do partido. Acrescentou que abriria mão da candidatura em favor de um nome de consenso, que tivesse ao apoio de pelo menos dois terços do PT. Pont não escondeu a mágoa com o Movimento PT, que estimulou sua candidatura e ontem declarou apoio a Adão Villaverde. Ouvido na mesma entrevista,Villaverde, que (em tese), tem hoje a maioria dos delegados, defendeu o processo de escolha. Villaverde discordou de Pont e disse que é possível manter a unidade mesmo depois de uma disputa acirrada, como já ocorreu em outros momentos. O deputado garantiu que não procede o temor de setores do PT de que ele teria entrado na disputa apenas para deixar a porta aberta para uma coligação na qual sairia como vice. Reafirmou que a candidatura é para valer. Ouça a íntegra:

Pont é o novo presidente estadual do PT

25 de novembro de 2009 33

Agora é oficial: com 51,01%, o deputado Raul Pont foi eleito em primeiro turno presidente estadual do PT. Em segundo lugar ficou Marcel Frison, com 40,02%. Jorge Branco teve 7,78% e Marcelo carlini, 1,19%.

A participação ficou acima das previsões mais otimistas. Mais de 40 mil filiados participaram do processo, apesar do mau tempo que prejudicou a votação em municípios das regiões sul e noroeste. O PT divulgou os resultados mesmo faltando a apuração dos votos em 15 municípios, mas já não há mais possibildiades matemáticas de mudança dos resultados.

Na eleição para presidente nacional, o resultado gaúcho é diferente do nacional, em que o vencedor foi José Eduardo Dutra. Os petistas gaúchos preferiram José Eduardo Cardozo. Ficou assim a classificação no Estado:

- José Eduardo Cardozo – 17.133 votos – 46,13%
- Zé Eduardo Dutra – 12.480 votos – 33,60%
- Iriny Lopes – 4.247 votos – 11,44%
- Geraldo Magela – 2.724 votos – 7,33%
- Markus Sokol – 375 votos – 1,01%
- Serge Goulart – 179 votos – 0,48%

Em Porto Alegre haverá segundo turno entre os vereadores Carlos Todeschini e Adeli Sell.

Postado por Rosane

Pont lidera a eleição no PT

23 de novembro de 2009 7

Acaba de sair a primeira parcial da eleição para o comando estadual do PT. Com 279 municípios apurados, de um total de 384, o resultado é o seguinte:

Raul Pont – 11.783 votos  (51,29%)

Marcel Frison -  9.110 votos (39,65%)

Jorge Branco – 1,808 votos (7,87%)

Marcelo Carlini - 272 votos (1,18%)

Postado por Rosane

Pont diz que não aceita conchavo

14 de novembro de 2009 9

A propósito do acordo entre PP, PTB, PDT e PMDB para a indicação de conselheiros do Tribunal de Contas, recebo carta do deputado Raul Pont (PT), avisando que não aceitará convhavos.

Veja íntegra:

“Rosane, saúde!

O acordo entre PP, PMDB, PTB e PDT que considera Marco Peixoto (PP) como nomeado para conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, publicado hoje em tua coluna, não faz sentido. Este é um consenso de bastidores, restrito a poucos, e sem o compromisso da Assembléia Legislativa. Falamos aqui daqueles que se renovam no poder e que indicaram um conselheiro do Tribunal de Contas que caiu por corrupção. Não vamos aceitar esse conchavo.

Se esse acordo de bastidores for mantido, isso não tem a ver com o legislativo gaúcho e sim com poucos caciques interessados no cargo. O PT, outras bancadas e certamente a sociedade não aceitam que um conchavo seja oficializado. Vamos lutar para aprovar o projeto de resolução que altera o Regimento Interno, estabelecendo critérios objetivos, para que possamos ter condições de justificar na opinião pública o nome indicado pela Assembléia Legislativa.

E mais: a bancada do PT não tem, ainda, discussão sobre qualquer nome para conselheiro do TCE, seja deputado ou não, queremos aprovar critérios.

Cordialmente,Raul Pont”

 

Postado por Rosane

Solidariedade feminina a Pont

22 de outubro de 2009 28

Na mira da Comissão de Ética pela acusação de ter agredido a deputada Zilá Breitenbach (PSDB), o deputado Raul Pont (PT) recebeu um alento hoje: cópia de uma carta de solidariedade assinada por dezenas de mulheres, dizendo que confiam no trabalho dele. Até o final da tarde, a carta, que circula na internet em forma de corrente, já tinha sido assinada por 150 mulheres.

