Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

"Amor, estou grávida. O que a gente vai fazer?"

24 de outubro de 2011 119

Foto: sxc.hu

Fato que programar uma gravidez, pensar e organizar a vida a dois, alinhar todas as questões relevantes para dar um futuro bom à criança é primordial e porque não dizer essencial na vida de um casal. Mas e quando isso não é possível? Quando ela simplesmente para na tua frente com aquela cara de apavorada e diz “Amor, estou grávida”?

Um casal de amigos passou por isso. Em uma madrugada, acabaram transando, não se precaveram e vieram gêmeos. Gêmeos, amigo. E o marido, hoje feliz da vida com os dois guris, ficou apavorado. Ele, recém-formado na faculdade de Direito. Ela, professora de Educação Física. Passaram um grande aperto logo no início. Ela também ficou apreensiva, claro, mas os dois lembram — hoje rindo, claro — que ele ficou bem mais nervoso e preocupado do que ela, que só sabia olhar e alisar a barriga.

E vocês? Alguém aqui já passou por isso? O que fizeram? Como foi para superar a barra e dar algo bom para o bebê? Conte para nós, samba-cancioneiro.

Comentários (119)

  • João Moraes diz: 24 de outubro de 2011

    Bom dia a todos.
    Situação idêntica aconteceu comigo. Hoje não vivo mais com a mãe do meu filho, mas posso dizer que foi uma das melhores coisas que aconteceram na minha vida.
    Mesmo ele morando com a mãe, passo todos os finais de semana e feriados com ele ao meu lado.
    Mas lembro que no momento que recebi a notícia da gravidez, meu mundo parou e parecia que iria desabar. Na época eu ainda era universitário e apenas estagiava.
    Hoje em dia eu posso dizer com todas as palavras QUE FOI O MELHOR ACONTECIMENTO DA MINHA VIDA!!

  • Vívian diz: 24 de outubro de 2011

    Meu marido e eu, namoramos e casamos em 3 meses…rsrsrs.
    Logo q casamos, acreditem, ele ficou desempregado.
    Quinze dias depois de casarmos fiquei grávida. Morávamos com minha sogra (ótima pessoa…mas não recomendo morar com sogra em nem com mãe!!!!rsrsr).
    Meu marido conseguiu voltar ao emprego antigo…mas ganhando a metade que ganhava, na época. Tempos difíceis…muito. Enjoei dele na gravidez, não conseguia sentir o cheiro dele, tivemos muitas brigas…rsrsrs, achamos o nosso ponto de equilibrio…
    Mas hj, 6 anos depois, temos nossa empresa e estou gravida denovo…e crescemos muito juntos, como família, marido e mulher…somos um só!!!!
    E se não tivessemos passado por tudo isso…não seriamos o que somos hj e não teríamos o q temos hj!!!!
    Bjs a todos…

  • Diego diz: 24 de outubro de 2011

    Bom dia a todos.

    Sim essa situação ja me ocorreu. Hoje minha esposa e na época namorada por desconfiar fez o famoso teste de farmacia e deu positivo. Na hora o desespero foi total, ela surtou de verdade e pensei comigo. Se eu surtar tambem ferrou. Mantive a calma e deu um suporte a ela e encaminhar bem a situação sem desespero.
    Sem duvida foi um período dificil, mas o que segurou a barra foi o apoio familiar de ambos os lados. Isso fez toda a diferença. Fico a imaginar casais que levam a gravidez adiante sem o apoio dos pais, o quão dificil deve ser.

  • THAIS diz: 24 de outubro de 2011

    Eu fui e sou mãe sozinha, então ñ posso opinar mto. Mas posso dizer q ser MÃE é algo glorioso, mesmo passando por apertos para criar minha pequena sozinha, ela é TUDO para mim, e qdo soube q estava grávida, numa situação atipica, consegui manter a calma e viver aquele momento “mágico”. Boa semana a todos!!!

  • tay diz: 24 de outubro de 2011

    Bom dia!!!
    Eu também já passei por td isso!! Descobri que estava grávida com 19 anos, meu namorado na época(hoje marido) tinha 22. Fiquei quase louca, não sabia o que ia fazer e muito menos como contar para meus pais. Na época eu fazia faculdade e trabalhava, larguei tudo! Ás pressas construimos uma “casinha” e fomos morar juntos. No início foi bem difícil… meus pais não aceitavam e nem me davam apoio… mas com o tempo, a barriga foi crescendo, e aos poucos eles forão aceitando! Teve época que a grana tava curta… não foi fácil… mas juntos, nós três, superamos tudo! E hoje posso dizer que sou uma mulher completamente realizada, tenho um ótimo marido e um filho LINDO de 4 anos que eu amo mais que td nessa vida!! É isso gente, apenas um resumo da minha história!
    Valeu, boa semana para todos…..

  • Josi diz: 24 de outubro de 2011

    Dependendo da situação, acredito que o aborto seria algo a se considerar, mesmo levando em consideração os riscos.

    Já tive um “alarme falso” e quando ainda existia a dúvida, foi uma das coisas que cogitei. Não sei se teria coragem, pelo risco que meu corpo correria. Podem me jogar pedras e serem hipócritas em dizer que nunca pensaram nisso, mas eu acho uma opção válida.

  • Andressa diz: 24 de outubro de 2011

    Eu descobri a pouco minha gravidez. O pai, meu ex-namorado, que minha familia odeia. Fiquei muito nervosa não sabia como contar para eles.. No ultimo dia das crianças, resolvi abrir o jogo e contei, foi ótimo! Porém minha familia sente por eu estar gravida dessa pessoa. Hora ele diz que precisamos estar juntos para ver nosso bebê crescer e dar tudo que ele precisa, hora ele sai com os amigos e esquece da gente. Situação muito dificil! Não sei como lidar com tudo isso! Me sinto fragil e muito sozinha (apezar de ter o apoio da minha familia).. pois o amor da minha mãe é diferente do amor que preciso do pai do meu filho!

  • tay diz: 24 de outubro de 2011

    Josi, eu vou confessar que pensei em aborto no primeiro momento que descobri que estava grávida, mas graças à Deus meu marido estava ao meu lado e não deixou eu fazer essa besteira!!! Na hora do desespero, e eu era meio imatura, você pensa muita besteira! Mas hoje eu JAMAIS faria isso!!

  • T.A.C Para Josi! diz: 24 de outubro de 2011

    Josi, Aborto a se considerar?

    Porque não se cuida então?

    Não é mais fácil?

  • claysson diz: 24 de outubro de 2011

    Como assim nós?!?! Eu to indo viajar, na volta a gente faz o exame de DNA, ok?

  • lU. diz: 24 de outubro de 2011

    EU NAO POSSO ACREDITAR QUE AINDA EXISTAM MULHERES QUE ALEM DE PENSAR EM ABORTO. AINDA SE PREOCUPAM SOMENTE COM OS PROBLEMAS QUE TERIA O CORPO DELA SE O FIZESSE. E NEM SEQUER UM MOMENTO PARA PRA PENSAR NA VIDA QUE ESTA GERANDO DENTRO DELA.
    POSSO SER MUITO CARETA, MAS SE NAO FOI MULHER O SUFICIENTE PRA FAZER, PELO MENOS SEJA PRA DEIXAR NASCER E DAR PRA ALGUEM ENTÃO!
    AXO UM ABSURDO O ATO DO ABORTO E MESMO SE EU FOSSE A PESSOA MAIS POBRE DO MUNDO, COM TODOS OS PROBLEMAS QUE UM SER HUMANO POSSA TER MESMO ASSIM, EU LEVARIA ATE O FIM, NEM QUE SEJA PRA DAR PRA ALGUEM CUIDAR PRA MIM!

    VOU TENTAR PLANEJAR UM BABY PARA O ANO QUE VEM, ESPERO QUE ELE NAO VENHA ANTES DO COMBINADO! MAS SE VIER QUE SEJA BEM VINDO E QUE EU NAO PRECISE USAR A FRASE LA DE CIMA! HEHEHEHE (:

  • Eliana diz: 24 de outubro de 2011

    Bom dia!

    Andressa e Thais estou passando pela mesma situação de vocês, estou grávida de 2 meses, foi um envolvimento intenso, eu me cuidava, só que não sabia do efeito dos antibióticos( cortam efeito da pílula) e, aconteceu.. Hora estou feliz porque serei Mãe(palavra mais linda do mundo) hora porque estou sozinha nisso…o pai de meu bebê é novo, recém formado, e está apavorado, entendo ele, mas me chateei, me decepcionei com ele quando ele me pediu para eu tirar, que me levaria a uma clínica, etc e tal. Sei que ele foi egoísta pensando nele, e eu também falando que seria só meu. Estou ainda assimilando a idéia desse presente tão precioso que é ter um filho, meu corpo está se transformando, meus hormônios à flor da pele..só quero que meu, nosso bebê venha bem, saudável para esse mundo, sei que tentarei ser a melhor mãe para ele/a, só gostaria de ter a minha família.
    Obrigada, e, parabéns às mamães de plantão!

  • JS diz: 24 de outubro de 2011

    Sabe o nome daquele golpe mais velho que andar pra frente? Pois é, antes de pensar em prender um cidadão ou tirar um filho, tenham amor próprio e previnam-se!

  • Rodrigo diz: 24 de outubro de 2011

    Aborto é um assassinato, é falta de RESPONSABILIDADE, pois se teve responsabilidade de fazer, então tenha esta mesma responsabilidade de aceitar.
    è coisa de criança fazer coisas e quando tem que assumir, jogam debaixo do tapete ou passam adiante a responsabilidade.
    RESPONSABILIDADE É COISA DE ADULTO, e não criãnças que pensam desta maneira, isto é coisa de Animal irracional.
    Falo isto de irresponsabilidade nos casos de namorados terem relações e não usarem dos meios legais de se cuidarem, depois engravidam e querem passar esta responsabilidade adiante.
    è difícil encarar o aborto nos casos de estrupo, acho um tema interessante colocar para discução.
    Mas sou totalmente contra o aborto.

  • Josi diz: 24 de outubro de 2011

    Óbvio que acho o aborto algo a se considerar (não estou dizendo que é o melhor a se fazer, mas é sim algo a se considerar!)

    Acho que se cuidar é o melhor a se fazer, mas pelo que bem entendi o post trata exatamente de situações em que houve um descuido, afinal por mais que se cuide os contraceptivos nunca são 100%. Para ter certeza de que não se vai engravidar, abstinência (do sexo pelo modo “tradicional”) é a única solução 100%.

  • TAIANA diz: 24 de outubro de 2011

    Bom dia!

    Bom isso aconteceu e esta acontecendo comigo! eu e meu namorado estaremos completando 2 anos de namoro em novembro …Porém em agosto /11, resolvi fazer o tal teste de farmácia … positivo … mas eu não acreditava q isso estaria acontecendo comigo, impossível!!!!!! resolvi fazer o de sangue .. tbm positivo…. me desesperei chorei … chorei .. meu mundo virou de ponta cabeça .. perdi o rumo…. pois nossos planos não incluíam filhos, casamento .. etc … nos próximos 5 anos, ele esta com 22 anos e eu com 25 … depois dos 30 quem sabe pensaria em ter um pelo menos… mas agora … nem pensar…Mas ele manteve a calma, ficou tranquilo…Resolveu tudo de uma forma adulta.
    Bom quando sentamos para conversar resolvemos ficar namorando,para não por os pés pela mão, decidimos ir com calma…Agora estamos de casamento marcado ele já esta morando comigo… esta tudo dando certo para nós…
    Estamos muito felizes, tbm tivemos o apoio da família…
    Mas é uma barra, bah pra quem não esta esperando … São anjos que recebemos…
    e os gastos e o trabalho???!!!!!!!mas a recompensa é maior….
    Ainda não sabemos o sexo …Mas estamos muito felizes…

    Em um relacionamento onde existe amor, respeito, educação … tudo pode dar certo ate os imprevistos….

    Tbm tenho enjoado dele um pouco …. mas passa (espero) hehhehe…

  • Bi diz: 24 de outubro de 2011

    Com certeza é mais fácil se cuidar, porém, é mais dificil ainda colocar um filho no mundo sem estar preparado para ser mãe.

    Eu sou a favor do aborto.

  • Joana diz: 24 de outubro de 2011

    E o Pergunte aos Cuecas?? Era mais legal!!

