Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Você seria capaz de curtir e aceitar um casamento aberto?

14 de outubro de 2011 122

Foto: sxc.hu

Queria ter escrito um post sobre o tema logo que saiu a informação aí nas colunas de fofoca, mas como é um assunto polêmico, gostaria de pensar mais antes de escrever. O gancho para o post vem do tal “casamento aberto” de um tal cantor e uma tal marombada que a turma curte chamar de gostosa. Vocês sabem quem é, não preciso escrever aqui os nomes deles.

Digamos que o casamento aberto é uma prática que eu não entendo. É uma espécie de bundalelê com consentimento, concorda? Hoje você está com sua esposa, amanhã está com a fulana e a beltrana, daqui dois dias está com a esposa de novo. E a esposa sabe que você esteve com a fulana e a beltrana, te aceita de volta e tudo mais. Pior: enquanto você estava com a fulana e a beltrana, ela, a esposa, também pode estar com algum querido por aí, jantando, dançando, transando… Para alguns isso seria a vida perfeita. Para mim, não.

Esse conceito “lavou está novo” não me entra na cabeça. Uma coisa, claro, é você saber que sua mulher transou com 10, 15, 20 caras. Tudo bem, ela curtiu sua vida de solteiro ao extremo — provavelmente como você — e agora está casada, assumiu uma vida a dois e — também provavelmente como você — deve querer a monogamia. Talvez para alguns o verbo dever, aí na outra frase, não seja necessário. Mas acho que se encaixa bem.

Não sou o que chamam de “cara cabeça aberta” ao ponto de pensar que eu estou assistindo a um DVD em casa ou trabalhando no computador ou lendo um livro na cama ou fazendo qualquer coisa sozinho e minha mulher está se esbaldando com alguém em outro lugar. E o que é pior: com o meu consentimento! Alguém, talvez, vá dizer: “amigo, ela pode estar fazendo tudo isso sem teu consentimento”. Ok, pode. Mas, além de não ter meu consentimento, eu não tenho conhecimento disso. E dizem por aí que o que os olhos não veem o coração não sente.

Não sei se a definição moralista é a melhor neste caso. Dizer “isso é errado” ou “casal que faz isso não tem amor” ou “esse mundo está perdido” é muito simplista. Talvez a resposta da charada esteja na simples liberdade que eu tenho de ser monogâmico e que eles têm de querer optar por um casamento aberto. Não sei. Também acho simples demais jogar a culpa na liberdade. A questão é mais complexa. Claro, eu não entendo disso. Me ajudem aí…

Comentários (122)

  • Wanderlei diz: 14 de outubro de 2011

    Casamento aberto pra mim não existe. Ou se está junto, ou não se está. Confesso que até gostaria de ter a cabeça um pouco mais aberta quanto a isso, mas não consigo. Quem consegue e consegue ter a consciência tranquila, que maravilha.
    http://www.o-cercadinho.blogspot.com (retratando o universo Homem vs Mulher)

  • ROBERTA diz: 14 de outubro de 2011

    DEFINITIVAMENTE NÃO TENHO TAMANHA EVOLUÇÃO, EMBORA SAIBAMOS QUE O SER HUMANO NÃO NASCEU PARA SER MONOGAMICO, PREFIRO ASSIM. TENHO DIFICULDADE EM ENTENDER ISSO, ENTENDO TRAIÇÃO E ATÉ SWING,MAS RELAÇÃO PARALELA QUE ENVOLVE SENTIMENTO ACHO QUE É COISA DE GENTE QUE PRECISA DE TRATAMENTO PSI HEHEHE NÃO SE PODE ACENDER UMA VELA PRA DEUS OUTRA PRO DIABO. ABRAÇOS

  • Lucas diz: 14 de outubro de 2011

    Pra mim existe sim, qual o problema?
    O problema é que desde cedo aprendemos que nada pode, que devemos ter somente uma parceira/parceiro, que temos que ter uma religião, blá, blá, blá.
    O ser humano é mais complexo do que podemos imaginar e muito mais complicado de se tentar entender. Não me levem a mal, mas não gosto de comentários deterministas principalmente com relação às atitudes de outras pessoas.

  • Flor diz: 14 de outubro de 2011

    CASAMENTO = Matrimônio sagrado, união de 2 (DUAS) pessoas em 1 (UMA) só carne, amor, fidelidade, RESPEITO.
    Na verdade, ‘Casamento Aberto’ é um paradoxo, pois são palavras contrárias. Um casamento não tem absolutamente nada de aberto, é a união de duas pessoas que se amam e que decidem largar a vida de solterice para passar o resto dos seus dias ao lado do outro.
    É moda sair, ficar, transar com várias pessoas hoje, é, mas casamento é casamento e ninguém destruirá o significado desta instituição passe o tempo que passar.

  • ELLO diz: 14 de outubro de 2011

    Penso que a sociedade ainda não está preparada para relações abertas. Eu mesmo, não me imagino tendo um relacionamento assim.
    Mas as pessoas abriram mão de namorar, e começaram a praticar o “ficar” exatamnte para não terem o compromisso com a monogamia, para terem o seu espaço, enfim para fazerem o que desejam sem a pecha da traíção, do compromisso ou das explicações.
    O aumento dos frequentadores de casas de swing é um forte indicativo que num futuro muito próximo estaremos na era da relação aberta, disso eu não tenho dúvida.
    Amor e relacionamento monogâmico exigem paciência, tempo e dedicação, e me parece que numa sociedade cada vez mais consumista e veloz, estes ficaram em segundo plano.

  • ELLO diz: 14 de outubro de 2011

    Penso que a sociedade ainda não está preparada para relações abertas. Eu mesmo, não me imagino tendo um relacionamento assim.
    Mas as pessoas abriram mão de namorar, e começaram a praticar o “ficar” exatamente para não terem o compromisso com a monogamia, para terem o seu espaço, enfim para fazerem o que desejam sem a pecha da traição, do compromisso ou das explicações.
    O aumento dos freqüentadores de casas de swing é um forte indicativo que num futuro muito próximo estaremos na era da relação aberta, disso eu não tenho dúvida.
    Amor e relacionamento monogâmico exigem paciência, tempo e dedicação, e me parece que numa sociedade cada vez mais consumista e veloz, estes ficaram em segundo plano.

  • Stela diz: 14 de outubro de 2011

    Sinceramente, é muita modernidade pra minha mente, nao curto, nao acho legal, nao tenho vontade de praticar, mas admiro quem o faz. Tem que ter a cabeça muuuuiiittoo boa pra curtir esse lance meio maluco de ninguem é de ninguem, desencanamento total, relax, sem cobranças, liberdade total.
    Tenho uma amiga que já fez esta proposta pro marido, e, lógico que ele nao aceitou, mas ela disse uma frase que me intrigou: “Meu casamento ta legal, amo meu marido, mas quero friozinho na barriga”, dai eu pergunto: será que é isso que as pessoas que praticam essa liberdade na relação procuram? Borboletas no estomago, sensação de novas conquistas, desafios ao tradicional? Vai saber, o ser humano é um bicho complicado!!
    Belo texto Johnny.
    bjs a todos cancioneiros e bom findi.

  • márcia diz: 14 de outubro de 2011

    Cada cabeç
    a é uma sentença. Os que vivem desse modo se sentem felizes, então os deixem viver assim. Eu não posso julgar uma situação que eu não vivo. Sou casada, somos monogâmicos e é essa realidade que conheço.

  • Mi diz: 14 de outubro de 2011

    existe sim….basta partir do pressuposto que ele ou ela, em algum momento da vida, vai te trair SIM!…
    então a fidelidade deixa de ser ligada a com quem cada um transa e passa a ser algo bem mais útil e nobre pra relação….

  • Fabiana diz: 14 de outubro de 2011

    É um assunto bem complexo e dependerá das crenças de cada um. Já tentei me imaginar numa relação aberta e não consegui, porque irá contra o que eu acredito, contra os meus valores. Não serei feliz.

  • BEL diz: 14 de outubro de 2011

    O assunto é complexo e quem é a favor do relacionamento aberto sei que não vai gostar dos diversos comentarios que virão, mas na minha opinião pessoal eu NÃO ACEITO RELACIONAMENTO ABERTO, talvez eu ainda não tenha evoluido o suficiente pra aceitar meu marido dizendo que hoje tem um compromisso com a outra, ou que não aceite ele deitando na cama ao meu lado depois de uma noite caliente com alguma mulher por ai, acho que a coisa vira uma bagunça, se é assim vamos convidar todos para passar o natal, aniversario, ano novo juntos né pq não??? E fico aqui imaginando o casal sentando para jantar e os dois ou um deles teve uma noite daquelas na rua, será que eles irão dividir as experiencias?? Qual seria a pauta do assunto??? não consigo me ver nessa situação, podem me chamar de antiquada, careta, mas na minha cabeça isso não entra, acho que isso leva a falta de respeito com o outro, mas se o outro aceita o que é que eu tenho com isso, hehehe.

  • Tatá diz: 14 de outubro de 2011

    Cada um sabe o que é melhor pra si. Mas se o casal deseja uma relação aberta, não vejo razão para casar. O casamento pressupõe monogamia e fidelidade, isso não é questão de gosto, é de definição mesmo.

  • Ricardo Malheiros diz: 14 de outubro de 2011

    Uma relação homem x mulher é uma coisa de cumplicidade, respeito, desejo, tesão, prazer.
    Dizer que é normal ou não uma relação mais aberta seria uma hipocrisia pois as pessoas vêem a vida de forma diferente conforme suas necessidades, assim é muito complicado dar um parecer, mas cada pessoa tem o seu livre arbítrio para viver da forma que desejar, desde que respeite o limite de seu parceiro (a).
    abraços

  • felipi diz: 14 de outubro de 2011

    Na minha humilde e desconhecida opinao…eu acho isso ridiculo…tipo…você é tecnicamente “corno(a)” aceita isso numa boa como se nada tivesse acontecido? Tipo tenho 18 anos e namoro a 1 ano e 1 mes…e esse tal de “Casamento ou Relacionamento Aberto” pra min é uma P… falta de respeito entre ambos…pois se querem sair por ai com mais de 1 pessoa, transar e tudo mais…pra que se assumirem juntos intão? Leva a vida de solteiro que rende mais…até mesmo por que…com consentimento ou sem…a pessoa fica magoada..e se não ficar, pode ser um problema…pois talvez não haja sentimento nenhum entre os 2…sem sentimento? sem relação, certo? Estou Aberto a criticas relativas ao meu Post

  • Franz diz: 14 de outubro de 2011

    Fabiana, então eu posso sair matando quem eu quiser aí na rua, é só eu partir do pressuposto que um dia eu vou morrer mesmo… ¬¬”

  • karina diz: 14 de outubro de 2011

    ‘Talvez a resposta da charada esteja na simples liberdade que eu tenho de ser monogâmico’ e é exatamente isso. O poder ser aquilo que se quer ser é o que prende as pessoas. A liberdade é que faz os elos mais firmes.

  • @anagessika diz: 14 de outubro de 2011

    se eh pra ter uma casamento aberto então nao case…. fica solteira(o) que pode fazer oq quizer… eu não aceitaria…

  • Jenny diz: 14 de outubro de 2011

    Fazer A3, ir numa casa de suwing, troca de casais até entendo ( são coisas feita com o casal, juntos). Dá uma apimentada na relação, mas essa de ninguém é de niguém e todo mundo se querendo não se enquadra no meu currículo.

  • Baltazar diz: 14 de outubro de 2011

    Hoje em dia NINGUÉ É DE NIGUÉM !!!!

    Essa é a realidade , os casais que tem um relacionamento aberto devem se divertir bastante !!!!

    A rotina do casamento é terrível, na maioria das vezes, e fazer um SWIG eventualmente deve ser ótimo mesmo !!!

    A maioria das mulheres vai dizer que NÃO GOSTA, mas elas não vão pensar 2 vezes antes de ir para a cama com o Ricardão !!!!!

  • Buh diz: 14 de outubro de 2011

    Não acho legal e não estou preparada para tanto, para isso que existe ficar e afins, sem contar que uma pessoa que ama não quer mais ninguém..

  • Wanderlei diz: 14 de outubro de 2011

    A maioria das pessoas que comentam este texto são adeptas de casas de swing? Aliás, isso daria um ótimo texto. Quem sabe aprofundar o assunto e ir mais além, afinal, um casamento aberto x casas de swing daria uma bela história.
    http://www.o-cercadinho.blogspot.com (visitem-nos)

  • Jenny diz: 14 de outubro de 2011

    Fazer A3, ir numa casa de suwing, troca de casais até entendo ( são coisas feita com o casal, juntos). Dá uma apimentada na relação, mas essa de ninguém é de niguém e todo mundo se querendo não se enquadra no meu currículo. Até pq a probabilidade de um desses casos abertos vir a ser o titular é bem grande.

  • Alice diz: 14 de outubro de 2011

    Casamento aberto pra mim não existe, mas “relacionamento” aberto sim. Casamento é a união de duas pessoas que desejam “manter exclusividade sexual”, quando não há,
    não se pode considerar um “casamento”…

    Eu escolhi a monogamia, me sinto melhor assim, mas há quem não consegue…só não acho correto a forma como muitas pessoas agem hoje em dia, se comprometendo em
    casamentos, sabendo que não conseguem suportar uma monogamia. Por isso eu acho que as pessoas deveriam agir com honestidade, se assumam abertamente e procurem o que desejam realmente, assim viverão com menos problemas.

    Se comprometer com alguém, prometendo monogamia para o resto da vida e depois agir de forma contrária, sem o consentimento do conjuge é sacanagem, podendo inclusive provocar muito sofrimento, até para os filhos. É claro que a opinião, assim como o desejo de uma pessoa ao longo da vida pode mudar, então se mudou, aja de forma correta…tá infeliz com uma pessoa só, diálogo, o outro não aceitou, separa então…

  • Mari diz: 14 de outubro de 2011

    Eu tenho um relaciuonamento assim. É maravilhoso. E casamento não é sinonimo de monogamia ou fidelidade. Basta vcs pensarem um pouco. As outras pessoas com quem saímos geralmente são casadas tbém, não necessariamente. Mas a relaçao que mantemos fora é puramente sexual, porque o amor que temos um pelo outro é intenso demais para se dissolver. Só por isso foi que consentimos em ter rel aberto. E só saímos com uma ou outra pessoa se ambos estiverem d acordo. Não nos traímos, a diferença é que consentimos um com o outro e por aí o que se ve de traição…. A vida é coisa bem diferente do que ditam as religiões que n se guiam pelo bom senso, mas com LEIS q não eram observadas nem no tempo de Cristo.

  • Edson Teodoro diz: 14 de outubro de 2011

    PESSOAL, É O SEGUINTE: CASAR É, SEGUNDO O “AURÉLIO” Unir, ligar, aliar, aliançar. ENTÃO ENTENDAM: NÃO EXISTE O TERMO “CASAMENTO ABERTO”. OU É CASADO OU NÃO É NADA. SE QUISEREM LIBERDADE, NÃO SE CASEM E TÁ TUDO CERTO. DEPOIS DE CASADOS, ALÉM DO SENTIDO DO TERMO, EXISTE AINDA O LADO ESPIRITUAL, EMOCIONAL, RESPEITOSO E RELIGIOSO. QUEM QUISER ALIAR TUDO ISSO NUM RELACIONAMENTO, QUE LEGAL! QUEM NÃO QUISER, TÁ TUDO NUMA BOA. MAS NÃO MISTUREM COISAS QUE NÃO PODEM SER MISTURADAS. É PASSAR UM ATESTADO DE PURA IGNORÂNCIA.

  • marcos diz: 14 de outubro de 2011

    Marcos Haag que palhaçada esse negocio de casamento aberto,as pessoas estão esquecendo que existe um DEUS ainda e que ele está vendo tudo isso,tenho vergonha desse mundo perdido…
    há alguns segundos

  • Eu diz: 14 de outubro de 2011

    DEFINITIVAMENTE A MORAL É ALGO QUE HOJE EM DIA ESTÁ CADA VEZ MAIS RESTRITA… SE ALGUÉM TEM O COMPROMETIMENTO DE CASAR-SE, PERANTE O JUIZ DE PAZ, OU NUMA CERIMÔNIA, JURANDO FIDELIDADE, E TAL, POR QUÊ ESSE COMPORTAMENTO DE RELACIONAMENTO ABERTO? Por mais que o casal não esteja casado no papel, como se diz, mas há o comprometimento enquanto casal… É por esses e outros que hoje cada vez mais existem pessoas infelizes, que fazem besteiras por pouca coisa, e que as doenças estão se alastrando… Deus que olhe por pessoas assim, e que as faça enxergar o verdadeiro significado da palavra “Casamento” “Aliança”.

  • MARCOS diz: 14 de outubro de 2011

    Marcos Haag que palhaçada esse negocio de casamento aberto,as pessoas estão esquecendo que existe um DEUS ainda e que ele está vendo tudo isso,tenho vergonha desse mundo perdido

  • Milena diz: 14 de outubro de 2011

    Concordo com o Lucas, o ser humano é muito complexo para seguir regras.
    Cada um deve escolher o melhor tipo de relacionamento para si.
    eu acho que casamento aberto dá certo sim, imagina, ter o seu marido em casa mas poder se aventurar com um desconhecido se tiver vontade.. bom d+.
    Libertem-se, mulheres!!!! Aproveitem os homens antes que eles se aproveitem de vc.

