Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Entrevista

19 de maio de 2014 0

No palco da vida com Ricardo Bonfhá e Gustavo Valente

Fotos Rafaela Martins/Agência RBS

Fotos Rafaela Martins/Agência RBS 

Ricardo Bonfhá e Gustavo Valente respiram artes cênicas. Sócios na Cia Teatral 3 Em Athos, que completa quatro anos em agosto, os dois estrearam nesta sexta-feira a peça A Noite de Charles, terceira produção da companhia. O espetáculo é baseado na obra do famoso autor inglês Charles Dickens e teve apresentações gratuitas também neste sábado e domingo no Teatro Municipal Bruno Nitz, em Balneário Camboriú. O texto foi escolhido devido à força de sua mensagem, que expressa a transformação do ser humano. A dupla faz o convite para as próximas apresentações da temporada e garante que o espetáculo vai mexer com o público.

Ricardo é um gaúcho radicado em Santa Catarina. Aos 11 anos deixou Santa Maria e se mudou para Balneário Camboriú, que era um sonho antigo de seu pai. Em 1998, o jovem Ricardo alçou voo e foi ter sua primeira experiência com a arte carioca. Ficou um ano no Rio de Janeiro e regressou ao litoral catarinense, assustado com o ritmo intenso da cidade. Em 2001, voltou à cidade maravilhosa e desta vez permaneceu por dois anos, estudando teatro e gravando o álbum Anjo Perdido. Sim, além de ator, Ricardo também se dedica à música.

De volta a Balneário Camboriú, passa a apresentar programas voltados para o cinema em canais de televisão locais. Em 2010, decide fundar a Cia Teatral 3 Em Athos, na tentativa de divulgar os talentos regionais e ampliar o movimento teatral. “Eu até agora não vi nenhum catarinense na área teatral com expressão nacional. Está faltando uma janela de expressão para o Brasil”, observa Ricardo. A primeira peça da companhia foi Pedro e Domitila. A segunda foi A Dama de Copas e o Rei de Cuba, encenada em várias cidades de Estado. A ideia com A Noite de Charles é viajar o país. Recentemente o espetáculo conquistou o teto máximo da Lei de Incentivo à Cultura de Balneário Camboriú.  

.

.

No caso de Gustavo, que é natural de Lages,o teatro surge aos 10 anos, quando começa a se aproximar dos palcos através de cursos no SESC. Hoje é bacharel em artes cênicas e arte-educador, além de sócio e co-produtor da 3 Em Athos. Paralelamente à dramaturgia, também se dedica na mesma intensidade à arte do visagismo. No caso dos espetáculos da companhia, é ele quem coordena a caracterização dos personagens.

Além do trabalho em sociedade, Gustavo e Ricardo são protagonistas de um romance há seis anos. E não escondem a alegria: “inicialmente temíamos trabalhar lado a lado, mas hoje temos o privilégio de viver este casamento artístico”. E se depender dois dois, as artes estarão bem representadas no litoral: “a gente tem que defender a cultura local. Santo de casa faz milagre sim e às vezes mais até que os conhecidos nacionalmente.” Hoje seis atores compõem a 3 em Athos e a ideia é que o elenco convidado sinta-se à vontade para ficar. O recado de todos integrantes é um só: “vá ao teatro”.

Envie seu Comentário