Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de agosto 2008

GESTAÇÃO APÓS OS 40 ANOS - MITOS E REALIDADE II

29 de agosto de 2008 0

 

Outro dia, falamos um pouco sobre riscos maternos na gestação apos os 40. Mas, e os riscos fetais? Por decisão da natureza, todas as mulheres já nascem com milhares de óvulos e são estes mesmos óvulos que serão liberados durante toda a vida reprodutiva.


Com o passar do tempo, estes óvulos vão ficando mais suscetíveis a alterações nos cromossomas. Assim, quanto maior a idade da mulher, maior o risco da gestação ser acometida por alguma desordem cromossômica.

Mas, existe alguma maneira de evitar que isto aconteça?


O que existe são exames para identificação precoce destas alterações, que vão desde ecografias específicas até a coleta do liquido que envolve o bebê (amniocentese) para estudo genético.


O mais importante é estar informada, saber o que a medicina oferece, quais as indicações e riscos dos exames, para poder decidir o que melhor se ajusta a cada caso.

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

GESTAÇÃO APÓS OS 40 ANOS - MITOS E REALIDADE

21 de agosto de 2008 0

 

 

Freqüentemente atendemos mulheres com mais de 40 anos com desejo de gestação, mas temerosas dos riscos.

A gestação após os 40 envolve vários aspectos, como taxas de fertilidade, riscos maternos e riscos para o bebê.

 

Vamos começar com os riscos maternos. Até que ponto é verdade que a mãe corre risco quando engravida com esta idade? Certamente, as mulheres já correram muito mais riscos em épocas passadas, quando os partos eram domiciliares, depois quando se tornaram hospitalares mas não se conhecia nada sobre transmissão de infecções, quando se fizeram as primeiras cesarianas, quando não havia assistência pré-natal…

 

Hoje, felizmente, todas estas dificuldades já estão superadas e engravidar, independente da idade, deixou de representar um risco real de morte ou “um pé na cova”, como diziam os antigos.

Sabemos que quanto mais saudáveis forem os hábitos da mulher previamente à gestação, referentes a uso de fumo, álcool, alimentação, peso ideal (não o nosso “ideal”, mas o que é realmente saudável!), menos complicações teremos.

 

Igualmente, quanto menos problemas de saúde prévios sem controle, como pressão alta ou diabete descompensado, menos riscos também haverá.

Resumindo, só uma cuidadosa revisão médica e de hábitos de vida vão conseguir dar segurança durante a gestação.

 

Portanto, futuras gestantes, de todas as idades, cuidem-se!

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

OVÁRIOS POLICÍSTICOS E RESISTÊNCIA À INSULINA

18 de agosto de 2008 2

 

 

A insulina é produzida pelo pâncreas e é necessária para que possamos metabolizar a glicose (açúcar) que recebemos da alimentação.

Chamamos de “resistência à insulina” a dificuldade da glicose ser utilizada pelo organismo, mesmo quando a insulina é produzida em grandes quantidades.

 

Este fenômeno é encontrado em 10-25% da população, mas, nas mulheres com ovários policísticos, mais da metade apresenta este distúrbio. A resistência à insulina pode alterar a função ovulatória destas mulheres, levando-as à infertilidade, e, também, aumentar o risco de doenças cardiovasculares em duas vezes e o risco de diabete em até cinco vezes.

 

O tratamento consiste basicamente na redução do peso, através do aumento da atividade física e do uso de dietas. O uso de medicamentos também deve ser considerado em casos selecionados. Além disto, as pacientes que não ovulam podem precisar de medicamentos indutores da ovulação para que possam engravidar.

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

OVÁRIOS POLICÍSTICOS E AUMENTO DE PESO

13 de agosto de 2008 2

 

  A síndrome dos ovários policísticos é um distúrbio endócrino que ocorre em aproximadamente 10% das mulheres jovens. Nesta disfunção, a mulher apresenta muitas vezes acne e aumento de pêlos no corpo. Também não ovula regularmente, o que pode levá-la à infertilidade. Além disto, mais da metade das mulheres com ovários policísticos apresenta aumento de peso, com maior concentração de gordura no abdômen.

