Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de novembro 2008

INFERTILIDADE SEM CAUSA APARENTE

26 de novembro de 2008 0

 

Recomenda-se que um casal que está tentando engravidar investigue infertilidade se após um ano de tentativa a gestação não tiver acontecido. Se a mulher tiver mais de 35 anos, este tempo de espera pode ser reduzido para seis meses.

 

Após a investigação concluída, é provável que alguma causa de infertilidade apareça, quer seja ela antômica, masculina ou hormonal, e os tratamentos serão direcionados para o fator específico.

 

Entretanto, existe ainda um pequeno percentual, aproxiamdamente 10 a 15% dos casais inférteis, que apresentam exames de investigação de infertilidade sem alterações. Estes casos denominamos de infertilidade sem causa aparente e possivelmente estão relacionados a anormalidades na liberação do oócito ou na sua captação pela tuba, falhas de fertilização, desordens de implantação e/ou anormalidades intrínsecas dos gametas ou dos embriões.

 

Para estes casos, afora a conduta expectante, que deverá ser discutida com o casal, levando em conta a idade da mulher , bem como o tempo de espera e o desgaste emocional que este casal já passou, podem ser utilizadas técnicas de indução da ovulação, inseminação ou fertilização in vitro.

Postado por Isabel Almeida – Porto Alegre

INFERTILIDADE E FATORES HORMONAIS

19 de novembro de 2008 0

 

As alterações hormonais que podem determinar infertilidade na maioria das vezes estão relacionadas com a ausência de ovulação.

 

Os fatores hormonais que podem determinar que uma mulher não ovule podem ser de causa central, como em situações de stress ou anorexia nervosa, por disfunção da glândula tireóide, por aumento da prolactina (hormônio produzido pela hipófise), por aumento da produção de hormônios masculinos (problemas na glândula suprarrenal) ou por causa exclusivamente ovariana.

 

Quando o problema é ovariano, ele pode estar relacionado à falência ovariana (menopausa) ou, o que é mais frequente, à Síndrome dos ovários policísticos, situação esta em que existem ciclos sem ovulação, além de múltiplos cistos nos ovários, acompanhados de obesidade e aumento de pêlos.

 

Para descobrir qual a causa hormonal que está impedindo que a paciente ovule e, por isso, determinando sua infertilidade, são necessárias dosagens de hormônios, o que é feito através de exames de sangue.

Postado por Isabel de Alemida – Porto Alegre

INFERTILIDADE – CAUSA ANATÔMICA

12 de novembro de 2008 1

 

Quando atendemos um casal infértil sugerimos a avaliação segundo as causas. Essas podem ser masculina, anatômica feminina, hormonal feminina e desconhecida. Assim, ao investigar o casal, solicitamos todos os exames em só um momento, pois sabemos que entre 15 e 20% das vezes temos mais de uma causa concorrendo para a infertilidade.

 

Na investigação anatômica feminina, temos inicialmente a ecografia, que nos permite avaliar o útero, sua forma e o endométrio, ou seja, a parte interna do útero, onde o embrião se implanta.

  

Além da ecografia, usualmente solicitamos a histerossalpingografia, que  é um exame radiológico com injeção de substância que nos permite  observar a passagem deste constraste através das trompas.

 

Além dos exames de imagem, a laparoscopia também é utilizada, pois neste procedimento conseguimos visualizar o abdômen internamente, observando as trompas e a forma do útero, bem como aderências e a presença de endometriose.

Postado por Eduardo Pandolfi Passos – Porto Alegre

INFERTILIDADE DE CAUSA MASCULINA

06 de novembro de 2008 1

 

Aproximadamente um terço dos casos de infertilidade é devido à presença de alterações no sêmen.

Por isto, para diagnosticar estes fatores masculinos, o exame mais importante é o espermograma. Neste exame, onde o homem coleta uma amostra de seu sêmen em um frasco esterilizado para ser analisado em laboratório, é possível avaliar o número de espermatozóides, o quanto estes espermatozóides se movimentam e também a sua forma.  Existem critérios de normalidade já estabelecidos para cada um destes parâmetros.

 

Uma vez visto que a contagem, a movimentação ou a morfologia dos espermatozóides não está normal, este homem deverá ser encaminhado ao urologista para maiores investigações. As razões que determinam que o sêmen esteja alterado são várias, desde fatores hormonais, infecções sexualmente transmissíveis, fatores genéticos, fatores anatômicos, como varicocele ou vasectomia, e até fatores ambientais, como fumo, álcool, stress ou uso de drogas como maconha .

 

Cabe lembrar também que um espermograma alterado pode não refletir a realidade, uma vez que os espermatozóides se renovam a intervalos de aproximadamente três meses e uma nova coleta poderá vir com características bem diferentes. Mas o importante é que a infertilidade seja vista como uma questão do casal, onde ambos se empenhem em descobrir as possíveis causas para que os tratamentos obtenham as melhores taxas de sucesso.

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre