Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de março 2015

Infertilidade masculina

29 de março de 2015 0

Aproximadamente 8-15% dos casais não engravidam após um ano de tentativa. O fator masculino é, sozinho, responsável por 20% dos casos de infertilidade e, quando associado a fatores femininos de infertilidade, a sua contribuição sobe para 30-40% das causas de dificuldade para engravidar.

O fator masculino de infertilidade é definido como alterações na contagem, na motilidade ou na qualidade dos espermatozoides. A avaliação da infertilidade está indicada para todos os casais que não engravidarem após 12 meses de tentativa. Investigações antes deste tempo estão indicadas quando já se sabe que algum dos dois membros do casal possui problemas de fertilidade ou após seis meses de tentativa para casais onde a mulher tenha mais de 35 anos de idade.

A avaliação masculina inicial deve incluir a história reprodutiva do homem, investigando:
   1. a frequência de relações sexuais
   2. o tempo de infertilidade
   3. doenças na infância
   4. doenças crônicas atuais ( diabete, hipertensão, etc)
   5. cirurgias prévias
   6. uso de medicamentos
   7. história de doenças sexualmente transmissíveis
   8. exposição a produtos químicos ou substâncias tóxicas

e também deve solicitar uma coleta de sêmen para avaliação.

Se a análise dos espermatozoides não for normal, este homem deverá ser encaminhado para um médico urologista ou para um especialista em reprodução masculina, que realizará o exame físico e testes complementares. Estes exames podem incluir, dependendo de cada caso, dosagens hormonais, exames de urina, ecografia de bolsa escrotal, quantificação de leucócitos no sêmen, testes de fragmentação de DNA e estudos genéticos.

Postado por Isabel de Almeida

Avaliação da reserva ovariana

22 de março de 2015 0

Os óvulos humanos têm sua formação ainda quando o bebê está dentro do útero. Após o nascimento, o número de óvulos vai diminuindo e eles não se regeneram, o que leva a um esgotamento da reserva ovariana, determinando o início da menopausa.

Embora se saiba que a fertilidade feminina declina com a idade, é muito difícil predizer o tempo reprodutivo de cada mulher. Este questionamento vem se tornando cada vez mais frequente, uma vez que tem havido uma postergação na idade da primeira gestação, o que tem deixado muitas mulheres ansiosas sobre as suas reais possibilidades de engravidar com idade mais avançada. Sabe-se que mulheres com a mesma idade têm resposta diferente à estimulação do ovário e têm diferentes potenciais reprodutivos.

Chamamos de ” reserva ovariana diminuída” a condição onde a mulher, mesmo tendo menstruações regulares, responde  mal à estimulação ovariana com medicações ou têm fecundidade reduzida. A reserva ovariana reduzida é diferente da menopausa e as suas causas não são bem conhecidas, embora existam fatores que possam acelerar o processo, como quimioterapia, radioterapia, anormalidades genéticas e fumo.

Existem uma série de testes para avaliação da reserva ovariana. Atualmente, os mais utilizados são a dosagem de FSH, o hormônio anti- mülleriano e a contagem de folículos antrais. Entretanto, há que se enfatizar que estes exames não são infalíveis e não têm o poder de dizer quando a mulher vai entrar na menopausa. Desta forma, estes testes não devem ser pedidos para todas as mulheres, mas sim para algumas que estão em tratamento em clínicas de infertilidade. Neste caso, embora estes exames não possam afirmar quem vai engravidar ou não, eles podem ajudar a aconselhar o casal sobre qual a melhor estratégia de tratamento.

Postado por Isabel de Almeida

Cigarro e infertilidade masculina

08 de março de 2015 0

Já é bem estabelecido o efeito nocivo do cigarro sobre a saúde em geral, mas também se sabe que o hábito de fumar tem ação negativa sobre a fertilidade e sobre os resultados da fertilização ” in vitro” .

No homem, o fumo pode alterar o volume de sêmen, bem como a contagem e a qualidade dos espermatozoides, além de danificar o DNA do espermatozoide, fazendo com que caiam as taxas de fertilização.

Desta forma, tem-se enfatizado que casais que pretendem engravidar devem parar de fumar. Isto irá contribuir para a melhoria da saúde em geral e para melhores resultados reprodutivos.

Postado por Isabel de Almeida

Refrigerantes e idade da primeira menstruação

01 de março de 2015 0

A idade da primeira menstruação (menarca) tem diminuído nos países ocidentais. Isto provavelmente esteja relacionado a fatores ambientais, uma vez que se sabe que meninas desnutridas menstruam mais tarde e meninas com peso aumentado menstruam mais cedo. Durante a adolescência, meninas que menstruam mais cedo apresentam a desvantagem de ter uma diferença muito grande entre sua aparência física e sua idade cronológica. Além disso, menstruar muito cedo aumenta o risco de desenvolver câncer de mama e de endométrio no futuro.

Recente trabalho realizado nos Estados Unidos acompanhou mais de 5000 meninas entre 9-14 anos, durante cinco anos, avaliando seus hábitos alimentares e, em especial, o consumo de refrigerantes com açúcar, correlacionando estes dados com a idade da primeira menstruação.

Os resultados mostraram que o consumo frequente de refrigerantes com açúcar parece estar associado com o início precoce da menarca. Estima-se que um ano de antecipação na idade da primeira menstruação aumente em 5% o risco de câncer de mama.

Os autores desse trabalho salientam que, evidentemente, existem muitos outros fatores ambientais e genéticos envolvidos na idade da primeira menstruação, mas cabe aos pais estar atentos à alimentação das crianças e adolescentes, visando prevenir o sobrepeso e a obesidade, controlando a ingesta de alimentos açucarados com baixo valor nutricional, como é o caso dos refrigerantes, e reforçando o consumo de sucos naturais sem açúcar e de água.

Postado por Isabel de Almeida