Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "imagem"

YouTube está aprendendo qual o melhor thumbnail para seu vídeo

14 de outubro de 2015 0
Reprodução / Google Research Blog

Reprodução / Google Research Blog

O blog do Google Research sempre traz algumas explicações e bastidores legais das práticas do Google. Por isso, eu sigo e sempre dou uma olhada no seu perfil no Twitter.

Vi um post recente que fala das melhorias nas thumbnails no YouTube, as imagens estáticas que representam o vídeo antes de ele rodar ou na área de relacionados, e me interessei.

Os thumbnails são muito importantes para a descoberta de novos conteúdos. Quando você assiste a um vídeo, são eles que podem atrair seu próximo clique. Eles são também a primeira impressão, o que faz com que canais estabelecidos, especialmente os que monetizam seu conteúdo no site, façam imagens especiais, trabalhadas, para chamar a atenção do usuário.

Através de um trabalho com Deep Neural Networks (DNN), os profissionais do Google ‘treinaram’ um programa, alimentando-o com exemplos positivos desses canais, para que ele saiba qual o padrão de um bom frame.

Novamente, o Google se beneficia do grande número de pessoas que usam seus serviços. Como eles têm de canais de pets a jogos de videogame, podem usar todo esse material como orientação para as escolhas da máquina.

Através de um cálculo de pontuação de qualidade, dada pela semelhança com os frames ditos corretos, são escolhidos os thumbnails com os melhores resultados. Em comparações feitas com o algoritmo anterior, 65% das vezes a solução mostrou imagens consideradas mais adequadas do que as que eram oferecidas anteriormente.

Recentemente, o novo método foi introduzido no YouTube, então se você sobe vídeos por lá deve notar uma melhora nas escolhas automáticas.

Essa é mais uma prova de que as máquinas não precisam pensar, mas sim entender instruções e critérios. Se elas aprenderem a escolher as melhores imagens, com foco correto, melhor enquadramento, tipografia mais legível ou qualquer outro parâmetro usado, isso pode influenciar até a ordem em que imagens aparecem na pesquisa do Google, com critério qualitativo somando-se ao algoritmo.

Eu já fiz um post sobre o programa da empresa que tentava legendar fotos a partir de seus elementos. Acho bem legal esse tipo de pesquisa e dou a maior força. :)

Selfie mata mais do que tubarão

23 de setembro de 2015 0
Foto: Christophe Simon / AFP

Foto: Christophe Simon / AFP

Vi no Link, um blog do Estadão que acompanho, a divulgação de uma pesquisa apontando que, neste ano, mais pessoas morreram fazendo selfie do que por ataque de tubarão (12 a 8). Desde o início da febre de fazer selfies penso que é uma prática sempre muito próxima do exagero. Temos exemplos diversos do quanto o povo passa do limite quando a ideia é garantir a sua imagem em algum lugar sem pedir ajuda pra alguém.

Já se falou sobre selfies em lugares inapropriados (velórios inclusos) e sobre as pessoas não aproveitarem um show ou um passeio, por exemplo, porque passam o tempo todo fazendo fotos, até conseguirem uma que acreditem estar legal para compartilhar. O Diogo escreveu sobre a invasão das selfies aqui no Spot no ano passado. No verão, chegou a febre do pau de selfie e, de tempos em tempos, uma dessas imagens acaba se tornando assunto. Mas, dessa vez, fui surpreendida. Talvez não apenas por ler que as pessoas morrem fazendo selfie, porque isso já foi noticiado, mas pelo comparativo.

Sabemos que ataque de tubarão não está entre as causas de morte mais comuns, claro, mas acho que a pesquisa da Mashable escolheu um bom tema para atrair o clique das pessoas mesmo com tanta informação na internet. Espero que ler sobre os riscos dessas fotos chame a atenção também para os exageros que as pessoas cometem. :)

Novela da Globo A Regra do Jogo busca redefinir linguagem visual do gênero

01 de setembro de 2015 0

A nova novela da Globo A Regra do Jogo, escrita por João Emanuel Carneiro e com direção de núcleo de Amora Mautner, chegou com tudo no quesito linguagem visual. Com a proposta da caixa cênica, que consiste em câmeras espalhadas de maneira que nem os próprios atores sabem onde elas ficam, permite uma nova maneira de se trabalhar: menos engessada, menos preparada, menos televisiva, enfim, com mais cara de reality.

