Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 28 fevereiro 2015

Social do fim de semana

28 de fevereiro de 2015 0

Edson Pereira - Patrícia Maciel de Vargas

Revelação

Espontaneidade, sensibilidade e percepção aguçada, somadas a um perfeccionismo nato, são características infalíveis e indissociáveis do fotógrafo Edson Pereira, que acompanham seu fazer artístico e reverberam em suas belas imagens. Inspirado pelas artes plásticas e na naturalidade da fotojornalismo, o montenegrino radicado em Caxias do Sul busca na desconstrução de regras e conceitos estéticos primários a criação de imagens irretocáveis.

Com a pintura, passei a perceber a luz, os contrastes e a criar composições. Depois de algum tempo, já observava tudo ao meu redor com outro olhar!”, revela Edson, que complementou suas primeiras inspirações com a graduação em Jornalismo, a partir da qual conquistou seu registro como repórter fotográfico. Entre um período como funcionário do Pioneiro e a notoriedade como fotógrafo de eventos sociais, ele adquiriu conhecimentos suficientes para perceber em um clique que sua vocação profissional era também uma de suas grandes paixões.

Para refletir sobre seu futuro como fotógrafo, Edson fez um retiro em Havana, onde deixou para trás tudo o que havia conquistado para se dedicar exclusivamente à sua arte. Apaixonado pela cultura cubana, foi aluno dedicado da Escuela Internacional de Cine y TV de San Antonio de los Baños, época em que capturou imagens que mais tarde compuseram sua mostra fotográfica Las Calles de Havana, que ganhou evidência em 2011. “Durante um mês caminhei pelas ruas de Havana fotografando a cultura do povo, costumes e arquitetura. Quando voltei para o Brasil e olhei as fotos, percebi que havia captado a essência do que vivenciei”, confessa o inquieto virginiano.

Quando está longe dos holofotes, armados por ele mesmo para registrar os outros, Edson só quer saber de bajular a esposa, Patrícia Maciel de Vargas, e contar os dias para fazer a primeira foto da filha do casal, Valentina, que nasce em março. No blog da coluna, o fotógrafo conta mais sobre as cores que compõem seus dias e apresenta algumas de suas imagens preferidas. Confira!

Fotos | Patrícia Maciel de Vargas, divulgação

 

Edson Pereira - Patrícia Maciel de Vargas

Quando e porque escolheu ser fotógrafo?
A fotografia surgiu na minha vida aos poucos. Algumas vezes me pediam há quanto tempo eu fotografava e não tinha uma resposta na ponta da língua. Um dia separei algumas máquinas que havia guardado e foi aí que percebi que esta paixão era muito mais antiga do que imaginava. Eu me identifico fotografando pessoas.

E quais foram seus primeiros trabalhos, que lhe garantiram projeção e visibilidade?
Comecei a ficar conhecido com fotos que fazia a noite, em um lugar muito badalado da cidade e frequentado por pessoas da sociedade. A visibilidade aconteceu por vários motivos, mas um deles chamou a atenção. Fazer uma foto posada é fácil, mas conseguir fotos espontâneas e agradar principalmente as mulheres é outro. Quem me deu a dica de ouro foi a Patrícia, minha esposa. Ela disse: “Por que você não pega os detalhes de sapatos, bolsas, brincos, mãos?” Eu entendi a mensagem e deu certo. Compreender as mulheres é fator fundamental. Elas passam o dia fazendo cabelo, maquiagem, comprando sapatos, vestidos e bolsas para sair à noite e o meu papel naquele momento era valorizar a figura feminina.

Mas nessa época você já desenvolvia trabalhos em badalados eventos sociais, certo?
Sim. Outras conquistas vieram com convites para fotografar nas melhores festas de final de ano em Punta del Este, no Uruguai. Fazia por ano uma média de uns seis eventos, três ou quarto dos irmãos Garayalde e os outros para festas de cariocas e paulistas, todas elas muito elegantes, em lugares fantásticos, inimagináveis, regadas a Veuve Clicquot, sempre com a presença de muitos famosos. Um dia Ronaldo fenômeno, outro Reynaldo Gianecchini e aí vai.

Você também desenvolve um destacado trabalho como fotógrafo de formaturas, casamentos e outros eventos sociais. Quais são as sensações de captar momentos tão importantes e emocionantes da vida de outras pessoas?
Fazer estes eventos me deram uma experiência muito grande para iniciar na fotografia de eventos sociais. Tenho uma forte ligação com pessoas. O jornalismo me ensinou a ouvir, ver e contar uma história. Hoje dedico grande parte do meu tempo realizando eventos de casamentos. É onde tenho maior liberdade de criação e consigo extrair imagens marcantes, de momentos únicos e inesquecíveis. Sempre busquei reconhecimento no meu trabalho e acredito que não a nada mais recompensador do que ser a pessoa responsável por contar através da fotografia a história deste dia. Eu imagino que daqui dez ou vinte anos elas terão um valor sentimental muito maior, em que provavelmente o casal sentará com seus filhos, pegará o álbum e contará através do meu olhar como foi seu casamento. “O que nos une” é a frase que escolhi para me acompanhar. Acredito que existe uma ligação muito forte entre o meu trabalho e a vida das pessoas.

Quais foram suas principais vivências como funcionário do Pioneiro?
Trabalhei durante doze anos no Pioneiro, mas não era fotógrafo. Gostava de frequentar o laboratório na época em que se revelavam os filmes, às vezes pedia para revelar algumas fotos minhas e como de costume observava atentamente o movimento dos fotógrafos, na sua correria diária por imagens únicas, espontâneas e marcantes. Depois de um tempo comprei uma máquina digital e minhas fotos começaram a aparecer no jornal interno da RBS, às vezes emplacava uma que outra no Pioneiro, imagens do cotidiano da cidade. Após quatro anos conquistei o registro de repórter fotográfico e logo após a graduação em Jornalismo.

E foi nesse período que descobriu a fotografia como sua principal paixão profissional?
Sempre acreditei que cada um de nós tem um dom, um talento escondido e esse período me motivou a encontrar o meu. A viagem à Cuba para estudos direcionados a fotografia de cinema foi o momento em que marcou o início da minha vida como fotógrafo profissional. O isolamento em Havana foi essencial para refletir sobre o meu futuro. Deixei para trás tudo o que havia conquistado profissionalmente e literalmente foquei na fotografia.

Como desenvolveu seu olhar para o fazer fotográfico?
Acredito que as artes plásticas me deram a base para ter um olhar apurado sobre os assuntos. Os créditos são da minha mãe, que muito cedo percebeu que eu tinha uma ligação forte com o mundo das artes e sempre me incentivou. Eu tinha como hobby pintar quadros e perceber a luz, os contrastes e fazer a composição, entre outros fatores, isso tudo me ajudou muito. Com o tempo comecei a observar tudo ao meu redor com outro olhar!

O que pensa da tão popular selfie?
Há pouco tempo eu e a Patrícia decidimos fazer vários quadros em casa das nossas viagens, foi quando percebemos que haviam pouquíssimas fotos juntos. Sempre levei comigo máquinas grandes, difíceis (para não dizer impossíveis) de fazer uma selfie. Resultado: existem muitas fotos dela, quase nenhuma de nós dois juntos. O que nos salvou nos últimos tempos foi a popular selfie. Acho uma maneira divertida de registrar bons momentos e de aproximar pessoas. Quando encontrar você, João, faremos uma selfie. O que acha? (risos)

Qual imagem que você registrou é a sua preferida?
Tenho diversas imagens que adoro. Gosto muito daquelas que paro para analisar e refletir. Fiz a foto de uma noiva que estava prestes a sair do salão de beleza em direção ao altar e naquele momento ela se virou para um pequeno altar e fez uma oração. Quando vi a fotografia fiquei muito tempo observando e buscando o seu significado. Esta foto é uma de minhas preferidas.

.

Foto: Edson Pereira, divulgação

.

E quais são as fotografias inesquecíveis de sua vida?
As primeiras imagens que marcaram foram feitas em Cuba. Durante um mês caminhei pelas ruas de Havana fotografando a cultura do povo, costumes e arquitetura. Quando voltei para o Brasil e olhei as fotos, percebi que havia captado a essência do que vivenciei. Estas imagens renderam uma exposição chamada “Las Calles de Havana”.

.

 Havana, Cuba - Edson Pereira, divulgação

Las Calles de Havana, 2011 – Foto: Edson Pereira, divulgação

.

Havana, Cuba - Edson Pereira, divulgação

Las Calles de Havana, 2011 – Foto: Edson Pereira, divulgação

.

Qual fotógrafo lhe serve de inspiração? Mario Testino.

Como você define sua personalidade e suas principais características? Elas são essenciais em sua área profissional?
Sou perfeccionista. Faço o melhor sempre, em qualquer trabalho, em qualquer situação, ganhando muito ou pouco. Isso é essencial e faz a diferença.

O que lhe inspira?
Quando fotografo me emociono, dou risadas, sou movido a boas vibrações. Muitos não percebem porque a máquina fotográfica é enorme, e cobre o meu rosto. Quando apresento o trabalho para meus clientes e vejo um sorriso maravilhoso por terem me escolhido para registrar aquele momento especial de suas vidas, percebo que estou no caminho certo e isso é inspirador.

Além da fotografia, quais são seus prazeres, hobbies e paixões?
Adoro cortar grama e cuidar do jardim. Amo os meus três gatos, o Lenny, o Wolverine e a Naomi. De brinde tem um cachorro que é o Aeron e outra gatinha da tia da Pati que é a lindinha. Adoro viajar com a Patrícia, meu grande amor que está prestes a dar à luz a Valentina, nossa primeira filha!

Fim de semana é bom para… trabalhar!

.

Edson Pereira - Patrícia Maciel de Vargas

Edson Pereira apresenta cinco dicas essenciais para um excelente registro fotográfico:

1. Conhecer basicamente o seu equipamento fotográfico. Isto quer dizer: leia o manual!

2. Observar atentamente o seu assunto ou objeto antes de fotografar.

3. Se preciso for, suba numa árvore para ver o que ninguém vê.

4. Não se contente com apenas uma foto. Faça quantas for preciso para chegar ao resultado desejado.

5. Nunca se esqueça: sorria!

.

Edson Pereira - Patrícia Maciel de Vargas

Preferidos

Filme: Forrest Gump – O Contador de Histórias, de Robert Zemeckis

Livro: Chatô, O Rei do Brasil, de Fernando Morais

Música: Under Pressure, de Queen e David Bowie

Cor: azul marinho

Prato: tortéi e salada de batata

Lugar: Bordeaux, na França

Uma qualidade: perfeccionismo

Um defeito: inquietude

Um aroma: de comida feita em casa

Um som: o ronronar dos meus gatos

Uma imagem: ainda não aconteceu, mas está próximo: o nascimento da minha filha!

Um sonho: viajar pelo mundo

Não vivo sem: sonhar

ESTILEIRA

Cíntia Alves - Rafael Guerra, divulgação
O estilo high low de Cíntia Alves para desfilar no sunset
que anima a juventude florense.

Foto: Rafael Guerra, divulgação

.

Francielli Gallina - Renan Costantin, divulgação
Francielli Gallina apostou na leveza do off white em sintonia com acessórios
dourados em baladinha que movimentou a praia de Atlântida.

Foto: Renan Costantin, divulgação

 

Jaqueline Taschetto Balen - Paula Segala, divulgação
Sempre elegante, Jaqueline Taschetto Balen enfatiza o contraste
de estampas e a sobriedade do branco em recente encontro social.

Foto: Paula Segala, divulgação

.

Colher

A presidente da CDL Caxias do Sul, Analice Carrer, está às voltas com os últimos preparativos do encontro que evidenciará o lançamento da 14ª edição do tradicional jantar beneficente Homens na Cozinha, que este ano assumirá as influências da gastronomia italiana com o tema Uomo na Cucina. Em clima de coquetel de ocasião, Analice apresentará a proposta para cozinheiros e apoiadores da maratona culinária nesta segunda-feira, dia 2 de março, no espaço de eventos do Shopping San Pelegrino com as atenções da bonita superintendente do shopping, Carla Tomaz.


Altar

Letícia Dalla Chiesa faz contagem regressiva para trocar alianças e juras de amor com Felipe Marenzi, em cerimônia que ocupará o altar da Catedral Diocesana, dia 18 de abril. Após a troca dos votos, a pedagoga, filha de Ademar José Dalla Chiesa e Iara Pereira Dalla Chiesa, e o empresário, filho de José Luiz Marenzi e Dalva Maria Pizzatto Marenzi, reunirão familiares e amigos para uma celebração festiva que terá como cenário o Salão Verde da sede campestre do Recreio da Juventude. A recepção terá décor inspirado em contos de fadas, será ilustrada nas cores fendi, marrom e azul, adornadas com arranjos de rosas, astromélias, lírios e bocas de leão naturais em tons de amarelo, tudo sob a batuta de Rafael Bertin.

 

Paralelas


• A fotógrafa e relações públicas Leandra Romani embarca, neste sábado à noite, num cruzeiro rumo aos mares do Caribe. Ela se junta ao grupo que irá testemunhar o enlace de Leonora De Zorzi Piccoli e Juliano Vilela. A cerimônia ocorre no dia 4 de março no Marriot French Mar’s, nas Bahamas.

• João Felipe Leinds comemora sua graduação no curso de Engenharia da Computação pela URGS, neste sábado. A recepção ao redor do filho de João Antônio e Dilema Leinds, terá de quebra a fartura do menu do chef Vicente Perini Filho e muita diversão com a discotecagem do expert em repertório dos anos 1980, o dee jay Titi Branchi.

 

 

Carmen Silvia Castro Eberle e Cláudio Eberle - Renan Costantin, divulgação
Carmen Silvia Castro Eberle e Cláudio Eberle,
ao sabor de um fim de tarde à beira-mar em Atlântida.

Foto: Renan Costantin, divulgação

.

César Viapiana e George de Oliveira - Jucimar Milese, divugação
César Viapiana e George de Oliveira trabalham para o sucesso
do encontro que evidenciará os 31 anos da Liga Feminina
de Combate ao Câncer, agendado para o dia 5 de maio.

Foto: Jucimar Milese, divulgação

.

Maximilano Gonçalves e Cristiane Smiderle  Gonçalves - Renan Costantin, divulgação
Maximilano Gonçalves e Cristiane Smiderle Gonçalves mapearam
os atrativos de uma tarde descontraída no litoral gaúcho.

Foto: Renan Costantin, divulgação

 


Gustavo Bortolotto e Clarissa Rosseti Bortolotto recepcionaram convidados
durante apresentação de seu espaço décor pop-up, no Shopping San Pelegrino.

Foto: Letícia Rossetti, divulgação

 

 

.

 

 

 

Bookmark and Share