Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Com licença, que vou ali realizar um sonho e já volto

30 de junho de 2014 32

Estou saindo do ar por 10 dias. Tenho um resto de férias para tirar e resolvi aproveitar esse intervalo entre o fim da Copa em Porto Alegre e o início efetivo da campanha eleitoral (que só esquenta mesmo na segunda quinzena de julho). Viajo nesta terça-feira para uma cidade mágica, a Cartagena dos livros de Gabriel García Márquez, e aproveito para tomar um pouco de sol e secar o mofo dessa chuvarada.
Cartagena é um sonho de consumo que tenho desde O Amor nos Tempos do Cólera. Ou seria desde Do amor e outros demônios? O desejo de circular pelas ruas dessa cidade colombiana cresceu com Viver para contar, a biografia de G. G. Márquez.
Por uma dessas coincidências que não estavam no roteiro, assistirei a Brasil e Colômbia, sexta-feira, em meio aos torcedores colombianos, torcendo pela nossa Seleção. Se a Colômbia avançar (toc, toc, toc), quem sabe não me candidato a enviada especial a Bogotá?
Na coluna, fica o Juliano Rodrigues. No Atualidade, Daniel Scola e Carolina Bahia manterão nossos ouvintes muito bem informados. Nos próximos dias, vou brincar de fotógrafa e compartilhar imagens de dias ensolarados no Instagram.
Até a volta na sexta-feira, 10 de julho.

Dirigentes do PTB contestam Busato

30 de junho de 2014 1

Na edição de sábado, Política+ publicou uma manifestação do deputado federal Luiz Carlos Busato, que se mostrava inconformado com o apoio de seu partido ao candidato do PSDB, Aécio Neves, depois de ter passado três anos e meio no governo de Dilma Rosuseff. O advogado Luiz Francisco Corrêa Barbosa  e o secretário nacional de Comunicações do PTB, Honésio P.P. Ferreira, divulgaram nota contestando as declarações de Busato. Veja a a íntegra da nota e o texto publicado na coluna de sábado:

“O deputado Busato realmente disse na convenção nacional do PTB que falava em nome da bancada federal e que lá só havia um deputado apoiando o candidato do PSDB.
Soou estranho, mas ninguém quis causar constrangimento ao companheiro, pois todos sabiam que lá estavam dois deputados que apoiam o PSDB em seus Estados, Eros Biondini (MG) e Josué Bengston (PA).
O fato é que Busato não fala pela bancada federal, pediu reunião de bancada para tirar uma nota, reunião que não houve e nota muito menos.
O essencial é que não é a bancada que decide essa questão – candidaturas à Presidência da República  – a decisão é da convenção nacional do PTB e esta decisão foi tomada de forma inequívoca.
No PTB o presidente não saiu correndo de seus convencionais que o apupavam para decidir de portas fechadas.
No PTB não delegamos a decisão para uma Comissão esperar a nomeação de um ministro.
Pelo contrário, dispensamos cargos e contrariamos o poder neste processo, com independência e coragem para buscar a mudança que a maioria esmagadora da população brasileira deseja.
Numa convenção nacional quem manda é a base do partido, sempre muito distante dessas negociações de gabinete e insensível a elas.
Pesquisem a base de todos os partidos e essa verdade aparecerá.
Senão, basta ver o resultado da convenção do PMDB, que tem o vice na chapa, cinco ministérios, o comando do legislativo federal e um “zilhão” de cargos e teve no resultado de sua convenção um placar típico de “saia justa”, ou mesmo o “volta Lula” que não cessa no PT.
As suspeitas que Busato levanta na Zero Hora não foram ditas diante dos convencionais.
Penso que Busato terá de responder a elas diante do partido porque faltou com a verdade e lançou sobre o PTB graves suspeições que têm de ser apuradas e provadas.
Busato preside o PTB no Rio Grande do Sul, que é o berço do nosso partido, onde nossos companheiros sempre defenderam a legenda com vigor e coragem contra aqueles que se lançam contra nós e por isso recebem um reconhecimento especial de todos os filiados do Brasil.
Insatisfações existem sempre, divergências sempre serão toleradas, mas a vontade da maioria tem de ser respeitada e esta vontade foi manifestada de forma inequívoca e avassaladora.
Busato entrou na contramão da história do PTB.

Honésio P.P. Ferreira, Secretário Nacional de Comunicações.
Luiz Francisco Corrêa Barbosa, Secretário Nacional Assuntos Jurídicos”.

Aqui o texto que reproduz a entrevista de Busato:

“PTB apoia Aécio À REVELIA DOS DEPUTADOS

Realizada em Salvador, a convenção nacional do PTB que aprovou o apoio a Aécio Neves (PSDB), ontem, revelou um partido dividido e lembrou o racha do PP no apoio a Dilma Rousseff. A diferença é que o PTB não tentará anular o resultado da convenção na Justiça, como fez o PP. Ontem, o Tribunal Superior Eleitoral rejeitou a pretensão do PP de anular a decisão.  
Representante do Rio Grande do Sul, o deputado Luiz Carlos Busato falou em nome da bancada federal e soltou o verbo no discurso que fez na convenção. Disse que o PTB estava sendo incoerente, por participar do governo até agora e, na última hora, virar a casaca:
_ O problema não é o apoio a Aécio ou a quem quer que seja. É a forma obscura como o partido fez isso e que dá margem para todo tipo de especulação, inclusive para a suspeita de que houve uma grande negociata.
O diretório gaúcho não foi consultado pelo presidente do PTB, Benito Gama.
_ Não recebemos sequer um telefonema. Ninguém da bancada foi consultado _ reclama Busato.
O deputado avalia que o PTB “está caminhando para o fundo do poço” e que a forma como foi negociado o apoio a Aécio desmoraliza completamente o partido:
_ Poucos dias antes, o PTB declarou apoio à presidente Dilma. Fizemos um almoço e lá estava a vereadora Cristiane Brasil (filha de Roberto Jefferson), abraçada na presidente. A virada de mesa indica que algo muito escuso  ocorreu nos bastidores dessa negociação.
Busato diz que, por coerência, o PTB do Rio Grande do Sul vai apoiar Dilma e manter a aliança com Tarso Genro. No dia da convenção estadual, um interlocutor do PP chegou a procurar o PTB para tentar reverter a aliança com Tarso e atrair o partido para a candidatura de Ana Amélia Lemos, mas não obteve sucesso. Na próxima semana, o PTB vai indicar os suplentes de Olívio Dutra, candidato do PT ao Senado.”

E Getulinho encontrou em campo com Neuer

30 de junho de 2014 2

DIÁRIO DA COPA

Mal começou o jogo entre Alemanha e Argélia e eu já elegi a minha cena do dia: foi emocionante ver o sorriso do menino Getúlio da Silva, nove anos, entrando em campo de mãos dadas com o goleiro Neuer. Ontem quando cheguei para trabalhar, encontrei Getúlio _ vestido com a camiseta da AACD _  e os pais saindo aqui do prédio de ZH. Tirei uma foto com ele e senti a emoção do guri ao contar que entraria em campo com a seleção da Alemanha. Sugeri que entrasse com o Müller, o goleador, mas ele não quis nem cogitar a hipótese:

_ Eu quero entrar com o Neuer, o goleiro.

Só depois vim a saber a história dele: Getulinho, hoje aluno da 4ª série, superou uma paralisia cerebral. Antes de caminhar sozinho, jogava futebol de muletas.

 

Menino que superou deficiência física entrará com jogador alemão nesta segunda no Beira-Rio Léo Cardoso/Agencia RBS

 Foto: Léo Cardoso / Agencia RBS

 

Ao repórter Itamar Melo, ele contou:
– Vou me apresentar para ele: “Ich bin Getúlio”. Vai ser goleirinho com goleirão.

Pela TV, vi que ele conversava com o goleiro alemão. O que conseguiu dizer? O que ouviu de Neuer? Estou curiosa para saber de Getulinho, depois do jogo, como foi esse momento mágico que ele viveu no Beira-Rio.

 

Até Assembleia tem problemas de acessibilidade

29 de junho de 2014 2

Com dificuldades de locomoção, o ex-deputado Mendes Ribeiro Filho teve dificuldade para chegar ao palco do Teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa, onde se realizou a convenção do PMDB. Na falta de uma rampa, amigos do deputado foram obrigados a erguer a cadeira de rodas nas escadas.

novomendes

Normalmente, o acesso ao Dante Barone se dá pelo vestíbulo nobre, mas não existe uma rampa para os cadeirantes. As pessoas com deficiência só conseguem entrar no teatro fazendo um caminho tortuoso. Têm de entrar pela porta que dá acesso aos elevadores, subir até o primeiro andar e de lá seguir até uma entrada lateral do teatro, com um elevador para cadeiras de rodas.

O superintendente de Comunicação da Assembleia, Cleber Bertoncello, informa que esse problema deverá ser corrigido com as adaptações previstas no novo plano diretor da Assembleia, que tem a acessibilidade como norte. Os projetos, no entanto, ainda estão em fase de elaboração.
O tratamento para o câncer no cérebro, que o obrigou a pedir aposentadoria por invalidez, não afastou Mendes das articulações políticas. Ontem, ele fez questão de ir à convenção que homologou a candidatura de José Ivo Sartori, apesar de ser um dos mais ardorosos defensores da reeleição de Dilma Rousseff. Sartori se aliou ao PSB e vai apoiar a candidatura de Eduardo Campos a presidente.

Quem são os candidatos do Solidariedade

29 de junho de 2014 2

Nascido de uma costela da Força Sindical, o Solidariedade aprovou em convenção o apoio à candidatura de Ana Amélia Lemos ao Piratini  e emplacou o deputado Cassiá Carpes como vice. Na eleição para deputado federal, o partido integra o “chapão” que reúne, ainda, PP, PSDB e PRB. O único candidato deputado federal é o presidente do partido, Claudio Janta.

Confira a lista de candidatos do SDD com seus respectivos números:

CÂMARA DOS DEPUTADOS

- Claudio Janta – 7711

Segue abaixo a relação dos candidatos a Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados:

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

-Paulino de Moura – 77670

- Mauro Petry -  77777

- Gerson Moura  -  77305

- Danilo Barbudo  – 77789

- Marco Aurélio – 77630

- Pedro Waskiewicz – 77700

- Rafael Alves – 77800

- Nelson Brambila -  77888

- Gelson Braga  -  77222

-  Leandro Aguirre – 77010

- Agnelo Chiodo – 77877

-  Kathrein Castro- 77000

- José Antônio -  77123

- Flavio Maciel – 77011

- Karen Lannes -  77555

-  Jéferson Pires – 77111

-  Renan – 77741

Você está convidado a conhecer o Inamex

29 de junho de 2014 2

CRÔNICA DE DOMINGO

Numa dessas manhãs chuvosas que marcaram a semana, saí do programa Gaúcha Atualidade e fui conhecer o Inamex, instituição presidida por um conterrâneo de Espumoso, o Luiz Giacobo, a quem não conhecia pessoalmente. Soube do trabalho dele por um amigo da nossa terra, o Mário Bertani, e resolvi dedicar duas horas do meu dia para ver se poderia ajudar de alguma forma. Quero compartilhar aqui o que vi naquela manhã e apelar aos meus amigos reais e virtuais para que pensem numa forma de ajudar essa instituição.
O Inamex (Instituto de Amparo ao Excepcional) é uma organização não-governamental sem fins lucrativos, que há mais de três décadas abriga pessoas com deficiência mental severa, a maioria abandonada pelas famílias. Depende da ajuda de voluntários como o Luiz Giacobo, um engenheiro eletricista que, depois de aposentado, resolveu dedicar sua energia a esse lar de pessoas  vulneráveis ao extremo. Eu já tinha ouvido falar do Inamex, mas uma coisa é ouvir; outra, muito diferente, é entrar, ver as carências e testemunhar o trabalho incansável dos cuidadores.
Ao entrar, a primeira coisa que me chamou a atenção foi a limpeza do local e o cheiro bom da comida sendo preparada na cozinha. Instalações muito simples, mas cuidadas com esmero. O Luiz foi me conduzindo pelos espaços e contando do desafio de manter uma instituição que abriga 46 pessoas necessitadas de cuidados 24 horas por dia. Cada um recebe R$ 720 pela Lei Orgânica da Assistência Social, mas custa em média R$ 4 mil por mês. É por isso que o Inamex precisa tanto de doações.
O Luiz e sua equipe apelam para a Ceasa, para os supermercados, para os voluntários. Já na entrada da porta há uma lista dos produtos que a casa necessita e uma anotação do que é mais urgente, além dos alimentos: fralda geriátrica, sabonete, talco, xampu, colchão. Tudo é bem-vindo, incluindo roupas, brinquedos e adereços de cabelo, porque as crianças (de 10, 20, 30 ou 40 anos) brincam e têm lá suas vaidades.