Sem o uso das marcações, que eram guia para a movimentação dos profissionais em cena, a novela permite novas abordagens, como o recorrente uso de objetos em primeiro plano, criando camadas de imagem, o uso de sombra, contraluz e algo até então muito incomum nas novelas: personagens dando as costas para as câmeras.

Tudo isso deixa A Regra do Jogo um passo mais próxima da vida real, mais livre para improvisações e movimentações espontâneas dos artistas. A proposta do enredo é questionar o bem e o mal, mas a imagem também questiona os padrões usados até então, quebrando muitas regras desse jogo em que a Globo já é líder há anos.

Não sou um noveleiro, mas Avenida Brasil, outra novela de Carneiro e Amora, foi um sucesso de audiência e de qualidade. Pelo histórico da dupla e pelo cartão de visitas, vale ficar de olho nos impactos que a caixa cênica terá nos atores, na criação inventiva e na mensagem passada.

App pra "louboutinizar" as fotos :)

10 de agosto de 2015 0

imageO post de hoje trata de um app pra brincar, e confesso que não resisti a falar dele aqui como não resisto a um belo scarpin. O adorado mago dos sapatos Christian Louboutin disponibilizou hoje na app store o aplicativo Louboutinize. É tudo muito simples: você faz uma foto, ou busca uma imagem salva no iPhone, e pode tranformar em vermelho (saca a famosa sola dos sapatos dele, né?) ou colocar um par de pernas, o que tem tudo a ver com as campanhas da marca. Aí, é compartilhar nas redes sociais e fim.

Não sei se vai pegar, se vai durar pouco etc, mas não tenho dúvidas de que reforça a marca. O app deve atrair quem adora sapatos – e sabemos que o universo feminino costuma render – e dar mais uma espalhada por aí no nome de Louboutin. Não que ele precise, mas estar presente no mundo da tecnologia é importante e pode ser mais uma forma de vitaminar as vendas, o que, no fim das contas, é sempre o que todo mundo quer.

Grátis na app store. Enjoy! :)

image

image

Veja como foi fotografado o plano de fundo do Windows 10

26 de junho de 2015 0

O novo sistema operacional da Microsoft, o Windows 10, deve ser aberto ao público no dia 29 de julho. Como as imagens dos sistemas da empresa são vistas por milhões, talvez bilhões de pessoas, cada escolha do próximo plano de fundo padrão pode criar um novo ícone visual para uma geração.

Desta vez, a imagem padrão é uma fotografia, criada a partir de objetos físicos, hologramas e design visual. Basicamente, a imagem é uma superfoto criada em estúdio sob a direção de Bradley G. Munkowitz, também conhecido como GMUNK.

Segundo a própria descrição do vídeo de bastidores, nem todas as imagens são criadas da mesma forma. O uso de lasers, máquinas de fumaça, filtros coloridos e mais uma parafernalha faz a Microsoft ser cool novamente, segundo alguns comentários no YouTube. Para mim, ela segue sendo um gigante que, sempre que puder, vai ostentar seu poderio. Será que a empresa do Bill Gates vai se recuperar nos próximos anos? A Paula fala um pouco sobre isso em outro post.

O fato é que a ideia ficou legal. Mas será que precisava tudo isso de produção? Será que vale toda a grana e todo o trabalho investidos pra dizer que o resultado foi feito da maneira antiga, sendo que um bom designer com um Photoshop em mãos poderia chegar ao mesmo produto final? Tenho minhas dúvidas. Só sei que, com tanta infraestrutura robótica e visual por trás, a fotografia ficou como coadjuvante no processo.