Hoje, sabemos que esta síndrome é uma desordem bastante complexa e, naquelas mulheres que apresentam sobrepeso, a diminuição de seu peso melhora a qualidade da ovulação, além de reduzir complicações na gravidez, como abortamento, hipertensão e diabete gestacional.

Assim, quem apresenta ovários policísticos e está planejando engravidar, a primeira medida a ser adotada é revisar seu estilo de vida, procurando alcançar o seu peso ideal. Para isto, dietas hipocalóricas, atividade física e uso de medicamentos, sob supervisão médica, oferecerão bons resultados, melhorando o seu potencial reprodutivo.

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

DIA DOS PAIS

10 de agosto de 2008 0

 

 

Dia desses vi uma pintura de Michelangelo, feita em 1456, chamada “ A Sagrada Família” e o que me chamou a atenção nesta tela foi o fato de ser a primeira pintura a mostrar o menino, não no colo da mãe, mas, sim, acomodado entre o pai e a mãe.

 

Lembrei disto porque neste domingo se comemora o dia dos pais e esta pintura, embora tão antiga, expressa uma visão muito atual de compartilhamento com os filhos, que hoje se traduz no afeto, nas preocupações, nos cuidados, nas responsabilidades, nas angústias e nas alegrias.

 

Porque, para os filhos, pais têm de ser assim: presentes. Para dividir e para somar.

 

Por isto, a todos os pais, um feliz dia e um desejo de mais 364 dias no ano para compartilhar com seus filhos…

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

REPRODUÇÃO ASSISTIDA E OVÁRIOS POLICÍSTICOS

05 de agosto de 2008 2

  

 

Dos distúrbios de ovulação, sem dúvida, os ovários policísticos são a desordem mais freqüente, acometendo aproximadamente 10% das mulheres.

Nestes casos, as pacientes não ovulam  com regularidade, o que diminui as chances de engravidar espontaneamente. Por isto, muitas vezes é necessária a indução da ovulação com medicamentos, o que, na maioria  das vezes, é suficiente para que as pacientes obtenham a tão sonhada gestação.

 

Em alguns casos, entretanto,  o uso de técnicas de reprodução assistida, como a fertilização in vitro, se faz necessário.

Porém, em decorrência destes tratamentos, algumas pacientes muito sensíveis às medicações acabam desenvolvendo um número muito grande de óvulos, o que pode desencadear complicações, como aumento do tamanho dos ovários, dor abdominal, retenção de liquido no abdômen, entre outros. Para estes casos, uma perspectiva  que tem se colocado é o uso de técnicas que visem amadurecer os óvulos em laboratório, sem o uso de medicamentos estimulantes do ovário.

 

A vantagem desta maturação in vitro está no uso menor de medicamentos pela  paciente. As desvantagens estão relacionadas ao pouco tempo de uso desta  técnica, ainda com taxas de gestação inferiores às técnicas convencionais. Em alguns paises, estes protocolos    estão liberados, enquanto que em outros ainda têm sido usados só em nível experimental.

 

Entretanto, vale lembrar  aqui que, aproximadamente, 70% das mulheres com  ovários policísticos irão ovular normalmente somente com o uso de medicações, dieta adequada e atividade física, não necessitando de técnicas mais sofisticadas de reprodução assistida.

Postado por Isabel de Almeida

INFERTILIDADE MASCULINA

04 de agosto de 2008 0

ICSI - injeção intracitoplasmática de espermatozóide

 

 

As técnicas de reprodução assistida visando tratar o homem infértil avançaram muito a partir do início da década de 90, quando foi colocada em prática a técnica de injeção intracitoplasmática de espermatozóide – ICSI. Esta técnica consiste na colocação do espermatozóide dentro do óvulo, promovendo artificialmente a fertilização.
  
Esta possibilidade fez com que os homens que apresentavam muito poucos espermatozóides ou só tivessem espermatozóides no testículo pudessem ser submetidos a esta técnica e obter gestação. Assim, a possibilidade de ser pai através da utilização do seu espermatozóide trouxe o homem infértil de volta ao processo reprodutivo, com bons resultados.
 
Neste mês em que se comemora o dia dos pais é interessante enfatizar que a ciência tem contribuído para que os casais possam ter a possibilidade de tratamento e que os homens também estão inseridos nos avanços que a tecnologia em reprodução tem alcançado.

Postado por Eduardo Pandolfi Passos – Porto Alegre