inamex

A primeira coisa que pensei ao ver o primeiro grupo de internos foi nas pessoas que têm tudo e reclamam da vida. Nós não sabemos o que é problema, pensei com os meus botões. Estavam reunidos numa sala de recreação, assistindo TV, boa parte deles sem entender nada. Quando entramos, vários deles vieram me abraçar e pega na mão do Luiz, a quem alguns chamam de pai. Sem conseguir falar direito, expressam-se na linguagem do carinho. Primeira lição do dia: quem não tem como dar ajuda material, pode dar alguns minutos de afeto e atenção.
Na outra ala estão os que não têm qualquer autonomia. A maioria não fala, alguns não andam, quase todos têm a idade mental de um bebê.  Uma senhorinha segurou minha mão e não queria largar. Um rapazote fez um gesto que exigiu do Luiz uma explicação:
_ Ele gosta de gravatas. Está te pedindo uma gravata.
(Se alguém tiver gravatas velhas e não souber o que fazer com elas, eu tenho para quem dar).
Luiz Giacobo contou também que o Inamex já enfrentou uma ameaça de despejo (a casa na Rua Curupaiti é alugada há três décadas). A Justiça garantiu a permanência no local, por não ter o que fazer com os 46 pacientes (há outros tantos numa lista de espera). Na administração de José Fogaça, a prefeitura doou um terreno para a construção de uma sede própria. Uma arquiteta, cunhada do Luiz, doou o projeto. Mas falta dinheiro para construir o prédio. Com amigos empresários da construção civil, o presidente do Inamex conseguiu a reforma do telhado, a troca de assoalho e pequenos consertos.
Meu conterrâneo dedica oito horas do seu dia a essa missão. E precisa de ajuda. Se você chegou até aqui e quiser ajudar de alguma forma, por favor, entre em contato com o Inamex. As portas estão abertas para uma visita.
Endereço: Rua Curupaiti, 880, Bairro Cristal (a rua é paralela à Icaraí).
Telefone: 3249-1243
Site: www.inamex.com.br
E-mail: inamex@inamex.com.br
Conta para doações em dinheiro: Banco do Brasil, agência 2822-3, conta corrente 4193-9

O milagre da multiplicação dos likes

27 de junho de 2014 1

Candidato a deputado federal, o vereador Claudio Janta, do Solidariedade, conseguiu uma façanha: conquistou mais de 94 mil seguidores na sua página oficial no Facebook em apenas uma semana. No fim da tarde desta sexta-feira, o perfil de Janta tinha 89 mil curtidas. Menos de duas horas depois, já eram 94,2 mil.

Veja as estatísticas abaixo:

janta

A multiplicação coincide com a divulgação de um e-mail para candidatos a deputado, no qual uma pessoa vendia “likes”.

likesJanta garante que não contratou o serviço e fez uma campanha com os eleitores para conseguir mais seguidores.

— Eu não tinha página oficial. Fiz uma na semana passada e pedi para os eleitores me ajudarem a ter mais seguidores. Usei apenas o sistema do próprio Facebook, que impulsiona as publicações por uma determina quantia. Não faria sentido comprar likes, porque as minhas postagens chegariam a pessoas de outros Estados. Jamais faria isso — explica.

Os candidatos nas eleições de outubro têm até o dia 5 de julho para impulsionar financeiramente as suas páginas pessoais em redes sociais.

Boa notícia: Viaduto da BR-116 será liberado domingo

27 de junho de 2014 29

Depois de tantos meses recebendo reclamações de ouvintes irritados com o engarrafamento na BR-116, foi uma alegria abrir minha caixa de mensagens e encontrar uma nota oficial do DNIT confirmando a liberação para o próximo domingo.

Vou colar aqui a nota na íntegra, para que os interessados tenham a informação completa:

“NOTA OFICIAL DO DNIT

Viaduto de Sapucaia do Sul será liberado no domingo, 29/06

 Com seis meses de antecedência, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) libera neste domingo, 29/06, a parte superior do viaduto de Sapucaia do Sul, no quilômetro 253 da BR-116. Com três faixas de rolamento para cada sentido, a estrutura levou 15 meses para ser construída. A liberação acontece às 8 horas no sentido Capital-Interior e, por volta, das 10 horas será aberto o sentido oposto. Com isso, a sinaleira provisória instalada a poucos metros da rua Pirelli Sul será desativada. A obra tem orçamento total atualizado – incluído a parte inferior – de R$ 42,1 milhões e iniciou em abril de 2013.

O DNIT informa que, com a liberação do viaduto ao tráfego, os usuários da BR-116 contarão com cinco pistas para cada sentido, dando fim a mais um ponto de estrangulamento do trânsito nesta rodovia. O órgão alerta que, a partir da liberação, a travessia a pé da rodovia deve ser feita por baixo do viaduto. Para garantir a segurança dos pedestres a sinaleira na altura do Km 253 junto à rua Lúcio Bittencourt será reativada.

A partir de segunda-feira, 30, operários iniciam os serviços sob a elevada. Serão executados arremates na lateral do viaduto, drenagem pluvial, calçadas e obras de mobilidade urbana (retornos e travessias). Ao término a empreiteira ainda fará a recuperação asfáltica das ruas laterais e sinalização complementar. A expectativa da construtora é de que esta etapa seja concluída no início de outubro, dois meses antes do prazo contratual da obra.  Bloqueios parciais na pista poderão ocorrer ao longo dos serviços, mas por enquanto não há interrupções previstas.

Viaduto em Números

Quantos operários – no auge da obra 120 trabalhadores

Tempo de execução – 15 meses

Vigas – 324

Extensão – 700 metros

Largura – 24 metros”

 

Nem tudo é festa na Cidade Baixa

27 de junho de 2014 34

Transcrevo aqui a carta da médica veterinária Daniele Peducia, moradora da Cidade Baixa, e uma das tantas inconformadas com os transtornos causados pelas festas no bairro, nesse período de Cpa. Daniele reclama principalmen te da instalação de banheiros químicos em frente oa edifício em que ela mora.

Confira a íntegra da carta:

“Olá Rosane,

Entro em contato contigo como uma atitude desesperada de moradora da Cidade Baixa, porque todas as minhas tentativas legais de ajudas foram rechaçadas por autoridades ou funcionários públicos. Hoje pela manhã escutando o Gaúcha Atualidades ouvi vocês falando com o contador dos comerciantes da Cidade Baixa, confesso que não ouvi toda a entrevista, porque estava chegando no trabalho, mas preciso relatar o que nós, moradores, estamos vivendo esses dias de Copa.

Primeiro, entendo que tem um evento na cidade desse porte e que o bairro seja referência de local para ir, mas por favor, aqui também existem moradores, e muitos são idosos que viveram uma vida inteira no bairro. Somos desrespeitados diariamente por inúmeros descumprimentos da lei por parte de bares e restaurantes. E agora, na Copa, estamos sendo violentados com a benção da Prefeitura Municipal de Porto Alegre que fechou os olhos para a fiscalização do horário (que ela mesma criou) além de distribuir, em uma única calçada de edifícios residenciais, 10 banheiros químicos. Uma atitude totalmente desrespeitosa com seus moradores e veja bem paliativa, porque o bairro amanhece fedendo a xixi da mesma forma (como foi publicado no Diário Gaúcho hoje, dia 26/06). Os banheiros foram colocados em frente ao meu edifício, porque os donos de bares não permitiram que fossem postos em frente aos seus estabelecimentos. Ora, se eles estão lucrando, porque tem que ficar em frente a nossa casa? Se ficaria fedendo em frente aos estabelecimentos deles, porque em frente da nossa casa não fede? E veja bem cara Rosane, 10 banheiros não faz nem cócegas para a multidão que frequentou o bairro, mas posso garantir que esses mesmos 10 nos causaram uma violenta agressão.

