clicRBS
Nova busca - outros
15 jun11:20

Cesta básica subiu 1,76% em menos de um mês em Santa Rosa

No levantamento mensal de preços da cesta básica de Santa Rosa, efetuado pelos alunos de Ciências Econômicas da FAHOR, apurou-se um aumento de 1.76% no valor da cesta básica, no período de 7 de maio a 2 de junho.

Para chegar a estes valores os alunos efetuam o levantamento dos preços dos produtos com as diferentes marcas que cada estabelecimento oferta. São calculadas as médias de preços para cada item em todos os estabelecimentos e a partir desta média, chega-se ao valor total da cesta.

A pesquisa dos 13 itens alimentícios que compõem a cesta básica, seguindo metodologia do DIEESE – Departamento Intersindical De Estatísticas e Estudos, apontou que em Santa Rosa, no mês de junho, o trabalhador precisa de R$ 278,56 para comprar a lista de produtos considerando os preços médios. Isso corresponde a 51% de um salário mínimo.

A pesquisa ainda observou que o produto com maior aumento de preços foi o tomate e a maior queda foi registrada no preço da batata-inglesa. Os preços pesquisados também reforçam a importância da pesquisa, visto que aqueles que puderem buscar pelos menores preços poderão economizar significativamente.

Família precisa mais de R$ 2 mil para viver em Santa Rosa

Pela mesma metodologia considera-se que uma família composta por um casal e dois filhos pequenos precisaria em Santa Rosa de uma renda de R$ 2.322,62 para pagar as despesas relativas às necessidades vitais básicas com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social.

É preciso pesquisar

Levando em conta os preços mínimos para cada produto encontrados nos estabelecimentos é possível efetuar a compra dos mesmos itens com o valor de R$ 182,14 o que significa uma economia percentualmente representativa. Ainda é importante observar que dificilmente estes preços serão encontrados no mesmo estabelecimento, pois variam muito e alguns itens podem estar mais baratos em um estabelecimento e outros mais caros.

E para aqueles mais apressados ou que tenham preferências por determinadas marcas de produtos, os preços mais elevados dos produtos resultaram em R$ 368,00 para a aquisição dos mesmos 13 itens alimentícios.

Bookmark and Share

Por

Comentários