  • Paulo A. diz: 24 de outubro de 2011

    Rapaz, esse susto é histórico e mostra que a vida é uma coisa muit mágica. Veja a nossa história (minha da patroa e dos bacuris): Nos casamos em 2000, queríamos um filho, mas nos contentamos com o nosso finado cãozinho, que nos deixou há um ano, aquele queridão. Bem, em 2002, nos programamos para o primeiro bebê, um menino lindo e simpático, já com 9 anos hoje, que nos dá muito orgulho. Depois, passamos 5 anos pensando em um dia termos um segundo filho, mas faltava coragem e “ou$adia”…
    Até que decidimos, engravidamos de novo. Foi aquela expectativa, mas infelizmente, Deus chamou o bebê de volta, não era hora dele e com 5 meses de gestação, o coraçãozinho parou. Ficamos detonados, menos do que o filhote mais velho, o qual ainda tivemos que lidar com uma depressão pelo choque da morte. Sim, não tivemos didática suficiente, naquele momento de dor, de explicar adequadamente para ele o que estava acontecendo. Depois, conseguimos administrar emocionalmente a situação.
    Bem, um ano depois, engravidamos de novo. Foi uma gravidez complicada, mas recebemos um bebê também lindo, no entanto, com um grande susto. O garotinho passou as primeiras duas horas, sob minha pessoal vigilância e orações, sem conseguir respirar direito, sem nota de parto, sem declaração de vivo… Foram depois, mais duas semanas e meia de incerteza quanto ao seu futuro, em uma CTI desgastante e angustiante, onde víamos pais perderem filhos e a esperança… Nosso bebê venceu essa etapa e também enche de alegria e trabalho e despesas a nossa casa, tudo em larga escala, graças a Deus.
    Sossegados, resolvemos que era hora de estabilizarmos nossa vida financeira, ela colocou DIU e eu finalmente estava concluindo a faculdade de direito (aos 37 anos) e estudando para o exame da OAB (isso mesmo, em meio a choros e imensa quantidade de fraldas e ainda assim, passei de primeira!! Ressalte-se o fato de que há dois anos eu já havia largado minha antiga profissão e estava estagiando, ganhando uma miséria, mas aprendendo muito).
    Explicando de outra forma, estávamos cheios de coragem, recomeçando a vida profissional (eu, ela é uma pessoa mais estável).
    Um belo dia, estava no meu emprego novo (bacharel em direito, recém aprovado no exame), ganhando pouco ainda, mas aprendendo muito ainda, quando ela, retornando dos exames de rotina (e porque vinha se sentindo mal), me ligou dando a notícia de que, apesar do DIU, estava com o nosso terceiro filho na barriga, já com 4 meses e meio de gestação! Nossa coisa que nunca imaginamos, ainda mais com o DIU, apesar de ela estar com a menstruação desregulada e apesar de estar se sentindo gordinha. Mesmo com o alívio de eu finalmente poder dizer pra ela que de fato ela estava gordinha (hehe), porque eu sempre chamo ela de gostosa, me desesperei… Tinha que ver coisa mais linda esse velho chorando na pracinha do foro central, em pleno meio dia…
    Bom, não era a forma correta de receber a notícia, então, com a fé que mantenho, pensei que Deus não me daria esse encargo e responsabilidade (sim, é isso, a alegria é o grande prêmio, mas é pesadão, viu?) se não me desse condição de bancar, recolhi o choro e comecei a rir da situação e me alegrar com a notícia. Em seguida, menos de um mês depois, mudei de emprego, consegui uma parceria com um ótimo escritório de advocacia e passei a advogar, como autônomo (sou corajoso mesmo). O bebê não fez um ano ainda, e eu não estou ainda ganhando bem, mas Deus me deu um ganho um pouquinho maior que o outro escritório, ótimas perspectivas e já mantenho, com apenas um ano de experiência, mais de 80 processos ativos, pelos quais sou responsável, mais uns 10 esperando para eu mexer.
    Já até me aventurei a voltar a estudar, fazendo cursos na área e a grana que ganhamos dá pra comer e medicar. A alegria em casa é tripla e a preocupação já está na metade. Difícil é ouvir as piadinhas de que somos “coelhos” ou aguentar as críticas (que eventualmente ficamos sabendo ou às vezes apenas supomos) de que mal temos para nos sustentar e ainda nos enchemos de filhos, mas nada, nada supera a alegria e a força do amor e admiração desses garotos (sim, três homens, para salvação do mundo, conforme a visão das minhas amigas).
    E em breve, vamos mostrar para mim mesmo, para minha companheira e para os meus garotos, que o pai e a mãe conseguem sim dar o que há de melhor nessa vida para eles.
    A saber, não fazemos mais nada de lazer na vida, nos falta dinheiro para muitas coisas, mas todos, como já disse, comem bem, são bem medicados e assistidos por médicos, vestem-se bem e estudam em excelentes colégios particulares (os dois menores na melhor creche da zona sul), além de viver em um ambiente de carinho e muita alegria. Só posso dizer então: OBRIGADO, DEUS POR TUDO E POR TODOS.

  • Roberta diz: 24 de outubro de 2011

    Comigo aconteceram duas vezes sem planejar. A primeira foi quando eu estava com 19 anos e meu marido com 23, namoravamos a 6 meses. Para ele foi um choque, mas eu queria muito. Passamos por muitas dificuldades, ficamos desempregados e morando na casa dos pais dele, mas o amor pelo nosso filho era e é tão imenso que conseguimos superar as dificuldades e adquirirmos forças para dar um futuro bom ao nosso filho. Enfim, vida estabilizada (emprego, casa propria, carro, poupança e vida social) nosso filho ja um pré-adolescente e por uma falta de cuidado durante uma “brincaderinha” na hora de acordar, rsrsrs. Paaa, fiquei gravida e de gemeooosss. E agora??? Acabou nossa vida social, poupança iihh..nem pensar, minha lipo vai para o espaço, a casa vai ter que passar por reformas, meu marido enlouquecido, os pensamento estavam a mil… mas posso garantir, foi a melhor coisa que aconteceu. Hoje temos um filho de 11 anos e nossos gemeos(casal) com 6 meses. Gente, nossa vida é maravilhosa! E eu agradeço a Deus por minha familia!

  • Josi para lU. diz: 24 de outubro de 2011

    Então você acha mais bonito botar um órfão no mundo, uma criança para passar trabalho?

    A primeira coisa que considerei quando pensei em aborto foi no risco que eu corria! Egoísta? Depende do ponto de vista. Quando o “alarme falso” aconteceu eu estava estudando e não tinha emprego, meu namorado era estagiário. Como eu criaria uma criança?

    Se o aborto fosse legalizado não haveria tantas crianças indesejadas sendo maltratadas por aí, não haveria tanta criança passando fome. Mas é mais bonito botar filho no mundo, bater no peito que foi até o fim e depois passar fome em casa. Ou pior ainda, ter de depender de “bolsa esmola” do governo para criar os filhos.

    A maioria comentou aqui a parte bonita de ter um filho quando ainda se está estudando e não se tem uma vida estável, agora a parte de que teve de largar tudo, as vezes largar um sonho, mudar sua vida radicalmente ninguém fala né! Não estou dizendo que nunca compensa, mas que não são tudo flores, não são!!

    Deixem de hipocrisia por favor! Um filho no momento errado pode estragar vidas.

  • Cacá diz: 24 de outubro de 2011

    Gente, por favor!!! Falar em gravidez por acidente nos dias de hj é inadmissível!!!!!!!!!! Sou da teoria que só engravida quem quer, e não tem dizer que esqueceu a pilula, que não deu tempo de por a camisinha, e blá blá blá…….
    Esta mulherada se diz tão bem resolvida sexualmente, mas “esquece” do básico. E eu digo “esquece” pq não esquece coisa nenhuma… bem no intimo, bem lá no fundinho, queria engravidar….
    Os homens que se cuidem pois está cheio de mulheres por aí querendo se ajeitar na vida. Se estão lá pelos 30 e poucos e ainda sem filhos, e encontram um “bom partido”, elas fazem qq negócio pra engravidar e garantir – a todo custo – a sua familia “de propaganda de margarina”.
    Um beijão aos cancioneiros, que eu tanto adoro e acompanho!
    Agora que comentei a 1ª vez, acho que não vou mais me segurar…

  • Flor diz: 24 de outubro de 2011

    Concordo totalmente com às críticas à “Josi”.
    Nada em nossa vida acontece por acaso, então se acontecer, quem somos nós para tirar uma vida? Existem tantas opções, dê para alguém, coloque na adoção…
    Se não desejam isto, tenham o mínimo de responsabilidade e se previnam.
    Quanto a ser mãe, farei o máximo para me cuidar e ter filhos somente após estar formada. Mas se acontecer, JAMAIS pensaria em aborto.

  • Carol diz: 24 de outubro de 2011

    Estou indo fazer o exame hoje para saber se minha suspeita é verdadeira ou não.
    O pequeno detalhe é que ainda estou noiva (casamento marcado para Março/2013) e já tenho uma enteada. Deus queira que seja apenas uma suspeita, senão a cara de apavorada ficará por algum tempo.

  • Rafael Bueno diz: 24 de outubro de 2011

    Nem vem que ñ tem! ” Amor, estou grávida! O q a gente vai fazer? E eu respondo na lapa : A gente QUEM, cara pálida? Ora, este papo só acontece entre casal ñ casado, portanto, biscate! Portanto, a mulher – dona do seu corpo- que resolva. Ñ me envolva nesta historinha velha e gasta! Meu DNA jamais terão para reconhecer o filho da besta humana! Meu dinheiro, então, não verão nunquinha!!!!

  • Fernando diz: 24 de outubro de 2011

    Eu já tive um susto com minha namorada.. estávamos há 1 ano e meio namorando e a mestruação dela atrasou uns 2 dias.. ficamos pasmos.. pois ambos estavamos estagiando e na faculdade.. compramos um teste de gravidez.. quando vimos que tinha dado negativo foi um grande alívio para nós.. afinal, nao temos condições, de sozinhos, criar uma criança… mas a experiencia foi válida, nos fez repensar algumas coisas e ter mais cuidado na hora do sexo.. Essa foi a primeira vez que perdi a fome por alguma coisa em 25 anos..

    Eu quero ter filhos, ela não sabe ainda ao certo, mas tudo no seu tempo, de uma forma planejada

  • Pati diz: 24 de outubro de 2011

    Bom dia sambacancioneiros,

    Adoro este blog, sempre q posso leio as postagem.
    Bem, vou comentar o que está acontecendo comigo.
    Sou a mais velha de três irmãs, eu tenho 27 anos, a do meio tem 23 e a caçula tem 17. Até a metade do ano, vivíamos com nossa mãe, que infelizmente adoeçeu e morreu.
    Somos de origem humilde, temos uma casa, mas estamos passando por um aperto, pois não temos ainda a pensão para nossa irmã caçula!!!!
    O questão está com minha irmã do meio que no inicio do ano ela andou se aventurando com um fulaninho e acabou engravidando e ele como todo bom covarde, acabou a abandonado grávida e com a mãe morrendo.
    Fui atrás dele para ajudar minha irmã, mas não tive sucesso, ele é um escroto.
    Hj estamos unidas, assustadas, pois agora tivemos que assumir uma casa e um filho, vcs podem achar fácil, mas é uma confusão na nossa cabeça.
    Antes meu salário era só para mim, nunca tive que me preocupar em ajuar minhas irmãs pq quem fazia isso era minha mãe. Divido meu carro, abandonei o apartamento que estava mobilhando com emu namorado e estou morando com elas, meu namorado está morando conosco também e está bancando o pai da criança.
    Estamos nos dando força e nos ajudando mútuamente, quando esta situação vai passar não sei, o que sei é que daqui pra frente, tudo que planejei está interrompido. Não sou a mãe da criança, mas me sinto responsável pelas minhas duas irmãs…
    BJ….

  • Carlitos.. diz: 24 de outubro de 2011

    Bom dia a tds.
    Bom pra inicio de converssa sempre devemos nos previnir
    eu particularmente tenho planos para ter meus 2 filhos
    mas se acontecesse com certeza eu iria fazer de tudo assim como o casal do tema fez para dar o melhor a eles afinal o bebê não pede pranascer entã
    se fizemos temos que honrrar as calças que vestimos e dar o melhor a ele.!!!!!
    Espero poder dar td de bom ao meus filhos e parabéns atodos os pais que fazem e fizeram isso algum dia.

  • Fê diz: 24 de outubro de 2011

    Josi…Concordo contigo.Creio que sempre precisamos ver os dois lados da questão.

  • priscila diz: 24 de outubro de 2011

    e comigo,que tinha 17 e ele 18,foi um mega susto,eu enjoando todos os dias e escondendo,dos meus pais,até que quando minha mãe desconfio e me levou a um gineco,fiz a eco e descobri que já estava indo para o 4º mês,e que ia ser um menino,tudo de primeira,mas consegui me organizar e continuamos estudando,trabalhando,colocamos ele o Otávio na cheche,e seguimos adiante;
    Hoje o Otávio já tem 5 anos,nosso baita amigo e parceiro para todos as horas,somos o casal mais feliz do mundo…pri+rai=Otavio

  • Jeff Costa diz: 24 de outubro de 2011

    Não podemos esperar muito em um país onde
    grande percentagem da população é analfabeta total, ou analfabeta funcional.Eu não sou
    contra algumas mulheres terem uma vida regada a irresponsabilidades e afins, mas
    que tenham a visão que é simplesmente transar sem contracepção e depois cometer um
    aborto isso já pode ser considerado um assassinato. Creio que Há situações que devem
    ser discutidas como os casos de estupro, mas em casos de irresponsabilidade da mulher/homem
    o aborto devia ser considerado crime hediondo.Mas não estou generalizando, há mulheres e mulheres
    assim como há homens e homens e também não duvido que alguns ficarão se perguntando sobre
    o significado da ultima afirmação.