  • Mari diz: 14 de outubro de 2011

    Primeiramente jamais aceitaria um casamento aberto, não condeno quem tem, cada um sabe o que é melhor para si e não me acho no direito de julgar, porém, para mim o casamento é algo que construímos com base em valores, antes de casar com alguém devemos checar se temos os mesmos valores e crenças. Sou casada há 7 anos e vivo uma relação maravilhosa que melhora a cada dia (inclusive no sexo). Um casamento feliz requer muito trabalho, paciência e dedicação de ambas as partes, mas pode sim ser incrivelmente maravilhoso. Mas como disse antes, isso depende de cada um.

  • Daigo diz: 14 de outubro de 2011

    Pessoal, casamente aberto até existe na fantasia de muitas pessoas. Mas na prática ainda é algo que não processado pelas pessoas (inclusive eu) que foram talhadas nos últimos tempos para fazer o que quer escondido. Eu particularmente me sentiria melhor como Cesar na Roma antiga, mas como este tipo de luxúria não é para o meu bico, tenho fantasias. Todos tem. Mas viver a fantasia vai te obrigar a dormir com a realidade, e isso é complicado.

    Em resumo, até gostaria de experimentar um relacionamento aberto, mas não sei se eu suportaria.

  • Nati diz: 14 de outubro de 2011

    Esse lance de relacionamento aberto eu tb ñ entendo. (Por favor, ñ entendam as perguntas como crítica, é q eu realmente ñ entendo como funciona e , se alguém aqui vive uma relação assim,só gostaria de saber sinceramente se isso ñ acontece) 1- Como alguém q diz amar uma pessoa ñ se importa q ela se relacione com outros (as)? 2- Ñ senti ciumes, nada? Acho estranho, mas não condeno. Simplesmente respeito. Se há concordância de ambos, q sejam felizes da forma q acham melhor. Eu, ñ toparia. Ñ conseguiria conviver cm essa situação.

  • Carol diz: 14 de outubro de 2011

    Eu acreditava que eu aceitaria numa boa, me achava cabeça aberta e tudo o mais. Mas acabei descobrindo que não toleraria o meu parceiro se envolvendo emocionalmente com outras pessoas. Talvez por ter sido envolvida por ideias prontas da nossa sociedade, ou simplesmente por me sentir sozinha demais, sentindo a necessidade de ter um parceiro para compartilhar alegrias e tristezas todos os dias, e não só quando ele estiver disponível para mim.

  • Fernanda diz: 14 de outubro de 2011

    É melhor nem casar então… Isso é um total desrespeito com o outro e a si mesmo ! Quer ser livre, seja solteiro (a) ! Viva a Monogamia !

  • Fernando diz: 14 de outubro de 2011

    Aceitaria certo, e pq não?
    ;)

  • Fábio diz: 14 de outubro de 2011

    Casamento – compromisso: quer um relacionamento aberto, sem compromisso, PERFEITO. Quer compromisso, assuma e arque com os direitos e deveres. Não quer compromisso, nem dever, nem responsabilidade, tenha um relacionamento aberto, mas não denigra a palavra CASAMENTO. Não queira utilizar a palavra Casamento somente para colocar seu nome na mídia, para cumprir um papel perante a Sociedade. Não concordo, mesmo podendo ser taxado de atrasado e/ou retrógrado – é minha opinião.

  • Alexandre diz: 14 de outubro de 2011

    Então, penso da seguinte forma: “o que eu não quero para mim, também não quero para a pessoa amada”; se optei em casar, em passar a viver uma vida a dois, é porque esta pessoa me complementa e que sou feliz com ela, caso não, fico solteiro a passo a curtir a vida com liberdade…que é isso gente: corno é aquele que sabe e gosta…

  • Paulo Brito diz: 14 de outubro de 2011

    pois é…aqui hoje todo mundo é contra…aí no post sobre casa de Swing e tal todo mundo acha super normal fazer isso e é aceitável…é bemmm contraditório…ou seja…vale trair desde que o campaneiro ALÉM de saber esteja junto..blz..então o casamento “aberto” poderia colocar este adendo e ser moralmente correto.

  • alberto diz: 14 de outubro de 2011

    sou contra o casamento aberto, pois a graça esta em trair. se for liberado perde totalmente a graça. e a tesão tb….

  • Solteiro diz: 14 de outubro de 2011

    Pra que casar então??? fica solteiro que é bem melhor.. vai ser mais feliz.. sem consciencia pesada, sem explicações e todo dia com uma diferente.. pra quem gosta disso não é uma maravilha????
    Mas tem gente que não gosta disso e isso é questão de principios…
    e outra.. esse bando de gente que bota Deus no meio não sabe dos mandamentos???
    Não usar o nome dele em vão… são um bando de moralistas falsos…. isso é evidente…

  • Otávio diz: 14 de outubro de 2011

    Eu sou casado e tenho um casamento aberto há mais de dez anos. Sou feliz e elas também. VIVA O OPEN FOOD!!!!

  • Alex diz: 14 de outubro de 2011

    Acho meio complicado isso daí, até pq pode envolver sentimento pela outra pessoa e acabaria com o relacionamento.
    Nós apimentamos a relação falando que gostariamos de nos envolver com outros casais, ver um transando com outra pessoa, essas coisas, mas NUNCA fizemos nada de swing ou troca de casais de fato. Mas isto seria com o CASAL, estaria mexendo com a libido do casal, e não somente de 1 dos dois!
    Esse casamento aberto é complicado, mas acredito que se quer ter casamento aberto, nem casa! Pois apesar de não ser religioso nem nada, acredito que viver junto, amar outra pessoa, significa compartilhar alegrias!

  • Carlitos. diz: 14 de outubro de 2011

    Bom dia Samba-cancioneiros.
    Vou ser verdadeiro e direto,
    eggoismo é um sentimento ruim,
    não cultivem sentimentos ruins.
    Mas particularmente também não aceitaria porque eu cultivo
    sentimentos ruins, eu sou egoista!!!!
    Hahahaha

  • Juliane diz: 14 de outubro de 2011

    NÃO DIVIDO MEU FILÉ,NEM MOORTAAA!!e também não conseguiria,ter um relacionamento com outro,mesmo ele sabendo.

  • Juzinha diz: 14 de outubro de 2011

    é gente perguntando assim diretamente poucos responder que vão aceitar uma coisa dessas!!!

    Mas sabemos que estas coisas vão continuar acontecendo escondido por baixo dos panos como é a realidade de hoje!!! Ou seja quem nunca traiu???????? Como saber que não vão trair??? ta ta é questão de caráter e etc… mas traição é fato e acontece!
    N dividem com ninguem mas corremos o risco de estarmos divindo o parceiro/a emocionalmente com alguem sim!!!

  • Rosana Peres diz: 14 de outubro de 2011

    Concordo com o SOLTEIRO…é isso aí…quer andar com vários sem responsabilidade nenhuma não casa. Eu sempre uso uma frase qdo questionam pq ainda estou solteira: vontade de casar eu tenho o que me falta é coragem…mas se vc teve coragem pra isso respeite as regras. Claro que regras cada um tem a sua, mas se é pra curtir sem culpa fica solteiro. simples assim. Respondendo a pergunta: NÃo…não aceitaria casamento aberto.

  • Lucas diz: 14 de outubro de 2011

    Casamento aberto nao existe. Acho que inventaram isso para ter uma desculpa pra transar com qualquer pessoa a qualquer hora sem sentir culpa, pois querem ter a vida facil e perfeita, mas isso nao existe. Penso que é uma falta de consideração e respeito com o parceiro, pois é ele que esta contigo nos momentos bons e ruins, que te da suporte em qualquer situação e, como forma de agradecimento, tu vai e sai com outra pessoa so para satisfazer uma vontade momentanea? Isso não é certo.
    Tem um episódio do Dr. House (na 6ª temporada) que mostra essa realidade, tentem dar uma olhada e tirar suas conclusoes.

  • luciano diz: 14 de outubro de 2011

    AMIGOS, SEM HIPOCRESIAS…. ISTO DEPENDE DA MULHER QUE TU TENS… SE TU ÉS CASADO COM A ELLEN ROCHE… VAIS QUERER ABRIR O CASAMENTO??? SE ÉS CASADO COM UMA MULHER HÃ… MULHERBAGULHO AÍ TU ABRE… CLARO… O QUE TU PEGAR FORA É LUCRO E A TUA QUEM VAI PEGAR??????

  • BEL PARA MARI diz: 14 de outubro de 2011

    Me desulpa, não tenho nada com isso mas preciso te perguntar pq é algo que não se encaixa nos meus pensamentos, mas como vc consegue ficar em casa sabendo que seu marido ta comendo outra??? Tipo vc fica assistindo a novela das 9:00 sabendo que nesse exato momento ele ta na rua com outra fazendo barbaridades, só de fazer essa pergunta meus nervos parecem que vão explodir!!! Vc disse que o Ama e que o amor é muito grande e tal, mas me explica que forma de amar é essa que vc consegue dividi-lo com outra pessoa sabendo que ele está beijando, acariciando, chamando a outra de gostosa, talvez até de meu Amor, peço desculpa mais uma vez mas eu quero entender ao menos tentar.

