Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 7 novembro 2015

Social do fim de semana

07 de novembro de 2015 2

PALAVRAS DE AMOR

Fotos | Edson Pereira, divulgação

 

A advocacia e a escrita sempre foram partes essenciais na vida da caxiense Ana Lúcia de Lemos Nora, conhecida no meio cultural e pelo seu fã-clube, como Ana Lemos, que aos 14 anos de idade ingressou no Poder Judiciário como funcionária de um cartório e, por quase duas décadas, atuou com a elaboração de relatórios de processos. Seus talentos ainda se encontram entre realidade e ficção: Ana é escritora e atualmente publica uma trilogia de romances ambientados no universo do Direito, intitulada “Amores Traçados”.

Graduada pela Universidade de Caxias do Sul e escrivã designada na Quarta Vara Cível da Comarca, Ana começou a dar asas – ou melhor, páginas – para suas aptidões para a literatura sem muita pretensão, publicando capítulos de uma história romântica numa plataforma online de leitura. Quando o retorno de seus leitores se intensificou, uma vez que estes pediam diariamente pela continuidade da trama, a inteligente leonina percebeu o potencial para publicação. Assim nasceu “Sempre Foi Você”, sua primeira obra, que antes de chegar às livrarias já contabilizava mais de 450 mil leituras virtuais.

Enquanto celebra o sucesso de “Sempre Foi Você”, que teve sua primeira edição esgotada em apenas seis meses, Ana prepara a caneta para autografar seu segundo livro, intitulado “Um Amor Inesperado”, que ganha lançamento no início de dezembro na livraria Saraiva do Shopping Iguatemi Caxias. Já antecipando a terceira parte da trama para 2016, a autora revela alguns detalhes que seus leitores podem esperar das futuras publicações: “São livros independentes; embora trate-se de uma trilogia que mantém basicamente o mesmo núcleo de personagens, o enfoque de cada livro é em um casal diferente. São histórias que destacam os laços de amizade, amor, confiança, e, principalmente, a afinidade que se transforma em amor incondicional de pai, mãe e filho”.

Casada com o empresário Paulo Renato Nora e mãe coruja de Guilherme Furlan Nora, de 24 anos, e Fernanda Nora, 15, Ana também se dedica a escrever as páginas de seus próprios dias, sempre repletas de afeto e simplicidade. Enquanto não podemos ler seus próximos capítulos, apresentamos uma prévia de sua história, que está longe do epílogo, mas destinada ao final feliz. Confira!

.

Como e quando a arte da escrita entrou em sua vida?
Sempre trabalhei com a escrita, pois a elaboração de relatórios de processos foi uma constante em minha vida profissional por mais de 17 anos, porém somente no início de 2014 resolvi arriscar e começar a contar minha primeira história, embora já fosse uma ideia que vinha amadurecendo há algum tempo.

E quais foram os primeiros livros que leu e que o apaixonaram pela literatura?
Os primeiros livros foram de literatura infanto-juvenil, pois sempre fui uma apaixonada por leitura desde que aprendi a ler. No entanto, os primeiros livros que marcaram minha vida de leitora foram “O Pequeno Príncipe” e “Por quem os Sinos Dobram”.

Como nasceu seu primeiro romance, “Sempre Foi Você”, e sobre o que ele trata?
Eu comecei a escrever o Sempre Foi Você sem qualquer pretensão, a não ser mostrar a minha forma de escrita para o público, tanto que escrevia capítulos diariamente e postava os mesmos no Wattpad, uma plataforma de leitura gratuita, onde recebi um feedback maravilhoso. Trata-se de um romance, com personagens com personalidades fortes, destaque para os laços de amizade, de amor, confiança e, principalmente, a afinidade que pode surgir entre pessoas sem qualquer laço sanguíneo e que se transforma em amor incondicional de pai, mãe e filho.

O universo de “Sempre Foi Você” envolve o mundo do Direito, sua área de formação. Como se valeu desse ambiente para seu livro?
Na verdade, o Direito entra na metade do livro, quando Luciana (Lucy) resolve cursar a faculdade de Direito e depois quando escolhe sua área de atuação e o tema de seu TCC. Isso tudo, juntamente com o universo que envolve os Tribunais (Fórum) e escritórios de advocacia é muito familiar, porque entrei no Poder Judiciário como funcionária de cartório privatizado quando tinha apenas 14 anos.