  • tida diz: 24 de outubro de 2011

    concordo inteiramente com a josi, esses homnes e mulheres ficam dando pitaco sobre a vida do outro, quem tem que decidir isso se vai abortar ou não e a mulher, é muito facil falar para se cuidar mas conheço muitos casos e inclusive dito nos comentários de pessoas que se cuidavam e aconteceu quem deve decidir Sr. Rodrigo e outros se quer abortar ou nao é a propria mulher dona do seu corpo e não terceiros sei de uma pessoa que fez um aborto pois na epoca era muito jovem, estava estudando para concuros e apesar de ter tomado preocauçoes acabou acotencendo e depois que ela se estabilicou e ficou bem financeiramente resolveu ter um filho e hoje diz que nao se arrepende de sua decisao Até mesmo na Itállia, país super católico o aborto é permitido.. em vários outros países desenvolvidos tambémro é preferível um procedimento legalizado do que clandestino como os milhares que existem por aí e todo mundo faz que não existe..Vamos deixar de ser preconceituosos, machistas e hipócritas e querer mandar na vida das outras pessoas sem olhar para o seu próprio umbigo…..

  • Carol Souza diz: 24 de outubro de 2011

    Cala essa boca Josi!
    Aborto é um absurdo, e é homícidio por isso não é legalizado.
    Se é mulher suficiente pra “fazer” filhos, tem que aguentar as consequências.
    Como muitos já falaram, só fica grávida quem quer hoje em dia. Tu não tem direito de decidir sobre a vida de alguém!
    Já parou pra pensar que é um ser que TU criou e sim já tem vida desde a concepção!!!
    Eu não consigo acreditar que existem mulheres que pensem em aborto. Tem que ser muito burra e ignorante!
    Se acha que não tem condições, pode dar ele para a adoção, mas jamais mate alguém!

  • lU. P/ JOSI diz: 24 de outubro de 2011

    NADA SIMPLESMENTE NADA É MOTIVO PARA SE ABORTAR UMA VIDA. MATAR ALGUEM É ISSO QUE O ABORTO FAZ! COMO EU DISSE SE TU NAO TIVER CONDIÇÕES DEIXA ELE NASCER DA PRA ALGUEM QUE TENHA CONDIÇÕES! EXISTE TANTAS LARES E FAMILIAS EM FILA PARA ADOTAR. GENTE BOA DE BOM CORAÇÃO QUERENDO DAR O QUE TEM DE MELHOR PRA ESSE TIPO DE CRIANÇA.
    EU AXO ESSE ATO MUITO EGOISTA SIM! E NAO ESTOU DIZENDO QUE ISSO NAO MUDA A VIDA DE NINGUEM, SERIA MUITO IDIOTA DA MINHA PARTE NAO VER ESSE OUTRO LADO. MAS A MINHA OPINIAO É ESTA. NADA TEM JUSTIFICATIVA. EU CONHEÇO TANTA GENTE COMO O CASO DA MENINA DO COMENTARIO ACIMA (PRISCILA)QUE FICOU GRAVIDA COM 17 ANOS. E PQ SERA ELA NAO RELATOU NADA DE QUE O FILHO SOH ATRAPALHOU, TANTO QUE DEPOIS DO NASCIMENTO ELES FIZERAM A VIDA VOLTAR AO NORMAL. CLARO QUE SÓ PODE FALAR QUEM ESTA NA PELE DA PESSOA! MAS PRA MIM ISSO NAO EH NADA ‘A SE CONSIDERAR’.
    DESCULPA SE NAO GOSTASTE DO MEU COMENTARIO, MAS A OPINIAO EH MINHA ASSIM COMO A TUA, E ACREDITO QUE A MAIORIA DAS PESSOAS PENSA COMO EU!

  • Fernando diz: 24 de outubro de 2011

    Eu disse: Legal! Acho que já queria mesmo…..rsrsrsrs. Mas minha esposa, no começo, demorou para aceitar. No entanto, depois de escutar o coraçãozinho bater acelerado no ultrassom, amou a idéia. Hoje ela já está com 9 meses, muito fofa e carinhosa e nos dá uma despesa…rsrsrsrs (fraldas, NAN, remédios, roupas, etc.). Mas nada que aquele sorriso no rosto ou o choro que se apaga em nossos braços não pague.

  • jana diz: 24 de outubro de 2011

    quando fiquei gravida foi, pra mim, lindo demais… Ja o meu marido, ficou 2 semanas sem comer nem falar comigo.. estavamos mesmo começando a construir nossa casa… mas é com certeza tudo o que deus pode dar de melhor para um casal… sem contar que a primeira palavra dele foi pai… morri de inveja. rsrsrsrsrs

  • BEL diz: 24 de outubro de 2011

    Tenho 30 meu marido 37, estamos planejando para o ano que vem ter um bebe, mas eu sempre me pergunto será que é isso que eu quero?? Pq lendo todos esses comentarios parece tudo tão lindo, perfeito mas sabemos que na vida real não é bem assim, é só prestar atenção nos onibus todo mundo reclamando pq não dormiu direito pq o fulaninho ta gripado, ta cansada pq não ta dando conta da dupla jornada, não pode sair pq ta tendo muito gasto…e assim por diante, penso que se é pra ter filho é pra ser bem pensado, pq é pra vida toda, não da pra trocar e nem devolver, acho que ter filho pra largar as 7 da manha na creche e pegar 19:30 tb é facil, fazer filho pros outros criar é barbada ai depois estão ai crianças cheias de vontada pq os pais tentam suprir a falta fazendo todas as vontades, eu penso em tudo, todos os detalhes que é para depois não reclamar para os outros os meus problemas e ter total consiencia de que eu escolhi certo, tem muita gente que poe filho no mundo e nem sabe qual a sua cor favorita, qual a comida que mais gosta, não é facil mas tenho admiração por pais que dizem juz ao nome pais, pai ou mae não é aquele que traz o danoninho no fim do dia, o brinquedinho do 1,99, mas sim os que educam, que ensinam que dão amor.

  • Ti diz: 24 de outubro de 2011

    Antes de pensar em aborto (sou totalmente contra), se vacilou, pq não tomar a pílula do dia seguinte? Acho que menos de R$20 não é tão caro e nem tem risco quanto um aborto…que sei lá quanto é, mas que tem risco pra vida da mulher.
    Fora que aborto é assassinato! Tu matar uma vida que é de tua responsabilidade…que horror!

    Mas como tem mulheres que não pensam em nada, só quererem ser mães e ponto, o resto que se ferre! Ou ainda ter um filho pra viver de pensão, por menos que ela seja.

    Como todos os relatos acima falaram, não é fácil…mas compensa!

  • Renan diz: 24 de outubro de 2011

    Quando a pessoa que escuta esse tipo de assunto principalmente o homem quando e mais novo, como aconteceu comigo como 16 para 17 anos de idade, primeira coisa que pensamos acabou a minha vida vida como sustentar uma criança eu sendo criança, como vou sustentar a minha família, pensamos vamos abortar, porque falar é fácil, principalmente se não está mais com menina na época da gravidez, mas depois que nasce seu filho nunca podemos perder as esperança, hoje sou uma cara com 25 anos faltando pouco para me formar no ensino superior consigo fornecer todo ajuda ao meu filho, acima de tudo procuro estar sempre presentes em todos momento com ele, hoje digo que apesar das dificuldades no começo hoje me sinto com pouca idade um vencedor por te passado pela situação e um ótimo pai.

  • Gisele diz: 24 de outubro de 2011

    “Então você acha mais bonito botar um órfão no mundo, uma criança para passar trabalho?

    Se o aborto fosse legalizado não haveria tantas crianças indesejadas sendo maltratadas por aí, não haveria tanta criança passando fome. Mas é mais bonito botar filho no mundo, bater no peito que foi até o fim e depois passar fome em casa. Ou pior ainda, ter de depender de “bolsa esmola” do governo para criar os filhos.

    A maioria comentou aqui a parte bonita de ter um filho quando ainda se está estudando e não se tem uma vida estável, agora a parte de que teve de largar tudo, as vezes largar um sonho, mudar sua vida radicalmente ninguém fala né! Não estou dizendo que nunca compensa, mas que não são tudo flores, não são!!

    Deixem de hipocrisia por favor! Um filho no momento errado pode estragar vidas.”

    Concordo com todas as palavras da Josi!!!!! Muito lindo esse papinho de colocar pra adoção e tudo mais, como se todas as crianças fossem ter uma vida muito feliz depois.

    O que todos os pró-vida esquecem é que um embrião é apenas um embrião, não tem sistema nervoso formado e NÃO É UMA CRIANÇA AINDA!!

    Se nosso país fosse realmente laico o aborto já seria permitido. A mulher deve sim ter o direito de decidir o que fazer com seu próprio corpo.

  • Rosana Peres diz: 24 de outubro de 2011

    Comigo aconteceu isso tb, mas éramos solteiros e continuamos solteiros. Eu fiquei sozinha na gravidez e ele apareceu pra registrar o filho e conviveu com o filho sempre. Hj meu filho tá com 14 anos. Ele sempre adorou ter 02 casas, 02 famílias pra passar férias…depende muito do que passamos pra eles, mas como não casamos não tínhamos as mágoas que normalmente os casados tem então não transferimos isso pro filho. Claro que o melhor é ter tudo certinho, casar, programar, mas hj eu agradeço não ter feito isso pq senão eu não teria o filho maravilhoso que tenho. Mas no momento da descoberta….SOCORRO…parece que o mundo se abre debaixo dos pés, mas depois tudo volta ao normal.

  • Pri diz: 24 de outubro de 2011

    Ter filho não é coisa para pessoas egoístas!
    Tem gente que não deve ter mesmo!
    E com a promiscuidade que exite hoje,não consigo entender as pessoas que não usam camisinha,principalmente para evitar doenças!

  • Jana diz: 24 de outubro de 2011

    Linda História do Paulo A. Eu tenho um relacionamento de 6 anos, ele 32 e eu 30 anos, não temos filhos, apesar que uma vez ou outra me pego pensando em como seria, por hora eu surtaria ele, bem ele ficarei apavorado, mas seguraria as pontas, mas percebo que ainda não é o momento, nos cuidamos, queremos que seja algo bom pra ambos, pois nossa vida vai mudar, se viesse por descuido ou planejado, acho que daria tudo certo, sempre dá! Mas, por enquanto vou curtindo os sobrinhos, filhos dos amigos, etc.

  • Paulo A. diz: 24 de outubro de 2011

    Obrigado, Jana! Não tenho o intuito de aparecer, é a mais pura verdade o que nos aconteceu, então, sugiro aos que são a favor do aborto que leiam a minha história (e outras lindas aí) e repensem sua posição. Não vou criticá-los, particularmente sempre fui contra, até por ser alguém que tenta ser espírita, mas por favor, repensem, é uma criança, sua filha, o aborto mata o bebê, só isso.
    Quero que saibam que eu sempre fui um cara feliz, quando solteiro, bem resolvido, me diverti à beça, aliás, eu era um galinhão, um pegador de marca maior, mas sempre me preveni. Bom, eu achava que era feliz, aos poucos, Deus foi me mostrando que a felicidade é algo que pode crescer sempre e hoje, como foi em cada ocasião, não sei como poderia ser mais feliz. Filho te traz respostas e te faz crescer, te dá um prazer imensurável de viver e uma obrigação imensa de não deixar a peteca cair… É a minha sensação, ninguém tem obrigação de pensar o mesmo.
    No entanto, me desculpem baixar o nível, mas alguns tem obrigação de calar a boca, fica chato mostrar pra todo mundo o quanto tu é BOÇAL, IDIOTA, IMBECIL E COVARDE, Rafael Bueno e Claysson, vocês devem procurar um tratamento urgente e aprender a ser homem. Se não sabem usar calças, não se preocupem, assumam que não são homens de verdade, pois o outro tipo de relação sexual que vocês vão aderir (se já não aderiram) não engravida. BABACAS.

  • Joana diz: 24 de outubro de 2011

    eh por isso que esse Brasil, nao vai pra frente! por ter pessoas com esse tipo de pensamento. hora um embrião nao sente, desde a concepção a criança ja tem vida! pena a tua mae nao ter feito isso contigo! dai tu nao estaria aqui pra falar essas merdas! que gentinha mesquinha mesmo!

  • Josi p/ Carol Souza diz: 24 de outubro de 2011

    Carol querida, cale essa boca você! Não entendi a revolta. O corpo é meu e eu faço o que eu quiser.
    “Tu não tem direito de decidir sobre a vida de alguém!”
    Assim como tu não tem direito de decidir nada sobre o meu corpo.

    Tem que ser burro e ignorante para aceitar colocar no mundo alguém que não tem condições financeiras e muito menos emocionais de criar, aliás você é um perigo colocar alguém no mudo com essa sua mentalidade ridícula.

    Cuide da sua vida e deixe a dos outros.

    Se é homicídio por que em países desenvolvidos é permitido?
    Burro e ignorante é quem tem a mente fechada.

  • Cris diz: 24 de outubro de 2011

    No inicio do meu namoro (apenas 1 mes) eu achei que estivesse gravida, na época ficamos apavorados, tínhamos apenas 18 anos, ambos eram estagiários e ainda não tínhamos nem iniciado a faculdade. Fiquei vários dias sem ter coragem de fazer o teste, nesse período meu namorado foi super bacana, me passou total segurança, foi super maduro e muito digno. Mas foi alarme falso, continuamos juntos, fizemos faculdade e nos casamos, hoje faz 10 anos que estamos juntos e temos uma filhinha de 3 anos. É claro que foi melhor assim, planejamos ter o filho após ter uma vida financeira estável, mas eu sempre lembro dessa experiência, pois, através dela percebi a pessoa maravilhosa que o meu marido é, tenho certeza ele jamais me abandonaria.

  • Fernanda G. diz: 24 de outubro de 2011

    Eu passei por uma história bem parecida…namoravamos há 5 anos, noivamos no natal de 2006 e em janeiro de 2007 engravidei…aquela história de coito interrompido não funcionou naquela vez…Fomos pra praia, percebemos que meus peitos estavam inchados mas achavamos que era em função da aecademia que fazia…enfim passamos um mes na praia e esse mes todo eu tomei pílula, quando acabou a cartela q a mestruação não veio, aí veio o grande susto! Chegando em casa fiz um teste de farmácia e …adivinhem! POSITIVO..o susto foi grande, os dois saíram do banheiro e fomos até o quarto dos pais dele que ainda dormiam (06:30 da manhã) e os acordamos com a noticia..ele falou: “A Fernanda tá grávida” e eu chorando…na verdade achavamos que todos iriam receber a notícia de forma negativa..mas para nossa felicidade e espanto, tudo foi muito bem conversado e aceito. Resumindo: Vamos casar…meu sonho era casar de noiva, eu estava com 1 mes e meio de gravidez, entao o casamento teria que ser logo em seguida afinal meus planos não eram entrar de noiva com barriga grande já!!! Tudo muito corrido e rápido, porém melhor do que o planejado, conseguimos apartamento, mobília, festa, vestido e enxoval tb! O nosso casamento aconteceu em maio de 2007, foi lindíssimo!

  • Cris para Bel diz: 24 de outubro de 2011

    Bel realmente a vida com filhos é bem diferente, tudo é mais intenso, principalmente para as mães. Quando eles ficam doentes então, é horrível e não só pelas noites mal dormidas, mas pq enquanto eles não melhoram a gente também não fica bem. Mas o amor que sentimos, a felicidade por te-los e poder abraça-los, segurar aquelas maõzinhas pequenas, ouvir “eu te amo”, ganhar um monte de beijinhos ou uma flor (murcha as vezes) tudo isso não tem preço é MARAVILHOSO, te faz sentir que Deus existe e que a vida vale muito a pena.

  • Sabri diz: 24 de outubro de 2011

    Pessoal!
    Desculpe,mas li coisas absurdas aqui….que fiquei “chocada”!
    Estou gravida de 11 semanas e tenho 25 anos,meu casamento não estava as mil maravilhas(como to relacionamento) mas quando descobrimos ( mesmo não planejando) simplesmente assumimos a responsabilidade pelos nossos atos e ficamos muito felizes,isso inclusive esta nos deixando mais próximos e cumplices.
    Fico muito triste quando as pessoas falam em aborto,pois não deveria ser uma alternativa quando se trata de uma vida.
    Podemos passar por dificuldades no inicio,mas creio que depois de ver o rostinho sorrindo pra você e sentir a confiança que uma criança deposita em você,te faz ser uma pessoa melhor!

  • Mauro diz: 24 de outubro de 2011

    A pessoa fala em considerar a possibilidade do aborto e, já se adiantando, chama os possíveis discordantes de hipócritas, como se o único motivo de alguém ser contra o aberto fosse a hipocrisia. Respeito à vida, por exemplo, é um dos valores que parece não existir em cabeças cheias de merda.

  • Andressa diz: 24 de outubro de 2011

    Gente, cada um tem uma história diferente, uma situação diferente.. É ridiculo julgarmos sem saber do que acontece realmente. No inicio tive muitas duvidas quanto a ter meu bebê.. sou muito nova tenho 19 anos e muitos sonhos e planos pela frente. Ter um filho ainda mais sem o apoio do pai da criança, ia e vai mudar tudo na minha vida! Mas com a ajuda das minhas irmas e amigas, pude perceber que esse serzinho não tem culpa de nada, e que nunca mais eu me perdoaria se fisece algo pra ele. Claro, continuo com muitas duvidas de como será daqui para frente, mas a realidade é que eu estou gravida de um anjinho lindo e que ja ta enorme hehe… E essa historia de “só engravida quem quer” existe até o ponto em que você não se veh em uma situação como essa! Eu nunca planejei, e nem nunca quiz nem precisei segurar homem nenhum, que dirá engravidar para tentar uma coisa dessas!!! Pensem bem antes de sair falando besteiras Ok.!

  • Fernanda diz: 24 de outubro de 2011

    Concordo contigo Josi, é fácil julgar, apontar o dedo, mas cada pessoa é uma, sendo assim as escolhas e opiniões são diferentes. Se o aborto fosse legalizado não teriam adolescentes morrendo em clínicas, não teriam crianças marginalizadas, sem carinho e educação !

  • Pampeano diz: 24 de outubro de 2011

    Numa situação dessas sou favorável ao aborto.
    Acho que a mulher deve ter o direito de escolha sobre seu destino.
    Se não é planejado e não há vontade de levar a diante a gravidez aborto é a solução mais natural de ocorrer, pena que vivamos numa sociedade moralista!

  • Ana diz: 24 de outubro de 2011

    Antes de abortar, PREVINA-SE. Nunca, em muitos anos de vida vi alguém engravidar usando corretamente a camisinha, tomando corretamente um anticoncepcional. É melhor tomar vergonha na cara do que matar alguém. Tua mãe não te matou, Josi. Ela te botou no mundo. Já pensou nisso?

  • Ane diz: 24 de outubro de 2011

    Concordo com a opinião de mtos que disseram por aí:”mulher não engravida sem querer!”. A mulher, sim pq é ela a responsável direta pela reprodução, tem “n” formas de evitar uma gravidez indesejada, seja comprando anticoncepcionais ou indo até um posto de saúde.
    Acho total irresponsabilidade engravidar “sem querer” e ainda ter coragem de pensar em aborto. Ok. Aí já entramos em outra discussão, mas para mim, aborto é assassinato sim.
    Que culpa tem um anjo das “cagadas” dos outros?
    Somos maduros para transar, escolher parceiros… que sejamos maduros o suficiente para arcar com as consequências de nossas atitudes.
    Hoje em dia, só engravida quem quer. Não quer engravidar? Não transa! Afinal, quem está na chuva é prá se molhar, né?
    Eu sou sexualmente ativa desde os 16 anos e só engravidei aos 28 (depois de 5 anos de casamento), quando EU quis.

  • Penelópe diz: 24 de outubro de 2011

    Josi…desculpa te dizer, mais vc é uma imbecil e imatura…. e espero de coração que vc NUNCA tenha filhos…tenho pena de uma criança que nasça de uma pessoa tão ruim e sem coração. Filho NUNCA estraga a vida dos pais, mesmo que veio no momento mais difícil da nossa vida, tentei por 10 anos e qdo fiquei grávida estava desempregada e morando na casa da minha mãe. nunca pensei em abortar, hj tenho uma filha linda e dou risada do que passei com ela… Pensa e amadurece!!!!

  • Pri diz: 24 de outubro de 2011

    Eu acho que a responsabilidade é dos dois! Os homens deveriam usar camisinha e não achar que só a mulher tem que se cuidar!Com camisinha e pilula juntos, é impossível engravidar!

  • Fernanda G. diz: 24 de outubro de 2011

    Quando nós descobrimos que seríamos pais, houve espanto em função da nossa idade (20 anos) e também pelo fato de não estar planejado, mas em momento algum pensamos em abortar…nosso filho sempre muito bem aceito e amado por todos! Sou totalmente contra o aborto, quem não quer filho que se cuide e que pense bem nos seus atos pois não se deve sacrificar a vida de um inocente pelas burradas de pessoas sem responsabilidade. Se fez, assuma! Se não quer, tem muitos casais em filas de adoção esperando uma criança.

  • Luana diz: 24 de outubro de 2011

    Bom, minha mãe engravidou de mim com 18 anos. Ela e meu pai apenas namoravam e não tinham intenções mais sérias. Ela engravidou, sei que passou pela cabeça de ambos o aborto. Minha mãe queria fazer faculdade de jornalismo, meu pai engenharia mecânica. Eles foram forçados a casar, e tiverem um casamento muito conturbado. Minha mãe sofreu muito, e eu sei disso. Eles acabaram se divorciando e minha mão passou maus bocados pra me sustentar, ela conseguiu fazer curso de cabeleireira, técnico de enfermagem… e sendo cabeleireira construiu uma casa pra gente morar, não foi jornalismo, mas ela conseguiu estudar! Ela casou-se novamente quando eu tinha 12 anos e quando eu tinha 15 anos ela teve uma menina com meu padrasto. Minha irmã linda que eu amo muito. Hoje estou com 21 anos, ano que vem me formo em engenharia civil, com muito suor, conquistei bolsa 100%, esse ano realizamos um sonho de ter piscina em casa. Minha mãe e meu padrasto se dão muito bem, e agradeço a Deus por minha mãe não ter me abortado e aguentado o tranco, pois hoje eu posso dar muito orgulho a ela!

  • caty diz: 24 de outubro de 2011

    Qdo falei para o meu ficante q estava gravida eu tinha 15 anos e ele 24 . que choque , ele não queria e pediu para eu tirar, ele chegou a comprar remedios para que eu fizesse o terivel aborto… mais não fiz…continuei sozinha, trabalhava e estudava a noite, morava com a minha mae uma pessoa doente que não trabalhava, tinha tb o meu avó bebado e um tio bebado tb , era um inferno a na minha casa. só eu que trabalhava e sustava a minha casa e para completar o meu pai ficou sabendo da minha gravidez me processou para não pagar mais a pensão que me dava. qdo a minha filha nasceu o pai dela registrou pagava uma pensão…se passaram alguns meses ele parou de pagar pensão e sumiu … e de novo era só eu …. depois aconterem mtas coisa e que não foram facil (dava um livro ) … uma adolecente com resposabilidade de mãe …fui embora de casa aluguei um apt e morava sozinha com a minha gatinha. na epoca com seis anos. nessa epoca já trabalhava em outro lugar e ganhava melhor o pai da minha filha a apreceu e começou ajudar de novo e aos poucas a tudo foi melhorando. Então conheci um ser maravilhoso, que hj é meu esposo estamos junto a quase 7 anos e estou gravida de quase 5 meses .Não era esperado esta gravidez meu esposo nunca quiz ter filhos ele dissia que já tinha a minha filha e que era como dele … Mais tem coisas que a gente não tem ó poder de escolher e sim Deus, ele é quem sabe o que é melhor para a nossa vida. Teve só aquele susto na hora na abertura do exame …mais depois de alguns segundos estavamos comemorando este presente de Deus .Hj com a vida mais estabelecida, casa propria uma filha amiga companheira um maridão e agora este bb que tb vai ser outra menina.Nós só temos que agradeçer a Deus.

  • Josi diz: 24 de outubro de 2011

    “Tua mãe não te matou, Josi. Ela te botou no mundo. Já pensou nisso?”
    Isso é meio óbvio, não é?
    Agora, isso não invalida a opção do aborto que ela tinha.

    Esse post só prova que os analfabetos funcionais estão por aí! Alguém me destaca por favor onde eu disse que toda mulher que engravida tem que abortar?

    O aborto é sim uma opção, tanto que estão aí as clínicas clandestinas. Eu não disse em momento algum que era a melhor idéia nem a mais bonita, mas é algo a se considerar sim!

    Mauro, a hipocrisia é referente a todas as pessoas que relataram aqui sua história de gravidez indesejada, em nenhnum momento, nem por um instante, não pensaram em aborto? Me poupe!

  • Josi diz: 24 de outubro de 2011

    “Nunca, em muitos anos de vida vi alguém engravidar usando corretamente a camisinha, tomando corretamente um anticoncepcional.”

    Ana, apenas releia os comentários que verás um caso da moça que não sabia dos efeitos dos antibióticos com o anticoncepcional.

  • EDYNHO diz: 24 de outubro de 2011

    Concordo Josi:
    Acho curioso como muitas guriazinhas que postaram aqui relataram que engravidaram do primeiro cara que lhes disse “eu te amo”,estragaram seus planos futuros,e agora vêm com essa conversa de que “meu filho é tudo pra mim”…
    Algumas pessoas parecem que não tem coragem de admitir,ou tentam esconder de alguma forma,fazendo se passar por “pais amáveis”,que cometeram uma irresponsabilidade,uma cagada.
    Não existem dados científicos que comprovem que o embrião nas primeiras semanas já tenha todas as suas funções vitais em pleno funcionamento.
    E por que a maioria que condena o aborto,utilizando os mesmos discursos que a igreja usa,não condena também o uso de células-tronco no tratamento de doenças???
    Vale a pena pensar,amanhã qualquer um pode precisar…

  • Woman diz: 24 de outubro de 2011

    não cogitar aborto é burrice, acidentes acontecem. Preservativos furam, transas casuais também acontecem, e não cogitar aborto nas primeiras semanas?? tem religioes que só é considerada vida apos 8 dias do nascimento e outra coisa.
    imaginem uma mulher que mal consegue manter a si mesma, imagina manter outra “vida” também?
    Nunca abortei, no padrão de vida que tenho hoje também não abortaria, mas cada caso é um caso, e claro não podemos esquecer que tudo isso acontece dentro de uma mulher, ela que gera, ela que amamenta e se o pai não ta nem ai, ela que tem que criar sozinha.
    Queridos Samba-cancioneiros, parem de pensar que o mundo é uma maravilha e respeitem o momento e decisão de cada um sem apontar dedinhos.
    Há pessoas que enfrentam a barra de criar, sustentar e educar sozinhos, porém também ha pessoas que não tem a mínima condição de ser mãe ou pai.
    Não pense à favor ou contra, apenas pense se fosse com você.

    Abraço Guris

  • Wanderlei diz: 24 de outubro de 2011

    Para Vivian,
    Lindo o que tu escreveu. Imaginei as cenas em todo teu relato. Bem legal.
    E não sei porque, mas já sinto que o próximo texto aqui do Samba-Canção será….. aborto!! Aposto. kkkk
    (o-cercadinho.blogspot.com – Homens vs Mulheres com muito humor e acidez)

  • Dani diz: 24 de outubro de 2011

    Segurar minha filha de 2 mêses no colo, sentir o seu cherinho, ganhar uma flor murchinha que meu filho encontrou na pracinha da escola, ouvir ele me dizer eu te amo mãe, NÃO TEM PREÇO! VALE MUITOOOO APENA E EU AMOOOO SER MÃE, AMO DEMAIS!

  • André para Cacá diz: 24 de outubro de 2011

    Cacá, nem precisa ser um bom partido para engravidar dele. Conheço casos de homem que cria filho de outro sem saber…

    E outra, pra quem fala de aborto. Quem não passou por uma situação de gravidez inesperada faça o favor de não comentar nada pq é um comentário inútil.

    Tenho uma filha, na época pensávamos a respeito mas não tínhamos decidido, então quando veio a confirmação foi um grande susto, mas entramos de cabeça. Podem ter certeza que é uma alegria e um amor que não tem medida e não me arrependo nem um pouco.

  • Alexander diz: 24 de outubro de 2011

    Gosto de ver, que alguns problemas como a violência e as crianças abandonadas seriam solucionados com o aborto. Então eu pergunto, pq não entram nas vilas, morros, orfanatos e presídios e fuzilam todos? O aborto é tão criminoso que não dá possibilidade alguma de defesa a criança. Ela torna-se refém de uma pessoa, que pode não ser má, mas que faz uma maldade sem medida. Eu convido a quem está grávida e quer fazer o aborto, espere o nascimento da criança e depois dê um tira na criança, pelo menos assim a criança terá alguma chance de sobreviver. Aborto é um ato covarde. Para informar “aos humanos de mente aberta” No Brasil é crime e se fossemos fazer tudo o q os países desenvolvidos fazem, eu ia querer viver na antartida!!

  • PAULÃO diz: 24 de outubro de 2011

    OS MESMOS QUE SÃO CONTRA O ABORTO, SÃO À FAVOR DA PENA DE MORTE. MATAR PEQUENO NÃO PODE, MAS GRANDE SIM. HIPÓCRITAS.

  • rafael b. diz: 24 de outubro de 2011

    Meu sonhe de consumo é poder ter meu primeiro filho, mas como sei que na situação em que eu e minha namorada nos encontramos(não é de miséria), mas sim para poder dar todo o suporte, tudo que uma criança, mereça do bom e do melhor, e até porque ainda quero viajar muito, essa responsabilidade, e essa questão financeira, sei que não vou ter, portanto esta minha ansiedade acho que pode esperar mais um pouco, até porque ainda tenho 20 anos, mesmo trabalhando, e me sustentando absolutamente sozinho, acho que não estou preparado ainda, mas se por algum motivo viesse a acontecer, com certeza seria um presente de Deus.

  • Simone diz: 24 de outubro de 2011

    Tambem tive um filho não planejado mas muito desejado ele é o amor da minha vida ,nunca precisei engravidar para prender homem algum,alguns homens disseram que iam se mandar e não iam fazer nem DNA só digo uma coisa tenho pena das mulheres que se envolvem com vocês pois CÁRATER não se muda.E digo que não se pode planejar tudo na vida.Acho que devemos parar de dar opinião sem ao menos ter vivido o mesmo ,sou casada com o pai do meu filho e vivemos muito bem e só porque não tive uma gravidez planejada não sou melhor ou pior que nenhuma outra mãe .Cada um tem a sua historia.

  • Fernando Cassilas diz: 24 de outubro de 2011

    Filho é o acontecimento mais significativo do ser humano, não existe ocasião mais bela e onírica e sem paralelo na vida. Quando se é jovem, a gente não tem a noção de aproveitar os momentos de amor que o filho nos proporciona e a vida passa tão rápido…………………..
    Eu estou pensando seriamente em encontrar uma namorada para me dar um filho ou filha, já que o meu filho só pensa em namorar e o tempo está passando e o meu esperado neto não vem.
    Me sinto muitíssimo melhor preparado agora, para ser Pai, do que há 30 anos atrás. Estou muito animado a cometer esta “Doce Loucura”!

  • Ana diz: 24 de outubro de 2011

    Josi, então tá! Manda um médico clandestino cortar todos os membros de um bebê queimado por ácido e depois vem falar aqui o que tu sentiu, a sensação disso na tua vida. Não adianta tu ofender, falar, discutir, esbravejar, a razão infelizmente não é tua e nem de ninguém. Existe camisinha, anticoncpecional, DIU, etc e tal. O problema também está na ignorância de muitas pessoas. Pelo menos tenha a humildade de admitir. Só sei que a vida é acima de tudo o nosso bem mais valioso e 99% das pessoas só sabem realmente o significado disso quando beiram a morte ou quando não podem mais ter filhos.

  • Maira diz: 24 de outubro de 2011

    Olá,
    Acompanho quase q diariamente este post mas nunca comentei nada embora já tenha havido assuntos mto interessantes…
    Mas hoje resolvi escrever algo, pq acredito que o tempo e os acontecimentos da vida mudam mto as concepções das pessoas sobre determinados assuntos.
    Nunca passei pela situação descrita acima, mas devido a alguns comentários q li achei interessante escrever alguma coisa…
    Minha vida sempre foi bem organizada, tudo nos seus devidos momentos, primeiro estudei, depois namorei e depois casei (o sonho de qquer pai p sua filha, hehehe). E acredito que devido a esta “ordem” eu acreditava sim, que se houvesse uma gravidez indesejada a melhor solução seria um aborto. Graças ao bom Deus isso não aconteceu comigo, pois hoje com 32 anos e um filho lindo de 1 ano e 2 meses, fruto de um casamento maravilhoso todas as minhas concepções em relação a gravidez indesejada foram por água-a-baixo, pois ter um filho, apesar das dificuldades q possam haver É UMA DÁDIVA. Hoje sou uma mulher realizada com meu bebê. E como uma tia do meu marido me dizia, e eu só acreditei/senti depois de ter o meu filho: “É UM AMOR QUE DÓI”
    Se isso puder ajudar alguém, a minha dica é que vc só vai saber o quanto é maravilhoso ser mãe se vc conseguir ser mãe, antes disso, as nossas concepções podem ser mto frágeis…

  • Mauro para PAULÃO diz: 24 de outubro de 2011

    Paulão, por princípio, eu sou contra a pena de morte também. Lembrando que ser contra a pena de morte é dar aos assassinos um respeito que ele não teve com a vida de suas vítimas.

    Mas, voltando ao teu comentário: tu queres dizer que tirar a vida de um criminoso, julgado e condenado, é igual ao ato de tirar a vida da um feto inocente?

  • Incrédula diz: 24 de outubro de 2011

    Peloamordedeus…
    Com aborto ou sem aborto…cada um tem a OPINIÃO que quer…e FAZ O QUE DESEJA COM RELAÇÃO À SUA VIDA E AO SEU FUTURO!! E respeito é bom…se eu sou a favor do aborto, favor respeitar minha opinião, assim como respeito a sua, que quer se encher de filhos, que nunca mais vai dormir direito e blábláblá…com certeza deve ser lindo segurar seu bebê no colo…MAS SE A PESSOA NAO QUER SER MÃE, PODE SER O BEBÊ MAIS LINDO DO MUNDO QUE ELA NAO VAI QUERER SEGURÁ-LO! beleza? cada um com a sua opinão??! Obrigada! Ai vem umas doidas recriminando a mulher que consideraria um aborto…vão lavar uma louça…cada um cuida da sua vida!

  • Mauro diz: 24 de outubro de 2011

    Josi, uma coisa é, em um momento de desespero e fraqueza, ter pensado em abortar, algo como uma “idéia relâmpago”. Outra coisa, bem diferente, é apoiar a idéia e defender sua legalização.

    Conheço pessoas que pensaram em abortar durante a gravidez, mas com o apoio da família e uma boa mijada desistiram da idéia. Hoje são felizes com seus filhos e, ao olhar para a criança, sentem um remorso terrível apenas por um dia terem pensado em interromper aquele milagre da vida que está diante dos olhos.

    Esse papo de salvar mulheres que morrem em clínicas clandestinas não convence a ninguem, pois com a liberação do aborto o número de fetos assassinatos com certeza será muito maior ao número de mulheres salvas. Vai ser algo como matar 1000 fetos para salvar 20 mulheres. Isso não é minha mera opinião, é fato, basta observar as estastísticas dos países (ou estados dos EUA) em que o aberto foi liberado.

  • Renato Turinni diz: 24 de outubro de 2011

    Lendo os comentários postados eu entendo porque aqui em Porto Alegre, nas festinhas de colégio do dia das mães um montão de mãe comparece, mas no dia dos pais apenas uma meia dúzia de gatos pingados aparecem. A gaúcha abre as perninhas muito cedinho, muito facilmente. E logo tem seu primeiro filhinho tão queridinho que a vovozinha cria porque também teve a filha desta maneira. Passado algum tempo e já adulta lá está ela grávida denovo e sozinha mais uma vez, já que o homem gaúcho é esperto e logo se muda para Viamão! Sejam espertas mulheres gaúchas. Nada de ir dando assim para o primeiro que aparece. Juntem dinheiro e vão para SPaulo ou para o Rio, arranjar um jogador de futebol, um ator da Globo, um pagodeiro com cordão de ouro, um traficante cheio da grana. O RS já está cheio de bastardos!

  • Vívian diz: 24 de outubro de 2011

    Então Wanderlei…realmente não foi fácil!!!rsrs…Esqueci de contar q meu marido estava no ultimo semestre de adm. qnd nossa filha nasceu. Mas conseguiu terminar. Achávamos que não iríamos conseguir. Olho para tras hj e vejo q o q passamos eu passaria e faria exatamente tudo igual!!! Sem mudar uma vírgula…passamos necessidade mesmo…de olhar o armário e vê-lo vazio e bater o desespero… Hj olho de cabeça erguida e posso falar a todos…minha familia é linda e repito, se não tivéssemos passado por isso não seriamos o q somo hj…realmente felizes!!!!!!

  • carina diz: 24 de outubro de 2011

    Minha história foi triste, tentei planejar minha gravides, mas veio muito antes do previsto, queria muito ter engravidado muito mesmo, qnd vejo o resultado e deu positivo começei a chorar muito, ate entao nao sei pq, axo que meu medo era dizer pro meu marido que estava gravida, levei 2 dias para falar pra ele que estava gravida, enfim nao esperava a reaçao que ele teve, ele nao ficou feliz, ele ja tem 2 filhas do primeiro casamento uma de 10 e a outra de 5, bom 1 mes depois perdi meu bebe, sabe qual foi o consolo que ele me deu: foi bom isso ter acontecido agora, pq eu nao estou preparados para ter um filho agora…

  • Ale diz: 24 de outubro de 2011

    Independente da situação, filhos são um presente de Deus. Só se sabe oque é amor depois de termos eles!!
    Minha filha foi planejada e programada, mais na época de namoro houve um alarme falso e não é fácil nesse momento, mais aconselho quem esta nessa situação que encare a situção porque filho é algo inexplicável!!
    Para quem está em dúvida, pois filhos geram muitos gastos, noites sem dormir, choros,………… tudo isso passa com um lindo sorriso e a cada descoberta deles. Tenho vontade de ter mais um filho, mais no momento o dim dim $$$$$$ ta curto, mais se acontecer, encaramos e seguimos a vida com um presente mandado das maõs de Deus!!!

  • Fernando diz: 24 de outubro de 2011

    Se a lei fosse aprovada, até 12 semanas o aborto poderia ser feito. Mas gente, um feto com 12 semanas não são só células crescendo dentro do útero. Já tem cabecinha, braçinho, perninha, coração batendo e tem em torno de 6-7 cm. Não é querer julgar, mas vai ser INSENSÍVEL (pra não dizer outra coisa) assim na PQP. Procurem alguém da família que tem um ultrassom da 12° semana de gestação pra verem como o feto está e depois arquem com as consequências se mesmo assim optarem. Pior que isso só abandonar recém nascido na lata de lixo no inverno. Eu sou a favor da cadeia perpétua, porque no meu ponto de vista, é homicidio culposo. Poderia mostrar a da minha filha, mas na internet tem aos montes.

  • Gisele diz: 24 de outubro de 2011

    Algumas considerações lendo os comentários:
    1- Não entendo por que os pró-vida são tão mal educados com quem é a favor DE SE TER A OPÇÃO de abortar. Engraçado que ninguém a favor do aborto começou a xingar os que não são… argumentos que são bons, nada, preferem atacar os outros.
    2- A vida é sua? É você que está grávida? Então teoricamente não se deve dar pitaco na vida dos outros. O corpo é da mulher, o embrião está lá e ela é que tem que ter o DIREITO de decidir sobre ele.
    3- Os pró-vida sempre vem com o mesmo argumentozinho “se sua mãe tivesse abortado você não estaria aqui”. Sim, não estaria mesmo. E daí? Qual o problema de eu ou você não existirmos? O mundo seguiria girando, e seriam algumas pessoas a menos nesse mundo já superpopuloso.
    4- Reitero que se esse país fosse verdadeiramente LAICO o aborto seria legalizado, assim como é nos países desenvolvidos.
    5- Entendam que a legalização do aborto é uma questão de SAÚDE PÚBLICA!! Enquanto ele não for legalizado várias mulheres vão continuar morrendo por pararem nas mãos de açougueiros clandestinos.

    Vamos ABRIR A MENTE!

  • Luciana diz: 24 de outubro de 2011

    Penso que nessa hora a corda sempre arrebenta para o lado da mulher.
    Hipocrisia é acreditar que todas se previnem e acabar transando sem usar preservativo depositando na mulher toda responsabilidade pela gravidez indesejada.
    Homem que não quer filho, usa preservativo. Mulher que não quer filho toma pílula e EXIGE camisinha. Parece que nas DST’s ninguém pensa mais.

  • cleber diz: 24 de outubro de 2011

    TCHE MAGRO… NOSSO FILHO FOI PLANEJADO… PELA MINAH ESPOSA. EU NÃO QUERIA. REFUTAVA A IDÉIA. PASSEI 9 MESES NUM PENSAMENTO ENTRE REVOLTA/ACEITAÇÃO. QUANDO O SEGUREI NO INSTANTE EM QUE NASCEU SENTI ALGO NOVO, ALGO QUE NUNCA HAVIA SENTIDO. AMOR, NA MAIS PURA E SIMPLES FORMA. AMOR. FAZ 2 ANOS QUE VIVO OS MAIS INTENSOS E AGITADOS DIAS, E OS MAIS FELIZES TAMBEM.

  • TJ diz: 24 de outubro de 2011

    Acho um absurdo um aborto!!! Mas hoje em dia nada mais me asusta, morro no interior e os postos dão de graça a pirula, e mesmo assim tem meninas q engravidão, pois vivem com a cabeça em qualquer outra coisa meno em si mesma. Se elas soubecem como é difícil criar um filho, educar vestir e calçar……. se criam, mas com o q sobra dos outro, como roupas e calçados, e se ficam doentes enfrentar uma fila do sus de madugada p/ tirar uma ficha e o médico dizer q é só uma viroze, q é a doença do momento…. Mas não pensam no amanhã, depois se criam sem estudo sem formação tendo q trabalhar em serviços mizeraveis sem oportunidade melhor e ganhando uma mizeria. Se quando fossemos para a cama com um homem, não importa quem seja namorado, noivo ou ficante do momento, lembrassemos o quanto é dificil cuidariamos mais do NOSSO CORPO, e inaginar se queremos em filhos estudado ou um Zé mingue q terá as mesma dificuldade q nos passamos? A sosiedade é uma corrente filho de medico!!! é médico , de pedreiro é pedroiro e assim sucessivamente, a quando é diferente meu Deus pobre do muleque come o pão… Um filho é uma bença mas não e facil não. Todo mundo jurga mas niguém pensa no amanhã no quanto vai ser difícil, pois não temos condições de nos sustentar imagima compra fralda , leite, mamadeira etc……….. Ou pior se o cara em vez de asumir ele sumir, pois em homem nada pega e tem uns q a mente é um carroço de pitanga e deixa a menina sozinha? Tenho um Filho de doze anos e passei por tudo isso quando não pensei em mim e só na hora do sexo, e se pudesse voltar no tempo teria um pouco mais de juizo até para dar mais atenção á ele, pois p/ não deixar nada faltar a tive q me virar trabalhando p/ bancar as dispesa com médico, farmacia, vertuario,super, etc…. Hoje tenho uma vida mais folgada casa, carro um bom emprego mas no começo não foi fácil, perdi muitas coisas dele como o primeiro dentinho, a primeira palavra…….. pois tinha q deixa-lo em creches e pega-lo só a noite. Filhos hoje em dia tem como evitar e termos quando estivermos mais amadurecido pois com 19 anos ninguem tem estrutura para se pai ou mãe. pois um filho e muito mais q a gravides ou o parto é a vida toda da gente é o ar q respiramos… Hoje sou feliz mas muito já chorei sozinha com meu filho no braço, mas sempre pensei fui desmiolada ao fazer mas não vou abandomar nem deixar para outros criarem…. Criei e hoje ainda da trabalho mas nunca pensei em tira-lo é um pedaço de mim…
    Um abraço a todos q lerem..

  • Anônima diz: 24 de outubro de 2011

    É,
    Depois de me emocionar com a história do Paulo A. e pensar “ah, as coisas sempre dão certo no fim” me emocionei com o post Eu Fiz um Aborto também.
    Só tem o direito de falar, uma vírgula sem quer, quem passa pela história, tendo ela um final feliz ou não. O resto, qualquer coisa que disser, não passa de expeculações, achismos, moralismos efêmeros e aquele sentimento de “eu tô dando lição de moral!”.

    Pessoal, este, como outros textos desse blog, tem uma função muito bacana: fazer a gente pensar. Polemizar é fácil. Dificil é carregar consigo as histórias, usar da empatia e se colocar no lugar de cada protagonista e…. pensar.

    Hoje estamos aqui, dando pitaco na vida de algumas pessoas que comentaram. E amanhã?

    Abraços!

  • André diz: 24 de outubro de 2011

    Quem é contra o aborto e nunca passou pela situação não deve comentar. É um acontecimento muito emocional (futuro, expectativas, responsabilidade) pra uma reação totalmente racional (vida, amor ao próximo).
    Não sou a favor, mas temos que pensar em algumas questões:
    1) Legalizar o aborto não é liberar o aborto. Legalizar é prever em lei. Prever casos em que pode e casos que não pode. E punir casos que foram feitos quando não era permitido.
    2) Prevendo casos em que o aborto é possível, menos mulheres farão em clínicas clandestinas. Com melhor assistência, menos recursos vão precisar ser gastos com essa gente e teoricamente sobraria mais para outras áreas.
    3) O Brasil sofre com falta de educação e falta de planejamento familiar. Um filho indesejado num lar sem condições tende a criar no mínimo uma pessoa rebelde. Essa pessoa vai repetir os comportamentos vistos em casa, como violência, falta de respeito, falta de amor, etc. Nós queremos isso?

    Eu não sou a favor que as pessoas façam nem respeito quem tenha feito. Mas eu sou a favor que exista a opção.

  • Mauro responde Gisele diz: 24 de outubro de 2011

    Gisele, respondendo ponto a ponto:

    1- Se nada do eu falei serve como argumento, então um de nós não sabe o que é argumento.
    2- “A vida é sua?” Não, não é. A vida da pessoa que está em estágio embrionário é… da pessoa que está em estágio embrionário.
    3- A questão é que o argumentozinho “se sua mãe tivesse abortado você não estaria aqui” mostra o quão é auto-contraditória é a defesa do aborto. O abortista defende uma idéia que, se tivesse sido levada a cabo contra o prório defensor da prática, este nem estaria aqui para defendê-la. Acho que tu consegues entender isso.
    4- Não existe na história registro de país laico. E os que aderiram ao engodo do laicismo, logo serão tomados de assalto pelo Islã. Vide Europa.
    5- Ótimo, como eu ARGUMENTEI em um comentário acima, vamos matar uma centena de crianças para salvar uma dezena de mulheres.

    Viu só Gisele, respondi todos os teus pontos e nem te xinguei.

  • Mauro responde André diz: 24 de outubro de 2011

    André, respondendo às tuas três colocações:

    1) a legislação brasileira já não legaliza o aborto em caso de estupro? em que outra situação tu acharias conveniente permitir o aborto?
    2) Acho que esse item é respondido junto com o primeiro, pois um é decorrência do outro
    3) “O Brasil sofre com falta de educação e falta de planejamento familiar.” Pô, tu matou a xarada! Se o problema é FALTA de educação e planejamento familiar, vamos resolvar a coisa com… educação e planejamento familiar, não com aborto. Veja bem, André, a educação que nossas crianças recebem são incentivos para iniciar a vida sexual mais cedo… assim não dá… e a permissividade com o aborto só tornará estas CRIANÇAS mais irresponsáveis ainda.

    Avalie o sexo por sua consequencia última: a geração de uma vida! Só isso já faz com que o sexo seja algo especial, que só deve ser feito entre duas pessoas que são especiais uma para a outra. Mas talvez eu esteja tentando pregar um peido na parede ao dizer essas coisas em um blog em que a Prima Vera é heroína e sinal de progresso da sociedade…

  • Luiza diz: 24 de outubro de 2011

    Sou a favor do aborto, o que não significa que eu faria um. Possivelmente, não.
    Também acho um absurdo um comentário que disse “não considerar um aborto é burrice”. Não considerar o aborto é uma opção tão digna quanto considerá-lo. As pessoas tem valores morais, culturais e religiosos distintos, não acredito que os valores de algumas devem prevalescer sobre todas.
    Sou a favor porque é, sim, uma questão de saúde pública. Isso não me exime de remoer uma certa ‘culpa’ (lá vem a catequese…não adianta, a gente até sai da igreja, mas a igreja não sai da gente…rs) por impedir que uma vida se forme de forma plena. Mas já existe outra vida, esta formada, que não deseja uma criança agora. Porque ela mesma ainda é criança, porque não tem estrutura emocional, financeira ou porque não quer ser mãe…
    Sim, existe camisinha. Sim devemos todos usar. Mas a mulher ou o parceiro tem alergia ao látex (siiiiiiiim, isso existe!!!! sou prova viva!) Mas, é melhor sem. Mas, você está num relacionamento de 5 anos. Mas, você toma pílula e vocês interrompem a relação antes da ejaculação interna. E aí vc toma uma pílula de farinha. Ou um remédio pra dor de garganta com propriedades que podem cortar o efeito do antibiótico. Ou a pílula foi armazenada na farmácia de forma incorreta. Ou o diafragma tem fissuras por problema do fabricante. Ou o DIU não funciona (como no caso do Paulo). E puff! Voilla!! gravidez. Sinceramente? Alguém vai vir aqui dizer que a pessoa “pediu” por isso???? Que deveria ter agido de forma diversa?
    E aí? Vai colocar a criança no mundo para colocar pra adoção? A pessoa vai carregar por nove meses uma criança (agora formada) que ela não teria estrutura pra ter? Vai ter que olhar pra toda essa sociedade que lhe diz pra não abortar e colocar pra adoção e que será a primeira a olhar torto pra essa mãe desnaturada que vai dar o filho. Ora, porque aqueles que dizem que as mulheres devem fazer isso são os primeiros a apontar o dedo quando uma executiva de 30 anos disser que vai passear por aí com uma barriga (com bebê dentro, imagine a ousadia!) por nove meses, vai comprar roupas de grávida, vai faltar trabalho pra fazer pré-natal, vai gastar com médico, tomar vitaminas, e vai ter sua vida sexual com novos parceiros reduzida a zero para depois DAR o bebê? Aí a sociedade vai dizer: “Mas que horror! Ela não tem coração? Que absurdo! Depois vai colocar num orfanato, todo mundo sabe que esses lugares são horríveis, e se o neném for negro e menino, se tiver algum probleminha, vai ficar pra sempre lá! só vai ser enxotado aos 18! mulher sem caráter, imagine!!”
    Ou alguém aqui vai ter a coragem de dizer que não é assim que acontece?
    Aborto deve ser uma opção. Se não é a sua opção, ótimo. Mas não tente tolher a opção de outra pessoa, que, intimamente ou por ignorância, não se encontra em condições de levar uma gravidez a diante.

    P.S (Só pra que as pessoas tenham noção de como a mulher é PROIBIDA de cuidar do próprio corpo neste país, sequer fazer uma laqueadura é possível sem o consentimento do marido. Isso é lei! Sim! Mas, fica pior! Ainda que não seja casada, ela não pode fazer se não tiver mais de 25 anos e também não pode aproveitar um dos partos ou um aborto espontâneo para solicitar a laqueadura – mesmo que tenha manifestado seu desejo com 60 dias de adiantamento. A mulher é obrigada a passar por uma nova internação, nova cirurgia, nova anestesia e nova FILA de espera pra fazer isso gratuitamente.)

  • João Tchê! diz: 25 de outubro de 2011

    Tchê!

    Acho absurda a idéia do aborto, por todos os motivos já citados. Existem tantas pessoas que no momento que precisam ter uma responsabilidade, devido a falta da mesma antes, obtem sucesso! Não falo que é fácil. Isso não é. Tive um filho aos 17 anos e até hoje honro meus compromissos de pai, compromissos legais e emocionais. Em muitos os casos, o amadurecimento do jovem ocorrerá precocemente. Mas existem muitos casos que as pessoas já mais esclarecidas, ainda não amadureceram também. Existe sim, a necessidade de colocar os pés no chão e trabalhar com a realidade, respeitando sempre a vida! Entendo por vida, a partir do momento que houve a fecundação do espermatozóide no óvulo. Alí é o príncipio da vida. Independente de credo, ciência ou teoria, neste momento a vida é gerada.

    No mais, concordo com os argumentos do Mauro (acho que é o mesmo que já divergi em outros posts).

    Acrescento ainda, alguém gostaria que outra pessoa tirasse sua vida?

    Pois é. Ninguém gostaria! Mas é isso que um homem faz ao pedir/forçar uma mulher abortar. É isso que a mãe faz com seu próprio filho ao tomar comprimidos ou ao meio mais rústico igual ao que minha cunhada fez, com agulhas de crochê!

    Repensem na Vida! Se não são capazes de valoriza-la. Não são capazes de serem pessoas dentro de uma sociedade, pois nenhuma forma de organização social se sustenta com a morte!

    Att,
    João Tchê!

  • Gisele diz: 25 de outubro de 2011

    Caro Mauro: iria responder para você (sendo que meu post não tinha sido direcionado a ti, mas já que me respondeste…) mas leia o que a Luiza escreveu, vou me poupar de escrever tudo de novo.

    Somente lhe pergunto:
    1- És a favor da FIV (Fertilização In Vitro)?
    2- É você que vai cuidar do filho que eu for obrigada a ter, já que se preocupa tanto com o aborto? Posso largar ele na porta da sua casa? Sim, porque mandar a pessoa ter filho pode, mas ninguém está disposto a saber se a pessoa tem condições de criá-lo ou se QUER criá-lo.

    No mais, copio uma parte do excelente post da Luiza:
    “Só pra que as pessoas tenham noção de como a mulher é PROIBIDA de cuidar do próprio corpo neste país, sequer fazer uma laqueadura é possível sem o consentimento do marido. Isso é lei! Sim! Mas, fica pior! Ainda que não seja casada, ela não pode fazer se não tiver mais de 25 anos e também não pode aproveitar um dos partos ou um aborto espontâneo para solicitar a laqueadura – mesmo que tenha manifestado seu desejo com 60 dias de adiantamento. A mulher é obrigada a passar por uma nova internação, nova cirurgia, nova anestesia e nova FILA de espera pra fazer isso gratuitamente”.

    Digo mais, mesmo tendo mais de 25 anos, se a mulher não tiver ao menos 2 filhos ela não pode fazer laqueadura!!! Falar é fácil quando dizem que mulher só tem filho se quiser. Mas como se faz quando ela não quer e nem fazer uma cirurgia definitiva pode?? Por isso que eu reitero, temos que parar de querer mandar no corpo alheio!!!

  • Josi diz: 25 de outubro de 2011

    Engraçado, fazer aborto em caso de estupro é bonito? O feto também não é um inocente nesta história? Ainda não é um crime?
    “Consertar” um crime (estupro) com outro “crime” (aborto) daí é joínha?

    Eta Brasil!!!

    E no caso de uma mulher engravidar por tomar pílula de farinha? Foi ela que pediu por isso? Ela não estava se cuidando?

    Realmente Luiza, aqui nesse país o incentivo é para ter a maior quantidade de filhos possível. Não ter filhos não pode ser uma opção. Tenho um exemplo na família, minha tia tem 2 filhos e sabe que não quer mais, mas não pode fazer laqueadura pois precisa ter 3 filhos. Isso sim é um absurdo! A mulher não tem o direito de optar na sua própria vida?

    Podem continuar jogando pedras. Histeria punitiva não leva a lugar algum e não vai me fazer mudar de idéia. A vida é minha e o corpo é meu. “Ah mas é uma vida, bla bla bla…” Se eu tiver que ser punida algum dia pelas minhas opiniões, não são vocês!

  • Dani diz: 25 de outubro de 2011

    É fácil ser a favor do aborto quando se está vivo..
    Eu sou completamente contra. Se deu problema, recorra a pílula do dia seguinte..
    Eu não planejo filhos agora, mas se vier, essa criança não terá culpa do meu deslize, nem do meu namorado.. Se viesse, seria bem vinda, mesmo eu trabalhando o dia todo e ganhando salário mínimo..
    Cada um sabe da sua vida, mas achar que aborto é solução de problema mostra que a pessoa que pensa assim não tem um pingo de sentimento.

  • para Gisele diz: 25 de outubro de 2011

    Então se você não se importaria com tua mãe ter te abortado, não se importaria de morrer numa clínica clandestina.

  • Luís Eduardo diz: 25 de outubro de 2011

    O problema do aborto é a situação que se passa. Se você foi estuprada e taus, acho uma forma que pode ser utilizada, agora se for por um deslize seu, bote a cara e assuma pelos digamos assim “erros” que você e a(o) parceira(o) cometeram!

  • ROBERTA V diz: 25 de outubro de 2011

    BOM DIA, BOA SEMANA. BEM PARECE QUE NÃO É MAIS UM ASSUNTO, MAS DOIS HEHEHE
    PRIMEIRO JA PASSEI POR ISSO SIM E É CLARO FICAMOS APAVORADOS E COM CERTEZA ELE MAIS QUE EU KAKAKA. MAS AFINAL TUDO DEU CERTO. QUANTO A POLEMICA DO ABORTO EU NÃO ACHO LEGAL NEM PRA VIDA QUE SE VAI NEM PRA QUEM FAZ, PORQUE NÃO VAI PASSAR EM BRANCO ISSO NA SUA VIDA. MAS TEMOS QUE RESPEITAR O LIVRE ARBITRIO DE CADA SER HUMANO.

  • João Tchê! diz: 25 de outubro de 2011

    Tchê!

    Tem umas que são do tipo “rebeldes sem causa”.

    Por favor, falam de sue direitos mas esquecem do direito do filho gerado…

    Colocaram 4 ferraduras e saíram “relinxando” (não sei se é assim que se escreve) no blog.

    Não conseguem entender que não é direito dela, é direito do filho que fizeram.

    PS.: Gisele, nunca esqueça que o filho é feito por duas pessoas, portanto a responsabilidade é dos dois. Le de novo o que o Mauro disse. Le 3.000 vezes, talvez consiga entender algo, ou não…

    Att,

    João “pataço” Tchê!

  • Marcos Oliveira diz: 25 de outubro de 2011

    Quando isso aconteceu comigo (há quase 30 anos atrás), eu ainda namorava com ela, que veio a ser minha mulher (hoje ex).
    Quando aconteceu, por um descuido dela com as pílulas, nós dois éramos universitários. Eu até tinha meios financeiros, por uma herança recebida. Ela não tinha nada, além da provável falta de apoio da família dela.
    Como eu não sentia que nossa relação era algo que fosse perdurar, pq muitas vezes eu pensava em terminar com ela, não queria aquele filho.
    Falei para ela isso, e ela, mesmo querendo manter a gravidez entendeu que o melhor naquele momento seria interromper a gravidez. O que foi feito.
    Hoje, passado tanto tempo, olho para trás e penso que poderia ter sido excelente ter tido aquela criança. Mas na época não conseguia pensar diferente e não queria criar um vínculo eterno com ela.
    Acabamos casando, ficamos 4 anos casados, mas não tivemos filhos nem depois do casamento. O que acabou sendo um facilitador para a separação. Cada um foi para seu lado, livremente.
    Ela casou novamente e teve dois filhos, o que me deixou contente por ela.
    Quanto a mim, hoje com 51 anos, casei outras 2 vezes, mas nunca tive filhos. Hoje sinto falta de um vínculo assim, de ter um filho a quem entregar todo amor e transmitir todas as minhas experiências de vida para que ele construísse a dele(a). E pretendo, em um novo relacionamento duradouro, ter um filho.

  • João Tchê! diz: 25 de outubro de 2011

    Tchê!

    Marcos Oliveira.

    Legal que és uma pessoa que, a princípio não se esconde atrás de um pseudônimo como eu.

    Demonstra um arrependimento do que fez. É bom externar isso.

    Espero que consiga o que está buscando, um relacionamento duradouro e com frutos!

    Deus te abençoe!

    Att,

    João Tchê!

  • Marcela diz: 25 de outubro de 2011

    Ja passei por isso e foi punk!!! Pior sensação da minha vida, pois o cara simplesmente disse: “vamos tirar”, como se fosse uma espinha e pudesse espremer. Sensação de abandono total, magoa, ressentimento, todas essas sensaçoes me passaram pela cabeça, mas fui corajosa e segui em frente, enfrentei minha familia (que me deu o maior apoio) e a sociedade em geral, prq a 28 anos atras engravidar solteira era quase um sinal de prostituição. Mas venci tudo e todos de cabeça erguida e a certeza que aquele serzinho que trazia dentro de mim só me traria alegrias.
    Resumindo, tive meu filho sozinha, trabalhando para dar o melhor p/ele, qdo ele estava com 4 anos me casei com uma pessoa que amou ele como filho.
    Hoje meu primogenito é uma pessoa do bem e sem ressentimentos pelo abandono do pai, é feliz e valoriza todos os dias o ato que cometi, de não te-lo matado.

  • DANI PARA MAURO diz: 25 de outubro de 2011

    Meus filhos graças a Deus tem um pai, não são bastardos,sou casada há 13 anos.
    Comentário de muito mau gosto, nem todas pessoas fazem filhos e deixam por ai, ou filhos de ninguem.

  • Mauro diz: 25 de outubro de 2011

    Gisele,

    1- Não tenho opinião formado sobre a VIT.
    2- Tu que trepa e eu que tenho que cuidar do teu filho depois? Eu tô cagando e andando se tu quer ou não criar teu filhos depois, a questão não é essa. Eu não te dou o direito de assassinar NINGUEM, ainda mais um bebê indefeso, e ponto final. Reduzir a questão a isso, sobre “querer ou não criar um filho” é uma coisa abjeta. Ora, essa, não quer correr o risco de engravidar? Então fecha as pernas. Quem não trepa não engravida.

    O “excelente post da Luiza” pretende dar moral contra quem quer mandar no corpo alheio. E quem aborta, destroçando o corpo do bebê em pedaços, não tá se metendo no corpo de ninguem, né? Tá faltando muito pouco para começarem a se referir aos fetos como parasitas e às mães como hospedeiras, definindo a gravidez como doença. “Malditos bebês” alguém ainda vai dizer.

    Assistam ao filme “The Silent Scream”, um documentário médico que mostra as reações do bebê durante um aborto. Um bebê de 11 semanas já é capaz de GRITAR de dor e horror ao ser despedaçado.

    Assiste esse filme e depois vem aqui continuar defendendo essa merda de aborto, mais uma porcaria que esse maldito movimento feminista veio vender como “direito da mulher”.