    Atenciosamente
    Bel

  • luiza ruiva diz: 14 de outubro de 2011

    ah concordo com o BALTAZAR e a primeira Mari( tem 2)…eu era totalmente contra;mas graças vamos mudando…evoluindo….um swing seria sempre bem vindo a um casamento de anos….quem me derá ter um casamento assim!!!

  • Iberê diz: 14 de outubro de 2011

    Os dois tendo uma cabeça boa pra levar a situação, tá valendo. Não tem cabeça boa, deixa a ideia de lado.
    http://www.o-cercadinho.blogspot.com (visitem-nos)

  • Raphaela diz: 14 de outubro de 2011

    Olha galera, depende muito… Se forem casados é impossível um relacionamento aberto a não ser que não haja amor, pq se vc ama de verdade não vai querer ver a pessoa com outra ou saber que está com outra. Mas se for um casinho, eles se gostaram, querem ficar juntos mas n querem deixar de aproveitar a vida, aí tudo bem… Não há amor, é só curtição.

    beijos

  • Raphaela diz: 14 de outubro de 2011

    Mari tu não tem medo do teu marido se apaixonar por uma dessas mulheres que ele sai? Tu até pode saber com quem ele sai e dar consentimento ou não, mas no coração minha amiga… nesse a gente não manda! E tu, com todo respeito, tá dando vazão para que isso aconteça!

  • Marcos diz: 14 de outubro de 2011

    Engraçado, a maioria das pessoas aqui diz que isso é imoral, contra as leis a, b e c da vida e blá, blá, blá…..mas ao mesmo tempo dizem também que tem curiosidade, apesar de não ter a coragem para tal. Outro detalhe, li aqui muita gente dizer que é contra mas concorda com Swing, Ménage e etc…, então não entendo mais nada. Para mim isso nada mais é que uma casamento aberto, ou estou tão errado? A verdade é a seguinte, temos que ter maturidade suficiente para não confundir sexo por sexo com amor. Ou vcs vão negar que nunca olharam para aquele (a) gato (a) e pensaram na hora: “Ahhhhh esse (a) aí na minha cama”. já sei, vão dizer que pensar ou desejar é diferente de executar…para mim é o primeiro passo para abrir a mente. Entendam, não sou a favor de promiscuidade mas também não sou falso moralista. Creio que todos devam aproveitar os prazeres da vida (saudáveis, bem entendido), para que no futuro não nos tornemos velhos chatos e frustrados.

  • Casal diz: 14 de outubro de 2011

    Eu ja prefiro o swing, fizemos o que tem de melhor (sexo), juntos.
    Abs

  • Sonia diz: 14 de outubro de 2011

    Seria só sexo?
    Se for com sentimento, será que caberia tudo isso na vida de uma só pessoa? E se for sem sentimento e vínculo, não seria uma coisa meio pobre?
    E será que essa prática combinaria com filhos e a educação deles?
    Sabe-se que o homem não nasceu para ser monogâmico, mas devemos reconhecer que as leis e a moral que nos foram impostas ao longo da História, serviram para frear nossos instintos animais e por isso deixamos também ser canibais, entre outras práticas.
    Dou os parabéns para quem consegue ter um casamento aberto e manter o equilíbrio emocional, pois acho que a mente humana não suporta a instabilidade que uma relação assim traria.
    Acho que a expressão: “casamento aberto” nada mais significa do que uma justificativa para a própria incompetência no trato das emoções!
    A evolução, no meu ponto de vista, passa pela domesticação dos instintos animais, afinal, não vivemos mais nas cavernas.
    Abraços atodos

  • Leandro Matte diz: 14 de outubro de 2011

    Bah, em breve será a vez de se perguntar: por que não aceitar a pedofilia? E logo também aceitaremos a mentira, a corrupção… como sendo valores dignos de uma sociedade que está apodrecendo.
    Maranata!!!

  • Iceman diz: 14 de outubro de 2011

    Pessoal. Muita calma neste hora. Casamento aberto é um OUTRO TIPO DE CASAMENTO. Não é aquele convencional, instituído pela Igreja ou pela Sociedade Civil. É o tipo de união onde duas pessoas que se amam e se respeitam, resolvem viver juntas, compartilhar as emoções, o dia-a-dia e porque não, manterem-se abertas a outras relações desde que com a concordância do parceiro(a). Se não houver a concordância por qualquer razão aí a coisa complica. Mas se houver este compartilhamento A MAIS, o casamento não caí na mesmice. Porque é a monotonia da monogamia (lindo né?) que acaba gerando as traições nos casamentos convencionais. E isto é evitado num casamento aberto. Também li o artigo sobre as casas de swing e é bem contraditório quem acha normal uma “swingada” de vez em quando, achar que casamento aberto é uma indecência. Indecente é a fome e a miséria. Onde existe a concordância mútua nada é imoral. Moral é um valor coletivo mas é alterável conforme as culturas. E hoje está se criando uma nova cultura em relação a convivência, na qual o respeito no casal ganha nova dimensão. Sou contra os falsos moralistas que vão a Igreja, mas que metem guampas nas(os) parceiros, achando que ISTO É NORMAL. Vale tanto pro homem quanto pra mulher. Se o homem e a mulher que decidem viver sob estas regras acham isto ok, não somos nós que vamos julgar isto. NÃO EXISTE CERTO OU ERRADO NUMA RELAÇÃO. Existe o aceitável, o consensual.

    Deixem quem pode e quer viver assim viver… Quem não quer, viva o convencional.

    Thats all Folks.

    Iceman

  • Osvaldo diz: 14 de outubro de 2011

    Eu até entende a traição, não que eu concorde com ela, muito antes pelo contrário, mas cassamento aberto?! Se é para ser essa orgia toda, para que casar então?! Fica solteiro e vai aproveitar a vida! Para mim, duas pessoas conseguirem se unir em matrimônio e ambos terem uma mentalidade assim, seria prato cheio para um psicanalista. Algum distúrbio mal resolvido de infância, adolescência ou juventude deve justificar.

  • Rooster diz: 14 de outubro de 2011

    Sim!!! Eu sonho com um casamento aberto!!!! Um casamento em que os dois sejam abertos e sinceros e não deem espaço para fingimentos, mentiras e traições. Um casamento aberto para a confiança entre o casal, em que não haja medo, receio ou pressão de se expor e se entregar totalmente. Se cabe mais alguém além dos dois nesta história? Claro que não!!!

  • Jéssica diz: 14 de outubro de 2011

    É tudo uma questão de valores e princípios! Tu tens os teus e eles os deles.

    Concordo com tua explanação, porém cada um é dono de sua vida. É por isso que eles estão juntos e acredito, se merecem.

  • Miss diz: 14 de outubro de 2011

    Definitivamente não. Quanta coisa está em jogo em um casamento? Parto do pressuposto que não estou “brincando de casinha”,e sim, construindo uma vida com outra pessoa. Para mim já é difícil aceitar que meu marido queira viajar sozinho, imagine uma relação aberta. Não consigo entender esse conceito. Então não deve existir amor, porque é impossível não sentir ciúmes ou fazer comparações ao imaginar o meu homem transando com outra mulher. E por favor, tais sentimentos são inerentes ao ser humano, muitas vezes inconscientes, então não acredito nessa história de que está tudo bem sair por aí transando com qualquer um sem afetar a pessoa que vive comigo. Imagina só: “Oi amor, hoje vou sair para jantar com o Fulano e depois esticar num motel, não me espera porque vou chegar tarde”. Só de pensar é absurdo na minha opinião.

  • Bruna para Leandro Matte diz: 14 de outubro de 2011

    Concordo plenamente!
    É o fim do mundo! Só pode.

  • eduardo menezes diz: 14 de outubro de 2011

    Isso não existe com todo o respeito a quem curte, quando se gosta de alguem nós ficamos egoistas, e quem vai querer dividir a pessoa amada com alguem? estou com meu prazo de validade vencido ou algumas pessoas estão em ponto de loucura, o cara tem uma mulher da qual cuida como um diamante fazendo de tudo prá ela ser feliz e vair permitir uma terceira pessoa na relação. Já vi um caso destes, mas o cara era evangelico daqueles radicais e não separava, obedecia a biblia embora na mesma está escrito que a pessoa pode separar. a cada ano que passa pareçe que estamos voltando a antiga Roma.

