Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Entrevista

05 de maio de 2014 0

Fabi Loos: artista e arteira de primeira

Foto Ton Antony

Foto Ton Antony

Já na chegada ao edifício de Fabiana Langaro Loos, em Balneário Camboriú, percebe-se nas paredes do hall de entrada os traços e abstrações da artista. Adentrar seu apartamento poderia ser definido como um mergulho na arte, entre obras de diferentes épocas e cores, decorativas e sentimentais. Tive a oportunidade de entrevistar Fabiana ainda em 2008, quando eu finalizava meu projeto de conclusão de curso em Jornalismo. De lá para cá muita coisa mudou em sua vida. Ela não hesita em dizer que evoluiu tecnicamente como artista, mas inspiração continua sendo um exercício diário.

Fabiana é natural de Blumenau, mas passou a maior parte da infância e adolescência dividida entre Itajaí e Balneário Camboriú. Ainda criança estudou artes, música, balé e vivia a colorir suas roupas. No báu de memórias, ela guarda com carinho as saudades da época que tomava o ônibus para ir ao colégio. Recorda que o motorista animava os estudantes ao som de uma fita K7 em alto e bom som. Mais tarde se formou em Direito e cursou dois anos de Arquitetura, época em que aprimorou o desenho e se aproximou da pintura. Em 1995, estreou de maneira autodidata como artista profissional através de uma mostra em Brusque. No ano seguinte, participou do 1ºSalão de Artes de Itajaí e desde então sua carreira deslanchou.

Foto Rafaela Martins/Agência RBS

Foto Rafaela Martins/Agência RBS

De Santa Catarina a Lisboa, com uma parada na Galeria Malli Villas-Bôas, em São Paulo, a obra de Fabiana encontra portas abertas por onde passa. Adepta do abstracionismo geométrico e informal, ela explica que não há receita para a evolução nas artes: “o artista já vem com este olhar, mas quanto mais você trabalha maior se torna sua inspiração”. Todas as tardes Fabiana se dedica à experimentação de criar novos esboços, que  de forma braçal viram traços e ganham forma, textura e cor. Ela se inspira em Picasso, Miró e Rothko, mas se alegra ao dizer que seus quadros já criaram linguagem e identidade própria.

Quando o assunto é a vida pessoal, as histórias são tão peculiares quanto a arte. Casada há 17 anos com Klaus Peter Loos, de Brusque, ela revela particularidades sobre o relacionamento que já soma 22 anos. “Nos aceitamos com nossos defeitos e isto já denota uma prova de amor. Durante todo o namoro nos víamos apenas aos fins de semana e ainda hoje temos liberdade para sair de casa sozinhos. Claro que as afinidades são importantes. Eu não conseguiria, por exemplo, estar casada com alguém que ouve sertanejo”, finaliza.

Foto Rafaela Martins/Agência RBS

Foto Rafaela Martins/Agência RBS

Uma das grandes afinidades entre Fabiana e Klaus é o gosto por gêneros musicais como o rock , punk rock e heavy metal. Idealizadora dos projetos Natal e Coelho Metálico, Fabi foi a responsável por trazer bandas como Angra, Primol Fear e os alemães do Torture Squad para a região. O primeiro projeto ocorre desde o ano 2000 e ambos têm um caráter beneficente, com arrecadação de livros, brinquedos e alimentos para instituições de caridade. Prestes a estrear a exposição De Flor Em Flor no Balneário Shopping, ela vive um momento de amadurecimento e plenitude. Antecipa que a nova mostra falará de sentimentos, encontros e vivências e de tudo que pode ocorrer em um intervalo de flor em flor.

 …

RAPIDINHAS 

 …

Idade: a que aparento ter

Arte: uma necessidade

Um cheiro: de lençol limpo, de lápis de cor e de livros

Um hobby: Faço academia e pratico pilates. Corro todo dia para ser feliz

Um ídolo: Ozzy Osbourne

Uma curiosidade: meu sobrenome Langaro deu origem à cidade Vila Langaro, no Rio Grande do Sul

Um sonho: ver meu trabalho crescer e se difundir entre as pessoas

Um dia triste: a perda da minha mãe, que foi a primeira pessoa a me incentivar às artes

Um arrependimento: tudo o que fazemos tem um propósito. É preciso analisar e fazer bom proveito das situações

O que me faz ganhar o dia: conseguir manter uma rotina leve

O que me deixa de mau humor: falta de educação

Ideal de vida: viver com simplicidade e respeito

Envie seu Comentário