Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de junho 2011

Consumo de álcool e baixas taxas de gestação

27 de junho de 2011 0

Já são bem conhecidos os efeitos adversos do álcool durante a gestação, como prematuridade, baixo peso ao nascer e defeitos congênitos no bebê. Além disto, estudos mostram que a fertilidade da mulher também se reduz com o consumo moderado de álcool.

Mas, e nos casais inférteis em tratamento?  O álcool também afeta os resultados?

Recente trabalho realizado nos EUA envolvendo mais de 2500 casais que estavam realizando ciclos de fertilização “in vitro” (FIV) avaliou se o consumo de álcool durante o tratamento poderia interferir nos resultados.

A conclusão foi de que mulheres que bebiam pelo menos   4 drinks/semana tinham 16% menos chance de terminar a gestação do que o grupo que bebia menos de 4 doses. Além disto, em casais onde ambos bebiam no mínimo   4 drinks/semana a taxa de recém-nascidos vivos após a FIV foi 21% menor do que o grupo que bebia menos de 4 doses/semana.

Concluindo,  é importante informar aos casais que o consumo de álcool quando se está realizando ciclos de FIV parece ter um impacto negativo sobre as taxas de gestação.


Postado por Isabel de Almeida


Ganho de peso e pílula anticoncepcional

20 de junho de 2011 0

Para as mulheres, a possibilidade de ganhar peso é um fator importante para a escolha do método anticoncepcional.

 Segundo uma pesquisa britânica, 73% das mulheres entrevistadas acreditavam que o ganho de peso era uma desvantagem das pílulas anticoncepcionais. Ainda, segundo uma pesquisa nacional realizada nos EUA, o ganho de peso foi a principal razão para deixar de usar anticoncepcional oral.

 Entretanto, a relação entre uso de pílula e aumento de peso ainda não está bem estabelecida, mas não parece haver associação. Neste mês, foi publicada em revista médica pesquisa que acompanhou mais de 1000 mulheres na Suécia desde 1981. Durante todo este período, foram avaliados o uso de métodos contraceptivos, número de gestações, uso de cigarro e peso.

 A conclusão deste estudo é de que não há relação entre uso prolongado de pílula anticoncepcional e ganho de peso. Muitos fatores têm sido implicados como causa de aumento de peso, como quantidade e qualidade da alimentação, consumo de álcool, pratica de atividades físicas, gestação, entre outros.

 É importante então salientar que as alterações de peso não parecem depender da pílula, mas sim de outros fatores comportamentais, da genética e do próprio processo natural de envelhecimento.


Postado por Isabel de Almeida

Puberdade antecipada

12 de junho de 2011 0

O início da transição da infância para a idade reprodutiva é a puberdade. Atualmente, o início da puberade se dá alguns anos mais cedo do que nas gerações passadas. Acredita-se que esta antecipação esteja relacionada com o desenvolvimento sócio-econômico, com o aumento na ingesta de calorias e, talvez, à maior exposição ambiental aos hormônios, em especial ao estrogênio.

O impacto da puberdade mais antecipada sobre a saúde ainda não se sabe. Haverá um aumento nos casos de câncer de mama pelo maior tempo de exposição hormonal? A puberdade mais cedo poderá afetar a predisposição da mulher para outras desordens reprodutivas, como endometriose ou miomas? Haverá uma maior dificuldade para engravidar em torno dos 40 anos?

Todas estas questões estão sendo estudadas, uma vez que hoje temos a visão de que a reprodução afeta a saúde e vice-versa. Enquanto não temos todas estas respostas, não podemos esquecer que o início mais cedo da puberdade poderá resultar em um aumento no número de gestações não desejadas na adolescência, a menos que os programas de saúde , a família e a escola estejam atentos para esta discussão, trabalhando os aspectos preventivos, através de ações educativas e do uso de métodos contraceptivos simples e seguros


Postado por Isabel de Almeida

Pintar os cabelos na gestação: é possível?

08 de junho de 2011 0

É muito comum as gestantes perguntarem a seus obstetras se podem pintar os cabelos.

Os produtos químicos mais usados nas tintas de cabelo são: fenilenediamina, aminofenol, resorcinol, ácido oleico, sulfito de sódio, hidróxido de amônia, propilenoglicol e álcool isopropílico. Alguns produtos usados nestas tinturas foram correlacionados com certos tipos de câncer, como linfomas, leucemias e mielomas múltiplos. Entretanto, estudos científicos que acompanharam cabeleireiros profissionais não demonstraram aumento de risco de câncer neste grupo.

Já durante a gestação, estudos em humanos mostraram que a absorção dos produtos utilizados em tintas de cabelo é muito pequena, a menos que haja queimaduras ou abscessos no couro cabeludo.

Assim, o uso de tinturas de cabelo não parece causar efeitos adversos ao feto, mas é preciso ter bom senso. Sem dúvida, a gestação não é o melhor momento para mudar totalmente o visual dos cabelos, mas também não é preciso dispensar aquela tintura periódica para esconder os incômodos fiozinhos brancos. Afinal, é preciso estar bem bonita para a chegada do bebê.


Postado por Isabel de Almeida