Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Testículo"

Infertilidade Masculina: parte 2

07 de março de 2013 0

Após a definição da infertilidade masculina, alguns fatores colaboram para a gravidade deste infertilidade, com por exemplo: a duração desta infertilidade (quantos anos o homem vem tentando sem sucesso engravidar suas parceiras prévias e a atual), Se a infertilidade é de sempre ou após uma infecção trauma, cirrugia local, quais os parâmetros encontrados no espermograma e nos exames hormonais e genéticos e, certamente, qual a idade e a história de fereilidade da parceira.

Mesmo em casais onde o homem tem um número reduzido de espermatozóides, cerca de 30% conseguiram engravidar suas parceiras num período de 2 anos.

Na realidade, tanto o homem quanto sua parceira devem ser investigados no mesmo momento. A mulher pelo(a) seu (sua) ginecologista, preferencialmente especializado em infertilidade e o homem pelo urologista (andrologista -sub-especialidade urológica que trata problemas relacionados a sexualidade).


Nos dias atuais, onde os casais estão cada vez mais postergando a vinda do primeiro filho, devido, principalmente a educação e início da vida profissional, é interessante saber que:

Em reprodução assistida, a idade da mulher é o fator mais importante para o sucesso do tratamento. Uma mulher de 35 anos tem o potencial, facilidade de reproduzir  diminuída em 50% se compararmos a mesma mulher com 25 anos. Aos 38 anos a fertilidade feminina cai para 25% e aos 40 anos é menor que 5%.


Infertilidade Masculina: parte 1

12 de fevereiro de 2013 0

Infertilidade é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS)  como a dificuldade de um casal normal conseguir uma gestação em 12 meses de tentativas, num período sem uso de anticoncepcional, ou outros métodos contra ceptivos.

1 em cada 8 casais tem dificuldades de terem o primeiro filho e 1 em cada  6 casais de terem o segundo. Portanto, 15% dos casais procuram assistência médica com ginecologista e urologista por não conseguirem a sonhada gestação em 1 ano. 50% das vezes encontramos um fator de infertilidade masculina como problema provável e encontramos parâmetros do espermograma alterado, isto é, a produção ou o transporte dos espermatozóides está prejudicada ou ausente.


Quando investigamos as causas destas alterações, encontramos muitas causas, desde alterações no exame físico (como veias escrotais dilatadas) a alterações em exames hormonais e genéticos. Entretanto, mesmo após uma investigação detalhada, cerca de 30 a 40% das vezes não encontramos nenhuma alteração que possa indicar o porquê da infertilidade e do espermograma alterado.


ESPERMOGRAMA

É o exame do esperma (ejaculado). O homem deve coletar o esperma num laboratório especializado, que deve seguir as normas definidas pela OMS analizando o volume, a quantidade de espermatozóides, quantos estão vivos, quantos se movimentam normalmente e quantos são bem formados.

O espermograma pode se alterar por vários motivos como por exemplo: calor local (uso de notebook no colo, sauna, febre), após infecções virais, trauma… Portanto, um segundo espermograma sempre é indicado com pelo menos 60 dias de intervalo entre os exames.






Tumor de Testículo: Olho no lance

10 de fevereiro de 2009 0


Como diria o clássico narrador: “Olho no lance”. Ou como diria o professor treinador: “Mantenha os olhos fixos na bola”.

Bem, o post de hoje é um alerta para o auto-exame. Como as mulheres são orientadas a realizar a palpação, auto-exame das mamas, os homens jovens também deveriam dedicar mais atenção os testículos.
O câncer de testículo é o tumor maligno mais frequente em homens de 15 a 35 anos.
O exame consiste em 1x por mês apalpar gentilmente os dois testículos durante o banho por exemplo. Percebendo algum nódulo procure um urologista para investigação.

O câncer de testículo já foi um dos tumores mais letais. Atualmente, o tratamento do câncer de testículo é uma das histórias mais bem sucedidas na área oncológica médica com taxas de cura de até 98% quando diagnosticado precocemente.
Mesmo quando o tumor é considerado de pobre prognóstico, isto é, inicialmente diagnosticado de forma disseminada, as chamadas metástases, “raiz” em outros locais do organismo, ou com as formas mais agressivas, o tratamento tem boas respostas em pelo menos 50% dos homens.

Uma das grandes biografia do esporte mundial, o super ciclista americano Lance Armstrong teve um tumor de testículo disseminado e hoje é uma das principais figuras no combate ao cancer no Mundo. Lance está de volta após 3 anos aposentado e carrega em sua bicicleta o número 27.5, representando o número de 27,5 milhões de pessoas que perderam a vida durante esses 3 anos que esteve aposentado devido ao câncer.
Portanto, “olho no Lance”, um feliz exemplo de superação. E esteja atento para nodulações nos testículos, qualquer dúvida procure um urologista oncológico.

Postado por Flavio Heldwein, Florianópolis.