Há dias não dormimos mais. Há dias somos proibidos de ir e vir (direito garantido pela Constituição Federal), porque a nossa quadra da Lima e Silva (Entre Luis Afonso e República) é bloqueada para a “festa” acontecer. O fato é que, nós, moradores, nunca fomos informados pelas autoridades que tal atrocidade ocorreria por aqui. Se alguém passar mal, é impossível sair de carro.

Nunca houve cadastramento dos moradores dessa região, então em todos esses dias de copa, caso algum morador tenha a necessidade de chegar mais tarde em casa, não consegue entrar na garagem do seu edifício, porque os agentes da EPTC não permitem. Isso é justo? Tu consegues imaginar a situação a que estamos submetidos?

A bagunça está tão grande que semana passada saímos de casa e fomos para um hotel. E as noites que fiquei em casa dormi cerca de 2 horas por noite para depois ter que enfrentar um dia inteiro de trabalho.

Acho ótimo que os turistas estejam adorando Porto Alegre e que os bares (alguns) estejam ganhando muito dinheiro, mas não acho certo que tudo isso ocorra em detrimento do nosso direito de descansar e o que é pior, descumprindo leis, tocando músicas (quando não possuem alvará para isso) e quiosques na rua para vender mais. O caos que aqui se criou apenas comprova o quanto ninguém se preparou para receber os turistas. Tudo foi feito com o famoso “jeitinho brasileiro” e os moradores incomodados que se retirem, afinal o que importa é o dinheiro.

Fica a minha pergunta: se a Prefeitura permitiu toda essa desordem porque é a Copa, que precedentes ela mesma está criando para que todos estes estabelecimentos passem por cima da legislação em outras datas?

Por favor Rosane, peço encarecidamente que relate nosso ponto de vista também. As pessoas precisam saber o que estamos passando nesses dias. A prefeitura precisa respeitar os contribuintes aqui do bairro e, pelas atitudes, está bem claro o quanto ela não tem nenhuma preocupação conosco.

O fato é que somos cidadãos que pagamos impostos igual a qualquer outro da cidade e não é pelo fato de morarmos aqui que merecemos esse tipo de tratamento. Os bares sempre existiram, o problema são as infrações que cometem (e são muitas) e o poder municipal nada faz.

Afinal de contas, Porto Alegre não é apenas um cartão postal das 12 sedes da Copa do Mundo, mas a cidade dos seus moradores.

Atenciosamente,

Daniele Peducia

Médica Veterinária

Cidadã e moradora do bairro Cidade Baixa”

Impasse na escolha de candidato ao Senado

26 de junho de 2014 6

Na véspera da convenção do PP, a chapa encabeçada pela senadora Ana Amélia Lemos, com Cassiá Carpes (SDD) de vice, ainda não tem definido o candidato ao Senado. Reservada inicialmente para o PSDB, a vaga ainda não foi preenchida porque os tucanos não conseguem encontrar um nome de consenso e as opções oferecidas não agradam à senadora. O preferido de Ana Amélia era o deputado Nelson Marchezan Jr,. que, além de enfrentar resistências internas, prefere concorrer à reeleição. O PP sugeriu então o cientista político Fernando Schüller, mas ele também não aceitou.
Cansada de esperar pelo PSDB, Ana Amélia convidou a vice-presidente da Federasul, Simone Leite, filiada ao PP. Simone disse a Zero Hora que ainda não decidiu e que terá uma reunião decisiva com Ana Amélia amanhã.
Hoje, às 20h, haverá nova reunião entre os líderes do PP e do PSDB para tentar chegar a um consenso. Os tucanos resistem em abrir mão da vaga e apresentaram três nomes: Francisco Luçardo, Irineu Schenkel e Jorge Drumm. Nenhum agradou ao PP, por não ter densidade eleitoral ou um discurso moderno, de renovação.
Para complicar a situação, o ex-vice-governador Vicente Bogo quer disputar a indicação na convenção, apesar de seu nome ter sido incluído na lista dos gestores ameçados de não poder concorrer porque tiveram contas rejeitadas. Outro que se apresentou como pré-candidato do PSDB e e se dispõe a disputar a indicação com Bogo é o advogado Leudo Costa.