  • Carlos diz: 14 de outubro de 2011

    Acho engraçado que as pessoas afirmam que são monogâmicas, que escolheram apenas um parceiro, que não aceitam casamento aberto, mas, lendo os outros posts, sempre tem os que adoram uma puladinha de cerca, trair, ser ou ter amantes. como se vigorasse o seguinte: “não aceito o casamento aberto, mas eu posso trair”. Ou seja, cai por terra essa imagem de monogamia.
    Sobre casamento aberto ser uma contradição em termos é balela. O relacionamento humano nunca ficará restrito ao mero significado das palavras no dicionário e, mais cedo ou mais tarde, a realidade fará o Aurélio incorporar tais significados.
    A vantagem do casamento aberto, penso eu, não é a liberdade em si; mas a verdade. Os compenheiro poderão ficar com outros sem precisar mentir ou esconder os fatos do outro. Diante dessa perspectiva, ouso dizer que é provável que um casal em relacionamento aberto seja mais fiel um ao outro do que qualquer casal tradicional, dito “monogâmico”, que cometa o adultério. Ademais, não seria nada de falta de respeito com o outro, uma vez que ambos concordariam com a situação.
    Agora, eu particularmente não pratico relacionamento aberto e não sei nem se conseguiria…

    Quanto ao episódio do House: o cara aceitou o relacionamento aberto para ver a mulher dele feliz, embora ele não fizesse questão. Foi uma atitude de desprendimento, nada parecido com falta de respeito.

  • Pri diz: 14 de outubro de 2011

    Eu acho casamento aberto muito melhor do que trair! Pelo menos ninguém engana ninguém! Os dois fazem o que querem e não apenas um!

  • claudio Albieiro diz: 14 de outubro de 2011

    Casamento é a união de duas pessoas,se é aberto não existe união…logo,não é casamento!

  • para o Cercadinho…. diz: 14 de outubro de 2011

    pelo menos o blog do cercadinho eh bem mais realista…
    bom pra mulherada q anda na lua cair de volta nesse planeta…..

  • Amanda diz: 14 de outubro de 2011

    Respeito as pessoas que optem por um “casamento aberto” ou “relacionamento aberto”, não deixa de ser um estilo de vida e, contanto que não prejudique ninguém, sem problemas. A forma como cada um leva a sua vida só diz respeito a si mesmo. Embora, eu jamais conseguiria suportar a idéia de dividir o meu marido com outras mulheres. Meu marido é MEU marido, e se escohemos compartilhar nossas vidas, sucessos, alegrias, tristezas, amor e a mesma cama, é porque nos amamos e bastamos um para o outro, bem como, não há espaço para mais ninguém.

  • gabriel diz: 14 de outubro de 2011

    BANDO DE HIPÓCRITAS, QUEM DIZ QUE É EXTREMAMENTE ERRADO, POIS GARANTO QUE JÁ TRAÍRAM UM DIA… ISSO É BLÁ BLÁ BLÁ, DUVIDO QUE ALGUM DOS HOMENS QUE FALARAM QUE SÃO MONOGÂMICOS SEGUEM A RISCA O QUE ESCREVEM, SERVE PARA MULHER DELES , MAIS E PRA ELES SERVE???
    EU JÁ TENHO UMA CERTA EXPERIÊNCIA E SAIO COM CASAIS QUE CURTEM E SÃO FELIZES, ALGUNS DELES NEM TANTO O “`CASAMENTO ABERTO“ , MAS MÊNAGE E SWING…ONDE O CASAL ESTÁ JUNTO, ENTÃO CLARO QUE SOU ADEPTO DE QUE SEJAMOS FELIZES DO JEITO QUE FOR SE PRA VC TER UM CASAMENTO ABERTO É BOM,,, SEJAM FELIZES SE NÃO CURTEM, NADA DE DESCRIMINAR
    BJUS A TODOS

  • Marco diz: 14 de outubro de 2011

    Gosto muito do casamento aberto da mulher de vcs …

  • Benjamin diz: 14 de outubro de 2011

    Claro que SIM, mas tudo depende (de acordo com a religião que foi forçado a engolir desde criança) do grau de envenamento MORAL que a pessoa teve desde o começo de sua Educação .. e o quanto ela conseguiu se CURAR com as doses de CONSCIÊNCIA critica e CONHECIMENTOS adquiridos com o crescer. RESPEITO a individualidade pode criar laços “mais” indissolúveis que qualquer promessa teórica feita no momento da paixão ou de outros interesses momentâneos! – tenho 2 ótimos exemplos na familia.

  • Cristãos Libertos diz: 14 de outubro de 2011

    Antes de mais nada, saibam que sexo antes e fora do namoro/casamento —incluindo relacionamento/casamento aberto, poliamor, swing e menage— não é pecado!
    Vejam:
    http://redir.ec/cristaoslibertos
    Em inglês para maiores detalhes:
    http://www.libchrist.com/
    http://inkaboutit.homestead.com/

  • Queridinhozinho diz: 14 de outubro de 2011

    Quem me dera ter um namoro/casamento assim!
    Estou procurando justamente uma guria do Vale dos Sinos que tope tal coisa!
    Que quiserem me conhecer, é só procurar por “queridinhozinho” no orkut, Facebook, Google ou Bing e entrar em contato comigo!
    Gurias: estou esperando vocês!

  • Angelo diz: 14 de outubro de 2011

    Li quase todos os posts. Uns fundamentados outros nem tanto. A questão principal para mim, é que tudo isso está voltado ao SEXO, só, mas e o resto, sim, a FAMÌLIA, os filhos, como ficam??? Como você diz para sua filha que sua mãe esta saindo com o pai da coleguinha???? Acho que é um tema até interessante, mas não tem nada de prático. Moralmente incorreto, e com certeza nenhum relacionamento consegue perdurar assim. Fico imaginando um dos conjugês ficando doente, quem será que vai amparar, quem será que terá as obrigações do dia-a-dia. Pessoal, até como fantasia talvez tenha algum valor. Tenho certeza, ou quase, que realmente ninguem pões em pratica isso no CASAMENTO. Abraços a todos.

  • LUIZÃO diz: 14 de outubro de 2011

    TENHA UMA AMIZADE COLORIDA E NUNCA TERA SUA CABEÇA ENFEITADA.
    CASAMENTO ABERTO ? JAMAIS

  • Mauro diz: 14 de outubro de 2011

    Bah… pobre Cristo, que foi crucificado e morreu por nós. Deve estar muito feliz com isso tudo.

  • Wanderlei diz: 14 de outubro de 2011

    “Para o blog do cercadinho”:
    Obrigado pelo elogio. E juro que não fui eu. rsrs.
    Mas respeitando o espaço dos amigos aqui, continuo com minha afirmação: tem uma cabeça boa, saberá lidar com isso futuramente, sem jogar um na cara do outro, ok. Bom pros dois e bola pra frente. Agora se já rola ciúme, insegurança, deixa a ideia de lado e diálogo sempre, pô!!!!!
    http://www.o-cercadinho.blogspot.com (retratando o universo Homem vs Mulher com muita acidez. Visitem-nos!)

  • LUANA diz: 14 de outubro de 2011

    oi queridos casais de swing….. se estiverem afim de contatos novos nos add no msn…. a gente bem sabe como é ter um relacionamento saudável e cheio de coisas boas pra fazer…. abraços…… e aos que não curtem …. experiencias d swing são muito boas….. e às mulheres que querem animar seus maridos…proponham a eles uma saida com um outro casal….. d swing…. e deixem rolar uma experiencia de bi fem…. aposto que vcs dois vão gostar……luana_marco2009@hotmail.com

  • gabriel diz: 14 de outubro de 2011

    bahhh não colocaram meu comentário???

  • Alessandra diz: 14 de outubro de 2011

    O Rooster falou tudo….

  • Olha só… diz: 14 de outubro de 2011

    Vivemos num mundo complexo, cheio de dogmas, tabus. Somos produtos de um meio cultural e histórico. Refletimos em nossas ações aquilo que nossos pais nos ensinaram, que por sua vez foram tambem ensinados pelos meus avós e por ai vai através de séculos de violentação religiosa, politica e social. Somos violentados pelo Estado o tempo todo.

    Já houve épocas em que o certo (tempo do império de Nero) o CORRETO era transar homem com homem. A mulher era considerada um ser inferior e só servia para reproduzir. E naquela época quem priorizasse a mulher, era visto como quem hoje prioriza ou aceita o casamento aberto.

    Ou seja, é uma questão cultural, antropológica, histórica. Somos produtos desse meio. E sendo assim, eu sou uma pessoa produto desta sociedade castradora. Não consigo aceitar o casamento aberto. Está introjetado em mim que não pode haver relação a três ou mais. Ainda sou daqueles que o que é meu é meu. E se não é meu, está livre para ir.

  • Olha só… diz: 14 de outubro de 2011

    complementando…
    E por mais paradoxal que possa parecer, apesar de não aceitar o casamento aberto, no passado, já trai minha mulher com mais de 70 mulheres diferentes, o que deve ter dado cerca de 2.000 transas fora do casamento. Mas não é algo aberto. É escondido.

