Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts de novembro 2012

Viajando e bengalando por aí...

11 de novembro de 2012 4

Galera!

Tá difícil conseguir parar um tempo pra escrever aqui com maior frequência, mas vamos lá…

No mês de setembro estive em São Paulo, não conhecia lá, fiquei três dias, conheci muito pouco, mas gostei muito do que conheci, baita cidade que quero voltar logo, com mais tempo, para conhecer melhor.

A Francine não foi, fui eu e uma amiga, colega de faculdade, pois fomos especificamente para um evento. Desde que uso a bengala para me auxiliar no deslocamento, foi a primeira viagem que fiz sem alguém da família junto – logo São Paulo, nada menos do que a maior cidade do país – eu não sou muito certo mesmo :)

Então, tive várias experiências sociais indo e vindo pelas ruas de Sampa com a bengala, as pessoas naquela cidade estão sempre correndo, isso é claro, não é novidade para ninguém, mas a minha experiência é de uma pessoa com baixa visão conhecendo um lugar “mega” movimentado e populoso. Uma das coisas que mais me chamou a atenção no meio dessa correria, é que as pessoas se mostram muito individualistas, quase todos os espaços públicos recebem multidões para todos os lados e, se você está ali por algum motivo, cuide-se, siga a maioria ou será “atropelado”. Ainda bem que logo me dei conta disso e peguei o ritmo da cidade, deu tudo certo!

A minha referência de grande cidade era o Rio de Janeiro, mas SP é completamente diferente e maior, no Rio, o astral das pessoas é outro, elas param para te auxiliar em alguma coisa, para te perguntar se precisa de algo, etc. Não vi isso em SP, e isso não é uma crítica às pessoas de lá, de forma alguma, pois conheço pessoas maravilhosas que são de lá ou que moram lá, isso é só uma constatação mesmo…

No Rio, por exemplo, eu estou acostumado a chegar no metrô e, antes de qualquer coisa, já aparece algum funcionário chamando para liberar o acesso gratuito, para mim e para a acompanhante. Sempre achei isso legal, porque, sendo turista, não vou, obviamente, ter o cartão de passe livre local, certo!? Gosto desse bom senso, tipo, a isenção é para pessoas com deficiência e não somente para pessoas com deficiência com cartão ou apenas para pessoas com deficiência que sejam moradores do local.

Em SP, no primeiro dia, ao chegar no metrô, não “apareceram” funcionários para me atender, fui à bilheteria e perguntei se eu tinha de pagar a passagem ou se havia isenção para pessoas com deficiência, a resposta foi uma pergunta: “tem cartão de isenção?”, eu disse que não tinha, porque não era de SP, me responderam de maneira ríspida: “O que dá a isenção é o cartão!”. Ok! Isso eu sei, para quem mora lá, o que dá a isenção é o cartão, como eu não o tenho, fiz a pergunta, porque alguém com o cartão iria fazer essa pergunta não é mesmo??? Mas essa falta de qualidade no atendimento não é exclusividade de SP, semana passada tive de ir a Canoas e, como não uso habitualmente o metrô, fiz a mesma pergunta que fiz em SP, e a resposta… também foi a mesma! Ok! Só tenho o cartão de isenção nos ônibus aqui de Porto Alegre, mas do metrô não, mas perguntar não ofende e atender bem não custa nada…

Bem, falando mais um pouco sobre a viagem pra SP, o despreparo em aeroportos e aviões é enorme, a acessibilidade é escassa, mas se não ocuparmos esses espaços, as coisas não vão mudar! Lá em SP, mais especificamente no evento, a receptividade foi muito boa, as pessoas que trabalharam no evento estavam bem preparadas, havia banheiros adaptados, a acessibilidade chegou lá com bastante expressividade, ainda não é o ideal, mas as coisas estão acontecendo. Enfim, foi uma viagem muito boa, novos contatos e oportunidades, sempre prestando muita atenção em como as pessoas se relacionam com a deficiência e com a acessibilidade.

P.S.: O tamanho desse texto se explica, um pouco, pelo tempo que fico sem escrever aqui.

Um abraço a todos!