Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de janeiro 2013

O envelhecimento do útero

20 de janeiro de 2013 0


Muito se fala sobre a importância da qualidade do óvulo para que se obtenha uma gestação saudável, mas pouco se ressalta sobre a importância do útero para manter esta gestação.

Da mesma forma que a idade interfere no ovário, ela também interfere no útero. Estudos experimentais mostram que, à medida que se envelhece, o útero desenvolve menor vascularização na gestação, o que pode alterar o desenvolvimento da placenta e do embrião. Além disso, com o passar do tempo, também aumentam as chances de surgirem miomas uterinos, os quais também podem interferir na implantação embrionária.  Assim, os riscos obstétricos e as complicações no parto são maiores nas mulheres com idade mais avançada em função do envelhecimento do útero.

Fica aqui mais um alerta sobre os riscos de se postergar a maternidade, pois além de existir um declínio natural na reserva ovariana, ocorrem também alterações nas condições uterinas necessárias para uma gestação saudável.

Postado por Isabel de Almeida

O envelhecimento do ovário

13 de janeiro de 2013 0


Hoje, as populações estão se movendo de um estado onde havia uma alta fertilidade e uma alta mortalidade para um estado de baixa fertilidade e baixa mortalidade. Uma combinação de fatores, como avanços na medicina, melhorias nos programas de saúde pública e melhoria das condições sócio-econômicas das populações são as principais responsáveis por esta mudança.

Consequentemente, a previsão é de que em 2025 o número de jovens entre 15-24 anos seja igual ao grupo de pessoas com mais  de 60 anos. E, após 2025, a tendência é de que as pessoas com mais de 60 anos sejam em número maior do que os adolescentes e os adultos jovens.

À medida que a população envelhece, mais se posterga a idade para ter filhos, o que tem aumentado o número de casais com dificuldade para engravidar e que necessitarão de reprodução assistida para serem mães e pais. Além disso, com a idade mais avançada, as taxas de aborto espontâneo e complicações na gestação, como descolamento de placenta, baixo peso ao nascer, trabalho de parto prematuro, hemorragia pós-parto, hipertensão e diabete também aumentam.

Uma vez que  a idade produz efeitos negativos sobre a função reprodutiva, é necessário que as mulheres estejam atentas aos riscos da postergação da maternidade, uma vez que os recursos médicos para tratar o envelhecimento do ovário ainda são muito limitados. No futuro, provavelmente o uso de células-tronco para recuperar os folículos ovarianos seja uma alternativa viável.

Postado por Isabel de Almeida

Terapias naturais para endometriose

01 de janeiro de 2013 0


A endometriose é uma das doenças benignas mais comuns e afeta em torno de 10-15% das mulheres em idade reprodutiva.Esta doença, que se caracteriza pela presença de tecido endometrial fora da cavidade uterina, pode causar dor nas relações sexuais, dor no período menstrual, bem como infertilidade, diminuindo a qualidade de vida das mulheres afetadas.

Atualmente, os tratamentos propostos para endometriose incluem, dependendo de cada caso, cirurgia e medicamentos hormonais. Entretanto, sabe-se que a endometriose tem caráter recorrente, podendo voltar quando as medicações são suspensas.

Recentes trabalhos experimentais com animais têm demonstrado um efeito positivo no tratamento da endometriose quando se usam catequinas (substância encontrada no chá verde) e resveratrol (substância presente na casca da uva e, por extensão, nos vinhos tintos). Estas pesquisas têm observado que ambas as substâncias induzem uma regressão das lesões de endometriose. Como isto ainda é inicial, mais estudos são necessários, bem como a formulação destas substâncias na forma de cápsulas a serem administradas, uma vez que o uso de incontáveis xícaras de chá verde ou o consumo de álcool não seriam recomendados.

Fica, então, uma boa perspectiva medicamentosa para um grande número de mulheres jovens que sofrem de endometriose.

Postado por Isabel de Almeida