Windows 10 wallpaper

 

30 anos da Reuters em 30 fotos

21 de fevereiro de 2015 0

image

Foi navegando no Flipboard, que eu adoro e já falei aqui no Spot, que eu vi o link da Exame com as 30 fotos selecionadas pela Reuters para marcar os 30 anos da agência. Imagino o quanto difícil foi fazer essa seleção.

Fiz print da tela do iPad com algumas das imagens que me tocaram especialmente enquanto eu ia virando as páginas. É uma escolha muito pessoal, sem que eu considerasse muitos fatores, são realmente as fotos que, por algum motivo, me fizeram parar por uns instantes a mais. Avaliações técnicas de fotografia são com o Diogo.

Fiquei pensando, enquanto olhava as fotos, em quantas delas retratam guerras. Uma pena que a gente ainda tenha que conviver com um mundo que mata tanto.

image

image

image

image

image

 

Google trabalha em software capaz de criar legendas para fotografias

11 de fevereiro de 2015 0

Resultados de pesquisa já são satisfatórios. Imagem: Reprodução / arxive.org Transformar imagens em palavras até então é um dos grandes desafios daqueles que trabalham com inteligência artificial. Com o grande crescimento de softwares de reconhecimento facial, contudo, já era esperado que os problemas gerais em reconhecimento de imagens genéricas começassem a ser vencidos pelos programadores e pesquisadores da área.

A primeira grande evolução recente foi o reconhecimento de face, usado em câmeras para otimizar o foco. Em seguida, a identificação de sorrisos para fotografias automáticas, e, então, a sugestão de marcação de fotos de amigos a partir do banco de dados do Facebook. O Google, por sua vez, passou a permitir a busca por imagens, mostrando itens que contêm elementos parecidos com a figura original e trazendo todas as vezes que resultados similares apareceram na rede ou repetiram o uso do objeto.

Tudo caminhava para um suposto maior entendimento da tecnologia em relação a fotos, mas daí a fazer com que, em seu primeiro contato com uma fotografia, um software seja capaz de descrever uma cena em palavras usando somente equações de padrões presentes no quadro é uma conquista muito interessante na área. E é nisso que trabalham os pesquisadores do Google atualmente, com resultados já satisfatórios.

A tarefa de legendar fotografias, que toma tanto tempo dos profissionais de imagem em seu trabalho diário, passará a necessitar somente do ajuste fino: algumas correções, a adição de informações extra-quadro e os nomes das pessoas presentes (caso não apareçam seus rostos, porque a probabilidade é que em breve até isso os computadores sejam capazes de fazer sozinhos), além de sutilezas perceptíveis somente a olhos humanos (ainda).

É um pequeno passo que nos separa do sucesso de tal software, sendo que seu funcionamento pleno pode alterar a rotina de redações e agências de notícias no mundo todo. Imagine, no futuro, as imagens saindo já legendadas diretamente da câmera, com as melhores tags de maneira a otimizar resultados em ferramentas de pesquisa. Como fotógrafo e amante de internet, aguardo ansiosamente para testar e trabalhar dessa maneira.

60 das melhores fotos da National Geographic e as histórias por trás das lentes

27 de novembro de 2014 0

natgeo50

Tenho a mágica entre meus dedos.

Eu já vi o trabalho de muita gente boa por aí, já aprendi com alguns dos melhores do mundo e consumo visualmente milhares de imagens semanalmente. Mesmo assim, foi em completo êxtase que li a revista especial da National Geographic – edição 176-A.

Esqueça os livros chatos de fotografia e pode correr para uma banca. Esta bíblia para fotógrafos custa R$ 25,00 e é uma aula completa de fotografia e edição (uso edição sempre no sentido de escolha, não de pós-processamento) de imagens, melhor do que muitos livros que tratam do mesmo assunto – arrisco a dizer, melhor até que os livros da própria NatGeo sobre suas grandes fotografias. A força da história tem que acompanhar a qualidade das fotografias e é aqui, com a escolha das 50 melhores fotos internacionais, somadas a 10 grandes fotos brasileiras, e as histórias por trás das lentes de cada fotograma que a mágica acontece. Os bastidores fazem toda a diferença.

