Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A Lenda dos Guardiões: penas perfeitas, roteiro nem tanto

08 de outubro de 2010 0

Warner Bros/divulgação

A convite da Espaço Z e do Cinesystem Iguatemi fui conferir o filme A Lenda dos Guardiões, que estreia no país e em Santa Catarina neste final de semana. Leia o comentário.

Outra estreia deste fim de semana, a aventura de fantasia A Lenda dos Guardiões promete agradar aos olhos.

Os efeitos visuais são deslumbrantes, as corujas são perfeitas e o 3D muito bem utilizado. Mas o filme peca por tratar da eterna luta do bem contra o mal sem personagens carismáticos.

O filme é baseado nos três primeiros livros (de uma série de 15) da escritora norte-americana Kathryn Lasky, publicados entre 2002 e 2008. A direção fica por conta de Zack Snyder, que estreou como cineasta em 2004, fez sucesso com produçõescomo 300 e Watchmen e faz agora sua primeira animação.

O longa conta a história da coruja Soren, que acompanha as narrativas de seu pai sobre os Guardiões de Ga’Hoole _ um lendário grupo de guerreiros alados que enfrentam várias batalhas para salvar a ordem das corujas dos malvados Puros.

Ao serem capturados pelos Puros, Soren e seu irmão Kludd acabam presos nas garras dos vilões. Soren consegue fugir e encontra o local onde moram os lendários Guardiões, que são os únicos que podem ajudálo a salvar o mundo da vilania das corujas maldosas.

Entre descobertas de novos lugares e amizades, Soren embarca em uma batalha cheia de efeitos especiais. As cenas de luta entre as aves são uma marca do diretor Zack Snyder, que, a exemplo de 300, faz belas cenas de guerreiros lutando em slow motion _ ainda que, muitas vezes, fique difícil identificar tantas corujas se digladiando no ar.

O 3D não causa aquela sensação nauseante. Pelo contrário, é usado de forma equilibrada, em especial as cenas das aves em voo, em uma forte nevasca e no fogo. Os flocos de neve, as gotas, as penas e a pelagem das corujas são vívidas e reais. Mas a perfeição que as imagens têm de sobra, falta na construção e no desenvolvimento da história.

Se as corujas bonitinhas parecem atrair a criançada, a história passa longe de ser um conto de fadas. O filme tem violência o tempo inteiro e não se deixa levar pelo que poderia atrair um público maior: a emoção e a comicidade, ainda que alguns personagens (como a cobra-babá e o guerreiro-poeta) tentem dar um tom leve. Mas infelizmente ficam apenas na tentativa.

Bookmark and Share

Envie seu Comentário