Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de março 2009

FERTILIDADE NATURAL

24 de março de 2009 0

 

Frequentemente, os médicos são questionados sobre como aumentar naturalmente as chances de engravidar. Dúvidas como:

 - A frequência de relações sexuais realmente interfere nas taxas de gravidez?

 - Se a mulher levanta logo após o ato sexual, isto pode diminuir as chances de engravidar?

 - Qual o dia certo da ovulação?

 - Álcool e cigarro diminuem a fertilidade?

são bastante comuns.

 

Nos próximos blogs, abordaremos vários destes aspectos, tentando desmistificar alguns conceitos e, principalmente, fornecendo informações que ajudem a otimizar as chances de conceber naturalmente.

 

  A FREQUÊNCIA DAS RELAÇÕES SEXUAIS

 

A grande maioria das pessoas acredita que ejaculações frequentes podem diminuir a fertilidade masculina, pois “gastariam” rapidamente o estoque de espermatozóides. Entretanto, um estudo que analisou 10.000 amostras de sêmen demonstrou que, em homens que apresentavam sêmen normal, o número de espermatozóides, bem como sua motilidade, permaneciam inalterados, mesmo com ejaculações diárias.

 

Assim, casais que desejam engravidar devem ser informados de que a eficácia reprodutiva aumenta se a frequência de relações ocorre a cada um ou, no máximo, dois dias. Entretanto, não podemos esquecer que quem melhor deve definir a frequência de relações é o próprio casal, cuidando para que o desejo de engravidar não crie uma situação de stress e de cobrança de resultados, o que só trará ansiedade e diminuição da satisfação sexual.

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

ALIMENTAÇÃO E INFERTILIDADE

16 de março de 2009 3

 

Recente trabalho publicado em revista médica internacional sobre Reprodução Humana mostra que o tipo de alimentação pode alterar padrões de qualidade e quantidade dos espermatozóides. Neste estudo, foram comparados os tipos de alimentação entre dois grupos de homens. O primeiro grupo era composto por pacientes com contagens muito baixas de espermatozóides que estavam buscando tratamento em clínicas de reprodução assistida. O segundo grupo era composto por homens com contagens espermáticas dentro da normalidade.

 

Verificou-se que os homens inférteis consumiam mais carnes processadas, como salsichas, alimentos ricos em gordura, bem como muito leite integral e seus derivados. Já no grupo que apresentava contagem normal de espermatozóides, a alimentação era rica em alface, tomate e leite desnatado.

 

É claro que existem muitas outras variáveis associadas com a produção de espermatozóides, mas o fato é que os padrões de qualidade seminal vêm sofrendo alterações nas últimas décadas. Uma alimentação rica em agentes antioxidantes e pouca gordura não somente é benéfica para o sistema cardiovascular e para a manutenção do peso, mas,possivelmente, também para a fertilidade.

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

08 de março de 2009 0

 

No  Dia Internacional da Mulher, nosso blog não poderia deixar de lembrar esta data.

 

Escolhido para simbolizar a luta das mulheres em todo o mundo pelo fim das discriminações,  dos abusos sexuais,  morais e psicológicos, o 8 de março não se encerra hoje. 


Todos os dias devem ser para minimizar as diferenças sociais e as discriminações, diminuindo os enfrentamentos e buscando um equilíbrio. E não são só as ações grandiosas que fazem a diferença. Pequenas atitudes no nosso cotidiano, nas nossas relações pessoais e profissionais também somam.

 

Desejamos que o dia 8 de março seja vivido e lembrado em todos os dias do ano

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

DARWIN E A REPRODUÇÃO

02 de março de 2009 4

 

Há 100 anos atrás, a expectativa média de vida das mulheres no Brasil era de 40 anos. Hoje, segundo dados do IBGE, as mulheres têm vivido mais de 75 anos. Entretanto, ao longo do tempo, vemos que a reserva ovariana tem-se mantido estável e, após os 40 anos, as taxas de gravidez são menores a cada ano que passa.

 

Neste ano de 2009, onde muito ainda se vai falar de Darwin, difícil não pensar em como seria bom se a reserva ovariana e as taxas de gestação aumentassem espontaneamente depois dos 40 anos, visto que, nesta fase, as mulheres estão apenas na metade de sua existência. Não seria interessante se houvesse um mecanismo darwiniano de adaptação das espécies de modo que o tempo de reprodução fosse maior?

Especulações à parte, o certo é que ainda temos limites biológicos não transpostos, não podendo esquecer que, após os 40 anos, engravidar naturalmente é bem mais difícil.

 

Será que no futuro isto será diferente? Será que as técnicas de congelamento de óvulos e de tecido ovariano serão eficazes o suficiente para garantir a reprodução a  qualquer tempo? Não sabemos, mas as pesquisas nesta área têm aumentado e os resultados têm sido melhores, embora seja muito cedo para propor isto como uma segurança para a maternidade tardia.

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre