Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts do dia 5 outubro 2011

Mulher gosta é de dinheiro, de cartão de crédito. O resto é conversa para boi dormir

05 de outubro de 2011 188

Foto: sxc.hu

Sabe o lado bom de posts como o de ontem? Aquele que fala das menininhas, homens mais velhos e tudo mais? A melhor parte destes textos está nos comentários. E na queda das máscaras.

Não vou rotular todas as leitoras do blog, nem mesmo as mulheres em geral, mas me impressiono como existem tipos que adoram exibir-se como bem-resolvidas sexual e pessoalmente, espertas, inteligentes, independentes e tudo mais. Porém, na primeira oportunidade que têm para dialogar com propriedade e mostrar o quanto podem ostentar todos os adjetivos descritos acima, acabam na boa e velha máxima que, a partir de hoje, está instituída como frase-lema do blog: “mulher gosta é de dinheiro, de cartão de crédito”.

Não acredito que o texto do post esteja tão errado assim, principalmente em um universo de mais de 170 comentários grande parte apoia o que ali está escrito. Também tenho certeza de que aquele amontoado de letras não é a verdade absoluta. Mas não é isso que importa, pelo menos neste texto. O de ontem passou, foi, está no limbo da web, fica na história do blog e de todos os que aqui entraram, comentaram, leram.

Contudo, essa frase “mulher gosta é de dinheiro, de cartão de crédito” ecoa como uma clave batendo no chão, faz com que me lembre de um bando de homens cabeludos gritando alto para definir na base da força quem é o macho dominante e pode ter a fêmea na caverna. Remete a um tempo em que as mulheres tinham de ficar quietas, não podiam tomar uma cerveja em um bar, usar maquiagem e batom, se colocassem uma bela saia e exibissem suas pernas longas, torneadas e extremamente sensuais eram taxadas como meretrizes, mulheres fúteis, da vida.

Frases como essas destroem tudo o que vocês, meninas-mulheres, conquistaram desde então. E é uma pena, porque a frase foi dita por vocês mesmas. Claro, não vou ser hipócrita e negar que muitos homens pensam dessa forma. Mas a reflexão que fica é: será que esse fato não ocorre porque eles leem coisas desse tipo? Não é o cotidiano que mostra a eles este rótulo? Claro, quando se coloca a palavra “mulheres” na frase, há a generalização. Mas cada cabeça sabe o tamanho do chapéu que pode vestir.

Então, amigo samba-cancioneiro, sempre que você perder a razão nas discussões do blog, escreva isso “Mulher não gosta de (o assunto proposto). Elas gostam é de dinheiro, de cartão de crédito”. Se elas fazem, porque não podemos também. Liberte-se: estamos iniciando a revolução masculina.