  • Josi diz: 25 de outubro de 2011

    Mauro, teu comentário não é direcionado a mim, mas vai contra minha opinião, por isto respondo.

    “Eu tô cagando e andando se tu quer ou não criar teu filhos depois, a questão não é essa.”
    A questão é exatamente esta. Se estás cagando e andando para isto, cague e ande também para a minha opção de considerar o aborto. É fácil falar quando se é homem e as coisas não acontecem no seu corpo.

    “Eu não te dou o direito de assassinar NINGUEM,”
    E quem és tu para dar ou tirar o direito de alguém fazer alguma coisa? Deus?
    Vai mandar quem é a favor do aborto arder no inferno também? Por favor né.

    “fetos como parasitas e às mães como hospedeiras, definindo a gravidez como doença.” Existem mulheres grávidas que se comportam exatamente desta maneira.

  • Mauro para DANI diz: 25 de outubro de 2011

    Dani,

    Por favor, a qual comentário meu tu estás te referindo?

    Onde foi que eu disse que “todas as pessoas fazem filhos e os deixam por aí”?

    Aponte onde eu escrevi isso. Na falta, um pedido de desculpas será aceito numa boa.

  • Josi diz: 25 de outubro de 2011

    “E para aqueles juristas leigos de plantão que insistem em chamar aborto de assassinato, bem, aos olhos do direito brasileiro só se pode matar quem está vivo e para que se considere como “vivo” é preciso que o bebê tenha nascido e respirado, daí sim, depois de nascer e respirar, é assassinato se você matar (pena base de seis a vinte anos). Antes disso, se não nascer e não respirar, não é “assassinato” e sim crime de aborto, com pena muito menor (entre um e quatro anos). Com uma pena dessas, entre um e quatro anos, pode ser até que a pessoa não chegue a ser presa, então, não fiquem enchendo a boca para falar que aborto é CRIIIIME, é a mesma pena que o crime de divulgação de segredo (art. 153, parágrafo primeiro), de furto simples (art. 155), da apropriação indébita (art. 168) ou de receptação (art.180). O legislador NÃO ENCAROU ABORTO COMO ASSASSINATO, pois vemos o quanto um crime é grave pela pena imposta. Encarou aborto como um similar de pegar umas balinhas das Lojas Americanas sem pagar (furto simples). A única pena alta em caso de aborto é quando se provoca o aborto SEM O CONSENTIMENTO da gestante. Então, aceitem uma verdade: quem pratica aborto não terá uma pena alta e dificilmente será preso. ”

    Fonte: http://blog.desfavor.com/2010/10/desfavor-explica-aborto.html

  • Gisele diz: 25 de outubro de 2011

    Agora entendi qual é a do Mauro… é um machista, que acha que sexo tem que ocorrer só quando “há amor” e só por fins de procriação.
    Só vou te responder uma coisa: se tu não me dá direito de assassinar ninguém, eu não te dou o direito de se intrometer nas minhas escolhas! Seja com quem eu trepo ou deixo de trepar ou o que eu faço ou deixo de fazer com o meu corpo (nem que seja um amontoado de células que vocês insistem de chamar de bebê).
    E encerrei aqui porque não discuto com essa racinha nojenta que são os machistas. É por essas e outras que apenas mulheres deveriam opinar sobre aborto, só elas podem passar ou não por isso.

  • Mauro diz: 25 de outubro de 2011

    Então esse é o teu argumento final, Gisele? Me chamar de machista? Hahaha, que fraquinha… coisa de criança mesmo. Perdeu.

  • Danielas S. diz: 25 de outubro de 2011

    Olá
    Aconteceu comigo quando eu tinha 19 anos. hoje estou com 28 anos.
    Recém tinha entrado para a faculdade,(cursei grávida e conclui o curso) morava com minhã mãe e irmã e namorava a mais ou menos 6 meses..virgem ainda. O que aconteceu..engravidei…foi aquela correria. Minha mãe até hoje disse que já havia percebido porque o corpo muda e que só estava esperando eu contar. Quando a ficha caiu fui no Posto de Saúde para ter mais certeza, só que ninguém sabia ainda da gravidez somente eu e namorado (HOJE). Quando estava fazendo o cadastro para o pré-natal apareceu uma prima minha e aogora putz. O jeito foi a acelerar a notícia para a família antes que chegasse por boca alheia rsrsrsr.
    Essa passagem de minha vida foi uma loucura mas a maternidade foi algo maravilhoso. Não sei dizer como seria minha vida se não tivesse passado por essa experiência. Por causa dela amadureci muito rápido, pois não era só mais o meu futuro, era o dela. Estudei, me formei, procurei melhorar cada vez mais pois querendo ou não a mãe é o espelho para o filho quando ela é a responsável por ela (mãe solteira).

  • Fernando diz: 25 de outubro de 2011

    Para Josi:
    Nossa “Josi”. Depois do seu último comentário, até tive que dar risada. Concordo que você tenha o direito de se manifestar a favor, assim como eu tenho o de ser contra, mas por favor, faça suas justificativas com um pouco mais de inteligência, caso contrário, você corre o risco de perder a razão. De onde que você tirou que um bebê para ser considerado vivo tem que ter nascido e respirado? Quer dizer que enquanto ele estiver na barriga não está vivo? Estaria em estado então? Morto? Quase vivo? Sabe, não sei fazer outra coisa a não ser te aconselhar a ESTUDAR MAIS biologia. Ah! Os bebês dentro da barriga da mãe respiram tá! E quem aborta sem os motivos explicigtos em Lei tem que ir pra cadeia mesmo.

  • Fernando diz: 25 de outubro de 2011

    Para Josi:
    Ok, este não é o seu comentário. Mas se assim você pensa, isto te torna similar e ainda tens que estudar para ter uma opinião mais coerente e justificada tecnicamente.

  • Mauro diz: 25 de outubro de 2011

    Josi:

    “É fácil falar quando se é homem e as coisas não acontecem no seu corpo.” Tu estás transformando uma questão é moral em uma questão sexista. Somente pessoas de determinado gênero poderiam opinar sobre determinado assunto.

    “E quem és tu para dar ou tirar o direito de alguém fazer alguma coisa? Deus?
    Vai mandar quem é a favor do aborto arder no inferno também? Por favor né.”

    Eu não estou reinividicando a prerrogativa de dar ou tirar o direito de alguém fazer “alguma coisa”. Estamos falando da interrupção forçada de uma gestação. Isso não é “qualquer coisa”. Olha um feto que foi abortado recomposto em cima de uma mesa depois do “procedimento”, montado como se fosse um quebra-cabeça e tentar chamar aquilo de “qualquer coisa”. São LEIS que tiram ou dão direitos às pessoas. E as LEIS, excetuando as morais, que são feitas por Deus, são feitas por legisladores. E eu não vou apoiar qualquer candidato ou legislador que apoie a prática do aborto. Foi isso que eu quis dizer quando falei que não daria o direito de alguem cometer isso. É um dever moral defendermos os bebês. Entendeu agora ou quer que eu desenhe?

    E não vou mandar ninguem para o inferno. Vou é implorar pela Misericórdia Divina para TODOS NÓS, porque sem ela estaremos todos perdidos.

  • João Tchê! diz: 25 de outubro de 2011

    tsc,tsc, tsc…

    Josi, estudo tanto e não aprendeu o básico… Prevenção.

    Ao invés de ler e falar se pode ou não MATAR o feto, leio como se previne! Aconselho também, ler algo sobre relações humanas, relações mãe e filho. Talvez um dia se torne alguém mais sensível e entenda o que é o princípio biológico da vida!

    Se previnam, só isso! Barbada!

    Pra quem estav julgando outros posts “machistas”. Saibam que todo movimento tem uma idéia, proposta por idealizadores, portanto as idéias que dizem ser suas, nada mais é que a idéia e a formação de opinião alheia!

    João Tchê!
    100% Contra o aborto e contra quem o pratica!

  • Só um comentário diz: 25 de outubro de 2011

    É ora, sem “h”, e não hora, por que não se refere à horário.

  • Paulo A diz: 25 de outubro de 2011

    Olha, sinceramente, nunca fui a favor do aborto. Procuro não julgar os outros, claro que com exceções, como foi o caso dos babacas que disseram que deixariam a mulher na mão, que eu acho que é questão de mérito diverso desse da discussão. Em relação ao aborto, tenho dificuldade de tentar condenar uma mulher (o homem, eu acho que é covarde e inconsequente mesmo, para dizer o menos), porque é uma questão que envolve o corpo dela, além do direito à vida de outra pessoa. Mas aí também envolve outras discussões e não há consenso, se é vida, a partir de que fase de maturação, enfim, muitos aspectos. Mas para mim, para a minha vida, para um filho meu, é algo inaceitável. Abandonar uma mulher que concebeu um filho meu também é algo inaceitável, e isso não envolve “ficar” com ela necessariamente, então, é covardia mesmo…
    Para ilustrar o que penso, lembro que quando muito jovem, lá pelos 18, uma namorada desconfiou de gravidez e me veio com um “chá abortivo” que queria tomar, me contando da desconfiança dela. Não deixei, peguei o tal chá dela e escondi, encarei de frente o “problema” e ela encarou junto, mas era alarme falso. Mais tarde, lá pelos meus 22, 23, também tinha uma outra namorada que eu adorava (muito gostosa, por sinal). Entre outros, um dos principais motivos da nossa ruptura é que ela me apresentou um exame de gravidez, me comunicando que durante uma das nossas brigas ela tinha tirado o bebê. Não sei se é verdade ou não, pois ela e a mãe dela trabalhavam na área médica, portanto, era fácil conseguir um exame falso, mas até hoje não perdoei ela por isso, se era verdade, tinha, no mínimo, que me consultar. Hoje, que sou tri-pai, vejo que sempre estive correto e o quanto esses meninos me melhoraram como pessoa e como espécie e também à minha esposa, como pessoa e como mulher. Tenho hoje valores pessoais que nem sonhava que tinha, entre outros tantos aspectos que são até difíceis de explicar, ao menos sem me emocionar ou fazer um texto meloso, que não é meu estilo.
    Então, só sugiro que primeiro, observem o ordenamento legal, se realmente dão valor a viver em uma democracia (não quero misturar os assuntos, mas neste ponto, se relacionam). Demagógica e hipócrita é a atitude de transgredir direitos por mera vontade ou medo e depois “encher de osso” um político ladrão ou um homicida que vê na TV, por exemplo. Então, quem é a favor do aborto (especialmente quem faz apologia), por favor, tenha consciência de que é crime, ressalvados os casos específicos, previstos em lei.
    Segundo, leiam de novo meu relato lá em cima e tentem perceber se esse tipo de felicidade que eu experimento todos os dias, em vários momentos distintos não pode se encaixar na tua vida, com a certeza de que tu merece uma felicidade enorme dessas.
    E terceiro, tenta ponderar, em todas as tuas decisões, mas especialmente nesta, se tu realmente tem esse direito, o quanto tu afeta a vida de outra(s) pessoa(s) com um ato teu e como tu te sentiria se fosse contigo. Tenta olhar para o teu íntimo, com sinceridade, para ver o que ele te diz. Esses dias li que o que a gente faz com os outros olhando é o que se chama de ética e o que a gente faz sem ninguém saber é o que se chama de caráter. Então, vê o que o teu caráter te diz, então, depois disso tudo, tu toma uma decisão nesse sentido.
    É uma sugestão, aproveita quem quer, se achar boa.
    Abraços, legal esse debate!

  • Bibi diz: 26 de outubro de 2011

    Meu atual namorado (namoramos anos) mas em junho do ano passado terminamos e ficamos separados um tempo, entao eu namorei outra pessoa por uns meses e nesse meio tempo passei um susto danado… a minha menstru atrasou por um mês mas foi tudo em função do meu stress pois o meu ex que me incomodava demais…imagina ter um filho com alguém desequilibrado…ainda na faculdade …ta loco mas graças a deus foi só susto, nem pensei direito sobre abortar ou nao…cada um decide sobre a sua vida e falar sobre aborto é mto fácil mesmo sendo um assunto tão polêmico, é só escolher um lado e opinar… ainda mais em comentários…mas na H. “/

    Acho mto legal quem tem coragem de assumir, com certeza se cuidar é a melhor opção…mas e quando se cuidando acontece? que é o tema do post em questão…

    só sei que eu estaria numa enrascada se tivesse ficado grávida de um desequilibrado obsessivo, apesar de ter convivido mto tempo com ele como amigos, a gente nunca conhece ninguém de verdade….

    melhor do que pensar em abortar é se prevenir e melhor ainda é não namorar um louco (que pode ser o pai do seu filho) é ter ciência de que ninguém muda ninguém…

  • Paulo diz: 4 de novembro de 2011

    Conheço alguns casais que a mulher engravidou e o cara “meteu o pé”. Acho isso uma canalhice inominável. Safados!

Envie seu Comentário