Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de abril 2009

VACINAS E GESTAÇÃO

29 de abril de 2009 9

 

Nestes tempos de febre amarela, gripe suína e tantas outras epidemias, frequentemente grávidas ou mulheres que estão tentando engravidar têm dúvidas acerca das vacinações.

Por isto, elaboramos uma pequena listagem com as recomendações sobre vacinas neste período:

 

- febre amarela: contraindicada na gestação

- gripe: contraindicada no primeiro trimestre de gestação

- rubéola: contraindicada na gestação. Aguardar 30 dias após a vacinação para tentar engravidar

- hepatite B: pode ser utilizada na gestação

- tétano: o Ministério da Saúde recomenda três doses da vacina antitetânica a partir da metade da gravidez para todas as gestantes que nunca foram vacinadas. As gestantes que já foram vacinadas com esquema completo recebem apenas uma dose de reforço.

-gripe suína: não há vacina disponível

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

FERTILIDADE NATURAL II

18 de abril de 2009 4

 

Aqui vão algumas recomendações da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva para aqueles casais que estão tentando engravidar espontaneamente, quando não existem razões para questionar sua fertilidade natural.

 

1. para mulheres com ciclos regulares, relações sexuais frequentes (a cada 1 ou 2 dias), iniciando logo após a parada da menstruação, ajudam a  maximizar as taxas de fecundidade 

 

2. o consumo moderado de álcool (1 a 2 drinks/dia) e de cafeína não têm demonstrado efeito adverso sobre a fertilidade

 

3. cigarro, consumo exagerado de álcool (acima de 2 drinks/dia), drogas recreativas (maconha e outras) e o uso da maioria dos lubrificantes comerciais não devem ser utilizados por casais que desejam engravidar

 

4. não existe posição específica durante a relação sexual que aumente as taxas de gestação, assim como permanecer deitada em repouso após a relação também não aumenta as chances de engravidar. Os espermatozóides são encontrados no canal cervical segundos após a ejaculação, independente da posição que a mulher esteja.

 

5. as taxas de fertilidade claramente diminuem em mulheres que estão muito magras ou obesas. Assim, a manutenção do peso é um requisito importante para mulheres que pretendem engravidar. Além disto, recomenda-se que seja tomado diariamente ácido fólico para reduzir os riscos de defeitos no tubo neural do feto.

 

5. o tempo para obter a gestação aumenta com a idade. Assim, para mulheres acima de 35 anos, consulta em um serviço especializado em reprodução deve ser considerado após seis meses de tentativa.

 

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

CAFEÍNA, DROGAS E FERTILIDADE

09 de abril de 2009 0

 

O consumo de altos índices de cafeína (mais de 5 xícaras de café /dia ou o equivalente a 500mg de cafeína) tem sido associado com diminuição da fertilidade. Durante a gestação, o consumo acima de 200-300mg/dia de cafeína tem sido relacionado com risco de abortamento, mas não aumenta a incidência de malformações. Estudo publicado recentemente que acompanhou mais de 1200 gestantes que consumiam café descafeinado x café normal (3 xícaras/dia) não mostrou diferenças entre os dois grupos com relação a peso ao nascimento. Assim, o consumo moderado de cafeína antes e durante a gestação não apresenta riscos para a fertilidade ou sobre a evolução da gravidez.

 

Já os efeitos da maconha e de outras drogas recreativas sobre a fertilidade são difíceis de dimensionar porque seu uso é ilegal. Entretanto , seu consumo é sempre desaconselhado, pois seus efeitos sobre o feto já estão bem estabelecidos.

 

Uma curiosidade interessante é que alguns lubrificantes vaginais parecem diminuir a fertilidade, baseado nos efeitos observados sobre a sobrevivência dos espermatozóides in vitro. Com base nestes estudos, tem sido recomendado que casais que estão tentando engravidar e necessitam usar lubrificantes vaginais usem produtos como óleo mineral ou óleo de canola e não os lubrificantes comerciais.

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre

CIGARRO, ÁLCOOL E FERTILIDADE

01 de abril de 2009 0
 

O cigarro afeta negativamente a fertilidade. Estudos envolvendo grande número de fumantes  mostram que as taxas de infertilidade são maiores neste grupo. Além disto, a observação de que a menopausa ocorre um a quatro anos antes no grupo de fumantes sugere que a reserva ovariana se esgota mais rápido no grupo que fuma. Em homens, o cigarro diminui a motilidade e altera a forma dos espermatozóides.

 

Mas não é só a fertilidade que fica comprometida com o cigarro. Existe também um risco aumentado de abortamento, tanto em pacientes que engravidam naturalmente como naquelas que são submetidas a procedimentos de reprodução assistida, e também uma incidência maior de gestação ectópica (gestação que se implanta fora da cavidade uterina, como nas tubas uterinas).

 

Já o efeito do álcool sobre a fertilidade feminina não está bem estabelecido, mas a recomendação da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva é de que mulheres que estão tentando engravidar não devem consumir mais de dois drinks por dia e que esta prática deve ser imediatamente suspensa quando ocorre a gestação, uma vez que os efeitos negativos do álcool sobre o feto já estão bem estabelecidos e não existe nível seguro de consumo de álcool durante a gravidez.

Postado por Isabel de Almeida – Porto Alegre