E quais foram suas expectativas e resultados com a publicação deste livro?
Foram todas superadas, pois o livro teve uma ótima aceitação, desde quando estava disponível no wattpad, sendo retirado de lá quando fechei contrato para a publicação e nessa época já contava com mais de 450.000 leituras. Depois de lançado o livro na forma física, o mesmo esgotou sua tiragem inicial em 6 meses e já está na segunda edição, agora pela editora Pandorga, minha nova casa literária.

 

Como recebe críticas e se relaciona com seus leitores?
Eu tenho facilidade com as críticas, até por que não foram muitas até agora, e sempre procuro tirar o máximo de aprendizado de tudo o que me dizem, afinal sou uma caloura na literatura e sei que tenho um longo caminho pela frente no que se refere a técnicas de escrita, etc. Com meus leitores, tenho o melhor relacionamento possível, pois tenho minha fan page, com 42.000 curtidas e trocamos mensagens praticamente diárias.

Já vivenciou alguma situação inusitada por conta de seus livros?
No ano passado eu fui conhecer a Bienal de São Paulo, mesmo não tendo ainda lançado o “Sempre Foi Você” e fui abordada por uma leitora, com um bloquinho na mão pedindo meu autógrafo antecipado, para depois colar na primeira página do livro. Ela comprou o livro, colou o autógrafo o me enviou a foto pelo Facebook. Fiquei super emocionada com o carinho dela, Cláudia Chacon.

Costuma ouvir música para escrever?
Gosto de escrever escutando música, então coloco meus fones e entro para o meu mundo de fantasia. Aliás, todos os meus livros possuem uma relação com a música e cada um possui sua playlist própria. Para cada livro são músicas diferentes, pois procuro músicas que se encaixem no momento que cada personagem está vivendo.

Quais são os mestres da literatura que mais admira?
Eu leio de tudo, sem preconceito, mas meu gênero preferido são os romances e neste segmento gosto muito da forma de escrita de Nora Roberts, Rachel Gibson, Bella André,  Shophie Kinsella, Meg Cabot, Jennifer Probst, Katie Aslhey, dentre outros. Tenho muitas referências de autores nacionais, porém prefiro não enumerar para não correr o risco de deixar alguém de fora por esquecimento, mas destaco que a literatura nacional está produzindo grandes e talentosos autores nos últimos anos, graças ao incentivo de plataformas de leitura e editoras empenhadas em mostrar o trabalho do nosso país.

Como define sua personalidade e suas principais características? Elas são essenciais em sua área profissional?
Sou uma pessoa de personalidade forte, embora muito romântica e sonhadora (talvez por isso a necessidade de extravasar esse lado nos livros). Sou aquela pessoa de riso fácil, de abraço apertado e de amizades verdadeiras. Uma profissional extremamente exigente e que ama o que faz. Eu acredito que não teria chegado até o meu cargo de designação se não tivesse o grande amor e dedicação ao Direito, que venho demonstrando nesses 25 anos de trabalho, por isso sim, minha personalidade e características pessoais certamente influenciam diretamente no meu trabalho.

O que lhe inspira?
A vida: a cada dia aprendemos e crescemos mais um pouco como seres humanos e isso e primordial.

Na pele de quem gostaria de passar um dia?
Na de qualquer pessoa que pudesse me acrescentar experiências que envolvessem crescimento em termos de humanidade, caridade, doação. Acredito que tenho muito mais a fazer e ajudar nesta minha passagem pela Terra.

Quais são seus prazeres, hobbies e paixões?
Gosto de estar com minha famílias, amigos e cães. Gosto de cozinhar, de tudo que diga respeito a artes manuais em, é claro, de livros e viagens.

Como se define?
Como uma pessoa simples, com o pé no chão e com muita vontade de criar e ajudar aos outros.

.

 

Preferidos

.
Filme:
Malévola, de Robert Stromberg

Livro: Toda a obra de Monteiro Lobato, por representar minha infância.

Música: Paixão, Keiton & Kledir

Cor: vermelho

Prato: aquele com sabor, sem frescura

Lugar: minha casa

Uma qualidade: simplicidade

Um defeito: ansiedade

Um aroma: flores

Um som: gargalhada de criança

Uma imagem: Central Park na primavera

Um sonho: um Brasil melhor e mais justo

Não vivo sem: música

.


As amigas, Ciana Reis e Alessandra Martta Giovanardi,
prestigiaram o projeto fashion de Marilete Alquati.

Foto: Jucimar Milese, divulgação

 


Marcia Brasil e Elias Cappellaro acontecendo em sociedade.

Foto: Fernando Dai Prá, divulgação

 


Fátima e Caroline Polly presenças no coquetel pilotado por Daniela Ferronatto.

Foto: José Zignani, divulgação

 

 

.

 

Bookmark and Share