Não é novidade que a National Geographic é uma grande referência para fotógrafos. Segundo a própria revista, ser fotógrafo de NatGeo “é um título almejado por muita gente, mas que só foi conseguido por alguns raros e seletos profissionais. Já houve quem o considerasse o melhor trabalho de todos – a oportunidade de mostrar o mundo para o mundo. E, cada qual à sua maneira, foi bem isso o que fizeram os profissionais incluídos neste livro.”

Portanto, seleciono as 10 imagens dentre as 50 que me parecem mostrar melhor o mundo ao mundo, além de duas das dez nacionais.

  • As internacionais (sendo que em dois casos fiquei tentado a usar outra, de mesmo tema, mas decidi por estas):

Chris Johns: Um leão patrulha o leito seco do Rio Nossob, no centro de um vasto refúgio (p. 26)

William Albert Allard: A aflição toma conta do pastor quando um táxi atropelou e matou meia dúzia de suas ovelhas (pág. 28)

Sam Abell: Os caubóis de Montana marcam a fogo e castram o rebanho – ritual nessa região de criadores de gado (pág. 32)

Paolo Pellegrin: Meninas de um vilarejo na Cisjordânia dão o último mergulho do dia nas águas salgadas do Mar Morto (pág. 36)

David Doubilet: Divertindo-se por toda a costa sul da Austrália, os leões marinhos estão sempre de olho nos tubarões-brancos (pág. 55)

Jim Brandenburg: Um lobo-ártico salta pelos blocos flutuantes de gelo, vigiando o território ao redor do covil (pág. 61)

Steve McCurry: Os camelos buscam por arbustos e água não poluídos nos campos de petróleo incendiados no sul do Kuwait (pág. 66)

Joanna Binneo: A areia soprando do leito seco de um lago gruda na bebê de 8 meses enquanto mãe e filha tiram uma soneca no Mali (pág. 78)

Michael Nichols: Um chimpanzé estende a mão por entre as grades da jaula, em um zoológico africano, a fim de tocar em Jane Goodall (pág. 80)

Dean Conger: Um pastor de renas na Sibéria incita os animais a avançarem pela neve rumo à tenda familiar (pág. 85)

  • As minhas duas escolhas nacionais:

Luciano Candisani: Na linha d’água. Imóvel, porém alerta, um jacaré espera, como um pequeno tiranossauro, para que os peixes estejam sob seu alcance (pág. 18)

João Marcos Rosa*: Araras-azul-de-lear. Um casal de araras voa em paz em uma área protegida na região baiana de Canudos (pág. 46)

_________________

*: Não consegui links para imagens das araras, se encontrar, atualizo

._________________

O único ponto negativo nesta revista é que ela é uma revisão abrasileirada de uma edição americana de 2011, em que mostraram as 50 melhores mais as 10 principais fotografias daquele ano. Demorou para chegar ao Brasil, hein? De qualquer maneira, vale a pena adquirir. Para quem comprar ou tiver acesso: saiba que eu adoraria conhecer e discutir as suas preferidas. :)

Olhos que me seguem: a paranoia visual de Chrobak

04 de novembro de 2014 0

Por que todos olham para mim? O incômodo causado por essa pergunta fez Damian Chrobak registrar os diversos olhos que o seguem aonde quer que vá. E há, sim, muitos deles por aí. Em propagandas, camisetas, revistas e até onde não há olhos verdadeiros, como nos faróis de carros, podemos interpretar ‘emoções’ a partir de como se apresentam.

A grande capacidade de comunicação não-verbal faz com que os olhos sejam o ponto de foco de qualquer retrato de rosto. São eles que entregam uma cumplicidade, uma afeição, uma rejeição ou qualquer que seja a relação estabelecida na imagem.

Ver, observar, notar: os verbos derivados da visão emprestam o sentido de reconhecimento aos sujeitos à ação. Se não diferenciarmos o real do representado, os milhões de olhos que habitam as cidades passarão a saltar, famintos, em nossa direção. Reconhecer a paranoia e transformá-la em documento, contudo, é o tipo de ideia que pode modificar a relação com uma fobia e, por que não, trazer algum lucro para o fotógrafo.