Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "ecodesign"

Eco-bag pautada, para escrever sua lista de compras

27 de janeiro de 2012 1



Daqui há alguns anos, ou meses talvez, teremos que nos acostumar com as “ecobags”. Prova disso, é o constante debate a favor da abolição das famosas sacolas plásticas. Estimativas do Ministério do Meio Ambiente apontam que são consumidas 33 milhões delas por dia e 12 bilhões por ano, isso só no Brasil.


A cidade de São Paulo decretou lei, que vai entrar em vigor já na próxima semana, onde estabelecimentos serão proibidos de distribuí-las ao consumidor. Sendo assim, dar sacolas retornáveis de brinde se tornou e vai se tornar uma prática quase comum das marcas que querem se associar à sustentabilidade.


Para tanto, a marca Tide lançou uma iniciativa interessante em Dubai. Criada pela agência Leo Burnett Dubai, a “Tide Smart Bag” une a sacola retornável a uma necessidade de todos que vão fazer compras: a lista. Você pode escrever sua lista de compras na própria sacola e levar para o mercado. Depois de usar, é só lavar! Uma ideia simples, mas que caiu no gosto de toda a população e gerou mídia espontânea em todo o mundo. Saindo do belo e memorável discurso de sustentabilidade para a prática. Confira:




PROBLEMAS AMBIENTAIS DAS SACOLAS PLÁSTICAS

Segundo a Ambiente Brasil, com dados da Folha.com: “Em terra, as sacolas plásticas são um grande problema. Depois de usadas, elas são simplesmente jogadas fora e depois, distribuídas pelo vento. Frequentemente aparecem espalhadas pelas praias, parques e também no meio das cidades. O problema no mar, no entanto, é mais grave. Além do grande tapete de lixo formado por plástico descartado, também há uma grande quantidade de pequenas partículas plásticas. Segundo o comissário europeu, atualmente cerca de 250 bilhões de partículas plásticas boiam atualmente apenas sobre o Mediterrâneo. A decomposição desses pedacinhos pode durar até cem anos.


“Estas pequenas partículas de plástico nos preocupam especialmente porque nestes trechos do oceano a concentração deste material acaba sendo maior do que a de plânctons. Os peixes comem estas partículas e ficam com o estômago mais cheio de plástico do que de plâncton. E aí está o perigo de morrerem de inanição com o estômago cheio”, explica Wefers.


A situação também é complicada para pássaros marinhos. Alguns correm o risco de se enroscarem no material e, com isso, ficarem sufocados. Outros acabam ingerindo as partículas automaticamente ao comerem os peixes que já têm plástico em seu organismo. Além da poluição na terra e no mar, sacolas plásticas têm outra grande desvantagem. “Elas são produzidas a partir de petróleo, uma matéria-prima que daqui a um tempo pode não mais existir. Quanto menos usarmos as sacolas, mais vamos ajudar a poupar este recurso”, explica Haufe.”

Painéis solares transformam guarda-sol em carregador

28 de dezembro de 2011 1



Muito interessante o projeto desenvolvido por um trio de designers de produto: José Vicente, de Lisboa, André Castro e Elizabeth Remelgado, ambos de Montreal. Útil para quem usa os eletrônicos para se manter informado ou simplesmente deseja se manter conectado enquanto aproveita o sol em um sítio, clube, resort ou praia, mas é ainda mais útil se estiver embarcado, por exemplo.


O guarda-sol intitulado Solaris é formado por painéis solares fotovoltaicos que permitem recarregar qualquer equipamento eletrônico com energia solar. As “pás” são retráteis e podem ser armazenados facilmente. As tomadas elétricas ficam na base do equipamento e carregam computadores, celulares e outros dispositivos eletrônicos.




O objetivo do grupo era facilitar a vida das pessoas ao incentivar o trabalho em casa, reduzindo as emissões de CO2, criando um novo ambiente de trabalho e lazer e ainda utilizando o sistema de painéis solares para recarregar laptops, celulares e outros eletrônicos de uso básico no dia a dia. Tomara que a moda pegue!


Fonte: Greenstyle, Ciclo Vivo

Cesto de lixo que dispensa sacos

16 de agosto de 2011 0


Uma ideia de reutilização é esta bela criação dos designers Riccardo Nannini, Domenico Orefice e Emanuele Pizzolorusso. Se trata do cesto de lixo chamado “Fabriano” – que mais se parece com aqueles papéis de brigadeiro – e  possui 40 camadas de sacolas de papel descartáveis que podem ser usadas no lugar dos sacos. O bacana é que este papel também é material reciclado e o usuário pode comprar apenas os refis – deixando de lado as famigeradas sacolas plásticas. Confiram nas imagens:


Fonte: Design on the Rocks

Designers ou tratadores de abelhas?

18 de abril de 2011 0



Um documentário surpreendente segue entre os prédios de Hong Kong. A HK Honey é uma organização de apicultores, artistas e designers cujo objetivo é comunicar o valor das abelhas na cadeia alimentar humana e os benefícios do mel produzido localmente. Michael Leung, fundador e diretor criativo da organização, tenta trazer a natureza de volta para esta metrópole de 7 milhões de pessoas. As criações se fazem no topo de alguns dos milhares de edifícios que ali brotam, e do próprio estúdio de design, que criou uma doce linha de produtos com uma imagem minimalista que vai do frasco de mel a velas decorativas – tudo feito por processos manuais. Vale a pena conferir o vídeo, que mostra também a técnica de relaxamento que é necessária para a prática de apicultura em Hong Kong, sem fato nem máscara, exigindo a verdadeira paciência de chinês.



Fonte: Blckdmnds, Zupi.

ICSID apresenta: World Design Impact Prize

11 de abril de 2011 0



O Conselho Internacional de Sociedades de Design Industrial (International Council of Societies of Industrial Design – ICSID), parceiro da International Design Alliance (IDA), está lançando um projeto inovador criado para reconhecer, enaltecer e estimular projetos de design socialmente responsáveis por todo o mundo.


Em outubro deste ano, na Assembléia Geral do ICSID em Taiwan, o Conselho vai premiar pela primeira vez um projeto de design industrial que tenha um impacto positivo na qualidade de vida social, econômica, cultural e/ou ambiental com o “World Design Impact Prize”. Os candidatos serão nomeados somente por indicação de membros do ICSID, e podem ser provenientes de qualquer tipo de instituição, de qualquer parte do mundo. A partir do dia 29 de junho – dia mundial do design industrial – todos os projetos estarão disponíveis no site www.icsid.org para votação aberta ao público. O processo teve início dia 22 de fevereiro, com a chamada para que os membros do ICSID indiquem os candidatos até o dia 10 de maio. A votação popular termina dia 30 de agosto, e o primeiro World Design Impact Prize será entregue durante o Congresso da IDA 2011 e Assembléia Geral do ICSID, no dia 27 de outubro.


Fonte: Rede Design Brasil por Clarissa Hellena Rocha

Sacolão ecológico estimula a reutilização

04 de abril de 2011 0



Never Wasted - Happy Creative Services




A cada dia as iniciativas de projetos ecológico vem crescendo, a Lee necessitava de uma solução inovadora que passasse esta mensagem para seus consumidores. Para levar a mensagem de forma efetiva a agência procurou algo que fosse um pouco mais inovador do que apenas uma sacola feita de papel reciclado. Foi assim que surgiu a ‘Never Wasted’, uma sacola pra nunca ser jogada fora – suas partes destacáveis podem virar calendário, caixa, régua, marcador de página, etiquetas e até um jogo de tabuleiro com dados. A criaçao é da agênciade Bangalore na Índia.




Never Wasted - Happy Creative Services



Os criadores queriam desenvolver uma embalagem que seria capaz de cumprir várias tarefas. Eles disseram ‘não’ aos métodos tradicionais de reutilização de embalagens de papel e reciclagem, e decidiram criar vários componentes que podem ser “extraídos” da bolsa.




Never Wasted - Happy Creative Services



A iniciativa deu tão certo que a marca decidiu fazer mais 10 mil bolsas, além das 3000 produzidas no início da campanha.Embora, esta nova embalagem não resolva o problema de enviar o papel utilizado para os aterros, ele envia uma mensagem que encoraja os consumidores a verem coisas antigas com novos olhos. Ainda assim, talvez, seria melhor se apenas a Lee oferecesse bolsas mais duráveis.

Cadeiras com visual da pré-escola ganham prêmio de design em Londres

08 de setembro de 2010 0

nn

Feitas com madeira eco-friendly, provenientes do bambu e com detlahes em aço, o projeto de Alex Whitney ganhou o prêmio de inovação no Festival de Design de Londres 2010.

O visual é clássico e lembra as tradicionais cadeiras enfileiradas na pré-escola. E apesar da singeleza do produto, o designer ganhou na categoria como novidade por ter a ousadia de utilizar o bambu na confecção das cadeiras.  Entre no
site e saiba mais sobre o projeto.

nn

Fonte: Pensando Verde

Bicicleta elétrica inovadora - Ecodesign

22 de junho de 2010 0

Enquanto alguns acreditam que um pouco mais de calor não fará diferença, muitos já decidiram “arregaçar as mangas” e tomar uma atitude. As indústrias passaram a mostrar sua preocupação começando a oferecer produtos que sejam sustentáveis. E esta lista não é pequena: carros elétricos, edifícios com “selo verde” (por terem sido construídos com base em critérios que visam da economia de energia a qualidade ambiental interna), maior uso de materiais reciclados, calefação por meio de painéis solares e por aí vai

Ralf Kittman entrou na onda da vez de criar produtos sustentáveis e teve seu esforço reconhecido no IF Design Awards, premiação do International Forum Design, ao ganhar um prêmio pelo seu conceito de bicicleta elétrica, a HMK 561.

A bicicleta é construída de fibra de carbono condutora, ou seja, além de ótimo condutor de eletricidade, funciona como um condensador capaz de armazenar energia. No protótipo de Kittman, a energia do quadro de fibra de carbono consegue transmitir força fazendo funcionar as luzes e o motor. A HMK 561 também tem um mecanismo que vira as rodas usando um contra-eixo, assim, dispensando marchas e correntes. Essa energia é obtida por meio da conversão de energia mecânica em elétrica. Um jeito fácil de locomoção sem comprometer o meio ambiente.

Fonte: Obvius.com

Lata de Coca-Cola sem cor (ecodesign)

20 de junho de 2010 1

Bonito e elegante esse design prata dessa latinha de coca-cola. Porém, a intenção não é enxergá-la como uma lata prata e sim como “sem cor”, ou seja sem as tradicionais cores da Coca-Cola, vermelho, preto e branco.

De acordo com o criador, o designer industrial Koreano Harc Lee, a ideia era fazer uma latinha que não agredisse o meio ambiente. E parece que ele conseguiu, portanto, criar uma lata de coca-cola ecologicamente correta (ecodesign), pois além da tinta ser tóxica reciclar essa embalagem de coca-cola gasta menos energia que gastaria com o processo de separação da cor.

Fonte: coca-coladesignnews