A carta foi encaminhada aos deputados Francisco Appio (PP), Luciano Azevedo (PPS) e Carlos Gomes (PRB), a quem caberá analisar a denúncia contra Pont. Imagens de vídeo e fotografias mostram que Pont puxou o microfone para tentar impedir Zilá de ler na comissão especial o relatório em que ela propunha o arquivamento do pedido de impeachment. Papeis que estavam na mão da deputada acabaram caindo no chão.

Acreditamos que a deputada Zilá Breitenbach (PSDB) fez uma cortina de fumaça com o ocorrido durante a sessão da CPI, onde apresentou um parecer na contramão do que pensam 62% das(os) gaúchas (os), conforme pesquisa realizada pelo Ibope”, diz o texto. Para ver a íntegra, 

clique aqui.

Postado por Rosane

Pont não descarta possibilidade de CPI

09 de setembro de 2008 31

O líder da bancada do PT na Assembléia, Raul Pont, acredita que o deputado Alceu Moreira (PMDB) tratará do conteúdo do processo que envolve o nome do presidente da casa na reunião de líderes hoje.

O deputado disse no programa Gaúcha Atualidade que existe sim a possibilidade da abertura da uma CPI para investir o caso de desvio superior a R$ 150 milhões da Operação Solidária, mas devido ao andamento de outra comissão de inquérito, que investiga o aumento do valor dos fertilizantes que subiu 106% em um ano, complica o início dos trabalhos para uma nova CPI.

Ouça a entrevista com o deputado Raul Pont

Postado por Michele Iracet

Pont chama de "provocação" homenagem da BM

08 de agosto de 2008 71

A idéia do comandante-geral da Brigada Militar, coronel Paulo Mendes, de instalar um monumento em homenagem ao cabo Valdeci de Abreu Lopes, morto por colonos sem terra há 18 anos, próximo à Esquina Democrática, na Capital, é uma “provocação”, disse o deputado Raul Pont em nota divulgada à imprensa.

Líder da bancada do PT na Assembléia, Pont diz que homenagem “não condiz” com a representação simbólica do local. Afirma ser “um ato provocativo do coronel Mendes, que constrangeu o Conselho Municipal do Patrimônio para aprovar a medida”.

Pont alega que a medida “autoriza os movimentos sociais e aos familiares das pessoas que morreram vitimadas por ações da Brigada Militar a exigirem monumentos nas avenidas em honra de seus mortos”. Acrescenta que a placa é injusta com outros brigadianos que morreram em serviço.

O monumento é uma pedra com 1m20cm de altura que ficará na Borges de Medeiros, 30 metros acima da Esquina Democrática (cruzamento entre a Borges de Medeiros e a Rua dos Andradas). Ontem, Mendes levou uma centena de oficiais e praças à sessão do conselho que terminou aprovando por unanimidade a proposta do coronel.

Postado por Rosane

Um abacaxi para Sartori descascar

23 de dezembro de 2014 7

ABERTURA POLÍTICA+, TERÇA-FEIRA

O primeiro efeito da aprovação da emenda que veta o pagamento do auxílio-moradia a magistrados e membros do Ministério Público será um constrangimento para o governador eleito José Ivo Sartori. Caberá a ele vetar ou sancionar o artigo acrescentado ao projeto que reajustou os subsídios. Sancionar na íntegra significará comprar briga com juízes e promotores. Vetar a emenda de Raul Pont (PT) equivalerá a dizer que concorda com o benefício de R$ 4,3 mil.
No mérito, a emenda é correta: qualquer despesa nova precisa ser criada por lei e entrar no Orçamento. O auxílio-moradia foi dado por uma sequência de canetaços, com base em uma liminar do ministro Luiz Fux, em ação específica movida por juízes federais. Em resposta a uma consulta, o mesmo Fux entendeu que deveria ser estendido a todos os magistrados. Em seguida, o Conselho Nacional de Justiça e o Conselho Nacional do Ministério Público deram aval para o início do pagamento.
Os deputados estaduais, que em sua maioria vivem no Interior, não têm auxílio para passar a semana em Porto Alegre. Por que juízes e promotores deveriam ter, mesmo quando moram em casa própria? O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Aquino Flôres de Camargo, admitiu que o benefício era uma forma de compensação pelo não reajuste dos subsídios. Como o aumento foi aprovado ontem, fica mais difícil justificar o auxílio-moradia, mas ele continuará a ser pago com o argumento de que juízes e membros do MP federal e de outros Estados recebem.
Quem discordar pode recorrer à Justiça, mas se os juízes estão convencidos da legalidade do pagamento, mesmo sem lei específica, a ação nasce morta. Logo, o efeito da emenda de Pont é apenas político: reabrir o debate sobre a legitimidade do auxílio-moradia.