Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de junho 2013

Idade paterna avançada e fertilidade

30 de junho de 2013 0


Já há muito se sabe que a fertilidade da mulher diminui com o avançar da sua idade. Entretanto, o homem sempre esteve fora desta discussão, uma vez que se acreditava que, por ele produzir novos espermatozoides a cada três meses, seria fértil durante toda a vida.

Porém, recentemente estes conceitos têm mudado. Já existem estudos mostrando relação entre idade paterna avançada com autismo e outras doenças, incluindo câncer, nos filhos. Também na reprodução assistida as taxas de fertilização e de gestação são menores em casais onde os homens têm mais de 50 anos.

Assim, o que se observa é que estamos migrando para uma era onde a idade reprodutiva do homem passa a ser tão importante quanto a da mulher. Isto passa a ter mais importância nos dias de hoje,  quando ambos os membros do casal têm postergado a gestação em função da carreira e dos investimentos em educação.

Postado por Isabel de Almeida

Anticoncepcional oral contínuo

16 de junho de 2013 0


Os anticoncepcionais orais são o método contraceptivo mais utilizado no mundo. Frequentemente, muitas mulheres perguntam aos seus ginecologistas se é possível usar pílulas de modo contínuo. Em várias situações está indicada a redução do fluxo menstrual como forma de tratamento, como é o caso das pacientes que têm endometriose, que menstruam abundantemente ou daquelas que têm muitos sintomas de tensão pré-menstrual. Mas em outras situações, o desejo da mulher não menstruar não carrega uma indicação , mas sim uma busca por uma situação mais confortável, pois várias mulheres acham mais cômodo não menstruar.

Embora muitas pacientes apresentem redução ou ausência do fluxo menstrual quando usam anticoncepcional oral contínuo, isto não representa uma situação ideal para todas as mulheres. Muitas ficam ansiosas quando emendam uma cartela de anticoncepcional na outra e não menstruam, pois ficam receosas de terem engravidado. Além disso, mesmo com o uso contínuo de anticocepcional oral, às vezes ocorrem sangramentos e, como são imprevisíveis, muitas vezes são mal tolerados pelas mulheres.

Desta forma, antes de iniciar com anticoncepcional de forma contínua, é importante que a mulher compreenda as vantagens e desvantagens do método e veja se isto vai ao encontro de seu perfil, para que não se criem ansiedades acerca do medo  de gestação ou da imprevisibilidade dos sangramentos.

Postado por Isabel de Almeida

Acupuntura e infertilidade

09 de junho de 2013 0


Frequentemente as mulheres que se submeterão à fertilização “in vitro” perguntam se é válido ou não associar acupuntura a fim de aumentar as taxas de gestação. Embora exista bastante comentário sobre este assunto, ainda não existem trabalhos científicos suficientes que afirmem os benefícios da acupuntura sobre os resultados da reprodução assistida.

Entretanto, muitas pacientes referem bem-estar e diminuição da ansiedade quando utilizam esta técnica e, por isto, os médicos não se opõem à utilização da acupuntura como um recurso auxiliar no tratamento da infertilidade. Porém , cabe ressaltar que a paciente deve estar acostumada com a técnica e, por isto, o ideal é que inicie as sessões de acupuntura já antes de entrar no ciclo de fertilizaçáo, para ter a certeza de que isto será relaxante e não mais uma fonte de stress.

Vale lembrar que, embora a acupuntura possa ser uma forma da paciente aumentar as suas chances de engravidar, existem outra medidas importantes no estilo de vida, como estar com o peso adequado, não fumar, não beber, entre outras, que comprovadamente melhoram taxas de gestação e a saúde como um todo e que não devem ser esquecidas.

Postado por Isabel de Almeida

Hiperestimulação ovariana

02 de junho de 2013 0


Embora  a reprodução assistida já exista há mais de 30 anos, existem alguns riscos pertinentes à técnica.

Sem dúvida, o risco mais importante da estimulação hormonal para a realização da fertilização “in vitro” é a Síndrome da Hiperestimulação Ovariana, que consiste no aumento do volume dos ovários, com formação de múltiplos cistos e acúmulo de líquido no abdômen e nos pulmões, além de outras alterações laboratoriais. Esta síndrome pode levar a complicações sérias em até 5% dos ciclos, como fenômenos tromboembólicos, derrame pleural com dificuldade respiratória, disfunções hepáticas, entre outras. A causa destas alterações ainda não é totalmente identificada e não existe uma forma absolutamente certa de identificar qual paciente apresenta maior chance de apresentar este problema.

A prevenção, embora difícil, passa por identificar as pacientes de maior risco, que usualmente são as jovens, magras e com ovários policísticos. Para estas, a adaptação da medicação utilizada para estimular os ovários e maturar os oócitos, a monitorização dos crescimento dos folículos ovarianos e, muitas vezes, a opção pelo congelamento de todos os embriões, transferindo-os quando os ovários estiverem normais, são ações eficazes.

Postado por Isabel de Almeida