clicRBS
Nova busca - outros
23 ago09:28

Jornalistas participaram de protesto silencioso na Câmara

Dezenas de jornalistas, técnicos em comunicação e pais de alunos de Jornalismo acompanharam a sessão da Câmara de Vereadores nesta segunda-feira. Eles solicitam explicações sobre a exclusão (apenas) do cargo de jornalista do concurso público da prefeitura de Santa Rosa e questionam a declaração do vereador Cláudio Schmidt que propôs a emenda, afirmando que o jornalismo não acrescenta à sociedade. Além das afirmações dos vereadores que o apoiaram afirmando que ‘me parece que não tem necessidade’ ou ainda, ‘não precisa desta vaga’.

Em nota enviada pela classe de jornalistas da região noroeste, com o apoio do Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Sul, são questionadas as justificativas usadas para a aprovação de nove cargos e exclusão da função de jornalista. Sobre a duplicidade de contratação da Agência Anfíbia, “esta empresa é contratada pela Prefeitura para prestar serviços publicitários e não jornalísticos”.

Outra justificativa, a exigência de Ensino Fundamental, “estende-se não apenas a esta área, mas a todas as secretarias municipais. Ainda, no que se refere à estrutura da Prefeitura, “são apenas dois profissionais, com cargos de confiança. Não há nenhum profisisonal contratado por meio de concurso público”.

Posicionamento dos Legisladores


O vereador Paulo Paim (PCdoB) propôs o pedido de reenvio da solicitação do cargo de jornalista para o Executivo. No entanto, um projeto rejeitado só pode ser reapresentado num próximo exercício ou se for comprovada a inconstitucionalidade da emenda.

Já o vereador Nelci Dani (PP) explica que não é contra apenas o cargo de jornalista, mas questiona o aumento com os gastos na folha de pagamento da Administração.

- Enquanto a Comissão não trouxer os resultados do índice de comprometimento com o pagamento de despesas de pessoal e encargos, continuarei sendo coerente e votando contra todos os cargos que aumentem os gastos com a folha – destaca.

Em conversa com os profissionais da imprensa, o vereador Cláudio Schmitt (PMDB) afirmou que irá ouvir o áudio da sessão anterior, para então se manifestar especificamente sobre suas declarações.

No entanto, o vereador renovou seu discurso. Diante dos jornalistas, disse que a imprensa é importante para a sociedade, mas que segue sendo contrário à criação do cargo, já que a prefeitura não possui estrutura de comunicação e já tem agência contratada para este serviço.

Ao final da sessão os vereadores ouviram o posicionamento dos profissionais e se comprometeram a debater novamente o projeto.

Quando a comunidade pode se manifestar


O presidente da Câmara de Vereadores, Valdecir Hemsing (PMDB) recebeu o grupo em sua sala para explicar as formas de manifestaçoes possíveis. Segundo o regimento, a comunidade pode apenas assistir à sessão, mas não pode se manifestar, nem mesmo por meio de aplausos ou gestos. Ao bater palmas após discurso do vereador Paulo Paim (PCdoB), que defendeu a classe, foram chamados a atenção, pois o regimento interno da casa não permite tal manifestação. Nenhuma forma de manifestação é permitida para qualquer cidadão.

- Se nosso regulamento permitisse a manifestação da plateia poderia virar arruaça. O regimento diz que nem faixa pode ser usada – justifica o vereador Valdecir Hemsing.

Para que a comunidade possa se manifestar em uma sessão da Câmara existe uma possibilidade prevista no Regimento Interno da Câmara. Ela pode enviar um pedido para um vereador ou o presidente da Câmara, que irá colocar a proposta para a votação. Se aprovada, o grupo pode se manifestar numa próxima sessão, durante tempo determinado.

* Qual sua opinião sobre a impossibilidade de se manifestar durante uma sessão da Câmara? Deixe seu comentário

Bookmark and Share

Por

8 Comentários »

  • Jailton disse:

    O problema não é a proibição de se manifestar. O brabo é ouvir as asneiras que nossos “representantes” falam.

  • dinob disse:

    Abram concurso pra ridículo também. Que fiasco. Não poderia faltar um sindicato e escolas de algo que passa longe de ser jornalismo de verdade. Um fiasco… em troca de uma cadeira de RP, algo que sequer é jornalismo. É muita vontade de mamar.

  • Daniele disse:

    Tirei o chapéu para alguns vereadores que voltaram atrás e admitiram não saber a imensa importância do jornalista na sociedade e pediram desculpas,mas o vereador Cláudio Schmidt,não vou nem comentar…como disse o Paim “isso tudo é muito complexo para ele entender…”

  • Volmir disse:

    NÃO REELEJA ESTES VEREADORES! Será que na câmara estão os mais idôneos e melhores representantes desta comunidade??? Muitos fazem do cargo de vereador um emprego, e se acham os “donos” da casa do povo, não exercem o seu papel e servem de marionetes do executivo. Estas raposas velhas devem ser banidas pelo voto, renovação urgente na câmara de vereadores. Portanto, cabe a cada um dos cidadãos de bem e honestos de santa Rosa mudar esse quadro.

  • Maristani Weiand disse:

    Daniele e Jailton, obrigado pelo apoio!!! Caro “dinob”, gostaria muito de te chamar pelo nome, mas como teus comentários são sempre destrutivos te escondes atrás de um codinome !! Assim fica fácil criticar, não é mesmo?? Quem sabe o que fala, quem acredita no que fala não precisa se esconder ! Aproveito este espaço para te explicar que o manifesto feito pelos jornalistas é uma forma de alertar os vereadores e pelo visto você também, sobre quais são as verdadeiras atribuições de um JORNALISTA e de quanto este profissional é importante para a sociedade !!! A vaga em um cargo público é apenas simbólica. Não me interesso pelo cargo, mas eu e meus colegas exigimos respeito pelo nosso trabalho, pela nossa profissão!!

  • Ivana disse:

    Muito fácil da sua parte “Dinob” criticar a posição de nós, jornalistas. Jornalistas profissionais, graduados em universidade. Ralamos muito, abdicamos de muitas coisas para conquistar nosso diploma e é por acreditar que temos um papel importante na sociedade que mostramos a nossa cara e exigimos nossas respostas! Temos a nossa causa, os nossos deveres e nossos direitos e diferente de vc, vamos em busca de nossos objetivos. Não tememos opiniões como a sua, até pq não somos apatiquinhos como vc deve ser. É um direito de todo cidadão exigir que seja respeitado e é por essa causa que a nossa classe se uniu. Respeito toda e qualquer opinião, desde que seja muito bem fundamentada. Viva a democracia!!

  • Mauricio disse:

    ué! ali não é a casa do POVO, como não podemos nos manifestar? eles podem falar um monte de besteiras e mamar nas tetas da “PORQUINHA”. E o POVO?

  • Felipe disse:

    infelismente esses são os vereadores que o povo incluindo os Jornalistas escolheram.

Comentários