Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de maio 2008

CIGARRO E REPRODUÇÃO

30 de maio de 2008 0
Dia 31 de maio é o Dia Mundial da Luta contra o Tabaco. 

 

Embora os malefícios do cigarro sejam bem conhecidos, infelizmente a população jovem, entre 18 e 24 anos, tem aumentado o seu consumo.
 
O que preocupa é que, com o postergar da gestação para após os 30 anos, os fumantes, tanto homens quanto mulheres, podem estar comprometendo sua fecundidade pelo longo tempo de exposição ao tabaco.
 
O cigarro pode prejudicar a fertilidade feminina, diminuindo o número de óvulos disponíveis para serem fertilizados, aumentando as taxas de abortamento e fazendo com que a mulher entre mais precocemente na menopausa. No homem, o cigarro pode diminuir o número e a motilidade dos espermatozóides. Além disto, durante a gestação, o fumo pode causar prejuízos ao feto, comprometendo seu crescimento intra-uterino. Assim, é importante estar atento, uma vez que a interrupção do hábito de fumar pode reverter estas alterações.

Portanto, no dia 31/05, lembre-se: fumar TAMBÉM faz mal à saúde reprodutiva.

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

CAFEÍNA E GESTAÇÃO

25 de maio de 2008 3

No dia 24 de maio comemorou-se o Dia Nacional do Café. Num país como o Brasil, que tem uma vinculação histórica com esta planta e que se situa entre os maiores produtores do mundo, é natural que o consumo esteja em alta.


Sabemos que a cafeína, substância presente não somente no café, mas em menor grau no chocolate, refrigerantes e chás, possibilita o aumento do metabolismo, porém, ao passar a placenta, o feto não a metaboliza. Desta forma, a recomendação médica tem sido de que as grávidas consumam no máximo 4-5 xícaras de café expresso por dia ou o equivalente a 300mg de cafeína/dia.

 

Recentemente, foi publicado em uma revista científica americana a possibilidade de que o uso excessivo de cafeína possa estar relacionado a abortamento. Um outro estudo, publicado também este ano, com número maior de pacientes, não comprovou esta associação, ficando as gestantes liberadas para o uso do café.


Como os resultados da relação entre consumo de café e risco de aborto espontâneo são controversos, a prudência sugere reduzir o consumo durante a gravidez. Para aquelas mulheres que tradicionalmente consomem muito mais de 4 xícaras de café expresso por dia e não conseguem reduzir durante a gestação, uma alternativa seria o uso do café descafeinado durante este período. Afinal, o equilíbrio e a moderação não devem jamais ser esquecidos durante a gestação.

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

ACUPUNTURA E INFERTILIDADE

22 de maio de 2008 0

A acupuntura, técnica chinesa milenar, consiste na colocação de agulhas muito finas em pontos específicos do corpo. Por estes pontos passam fluxos de energia, essenciais para a saúde. Recentemente, a acupuntura tem sido utilizada por mulheres que irão se submeter à fertilização in vitro.

 

Estudos científicos têm mostrado que a acupuntura interfere na liberação de hormônios, podendo também aumentar o fluxo sangüíneo para os órgãos reprodutivos e auxiliar na normalização da ovulação em mulheres com alguns distúrbios hormonais. Alem disto, ajuda a diminuir a ansiedade, o stress e os sintomas depressivos.

 

O quanto a acupuntura pode ajudar no tratamento da infertilidade feminina ainda não se sabe com certeza. Mais estudos são necessários para estabelecer a sua importância clínica , mas, ao que parece, esta técnica poderá vir a ter um papel coadjuvante nos tratamentos de reprodução assistida.

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

A BUSCA DO CORPO IDEAL

18 de maio de 2008 0

Observamos ao longo da História a variação dos modelos de beleza, retratada  inclusive pela arte e pela literatura, como Umberto Eco em seu livro a História da Beleza. 

 

Hoje, temos uma discussão internacional sobre o índice de massa corporal entre as modelos, cuja magreza extrema poderia influenciar adolescentes a adotarem condutas danosas à sua saúde, que poderiam levá-las à anorexia.

 

Recentemente, a Espanha proibiu desfiles com modelos muito magras e a França elaborou projeto de lei prevendo multa para quem estimular padrões anoréxicos de beleza.

 

Sabemos que alterações de peso podem resultar em distúrbios hormonais e podem alterar o funcionamento dos ovários. Assim, o que se tem como modelo de beleza desfilando nas passarelas pode igualmente representar uma mulher com dificuldades de ovulação e, portanto, associada à subfertilidade.

 

Como em todos os aspcetos da natureza, há que se buscar o equilíbrio, orientando principalmente as adolescentes para o fato de que nem sempre o modelo de beleza está de acordo com o ideal de saúde.

Postado por Eduardo Pandolfi Passos – Porto Alegre

ÁCIDO FÓLICO PARA A FUTURA MÃE... E O PAI?

14 de maio de 2008 0

É bem sabido que a ingestão adequada de ácido fólico durante os primeiros meses de gestação desempenha um papel importante na prevenção de algumas malformações fetais. Mas onde está este ácido fólico? Habitualmente está nos vegetais, sobretudo nos folhosos escuros, como espinafre, no feijão, na ervilha… É possível também ingeri-lo na forma de comprimidos diários.

 

Até então, suplementamos este componente para toda mulher que está tentando engravidar e mantemos durante os meses iniciais de gestação.

 

Um estudo recente realizado pela Universidade de Berkeley ( Califórnia ), com 89 homens saudáveis e não fumantes, relacionou o consumo de ácido fólico com a incidência de alterações cromossômicas nos espermatozóides, constatando que, quanto mais alto o consumo de folato, menor o percentual de alterações cromossômicas.