    Hoje, não tenho mais vontade de trair. Não procuro mais. Só quero ficar com a minha mulher…

  • Diogo diz: 14 de outubro de 2011

    Eu heim…fico impressionado com a capacidade persuasiva das pessoas. “o ser humano não nasceu para ser monogâmico” – quem disse isso? está na bíblia ou em alguma outra escritura respeitada e estudada pela humanidade? “mais dia menos dias um ou outro irá trair SIM” – belo exemplo de julgar os outros POR SI MESMO. Não concordo com este tipo de relacionamento. Não é preciso fazer uso do sagrado matrimônio para se ter uma relação “moderna”. Ficantes então, cada um com seu canto e pronto. Mas casamento, pôxa…é muito mais do que sexo, é amor, é cumplicidade, é companheirismo! Somente quem não ama topa “dividir” seu parceiro(a) com outro(a).

  • cleonice diz: 14 de outubro de 2011

    tudo muito libeeral tudo pode,cuidado quando vcs forem nessas casas de swing,para nao pegarem suas filhas ou seus filhos la com suas noras ou genros. deve ser muito divertido.

  • jorge diz: 14 de outubro de 2011

    é,… o casamento é possessivo, MEU marido, MINHA esposa. Eu pergunto isto é amor ou posse?

  • jorge diz: 14 de outubro de 2011

    MORALMENTE CORRETO? QUEM DITOU O CORRETO OU O ERRADO? SÃO PURAMENTE NORMAS E PADRÕES IMPOSTOS POR UMA NECESSIDADE DOS TEMPOS. EXISTEM COMUNIDADES NA CHINA ONDE O RELACIONAMENTO ABERTO É TOTALMENTE NORMAL E PLENAMENTE ACEITO. ORA, CRESCEMOS E NOS FORAM IMPOSTAS CRENÇAS E VALORES. E SEGUNDO QUEM AS MESMAS SÃO CORRETAS? ORA, PURA IMPOSIÇÃO ECONÔMICA E RELIGIOSA.

  • Paulo A. diz: 14 de outubro de 2011

    Pois é, acho que os assuntos estão demasiadamente misturados. Uma coisa é casamento aberto, cada um sai para um lado, transam, namoram, com outras pessoas em separado, outra coisa é o casal ser swinger. Outra coisa distinta é o casal já ter experimentado o swing, em qualquer nível, ou mais de um nível, sei lé, e pretender voltar algum dia a fazer, não sei. Isso, a meu ver não é um casamento aberto, é um casamento liberal… Como será que se define isso? Porque, para mim, casamento aberto não seria adequado, mas um lance liberal é, nos meus conceitos, permitido e imaginar isso é de certa forma excitante.

  • Anônimo diz: 14 de outubro de 2011

    Quanta hipocrisia, casamento

  • Igor diz: 14 de outubro de 2011

    Gostei da Resposta da Milena e do Lucas. A milena quando casar sai comigo e a mulher do lucas também. To Nessa! É fácil, se ele tiver namorada pode me emprestar agora!

  • COMPLICADA diz: 14 de outubro de 2011

    Claro que não, então fica solteiro…

  • Alan diz: 14 de outubro de 2011

    Olha, nao sei a sua idade,mas acredito que deve estar na faixa dos 40, essa idade eh bem complicada, nao aceitam a situacao, tem sentimento de posse, inseguranca, medo de perder, os casais na faixa dos 20 e dos 30 tem outra cabeca, curtem na boa, nao se ligam em coisas de posse, de ter que ficar, consentir, eh outra geracao, mais livre, mais aberta menos encanada, com certeza, vao desfrutar da vida muito melhor, e nao eh porque tem alguem que se julga dono desse alguem.
    Apenas por curiosidade, passe sua idade pra gente conferir se minha teoria ta certa.

  • Rafa diz: 14 de outubro de 2011

    Mas que barbaridade, estão loucos ? Casamento é uma coisa séria, queres te divertir ? Fique solteiro. É claro que nem todo mundo pensa assim, cada um cada um, mas quem vai ser o louco de aceitar que te coloque um par de chifres ? Pelo menos comigo esse papo não rola. Quer experimentar várias? Fique solteiro. Não gosto de coisas usadas.

  • Paulo A diz: 14 de outubro de 2011

    Diogo (e loutros), vou pegar pesado, eu sei, pode ser que me persigam com tochas e tal (hehe), mas tu sabia que o casamento é uma invenção com finalidade econômica, relacionada a manutenção de patrimônio? Tu sabia que esse amor romântico que a gente cultua (e eu também, amo minha mulher, muito) é uma invenção nascida mais ou menos no século XV? Tu já parou para pensar que a Bíblia é uma publicação da igreja católica, que ganhou força e novos contornos justamente na época em que a igreja e a política se confundiam? Aquele período da “santa” inquisição, tu já ouviu falar? Pois é, foi tudo nesse período. Tu sabia que inúmeros evangelhos não interessaram à igreja e foram escolhidos para não ser publicados? Tu sabia que os evangelhos que lemos hoje passaram por inúmeras traduções e interpretações que se adaptam a vontade daqueles que manipularam, com a finalidade (não única claro) de manutenção de poder da igreja? Pensa um pouco nisso. Pensa se é justo a gente seguir manipulado ou se é mais justo crer em Deus, como uma força coletiva, de bons pensamentos e intenções, o mesmo poder que tu acredita (e eu também), mas também crer que tu pode ser regido pela tua própria consciência. É só um convite para pensar, meu amigo. Quanto ao teu comentário, não me venha impor as verdades que te impõem. Disso eu não gosto. Julga a ti mesmo, não aos outros, tu não tem esse direito. Um abraço.

  • nize diz: 14 de outubro de 2011

    Wanderlei, entra no “o cercadinho” e vai pastar guri chato!!!
    Tá em todas só fazendo marcham desse blog…
    Coisa mais sem graça…

  • lfernando diz: 14 de outubro de 2011

    casamento aberto nada mais e que asumir a galhada kkkkkkkk ,acabou avergonha ,a moralidade ,oque vai ser dos nossos filhos , e quando amulher engravidar? vai locar um onibus pra levar o supostos pais a fazer o DNA , e o fim

  • Thaís diz: 15 de outubro de 2011

    Como esse assunto rende!
    Quando você faz a livre escolha de estar com outra pessoa, fazendo planos, se dedicando, querendo crescer juntos, construindo patrimônio, casa, lar, família, você abdica de muita coisa. É uma escolha. Como tudo na vida. Você deve ser senhor dos seus desejos e não deixar que seus desejos tomem conta de você. Eu desejo comer uma barra de chocolate todo dia. Eu desejo dormir todo dia à tarde. Eu desejo comprar um sapato novo todo dia. Quais são as consequências de cada um desses atos?
    Estar com outra pessoa vai ser sempre novidade. Você não divide o mesmo teto. Não tem as contas vencendo no fim do mês. Não tem aniversário da sogra.
    Essa outra pessoa é linda, não tem mau hálito ao acordar, está sempre arrumada para arrasar. Você ainda não vivenciou as crises de TPM dela. Ele ainda não está de mau humor porque teve um dia difícil no trabalho ou o porque o time perdeu (de novo). Um casamento pressupõe conquistar a mesma pessoa todos os dias. Desenvolver novas habilidades que você nem sequer desconfiava que tinha. É aprendizado constante. Quando seu pai, sua mãe ou seu irmão estão chatos você procura novos relacionamentos também?
    O fato é que para o ser humano a grama do vizinho é sempre mais verde. Num casamento (ou relacionamento) aberto, em algum momento um dos dois vai estar com alguém com quem tem mais química sexual, mas não estará em sintonia para enfrentar ou compartilhar os problemas. Daí vai buscar colo no porto seguro: o cônjuge. Mas o tesão já não é mais o mesmo. Porque já experimentou o gosto da grama mais verde.
    As pessoas sempre querem o que é mais conveniente para elas. Não se doam mais.
    E citando o Iceman: “a monotonia da monogamia” só existe porque nós deixamos existir. Porque nós nos acomodamos. Porque nós achamos que o outro vai estar sempre ali. Porque ninguém diz pra gente o quanto é difícil escolher.Ou melhor, o quanto é difícil arcar com as consequências de nossas escolhas. Raros os pais e mães que conversam sobre essas questões práticas da vida com seus filhos.
    Gostei muito do post do Rooster!

