Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de março 2014

Conhecimentos sobre saúde reprodutiva

31 de março de 2014 0

Recente pesquisa nos Estados Unidos entrevistou 1000 mulheres entre 18-40 anos, de vários grupos étnicos, buscando identificar seus conhecimentos e práticas acerca de assuntos como gestação e saúde reprodutiva. Deste grupo, 80% tinha ensino médio completo ou mais.

Os resultados mostraram que a maioria das mulheres não relaciona menstruações muito dolorosas com endometriose e possível infertilidade. Cerca de 1/3 das entrevistadas desconhece a influência das doenças sexualmente transmissíveis sobre a fertilidade e 1/4 desconhece as implicações negativas da obesidade sobre a gravidez.

Além disso,  70% das mulheres entrevistadas entre 18-24 anos desconhece o risco da idade materna avançada sobre anormalidades cromossômicas no feto. Aproximadamente 40% das mulheres entrevistadas acreditavam que os ovários produzem novos óvulos durante a vida reprodutiva, o que não é verdade, pois os óvulos estão prontos desde a vida embrionária e vão sendo reduzidos durante a vida. Também, cerca de metade das entrevistadas acreditava, erroneamente, que algumas posições durante o ato sexual favoreciam a gestação, bem como ter relações sexuais mais de uma vez por dia aumentava as chances de concepção.

Em resumo, este estudo mostrou que existe um conhecimento limitados das mulheres acerca de suas questões reprodutivas e que existe uma carência de estratégias e informações por parte das equipes de saúde. Embora este estudo seja americano, é bem provável que os resultados no Brasil também apontem neste sentido, reforçando a necessidade de informações consistentes e confiáveis para as mulheres jovens.

Postado por Isabel de Almeida

Estilo de vida e complicações na gestação

23 de março de 2014 0

Antes de engravidar, é comum que as mulheres procurem o ginecologista para receberem orientações. Para otimizar o aconselhamento preconcepcional, é importante conhecer o estilo de vida do casal e identificar quais hábitos estão associados com risco aumentado de complicações na gestação.

Recente estudo realizado na Holanda entrevistou cerca de 2300 casais sobre seus hábitos de vida, dados da gestação, do parto e do recém-nascido. As conclusões mostraram que mulheres obesas apresentaram maior risco de hipertensão e diabete na gestação e um risco menor de terem bebês com baixo peso. Mulheres que fumaram durante a gestação tiveram maior risco de ter bebês com peso menor do que o esperado.

Já os hábitos de vida paternos não mostraram relação direta com riscos na gestação. Entretanto, o estudo mostrou que, quando as mulheres eram obesas ou fumantes, usualmente o esposo também era. Como se sabe, é difícil para a mulher mudar seus hábitos de vida se o marido permanecer com hábitos não saudáveis. Desta forma, pode-se dizer que o homem pode causar um dano indireto para o futuro bebê. Por isto, o aconselhamento antes da gestação deve envolver o casal e não somente a mulher, pois comprovadamente um estilo de vida saudável, sem cigarro e obesidade, com alimentação equilibrada, diminui a chance de complicações na gestação como diabete, hipertensão e retardo de crescimento intrauterino.

Postado por Isabel de Almeida

Declínio da fertilidade

16 de março de 2014 2

A fecundidade das mulheres diminui ao longo da vida. Durante a vida intrauterina, existem 6-7  milhões de óvulos no feto feminino. Já ao nascimento, são somente 1-2 milhões de óvulos e este número segue declinando de forma que na adolescência restam entre 300.00-500.000 óvulos e apenas 1000 na época da menopausa.

Desta forma, a fecundidade das mulheres inicia lentamente seu declínio em torno dos 32 anos e de forma mais rápida após os 37 anos. Este declínio também aparece nos resultados da fertilização “in vitro” (FIV). Em mulheres abaixo de 35 anos, a taxa de nascimento na FIV é de 41%, mas somente 12% em mulheres entre 41-42 anos e apenas 1% para mulheres acima de 44 anos.

À medida que a idade aumenta, o risco de outras doenças que também causam infertilidade, como miomas, obstrução tubária e endometriose, também aumenta. Da mesma forma, mulheres que são fumantes, tiveram cirurgia em ovário, fizeram quimioterapia ou têm história familiar de menopausa precoce, também têm maior risco de infertilidade.

Assim, fica o alerta para que as mulheres estejam atentas sobre o efeito negativo da idade sobre a fecundidade e também para que as mulheres acima de 35 anos que estão tentando engravidar não esperem mais do que seis meses de tentativa para iniciar a investigação de infertilidade.

Postado por Isabel de Almeida