 

É claro que não se trata de uma verdade absoluta, mas sim um dado estatístico que sugere que a qualidade da alimentação paterna, e não somente da materna, pode influir nas condições de saúde do futuro bebê.

 

Então, atenção, futuros pais e mães: espinafre faz bem à saúde!

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

A MATERNIDADE HOJE

10 de maio de 2008 1

A maternidade, até o século XX, era vista como a essência da mulher. Para a sociedade, somente através da maternidade a mulher poderia tornar-se completa, correndo sérios riscos de enlouquecer caso não engravidasse.

 

Reforçavam estas teorias médicos importantes da época, como o psiquiatra e escritor brasileiro Afrânio Peixoto, onde, em 1925, a personagem de um de seus livros fala:


“Há mulheres bonecas, amantes, festeiras, operárias, sábias, de tudo; isto é porém o acidente ou o supérfluo (…). O que nós somos essencialmente, tirados todos os acidentes e supérfluos, é isto…MÃES.”


Lenta e duramente, as mulheres vêm mudando este perfil, ocupando posições tidas como tipicamente masculinas, competindo no mercado de trabalho, conquistando direitos civis, fazendo valer suas posições.

 

Hoje, podemos dizer que não somos “essencialmente mães”. Somos muito mais. Somos mulheres, companheiras, mães, trabalhadoras e cidadãs. E tudo isto muitas vezes ao mesmo tempo!

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

A Maternidade

07 de maio de 2008 2

A maternidade é um momento e um estado. Muito além do nascimento, pois dura toda a vida da mulher.

 

Hoje, graças aos avanços médicos e aos métodos contraceptivos eficazes, a mulher já podeescolher quando quer gestar e quantos filhos deseja gestar.

Mas nem sempre foi assim.

Como se dava então o controle da natalidade?

 

Na Europa, somente a partir do Renascimento, com o melhor conhecimento da anatomia e do processo reprodutivo, é que a limitação voluntária da maternidade começou a aparecer.

Esse controle se dava de várias maneiras: pela abstinência, o que não impedia que se recorresse a outras formas de sexualidade, ou pelo coito interrompido. O problema é que estes métodos tinham falhas e não dependiam somente da mulher, e sim do casal.

Somente no século XX, a partir de 1960, com o surgimento da pílula anticoncepcional, é que o controle da natalidade passou efetivamente às mãos da mulher.

 

Hoje, a mulher tem condições de fazer as suas escolhas: se quer ou não gestar, qual o melhor momento para isto e quantos filhos quer ter. Infelizmente, o acesso a todas estas opções ainda não é universal, uma vez que temos milhares de mulheres à margem dosistema,em condições sócio-econômicas desfavoráveis, o que não lhes permite pensar sobre estas questões.

 

Mas já percorremos um longo caminho…


Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

HPV e outras Doenças Sexualmente Transmissíveis

05 de maio de 2008 0

O papiloma vírus humano, HPV, é a doença sexualmente transmissível mais comum no mundo hoje. Existem mais de 30 tipos de HPV que podem ser transmitidos pelo contato sexual. Alguns são de baixo risco, e causam lesões verrucosas na área genital (vulva, vagina e região anal). Outros são de alto risco e podem causar câncer de colo.

 

O HPV é altamente contagioso e a prevenção total não é fácil, mas usar preservativo é uma excelente forma de proteção. O preservativo não elimina completamente o risco de transmissão do HPV, pois o vírus também pode ser transmitido pelo contato pele a pele com a área genital, mas continua sendo a forma mais eficaz de proteção contra o HPV e todas as outras doenças sexualmente transmissíveis. Além disto, consultas regulares ao ginecologista, com coleta de exame preventivo de colo uterino, também são importantes.

 

Mais recentemente, as vacinas para alguns tipos de HPV, direcionadas para um público jovem, de 9 a 26 anos, também têm sido discutidas.

 

Com relação à fertilidade, a proteção contra todas as doenças sexualmente transmissíveis é de grande importância, uma vez que algumas delas, como a Clamídia, estão associadas com processos inflamatórios pélvicos, obstrução tubária, gestação ectópica (fora do útero) e infertilidade. Outras podem aumentar taxas de abortamento, trabalho de parto prematuro e infecções no recém-nascido.

 

Lembre-se, em se tratando de doenças sexualmente transmissíveis, PREVENIR ainda é o melhor REMÉDIO.

Postado por Isabel de Almeida

Ecografia na gestação

02 de maio de 2008 3

ecografia 3D
Doutor, posso alugar um aparelho de ecografia para ficar olhando em casa meu bebê?

Essa pergunta, que parece engraçada, é muito freqüente entre as gestantes, principalmente as de primeira viagem…

Na realidade, a ecografia abriu um universo de conhecimentos inestimável na obstetrícia, de forma que hoje nos parece impossível falar de gestação sem falar de ecografia. Com ela, podemos avaliar corretamente o tempo de gestação, a saúde fetal, o crescimento do bebê, a presença de malformações, fazer diagnóstico genético e, acima de tudo, tranqüilizar as mães e aproximar ainda mais os pais, que muitas vezes se sentem excluídos deste binômio mãe-bebê.

Mais recentemente, com o surgimento da ecografia tridimensional, ou ecografia 3D, a visualização do rostinho do bebê, suas expressões faciais, seu piscar de olhos, aumentou ainda mais o encantamento para os pais.

Claro que não precisa alugar um equipamento para ter em casa. Isto nem seria saudável. A ecografia é uma ferramenta médica, com indicações. Mas que é prazeroso ver o bebê antes de nascer, ah, isto é…!

Postado por Eduardo Pandolfi Passos