Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de março 2016

Como melhorar os resultados da fertilização "in vitro"

20 de março de 2016 0

A idade da mulher afeta o número e a qualidade dos óvulos disponíveis para a fertilização “in vitro” (FIV). Também no homem, a idade altera a qualidade dos espermatozoides, o que pode diminuir os resultados na reprodução assistida. Considerando que a idade não é um fator que se possa mudar, o que é possível sugerir para que os casais que estão iniciando ciclos de fertilização ” in vitro” possam melhorar seus resultados:

1. Redução do peso: todas as mulheres obesas, especialmente as que apresentam IMC (índice de massa corporal) > 35kg/m2, devem ser estimuladas a perder peso antes de iniciar a FIV, especialmente aquelas que tiverem menos de 38 anos.

2. Cigarro: mulheres fumantes reduzem suas taxas de gestação com FIV à metade e aumentam em 25% suas chances de abortamento. Também homens fumantes reduzem o sucesso das técnicas de reprodução assistida. Um período sem fumo de 3-6 meses antes de iniciar os tratamentos é recomendável.

3. Álcool: reduz as taxas de sucesso da FIV e aumenta as taxas de abortamento. O casal deve ser orientado a se abster de álcool antes e durante os ciclos de FIV.

4. Cafeína: os dados são controversos, mas atualmente a orientação é de a mulher limitar o uso da cafeína nos ciclos de FIV.

5. Alimentação: estudos mostram que o consumo de alimentos cozidos em altas temperaturas (churrasco, grelhados) pode ser nocivo para o processo reprodutivo. Desta forma, sugere-se o consumo de alimentos cozidos, bem como uma dieta com pouca carne vermelha e mais rica em peixes, frutas e verduras.

6. Bisfenol A: mulheres que apresentam altos índices circulantes de bisfenol A têm piores resultados na FIV. Recomenda- se evitar o contato frequente com as principais fontes de bisfenol que são as embalagens plásticas, alimentos enlatados e recibos de cartão de crédito.

7. Exercício: o exercício moderado para o casal melhora as qualidades dos gametas e os resultados da FIV. Por outro lado, exercício vigoroso para as mulheres está associado com piores resultados na fertilização. Em homens, mais de cinco horas de ciclismo/ semana reduzem a qualidade do sêmen, mais pelo aquecimento da zona testicular do que pela atividade física em si.

8. Antioxidantes e suplementos vitamínicos: uma dieta rica em antioxidantes, como a dieta mediterrânea, é sugerida. Chocolate amargo, romã, chá verde, mirtilo, vegetais, frutas, especiarias como cominho, gengibre e orégano também são fontes. Numerosos suplementos antioxidantes estão disponíveis, sendo que a vitamina C é a mais conhecida. O uso de outros suplementos, como ômega-3 e ácido fólico, também deve ser discutido com o médico assistente.

9. Stress: para a mulher, o stress da infertilidade pode ser comparável a ter um diagnóstico de câncer. Vários estudos têm correlacionado o impacto negativo da ansiedade, da depressão e da irritabilidade com o sucesso das técnicas de FIV. Por outro lado, intervenções psicológicas têm mostrado resultados positivos nas taxas de gestação, como técnicas de relaxamento e estratégias para manejar o stress utilizando técnicas individuais, para casais ou em grupos.

Concluindo, acima foram descritas algumas medidas que podem ser adotadas para aumentar a chance de gestação em casais inférteis que estão realizando FIV. Para os homens, o uso de ômega-3 e antioxidantes está indicado em alguns casos. Para as mulheres, redução do stress e da resposta do corpo ao stress, bem como exercício e perda de peso em mulheres obesas também são medidas importantes. Para o casal, é recomendável evitar o consumo de álcool, parar de fumar pelo menos 3-6 meses antes de iniciar o ciclo de FIV, bem como adotar uma dieta saudável e a prática de exercícios físicos moderados.
Devido à associação do stress oxidativo com idade, obesidade, má qualidade do sêmen, dos óvulos e dos embriões, aumentar a ingesta de antioxidantes é uma boa medida para os casais inférteis, especialmente aqueles acima dos 40 anos.
Recentemente, alguns trabalhos em animais demonstraram que o uso da coenzima Q10 pode melhorar as taxas de embriões viáveis na FIV, mas ainda mais estudos são necessários para adotar esta medicação para as mulheres que irão à FIV.

Postado por Isabel de Almeida

Congelamento de óvulos

13 de março de 2016 0

O congelamento de óvulos tem se mostrado uma técnica eficiente para preservação da fertilidade. Em um primeiro momento, as mulheres com câncer que iriam se submeter a tratamentos como quimioterapia ou radioterapia, os quais poderiam levar à infertilidade no futuro, foram as primeiras a usarem esta técnica. Após, mulheres que desejam postergar a maternidade, mas que sabem que sua reserva ovariana irá diminuir ao longo do tempo, também começaram a buscar informações acerca deste procedimento.

Nos últimos anos, a procura por técnicas de reprodução assistida tem aumentado entre mulheres com mais de 40 anos. Entretanto, há que se registrar que a idade ideal para congelamento de óvulos é até 35 anos, embora se observe que a idade média de primeira consulta para discutir este assunto esteja ao redor dos 37 anos. Este dado é importante para não gerar falsas expectativas nas pacientes, uma vez que se sabe que as taxas de sucesso da fertilização ” in vitro” caem a partir dos 35 anos e, mais acentuadamente, após os 40 anos. De acordo com o Registro Europeu de Reprodução Assisitida, as taxas de gestação para mulheres entre35-39 anos são de 27% e de 14% para o grupo acima de 40 anos. Desta forma, quanto mais tarde os óvulos forem congelados, menores serão as taxas de sucesso quando forem utilizados anos mais tarde.

Concluindo, o congelamento de óvulos com o objetivo de postergar a maternidade é uma técnica com muito bons resultados, mas não é uma garantia de sucesso absoluto em termos de gestação. É importante que este assunto comece a ser tratado mais cedo, para que as mulheres optem por este procedimento quando têm uma reserva ovariana maior e com qualidade melhor, o que irá se refletir nos resultados de gestação no futuro.

Postado por Isabel de Almeida