Dilma troca o ministro dos Transportes outra vez

25 de junho de 2014 16

O Palácio do Planalto acaba de confirmar a substituição do ministro dos Transportes, César Borges. O substituto será o ex-ministro Paulo Sérgio Passos, um técnico da confiança da presidente Dilma Rousseff, que havia sido afastado em abril de 2013 para satisfazer as exigências do Partido da República (PR). O mesmo PR que indicou Borges exigiu sua saída para apoiar a reeleição de Dilma. O argumento é de que o ex-governador da Bahia já não detém a confiança do partido. Curiosamente, aceitou o retorno de Passos.

Como confia em Borges e não quer deixá-lo fora do governo, Dilma remanejou o ministro para a Secretaria de Portos.

Se antes as mudanças eram feitas em nome da governabilidade, agora a justificativa para a substituição de um ministro é meramente eleitoral: o PR pediu, a presidente trocou. Menos mal, para o país, que Passos é um homem sério e não há nada que desabone sua conduta à frente do Ministério dos Transportes.

O segundo melhor lugar para ver um grande jogo

25 de junho de 2014 2

DIÁRIO DA COPA

Foi perdido o tempo em que passei na frente do computador, tentando comprar ingresso para ver Argentina e Nigéria no Beira-Rio. Quem mandou ter descoberto tão tarde que ver o Messi jogar uma partida da Copa do Mundo em Porto Alegre seria um espetáculo irrepetível? Não fui ao Beira-Rio, mas vi o show de Lionel Messi no segundo melhor lugar em que poderia assisti-lo: no telão, diante de uma multidão de argentinos na Fifa Fan Fest.


Os argentinos pintaram de azul e branco o Anfiteatro Pôr do Sol. Vibraram com os gols de Messi e de Rojo (de cuja existência tomei conhecimento ontem) e silenciaram nos dois gols da Nigéria. Os brasirianos, como apelidei os brasileiros que torceram pela Nigéria, fizeram o contrário, mas tudo com muito respeito.

Na Fan Fest eu descobri que Di María, Higuain, Mascherano e Zabaleta são melhores do que eu imaginava. Ou mais amados do que eu pensava. Quem só tem olhos para Messi (e é meu caso), desenvolve um tipo de miopia. Com  aquele jeitinho de menino desamparado, ele ofusca mas não anula os companheiros. Alguma dúvida de que ele é melhor do que Maradona? Eu não tenho.
Quando o telão mostrava a vibração dos torcedores no estádio, os argentinos na Fan Fest explodiam  em animação. Era como se uma ola iniciada no Beira-Rio se conectasse com a massa que ficou do lado de fora do estádio.
Minha cena inesquecível da Fifa Fan Fest poderia ser a da reação do público no momento em que Messi foi substituído e tirou a braçadeira de capitão. Mas não. Ela ocorreu a meu lado, na chamada Área de Hospitalidade: foi o abraço de um argentino e de um nigeriano. O torcedor argentino tirou a camisa listrada de azul e branco e deu-a para o nigeriano. O sorriso do nigeriano traduzo espírito da Copa. É a magia do congraçamento entre os povos. Talvez fosse diferente se as duas seleções estivessem disputando uma vaga entre elas, mas Argentina e Nigéria, classificadas, deram um presente a quem viu o jogo no Beira-Rio, na Fan Fest ou pela TV.

nigeriano

A dispersão foi um espetáculo à parte. Até o Dilúvio ficou bem na foto dos turistas que queriam levar sua lembrança de Porto Alegre.

punks

Sintomas de estresse nas relações

25 de junho de 2014 7
Foto: Renan Arais, Divulgação

Foto: Renan Arais, Divulgação

A forma como a presidente Dilma Rousseff conseguiu o apoio do Partido Progressista (PP) – se é que a convenção não será anulada na Justiça – e do Partido da República (PR) demonstra a fragilidade nas relações com os partidos aliados. Graças a uma manobra do presidente do PP, Ciro Nogueira, Dilma ganha o tempo de TV, mas terá de conquistar os corações e mentes dos filiados se quiser que trabalhem pela sua reeleição.

