Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de agosto 2013

Preservação da fertilidade em mulheres com câncer

25 de agosto de 2013 0

A melhora nos índices de cura de alguns tipos de câncer graças aos avanços no tratamento tem colocado taxas de sobrevivência em 10 anos de 74% para câncer de mama e mais de 80% para linfoma. Desta forma, tem se tornado essencial abordar o assunto da preservação da fertilidade nas pacientes jovens que irão se submenter à quimioterapia ou à radioterapia.

Existem muitas técnicas para preservar a fertilidade feminina, como congelamemto de tecido ovariano, congelamento de óvulos e fertilização “in vitro” (FIV) com congelamento de embriões. De todas, a mais estabelecida é o congelamento de embriões, pois esta técnica já vem sendo utilizada com sucesso em casais inférteis há 25 anos. Consequentemente, FIV e congelamento de embriões é hoje o que apresenta as mais altas de gestação no contexto da preservação da fertilidade. Ocorre que muitas destas pacientes jovens com câncer não têm parceiro fixo pela baixa idade, estando indicado nestas situações o congelamento de óvulos.

Recente pesquisa em centros de oncologia na França acompanhou 49 mulheres com câncer que congelaram embriões com idade média de 28 anos. Após três anos, 22% (11 mulheres) solicitaram o uso de seus embriões guardados. Destas 11, houve transferência embrionária em 10, resultando em cinco gestações, com dois abortamentos e três nascimentos. Uma mulher que não engravidou mais adiante teve uma gestação com óvulos doados.

Estes dados estão de acordo com os resultados obtidos com fertilização em pacientes sem câncer, o que reforça a tese de que o congelamento de embriões é uma técnica segura para pacientes jovens que farão quimioterapia e que lhes possibilitará no futuro a oportunidade de engravidar com segurança.

Postado por Isabel de Almeida

Dieta e ovários policísticos

18 de agosto de 2013 0

A síndrome dos ovários policísticos é uma desordem  clínica onde existem alterações no metabolismo e nos mecanismos hormonais. Existe uma associação entre ovários policísticos e ciclos sem ovulação, além de manifestações de excesso de hormônios masculinos, como acne e aumento de pelos. É comum também a queixa de infertilidade associada. Todas estas alteraçōes são agravadas pela obesidade.

Desta forma, o primeiro passo no tratamento da síndrome dos ovários policísticos é a redução de peso, pois isto melhorará o perfil metabólico e hormonal destas pacientes, aumentando as suas chances de engravidar e diminuindo também complicaçōes na gestação, como hipertensão e diabete.

Recente revisão de artigos médicos procurou identificar qual a melhor dieta para este grupo de pacientes. Os resultados mostraram que as dietas com baixos índices de glicose estavam associadas com melhora na qualidade de vida. Por outro lado, dietas com muita proteína estavam mais associadas com melhora na autoestima.

Concluindo, independente do tipo de dieta adotada, os estudos mostraram que em todas elas a perda de peso melhorou o padrão dos ciclos menstruais, deixando-os mais regulares, bem como aumentou as taxas de gestação. A dieta ideal deve ser individualizada para cada paciente e deve sempre ser orientada e monitorada por profissionais especializados.

Postado por Isabel de Almeida

Tratamentos para infertilidade e stress

04 de agosto de 2013 0


Recente publicação em revista médica especializada em infertilidade coloca que a principal causa de abandono de tratamento por parte dos casais inférteis está relacionada ao stress e ao sofrimento psicológico. Segundo pesquisas, dos pacientes identificados como de risco para stress psicológico, apenas 25% acreditavam que se beneficiariam de ajuda psicológica e somente 21% realmente planejavam procurar por este tipo de atendimento.

Desta forma, o que se observa é que um bom suporte emocional é tão importante quanto buscar tratamentos especializados em infertilidade. Sabe-se que em torno de um terço dos casais não conseguirão engravidar mesmo tendo realizados todos os procedimentos propostos e este número tende a aumentar, uma vez que a crescente postergação da maternidade tem colocado um número maior de casais com idade superior a 40 anos buscando gestação.

Assim, temos de ter presente que a melhor abordagem para infertilidade deve incluir além dos tratamentos médicos, maneiras de minimizar o sofrimento psicológico relacionado aos procedimentos de reprodução assistida, contando sempre que possível com o suporte de profissionais da área de saúde mental.

Postado por Isabel de Almeida