Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts do dia 19 maio 2011

Malícia ou ingenuidade?

19 de maio de 2011 1
Jefferson Botega
Ajeitar o piercing assim é malícia ou não?

Aconteceu com um amigo no point do Riozinho, em Florianópolis. Ele e a Fernanda, sua namorada há quase quatro anos, já estavam fechando o guarda-sol quando encontraram a Ju, amiga de uma colega de trabalho. Os dois mal se conheciam, a não ser pelos comentários da colega de escritório, que vivia contanto as estripulias da amiga no verão de Floripa – nada muito “grave”, mas o suficiente para atiçar os instintos masculinos.

Fim de tarde, calorão e aquele papinho social rápido. Na hora de ir embora, a tal amiga disparou com uma entonação lânguida, típica das gurias gaúchas criadas em Porto Alegre:
— Então tá. A gente se fala pelo MSN.

Foi só a Ju terminar a frase, pegar a cadeira de praia e rumar para o estacionamento para que o climão entre o casal se instalasse. O coitado do meu amigo teve que se desdobrar em explicações a noite toda, até que a namorada desmanchasse o biquinho. Não adiantou. Nada de game naquela noite. Pergunto: foi malícia ou ingenuidade?

Aconteceu com outro amigo na Praia da Joaquina. Ele estava com um colega de trabalho, as esposas e as crianças. Instalação completa: cadeiras, guarda-sol, baldinhos, pranchas, coisa e tal. Lá pelas tantas, duas moças bem-apessoadas chegam e se posicionam logo atrás deles. Enquanto as mulheres brincavam na água com as crianças, os dois trocavam ideias sobre surfe e a crise econômica na Europa. Uma das meninas pediu:
– Oi, será que vocês podem tirar uma foto da gente?

As duas se posicionaram lado a lado. Cabelos ao vento, biquíni branco, óculos, biquinhos e o símbolo de “peace and love” que a Gisele adora reproduzir. Ele tirou a foto, devolveu o equipamento e virou de costas para elas. Ato contínuo, veio o pensamento: “Humm, vou me complicar com a Renata…”.

Ela saiu da água e veio com a cara de “tá aprontando, né?”. Mas, antes de dizer qualquer coisa, deu um abraço e um beijão no meu amigo. A Márcia, mulher do colega dele, fez a mesma coisa. Ao que parece, eles escaparam da injustiça. Pergunto: foi malícia ou ingenuidade?

Chega

19 de maio de 2011 4

Cansamos de programas de auditório que ironizam o quanto somos atrasados e machistas. Que só pensamos em futebol e sexo – não necessariamente nesta ordem – e que seríamos capazes de qualquer coisa para levarmos uma mulher para a cama. Não aguentamos mais os olhares, sempre meticulosos, em busca de alguma falha ou deslize que tenhamos feito.

Chega de organizar carrinhos de supermercado, levar lixo pra fora e fazer anotações de listinha de compras. Abaixo programas de televisão nos canais abertos. E nos fechados, desde que não seja o GNT ou Discovery Home & Health. Queremos ser reconhecidos. Ter voz ativa na relação. Mostrar quem realmente manda na coisa toda.

É para isso que criamos esse blog: para reivindicar. Para representar você que se sente triste, cabisbaixo, inviril. Para você que precisa urgentemente de análise. Que quer apenas um amigo sincero e que pensa exatamente como… Porra, mas que texto mulherzinha!!

Parceiro, simplesmente curte o blog. Te diverte com os textos (muito pouco, quase nada) convencionais. Admira a galeria aí do menu em que mostramos mulheres que jamais iremos pegar – algumas, talvez, entrevistar, mas é só isso. Nos segue no twitter (@sambacancaoclic). Nada de reclamações sobre toalha molhada em cima da cama, cueca no banheiro ou tampa de privada para cima. Aqui tu estás à vontade. Ah, e aproveitando aquele papo lá em cima de “qualquer coisa”: isso é bobagem, garotas. Qualquer coisa dá trabalho demais.