Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Social do fim de semana

07 de setembro de 2013 0

Fernanda Frigeri Horn Bigarella - Daliana Mattana
Crédito das fotos de Fernanda: Daliana Mattana, divulgação.

Mais Verde
Talvez você ainda não conheça a arquiteta e urbanista caxiense Fernanda Frigeri Horn Bigarella, porém suas muitas obras na paisagem ecológica de Caxias do Sul dispensam apresentações. A dedicada libriana trabalha desde 2005 na Secretaria do Meio Ambiente e já desenvolveu o panorama de muitos cenários da cidade com a criação de praças, parques e outros espaços transformados pela vegetação urbana – ela assinou os projetos de revitalização dos Parques Municipais Mato Sartori e Demétrio Monteiro da Silva, mais conhecido como Parque da Lagoa do Rizzo, por exemplo. Preocupada com a qualidade de vida do caxiense, Fernanda desenvolve um minucioso e essencial trabalho de engenharia ambiental e sonha com projetos mais ousados, como a distinção de áreas da cidade por árvores e flores de cores diferentes.

No passado, enquanto estudava Arquitetura e Urbanismo pela UniRitter, a esposa de Rual Bigarella e mãe de Bernando e das gêmeas Maria Eugenia e Catharina também cursou vários anos da graduação de Belas Artes da UCS, o que a imbuiu de uma sensibilidade artística que ainda lhe empresta inspiração para projetar uma nova e mais significativa arborização urbana para o município – motivada também pelo Secretário do Meio Ambiente Adivandro Rech e o Prefeito Alceu Barbosa Velho.

Apaixonada pelos jardins ingleses, Fernanda no entanto revela que ninguém supera os franceses em suas paisagens urbanas. No Brasil, ela destaca a administração pública de Jaime Lerner em Curitiba como exemplo de desenvolvimento na criação de parques, vegetação e mobilidade urbana, além de apontar a cidade de Maringá, também no Paraná, como a mais bonita em arborização. Qualidades que ela continua a importar para inserir Caxias do Sul no mapa das mais sustentáveis e exuberantes áreas verdes do país. A coluna apresenta na íntegra o papo com Fernanda a seguir, onde ela também discorre sobre a relação de arquitetura com a arte e a memória e apresenta seus mestres.

 

Fernanda Frigeri Horn Bigarella - Daliana Mattana2

Como define seu trabalho?
Vejo a arquitetura como a arte de projetar espaços organizados e criativos, para abrigar os diferentes tipos de atividades humanas, sempre respeitando imposições e hábitos do meio. A arquitetura necessita, fundamentalmente, da intenção plástica, de sensibilidade artística, o que a distingue da simples construção.

Qual a importância da arquitetura como fator de identidade de um povo, de uma cidade?
A identidade cultural e a memória de um povo são reforçadas mutuamente. Conhecemos as nossas raízes, distinguimos o que nos une e o que nos divide. A arquitetura contribui como fator desta identificação humana, que se traduz na marca ou no sinal de sua cultura. “Reconhe-SER” é também pertencer – a algum lugar, a um grupo, seja família, amigos ou povo. Daí ser a arquitetura um forte agente de identificação pessoal e social. Esta identidade cultural, em diferentes níveis, alicerça a consciência do povo.

Quais são seus mestres e ícones da arquitetura?
Primeiramente, não posso deixar de mencionar Oscar Niemeyer, afinal, trata-se do arquiteto que conseguiu incluir a arquitetura brasileira no mapa mundial. Todavia, tenho uma predileção especial por Antoni Gaudí, pelo seu estilo orgânico próprio inspirado na natureza, na busca de renovação, sem romper com a tradição; sobretudo por ser um dos precursores da reciclagem, que juntamente com a produção artesanal tornou sua arquitetura única. Assim, como em contraponto, Richard Meier se tornou o arquiteto da transparência, do branco e do módulo com estilo contemporâneo de formas ousadas, refletido no seu conceito moderno.

Um projeto arquitetônico que salvaria para sempre?
A casa da cascata de Frank Lloyd Wright, que influenciou a maioria dos grandes arquitetos do nosso tempo.

Como descreve seu trabalho atual com a área do meio ambiente em Caxias do Sul?
Como arquiteta urbanista, estou muito feliz pelo Secretário Adivandro Rech ter me oportunizado trabalhar nesta ideia de cidade sustentável, transformando-a numa cidade mais verde. O serviço público é o lugar onde se consegue trabalhar com urbanismo na mais ampla concepção da palavra, e o governo de Alceu Barbosa Velho está empenhado em fazer mudanças positivas. Com isso, eleva-se a autoestima da população.

E quanto ao projeto verde em que trabalha, o que pode revelar sobre ele?
Há muito, Caxias está precisando de um Plano de Meio Ambiente visto por meio de um projeto de arborização urbana, que busque a transformação da cidade, de modo a qualificar a vida das pessoas, utilizando-se do verde como meio. Sabe-se hoje que espaços verdes deixam as pessoas mais felizes, e é o indivíduo a maior preocupação desta Administração. A ideia é criar corredores de vegetação interligando áreas verdes, seja por intermédio de parques, bordas de cursos d´águas ou mesmo por pequenas praças onde as pessoas poderão ter acesso a um lugar tranquilo, muito próximo de suas casas, envolvendo-as com o espaço em que vivem, oferecendo-lhes um sentido de propriedade. Nos passeios públicos a intenção é conseguir com que a vegetação caracterize os bairros com as cores das suas florações, fortalecendo ainda mais a sensação de comunidade. Será necessária a observação de todas as condicionantes existentes, tais como calçadas, fiação, canalização subterrânea, equipamentos urbanos, aspectos climáticos, enfim, será um trabalho que levará certo tempo até que todas as informações sejam cruzadas, mas, sem sombra de dúvidas, trará qualidade de vida à população caxiense.

 

ESTILEIRA CLUBBER

Fernanda de Oliveira Castilhos - Cristiano de OliveiraA acadêmica de Medicina Fernanda de Oliveira Castilhos apostou numa composição Black & White clássica, adornada por acessórios metalizados, e encantou tanto pelo estilo quanto pelo notório carisma. Foto: Cristiano de Oliveira, divulgação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Paula Corso - Cristiano de OliveiraPaula Corso foi para a balada também num modelo em preto e branco com saia de paetê e camiseta, que imprimiu um conceito casual ao look em harmonia equilibrada com a saia estampada com a técnica animal print, que volta à cena com força modernizada e conceitual. Foto: Cristiano de Oliveira, divulgação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alessandra Bossardi - Cristiano de OliveiraAlessandra Bossardi arrasou no quesito elegância e jovialidade em look neutro, mas glamoroso e equilibrado na baladinha Hip Hop Deluxe. A saia de paetê e a camisa com pedrarias em tons nude e terrosos foram complementadas por anéis e o bracelete must have da estação. Foto: Cristiano de Oliveira, divulgação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Alessandra Bossardi - Cristiano de Oliveira1

Os headcuffs, inspirados em super-heroínas, também podem ser usados nos dois pulsos. Foto: Cristiano de Oliveira, divulgação.

Bookmark and Share

Envie seu Comentário