Os líderes do PP gaúcho foram para a convenção dispostos a lutar pela neutralidade, porque se aliaram a Aécio Neves (PSDB) e querem poder usar a imagem dele ao lado de sua candidata ao Piratini, Ana Amélia Lemos. Ao perceber que o discurso de Ana Amélia (foto) poderia convencer a maioria a votar contra a aliança com Dilma, Nogueira decidiu que a executiva teria o poder de decidir sobre alianças, mas não submeteu a decisão a votação. Ou seja, a convenção não votou o apoio a Dilma e, por isso, os que eram contra vão tentar a anulação na Justiça.

Depois de perder o PTB, que já havia anunciado apoio a Dilma, o PT jogou pesado para assegurar a manutenção de outros aliados que garantirão à presidente cerca de 45% de todo o tempo de rádio e TV. Para ter o PR, a presidente concordou em entregar a cabeça de César Borges, ministro dos Transportes, que, no momento, “não representa” o partido. Curiosidade: o mesmo PR que em abril de 2013 exigiu o afastamento de Paulo Passos, um técnico da confiança de Dilma, agora pode aceitá-lo de volta.

No vaivém das alianças, ainda está para ser contada a história da saída do PTB da coalizão. Os motivos alegados pela direção nacional não convencem nem os líderes do partido no Rio Grande do Sul. Noves fora as questões regionais, que precipitaram o rompimento, por trás do desembarque pode estar um desacerto em relação ao financiamento da campanha.

Sistema dificulta renovação

24 de junho de 2014 7

A duas semanas do início da campanha, os candidatos de primeira viagem a deputado federal e estadual se defrontam com a dificuldade de enfrentar quem já está estabelecido. O desafio de conquistar os eleitores que desejam renovação na política esbarra na falta de dinheiro para a campanha e na concorrência com quem tem estrutura de gabinete a serviço da candidatura, cabos eleitorais espalhados por todo o Estado e, no caso dos deputados federais, as emendas parlamentares.
As emendas são o principal pesadelo dos estreantes, porque rendem aos veteranos votos de eleitores agradecidos pelos recursos que seu deputado conseguiu garantir no Orçamento da União, e ajuda no financiamento da campanha. Na melhor das hipóteses, o fornecedor da obra ou produto previsto na emenda expressa sua gratidão contribuindo legalmente para a campanha. Na pior, uma parte do valor do produto ou serviço cai direto na caixinha (2) do autor da emenda, como dinheiro não contabilizado.
O detentor de mandato tem toda a estrutura do gabinete a seu serviço. Da secretária que mantém atualizada a agenda de aniversários para enviar cartões ao jornalista que faz o boletim do mandato, o sistema favorece a reeleição. Na bancada federal gaúcha, somente seis dos 31 deputados não serão candidatos à reeleição – Manuela D’Ávila (PC do B) e Enio Bacci (PDT) concorrem a deputado estadual, Vieira da Cunha (PDT), a governador, Beto Albuquerque (PSB) disputa o Senado e Mendes Ribeiro (PMDB) se aposentou por invalidez. Seu suplente, Eliseu Padilha (PMDB), desistiu de ser candidato. Vilson Covatti (PP) abriu mão de concorrer para tentar eleger o filho, Luiz Antônio, que até adotou o nome de Covatti Filho para tentar herdar os votos do pai.

PSTU define candidatos

23 de junho de 2014 3

Na convenção que aprovou a aliança com o PSOL, com Roberto Robaina no Piratini e Julio Flores como candidato ao Senado, o PSTU homologou a lista de concorrentes a deputado federal e estadual. A estratégia do partido é concentrar esforços em poucos nomes. As prioridades são a sindicalista Vera Guasso para a Assembleia Legislativa e o líder estudantil Matheus Gomes, o Matheus Gordo, para a Câmara dos Deputados).
São os seguintes os candidatos, com seus respectivos números:

CÂMARA DOS DEPUTADOS
- Matheus Gomes – 1616
- Bradimir Silva – 1600
- Alda Oliver – 1611
- Sadao Makino – 1622

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA
- Vera Guasso – 16123 (Candidata prioritária)
- João Augusto de Moraes Gomes – 16160
- Paulo Sérgio Weller – 16000