  • Paulo Cesar diz: 15 de outubro de 2011

    Casamento aberto ou fechado, claro, depende do acordo firmado entre o “casal”. Bem, penso o seguinte. Não evoluímos para ermos monogâmicos, isso é cultural. Mas, a monogamia sendo cultural, seria melhor apenas questioná-la e fazer o contracultura? Creio que não, o buraco é mais embaixo…Ser “poligâmico” é reduzirmo-nos ao instintivo, ao animal homem, ou seja, é usarmos nossos resquícios de cérebro primitivo e blablabla… Ser Monogâmico, é abaixar a cabeça e aceitar o que a sociedade “cristã” nos manda…Mas, o que seria bom…Bom é o que se acredita e se é feliz fazendo…se acredita na mono (poli)gamia, vai em frente. porém, ter um bom acordo e bons diálogos entre o casal é fundamental, ms lembre-se, se entregar a muitos as vezes pode ser fugir de se entregar a apenas uma pessoa verdadeiramente, ou estar presa a ela por não se entregar…

  • RICARDO diz: 15 de outubro de 2011

    Na verdade para mim não existe isso de casamento aberto, isso de casamento aberto esta mais para amizade colorida, algo tipo duas pessoas que moram juntas fazem sexo as vezes e vão se divertir com outras pessoas quando der vontade, isso não e casamento…

  • Fernando Guilherme Roos diz: 15 de outubro de 2011

    Como se CHIFRE ainda fosse NOVIDADE aqui no Brasil ….

  • Fernando Schlindwein diz: 15 de outubro de 2011

    “ela curtiu sua vida de solteiro” ou “ela curtiu sua vida de solteira”?
    Será que aprendi português errado no GE Jerônimo de Albuquerque?

  • Rafaela diz: 15 de outubro de 2011

    Comentei com uma amiga que li o post do blog sobre “casamento aberto”. O comentário curto e grosso dela sobre o assunto foi: casamento aberto = chifre trocado não dói! será que é isso mesmo que os casais adeptos desse tipo de prática pensam? Se é isso mesmo, eles já casam com a intenção de trair e fazer disso um “algo a mais” no casamento. É a banalização dos valores e princípios morais e éticos, que a sociedade tanto prega, mas que pouco pratica.

  • Wanderlei diz: 15 de outubro de 2011

    Muitos casais tem casamento aberto, e nem por isso deixam de se amar. O que importa é o diálogo como eu disse anteriormente. Havendo diálogo, qualquer que seja a situação, a chance de chegarem num concenso é grande. Mas se não tiverem a cabeça boa, esqueçam. Não existe casamento aberto.
    Para Nize:
    Não sei se tu viu, mas quando deixamos um comentário aqui, existe a opção “Site (opcional)”, e eu não vejo o porquê não colocar, ué. Simples assim. Então não estou aqui pra discutir, mas sim pra dar minha opinião sobre os textos deste blog que eu respeito, curto muito e sempre acompanho. Se te incomoda, passa batido e deu, minha querida. Só o que não aguento é ver pessoas que nem tu, mal-humoradas, mal amadas e de mal com o mundo. Então num próximo texto, passe batido sempre que eu comentar aqui, combinado?
    E só pra constar, é MERCHAN, e não “marcham”. Antes de querer bancar a tal, pesquise e revise mais um pouquinho o que vai escrever. Ok?
    E voltamos ao assunto do texto.
    (o-cercadinho.blogspot.com)

  • Carlos diz: 15 de outubro de 2011

    As coisa acontecem, primeiro vc casa, jura que é para todo sempre, com o passar dos anos descobre que ja não sente mais nada a não ser um certo carinho e amizade, logo pensa ” vou me separar”, mas infelizmente as coisas não são mais tão simples, vem as perguntas: como vão ficar as crianças? com quem? a casa vou ter que vender para dividir, o carro, a casa na praia,a … conclusão: é melhor continuar casado, sem cobranças, cada um na sua. Voce só vai saber certas coisas quando viver tais situações, essa história de eu acho isso, acho aquilo é achismo, nada sabe.

  • Camila diz: 15 de outubro de 2011

    Olha, infelizmente a sociedade é muito preconceituosa. Eu no meu proximo relacionamente gostaria de ter uma coisa mais aberta justamente pelo fato de nao acreditar mais em homem FIEL. Eu prefiro saber que eu sou traida do que ser feita de paspalha. Ou participar junto desta pulada de cerca. A questão as vezes nem é a traição, existem maneiras de participar , como os swings.
    MAs mesmo assim, sei que é complcado pois homem é machista, e ele nao aceita isso. Ele pode trair, a mulher nao. Entao ai não é uma relaçao aberta.
    Acho que monogamia nao existe. E devemos aproveitar as oportunidades!

  • Rolim diz: 15 de outubro de 2011

    Desculpem a sinceridade, casamento aberto é para os fracos, aqueles que são incapazes de assumir uma responsabilidade, para aqueles que a vida é um brinquedo sempre, para os que preferem oscilar entre a relação e sexual e uma vida de responsa sabilidades, é para fracos, desprovidos se sentimentos, incapazes de fazer somente uma pessoa feliz nesse contexto, vivem para se prostituir, que sejam felizes nessa sua idéias, montem uma matilha capaz de satisfazer seus desejos mas, não me venham falar de sentimentos, me poupem.

  • Dinho diz: 15 de outubro de 2011

    PARA WNADERLEI!

    Cara, de vez em quando entro no seu blog e tem assuntos interessantes lá.
    Agora, o motivo de eu escrever a você é a resposta que vc deu para a NIZE.
    Chamá-la de mal amada,mal humorada…por favor cara!!!
    Vivemos numa democracia ( ou não ? ) e podemos emitir nossas opiniões. Concordar ou não, vai depender de cada um.
    Eu tenho a minha opinião sobre o assunto, alguns cancioneiros já disseram o que penso, não vejo razão de escrever novamente.Mas, o que não pode é alguem que não concorda com vc, ser ofendida por isso. Pegou mal!
    Pelo pouco que lhe conheço, através de suas opiniões e do seu blog, tenho certeza de que foi um ato falho seu e que por isso mesmo, em algum momento oportuno vc irá se retratar.
    Outra coisa,certa vez, em aula na faculdade ( isso até gerou um grande debate em sala de aula)o professor nos disse que:”O Importante é nos fazer entender e não a forma como ela é escrita”. E isso ela fez. Eu e todos os cancioneiros, entendemos o que a NIZE quis dizer .
    Fica a dica. Respeite a opoinião dos outros, mesmo que elas não fechem com a sua…que seria do azul sem o vermelho e vice-versa?

    Abraços,

    Dinho

  • Paulo A diz: 15 de outubro de 2011

    Quem de nós, adeptos ou não, simpatizantes ou não, católicos ou não, tem competência e até mesmo direito de julgar sentimentos dos outros? Quem aqui tem moral suficiente para julgar comportamentos dos outros? Porque as pessoas não acreditam nas mesmas coisas precisam ser ofendidas? Porque tu não acha certo o que o outro faz quer dizer que não é? Se uma coisa é feita e só afeta a vida daquela(s) pessoa(s) e não a tua, quem te dá o direito de julgar? Uma coisa é a pessoa cometer um crime, outra coisa é a pessoa não querer viver (ou querer viver) exatamente nos padrões sociais, se é que isto ainda existe com um padrão de comportamento para cada coisa, outra coisa é a pessoa se achar no direito de agredir quem não quer viver assim e acredita em coisas diferentes das dela. A tua agressão é algo muito mais condenável do que a escolha do outro. O assunto proposto é delicado, cutuca com muitos sentimentos e crenças de cada um, especialmente daqueles que não são tão bem resolvidos consigo mesmos. Na minha análise interna, e isso temos todos o direito de fazer, julguei algumas manifestações aqui como vindas de gente que tem sérios recalques, outras de pessoas que babam demagogia, outras que se sentem frustradas por querer experimentar, ao menos, coisas que outros disseram que experimentaram, mas que não podem (medo de encontrar amigos ou parentes em uma casa de swing, por exemplo) outras que só queriam avacalhar e também, graças a Deus, um punhado de gente sensata que deu a sua opinião respeitando a opinião alheia, mesmo que suas crenças sejam diferentes. Outros, me desculpem, mas muito ignorantes adjetivando aqueles que se comportam ou acreditam em coisas diferentes. Termos do tipo corno (bem comum), prostituta, quadrado, hipócrita, entre tantos. Pessoas que nem se conhecem e já rotulam as outras. Já pararam pra pensar que, por exemplo, um casal praticante de swing, ou que já tenha esta experiência, pode ser sentimentalmente mais amadurecido que outros? Sabiam que neste tipo de relação as pessoas se sentem mais seguras com seus parceiros “oficiais” e a cumplicidade faz a relação crescer? E que são as mulheres que dominam a relação sexual, que há um culto ao feminino e um extremado respeito ao querer delas? E estes que curtem essa liberalidade, sabiam que existem casais que justamente são mais unidos e amadurecidos sentimentalmente justamente por sua fé em Deus, pela prática conjunta de valores morais edificantes e pela prática do bem? Pois é, existe tudo isso. Mas também, e agora talvez para muitos seja novidade, existem vários casais que se unem em Deus, que possuem seus valores morais muito firmes e suas cucas livres de culpa, que possuem filhos com boa educação e ambiente de carinho, que possuem boas profissões e se destacam nelas, mas que curtem, por exemplo, swing? Ah, pois é. Quem é que está certo nessa história toda? Todos ou ninguém? Não julgue, não é seu papel. Procure aprender e crescer com a opinião alheia, ou simplesmente descarte. Isso é uma obrigação de todos nós.

