Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Biutiful em Cannes

17 de maio de 2010 1

O diretor mexicano Alejandro González Iñárritu e o ator espanhol Javiér Bardem nas gravações de Biutiful. Foto: divulgação

Único filme de um país da América Latina a disputar a Palma de Ouro no 63º Festival de Cinema de Cannes – apesar de ter sido gravado na Espanha -, Biutiful obteve críticas divergentes hoje, na França, mas já desponta como um dos favoritos ao prêmio.

Sob direção de Alejandro González Iñárritu, o longa-metragem mostra a viagem interior de Uxbal, um homem que cuida sozinho dos dois filhos, em Barcelona, e vive dividido entre o mundo do crime e de sua vidência.

O cineasta afirmou que a viagem de Uxbal é muito intensa.

- É uma navegação delicada, e Javir Bardem o interpreta com notas muito sutis – acrescentou o diretor, que disse na entrevista coletiva nunca ter ficado tão satisfeito com um filme como está com este.

A atuação do espanhol Javier Bardem (vencedor do Oscar de melhor ator coadjuvante no ano passado) foi aplaudida por toda a crítica.

- Nunca vi ninguém investir tanto de si em um personagem – afirmou o cineasta mexicano, após a exibição para a imprensa do filme.

González resume personagem de Javier como sendo “alguém que quer fazer o bem, mesmo quando tem uma espada sobre a cabeça, tudo o que deseja é o amor, o perdão, a compaixão”.

Este é o primeiro filme de González sem a presença do roteirista Guillermo Arriaga. Eles haviam trabalhado juntos em filmes como Amores Brutos (2000), 21 Gramas (2003) e Babel (2006).

Bookmark and Share

Comentários (1)

  • Juliana diz: 17 de maio de 2010

    nada disso me espanta. Barden é um ator exemplar para quem ingressa nessa área, com uma rara sensibilidade e uma adaptação grande. Ele aparenta sequer fazer força para compor o personagem. Achei o tema do filme instigante e inusitado. Aguardo para ver!

Envie seu Comentário