  • Gláu diz: 15 de outubro de 2011

    CONCORDO em gênero, número e grau com o que disse a Roberta e a Flor. Pode até existir casamento aberto, mas não entra na minha cabeça…Quero meu marido só pra mim e sou só dele.

  • MARI PARA BEL diz: 15 de outubro de 2011

    Querida… não só eu amo ele, como ele me ama e me respeita. Entenda: amor é só em casa, o querola fora, nem conta em casa. Vc tbém pode estar vendo a novela das 9:00 achando q teu marido está no futebol, etc, e ele estar com outra, etc.. O que conta para nós, é que reine sempre a verdade enre nós. Sabe, às vezes vc pode olhar p aquele carinha “Ai, lá em casa”, mas qdo vc sai c ele ve que sem dúvida, o melhor é o teu marido, sempre. o meu já saiu c tantas, mas é a mim que ele deseja c todas as forças. e eu, a ele. O problema maior em aceitar isso, é a educação religiosa que nos deram onde td é pecado. Nem antes de Cristo éramos monogâmicos. Aliás, ele n disse q devemos ser… Este tipo de relacionamento só pode dar certo se ambos confiarem e respeitarem o outro. Fica muito mais indissolúvel do q se possa imaginar. Já, o que é proibido, desperta aquele teão e pode acabar c um relacionamento pela simples opção egoística de algum marido/mulher q falsamente, trai até q isto venha a tona. Bjuss. E só entre nessa se tiver certeza, ok?

  • Dany diz: 15 de outubro de 2011

    BEM CAPAZ……

  • Antipático diz: 15 de outubro de 2011

    Sabe qual o grande problema das pessoas? “Eu penso dessa forma. Qualquer um que ouse pensar diferente de mim é ignorante, promíscuo, infiel, traidor, mau caráter e por aí vai…” Eu não curto casamento aberto, mas e daí? E se o cara aí de cima curtir? E se a menina gosta de outros relacionamentos? E se o casal gosta de um relacionamento não convencional? Se o cara gosta ou não se importa com um par de chifres? O que é que eu tenho com isso? Nada. Rigorosamente nada. É muito fácil criticar a posição dos outros, difícil é se enxergar com certa humildade…É pra opinar, não pra falar mal dos que pensam diferente de mim.Aff…39j3

  • Wanderlei diz: 15 de outubro de 2011

    Para o Dinho:
    Tenho uma coisa comigo, cara. Respeite pra ser respeitado. E sinceramente, ao ler isto abaixo, acho que não foi o caso da nossa amiga Nize.
    “… e vai pastar guri chato!!!”
    Portanto, comentários que nem o teu, acho show de bola responder e debater, agora só não me venha soltando as patas pois daí o buraco é mais embaixo. Agressão verbal sem mais nem menos? Nem sou o foco do texto, ora. Nem fui eu quem o escreveu. Se ela não gostar dos meus comentários, que passe batido, assim como passo batido ao ler trocentos comentários aqui. Simples assim. E isso sim é atitude de pessoas que estão de mal com o mundo. É o que penso. Se tu não compartilha da mesma opinião, beleza e seguimos o baile. Mas tudo com respeito.
    No mais, valeu pela dica e seguimos com o texto daqui que é o que interessa.
    Abraço, Dinho.
    http://www.o-cercadinho.blogspot.com

  • Marreta diz: 15 de outubro de 2011

    “Mãe, o pai é meu pai ou é aquele que vc sai as vezes quando vc beija no serviço” ou “Pai, a mãe é minha mãe ou aquela que vc passa a mão quando esta no escritório”……. tenho que rir muito sobre quem fala de valores. Viver com a opinião alheia é nao deixar de defender seu ponto de vista.

  • Nize para Wanderlei… diz: 15 de outubro de 2011

    Eu não queria… mas vc deixou picando…Já foi pastar, guri chato? huahuauahauhauahauahauh!!! Estou rindo até agora da resposta tosca e medíocre q vc escreveu…
    Eu tinha plena convicção que ia me chamar de “mal amada, mal humorada…”
    E sabe pq eu tinha essa certeza? Pois isso é bem próprio de piá sem nenhum argumento como vc. Quando os gurizinhos do teu tipinho se “acham”, e encontram alguem q simplesmente pensa q são uns chatos, a 1ª coisa que falam é isso q vc acabou de dizer, e a 2ª é correr pra baixo da saia da mamãe… então meu querido corre lá… Ah desculpe, vc nem deve ter mãe…E outra quanto a “marcham” e “mercham” eu sei bem a diferença, mas quer saber nem ligo, pois me fiz entender, e é isso que vale. ENTENDEU AGORA??? Beijos e bom Domingo!!!

  • Iberê diz: 16 de outubro de 2011

    O Cercadinho é o resultado das conquistas amorosas, onde cada um preenche à sua maneira e gosto. Pode ter o critério de cotas e uma de cada: loira, morena, mulata, ruiva e/ou japa. O estilo Censo do Ibope, com faixas etárias e tipos variados. Até monogâmico com apenas uma mulher selecionada. Entra lá!
    http://www.o-cercadinho.blogspot.com

    Iberê

  • Paulo diz: 16 de outubro de 2011

    Bahhhhhhhhhhh… Eu não deixava assim…

  • Camilla diz: 17 de outubro de 2011

    Jamais aceitaria uma relação assim. Comigo nem pensar….ainda mais agora que conheci alguem com quem realmente penso em casar….
    Dinho querido…adorei o beijo que tu me enviou outro dia aqui no blog…te amo tambem meuamorzão !!!!

  • Wanderlei diz: 17 de outubro de 2011

    Para Nize:
    Poderia te responder N coisas, mas melhor não.
    Apenas Pena. É só o que dá pra sentir lendo este teu comentário. Mas a vida segue. O foco aqui não sou eu, nem tu. E sim o texto. Beijinhos pra ti, querida.
    (www.o-cercadinho.blogspot.com)

  • Ô Lá em casa! diz: 18 de outubro de 2011

    Aew galera existem mais casais do que vcs pensam. Muitas vezes seus vizinhos, amigos e as vezes parentes são adeptos a casas de swing e casamentos abertos. Quando saímos a primeira vez foi estranho e estávamos desconfiados … mas quando vimos a quantidade de casais na festa … noosssssaaaaa. Muitos casais, casais jovens, bonitos e divertidos, pessoas normais que trabalham e pagam suas contas, talvez alguns não mas tudo bem. (hehehe). Mas a questão é que as pessoas criticam sem conhecer e além do mais, o que outros casais fazem e não te prejudica porque te incomoda? Pensem nisso! Se eu não estou te encomodando pq se importa se gostamos de sair com outros casais?
    Abraços galera e vamos ser mais compreensivos com os outros. Garanto que Deus se importa mais com as pessoas que matam, roubam e fazem maldades do que com casais felizes que curtem a vida da maneira que gostam.

  • Amélie diz: 18 de outubro de 2011

    Definitivamente tem que ser uma pessoa extremamente “evoluída” pra lidar bem com essa questão. Não me considero moralista, mas não conseguiria conviver numa boa com uma situação dessas.

    Já passei por uma situação um pouco parecida, onde eu e meu excelentissímo ex-namorado decidimos não voltar a namorar por influência de questões geográficas, pois o mesmo fazia um curso em São Paulo, e este tinha duração de 2 anos, mas mesmo com essas condições manteríamos um relacionamento monogâmico, sabíamos que tinha muita coisa em jogo, mas em nome de toda a nossa história acabei aceitando, por que achei que no final das contas conseguiríamos superar a distância.

    E posso afirmar com a maior convicção do mundo, foi péssimo, ou melhor terrível, primeiro porque não voltamos a ser o que erámos antes e depois conseguimos destruir aos poucos tudo o que construímos durante anos, no final das contas não restou carinho, amizade, respeito, cumplidade muito menos respeito.

    Foram sucessivas decepções, mentiras, enrolações, até que um telefonema confirmou as minhas suspeitas, ele sai com outras quando estavámos distantes. Enfim, não tenho sangue frio para lidar com uma situação dessa então o melhor foi seguir em frente e jogar todos os nossos planos fora e recomeçar sozinha.

  • tay diz: 21 de outubro de 2011

    Olha… a única coisa que eu acho, é que pessoas que tem esse tipo de relacionamento aberto não se AMAM de verdade! Quem realmente ama de verdade não quer ver seu parceiro(a) com outra(o)!!!!

Envie seu Comentário